segunda-feira, 31 de março de 2014

GP da Malásia: Lenga lenga usual

Prometeram mudanças, prometeram imprevisibilidade...
Não que eu tenha acreditado que tudo, de súbito, ficaria assim tão empolgante. Mas não imaginei que já na segunda etapa da temporada já diria "this is bullshit"... 
Fato consumado, me perdoem os fãs da Mercedes, mas vê-los ditar ritmo de corrida é o mesmo que ver Vettel ditar o ritmo dos últimos 3 anos. Tão chato quanto. Acrescido de um som de motor meio desajeitado e carros de design feio; "é o que tem pra hoooojeee". A vantagem  da Mercedes para a Red Bull dos últimos anos é que, pelo visto, os dois pilotos revesarão seus postos no pódio. O que tiver mais cabeça boa - diga-se de passagem, sabemos quem é - pode competir com tranquilidade ao título. Fora isso, tem Red Bull naquele pódio como sempre. Mesmo com ou sem punições. No mais uma McLaren pode surgir vez ou outra para dar o ar da graça. Nesta última, tivemos a volta do Vettel no pódio e nada, nada, nada naquela corrida de ontem empolgou.
A corrida arrastadíssima contou com um Lewis Hamilton, que liderou de ponta a ponta e claro, não fez esforço. Assim como seu companheiro Nico, que meio que disputou com Vettel entre momentos de rendimento de corrida, mas acabou com o segundo leve lugar... Nada contra, e com propriedade, está em primeiro no campeonato.
Vettel então, parece ter que fazer mais esforço para estar no pódio, porém... Blah. 
Alonso tem salvado a Ferrari estando bem colocado, mas não a ponto de estar no pódio. Tanto Austrália como Malásia, foram posições garantidas à custos. Mas largou em quarto, de depois de várias voltas em quinto ou sexto, conseguindo a posição de largada de volta, ultrapassando Hulkenberg. Ali contou vontade e batalha, porque se formos olhar o seu companheiro da equipe... ¬¬'
Mas vamos seguir. Alonso só saiu do sexto lugar, em boa parte da corrida, porque a Red Bull decidiu testar a paciência de Ricciardo. Roda não presa e pit stop afoito, além de uma asa quebrada, depois punição... nem terminou a corrida. Red Bull pelo visto, vai demorar em dobradinha de razoáveis resultados. O quinto lugar de Alonso foi deixado quando ele fez uma interessante ultrapassagem sobre Hulkenberg. 
Hulk foi o único a marcar pontos - pela segunda vez seguida inclusive, neste ano - com a Force India. Sergio Perez nem chegou a largar. Atrás de Hulk, Button, mostrando mais segurança que o companheiro novato que cometeu erro na largada, e segurando as Williams. Foi legal. 
O que não foi, foram os assuntos de rádio da Williams. O que dizer agora? Bottas estava sempre mais rápido que Massa, e o que acontece? Absolutamente nada. Quem é o cara chato da história, eu pergunto. Ah, é, o Alonso... Sinceramente: Blah! Mas a manchete é qual mesmo? "Massa impõe moral"... Absolutamente ridículo, portanto. Blah, mil vezes.
Atrás da Williams, Magnussen que cometeu erro de largada: em toque com Kimi, acabou rasgando o pneu do finlandês, logo na largada. briga entre nórdicos, e nem estávamos em campo de batalha. Sério, me empolgaria litros se tivesse roupas de peles, espadas e escudos... Mas não, nem isso.  Kimi decidiu dali, trocar o pneu e tirar uma soneca. Pois só isso justifica a falta de emoção da sua corrida. Ficar disputando o décimo primeiro lugar (é isso, produção?) com a Lotus ou tomar passões das Caterham foi sumariamente deprimente. Valeu Ferrari por nos proporcionar isso! Com esse furreca, não dá para esperar mais energia e empenho do Kimi do que isso. E esse tipo de reação tendendo a zero que teremos. Shame on you, Kimi. E ok: blah, para você também.
Houve toque na largada, com Maldonado e alguma Marussia (que não lembro qual) e nenhuma Sauber marcando pontos ou terminando a corrida, e mais abandonos, de Vergne, de Bianchi - abandonos parece ser a tônica das corridas.



Um saco, eu diria. Além de ser um saco, achei frustrante.  É à mesmo isso que estamos fadados?
Então finalizo: blah.

Abraços afáveis! (Amanhã, legendarei fotos. Vamos rir, pelo menos...)

sábado, 29 de março de 2014

Treino Classificatório do GP da Malásia

Chovia no circuito malaio. E chovia bastante.
E com atraso, spray e escorregadas, o treino acabou saindo, com 50 minutos de atraso, com algumas pausas e água.
Quer saber? Treinos, mesmo que classificatórios, quase nunca são empolgantes, salvo míseras vezes durante uma temporada inteira. 
Aí chove. As chances máximas do narrador, comentarista e repórter aumentam exponencialmente para falarem bobagem em rede nacional.
Falar mal de piloto, falar bem do piloto da casa, já é de se esperar. Com chuva se perde o nível, por falta do que fazer.  Comentários que a gente não dá a mínima e inventar coisas surgem na mesma quantidade que os pingos de água. Um saco. Reginaldo e o recalque desenfreado com o Alonso, reporterzinho dando notícias com foco em Massa (que história é aquela dos mecânicos da Ferrari?...), José Roberto falando de parafusos a menos do Kimi e depois dizendo que a mídia exagera sobre o finlandês... 


Babaquices mais extremas que essas, só no Big Brother Brasil, minha gente.




Estes são os três primeiros. Mais um motivo para não empolgar tanto com os treinos. Da Austrália para esse, mudou só o Red Bull em questão, de Ricciardo para Vettel. ¬¬'
Algumas situações - potencializadas pela falta de visibilidade por conta da chuva - aconteceram: uma batida de Marcus Ericsson da Caterham no fim do Q1. No Q2, Alonso não viu Kvyat e quebrou a suspensão no toque. Trabalho rápido da Ferrari (mesmo com o trio global gorando) e Alonso foi para o Q3 bem o suficiente para garantir um quarto lugar no grid. Houve investigação, mas pelo visto, não houve culpa de nenhuma das partes envolvidas. Outra investigação também no Q2, por conta de Bottas, que teria atrapalhado Ricciardo na abertura de volta. Pois bem, o finlandês foi punido com 3 posições, depois de ter errado em estratégia de usar pneus intermediários com chuva e muito spray, enquanto a maioria estava de pneus de chuva normalmente. O que deu no pessoal da Williams pouco se sabe - tanto que o Maria-vai-com-as-outras do Massa cometeu o mesmo erro (eu acho maneiro isso, até porque, já se tem o discuros pronto ao ouvir as desculpas: primeiro a chuva, segundo a estratégia...). Bottas, largaria na décima quinta posição, com a punição, largará em décimo oitavo, deixando o grid da seguinte forma:

1º L. Hamilton (Mercedes), 2º S. Vettel (RBR), 3º N. Rosberg (Mercedes), 4º F. Alonso (Ferrari), 5º D. Ricciardo (RBR), 6º K. Räikkönen (Ferrari), 7º N. Hulkenberg (Force India), 8º K. Magnussen (McLaren), 9º J.E. Vergne (STR), 10º J. Button (McLaren), 11º D. Kvyat (STR), 12º E. Gutierrez (Sauber), 13º F. Massa (Williams), 14º S. Perez (Force India), 15º R. Grosjean (Lotus), 16º P. Maldonado (Lotus), 17º A. Sutil (Sauber), 18º V. Bottas (Williams), 19º j. Bianchi (Marussia), 20º K. Kobayashi (Caterham), 21º M. Chilton (Marussia), 22º M. Ericsson (Caterham). 

Hamilton achou uma maravilha a pole. Na boa? Isso só foi bom para ele mesmo, pois, não fez nada mais do que se esperava da equipe. Se acompanharmos desde o começo do Q1, era ele ou Rosberg os donos da pole. E nem vem que não sofreu nada assim não... Nos poupe. Pole monstruosa é quando se soa para conseguir. 
Apostas para a corrida? Chuto vitória do Rosberg novamente e acho que Vettel ressurgirá no pódio, deixando todos que achavam que a RBR estava mesmo morta meio sem o que dizer (a não ser que apareça algo novamente para punir e desclassificar o que a equipe conseguir...). Mas é um chute mesmo. Totalemnte remoto, pode ser (e tomara que sim) que a corrida seja surpreendente (pelo menos isso!).
E qual seria a aposta de vocês? 

E então, a previsão de amanhã é de chuva igual a de hoje. Ou seja, se não atrasar muito, vai ter mais Safety Car do tipo chato aparecido em foto de família, quase toda hora. 
Empolgada para isso? Nem um pouco...

Mesmo assim, desejo a todos um excelente resto de sábado, uma excelente corrida, um bom domingo de descanso e ócio. Volto na segunda. ;)
Abraços afáveis!

sexta-feira, 28 de março de 2014

Vídeo: para rir

Sei que amanhã já começa o fim de semana com F1 e inclusive, o ronco dos motores que o Vettel denominou de "m" já estão soando na Malásia... Já rolou dois treinos livres e muita reportagem sobre, mas não, não achei muito o que dizer aqui hoje. Os treinos livres já forma e só acompanhei os tempos e poucos detalhes comentados e é, me dei por satisfeita. Não dá para discorrer teses sobre eles, eles são quase irrelevantes para a classificação e - pelo que se tem de ideia - são mais remotos ainda se comparados às corridas.
Entonces, venho com uma coisa para divertir. Acabo de ver no Uol e ri muito do vídeo, portanto, hora de compartilhar.
Quer tonificar a barriguinha com alguns segundos de risada? Pois bem, aqui vai o vídeo com uma perseguição policial narrada como se fosse jogo de futebol americano.
(Ah, saudade da NFL ...)

Fonte do vídeo, aqui




A criatividade e o bom humor são uma dádiva! \o/

Desejo a todos um excelente resto de sexta-feira! Até!
Abraços afáveis!

quinta-feira, 27 de março de 2014

Kimi Räikkönen professor

Não vou negar que ele deve ser um cara muito difícil de conviver.
Mas não convivo, então "who cares?" rsrsrsrs...

Enfático, Kimi nos ensina que as vezes é preciso apenas um "Não", um "Sim" ou no máximo, um "talvez" para  como certas respostas.
E dê-se por satisfeitos.

O vídeo abaixo é um trecho da coletiva de imprensa de hoje, na Malásia onde o jornalista Heikki Kulta pergunta se ele ficou com vontade ir para o simulador para poder buscar melhoras. 
Resposta: "Não".
Só o russo Kvyat ficou voando (ou no mínimo é tão frio quanto) e não manifestou nenhuma reação. Koba e Bottas deram risadas discretas e Rosberg parece ter rido pra dentro, enquanto Maldonado, só pegou a intenção de má resposta um pouco mais tarde. 


Abraços afáveis, bom resto de quinta-feira!

quarta-feira, 26 de março de 2014

Moda e Kevin Magnussen

Sejamos pragmáticos: até poucos dias atrás, jamais comentaria sobre Kevin Magnussen por aqui. Mas cá estamos em um patamar da qual não podemos fugir: o garoto estreou na F1 e já subiu ao pódio e - beleza - já está "causando no recinto".
Ano passado, a McLaren havia perdido o grande Lewis Hamilton e teve um ano mais que atípico. Pouco se ouviu falar da equipe, pouco alguém se importou, inclusive. Por um tempo as vezes, eles vêem com uma pompa, uns eventos publicitários com direito a piloto modelando e tudo. E por mais que o ano de 2013 fosse tenebroso, claro que ele podia ficar pior inclusive nesse quesito propagandioso.
Hugo Boss, criançada! Uma propaganda da Hugo Boss com Jenson Button não faria mal a nin-guém:


Até Sergio Perez modelar, não haviam ainda experimentado o fundo do poço.


E agora, para 2014, além de entrarem na temporada com pé direito, a equipe busca dar uma organizada na casa. Começando bem - embora não seja correto assumir que serão assim o ano todo - pelo menos contam com modelinhos mais agradáveis, além da aposta certa com JB. 
Seis dias atrás me deparei com as seguintes fotos alá "modelete-diva" do Kevin Magnussen no Tumblr:




Não sei se é para Hugo Boss, também, mas sei que encontrei neste link aqui.
Apesar de concordar plenamente com a dona Luane do Octeto (ver post sobre o assunto que ela fez, aqui) - sim, ele lembra um boneco de cera; tão opaco ser bege claro - é preciso convir que evoluiu bem depois de Perez. E vamos lá, gostei bem do estilo das vestimentas. Adoro preto e ficou chiquérrimo o look com couro! \o/
O garoto tem apreço pela boa moda? Certamente. Mas disso, dizer que ele tem bom gosto sempre, fica uma respostas mais nebulosa. Pelas fotos que acabo de ver, também no Tumblr (amado seja!), já vi que é fashion...
Preparados? Rsrsrsrsrsrs...



 Link onde encontrei as fotos, aqui.

Que calça linda e meiga, Kev!!! Calça tipo pijama: dormiu - acordou - levantou - saiu. Super prática! xD


E com essa postagem, já deixo avisados e avisadas que esse ano a "zueira" na F1 está liberada. Zueira a quantidades módicas, para dar umas risadinhas humildes. 
Fiquem atentos!


Abraços afáveis!

terça-feira, 25 de março de 2014

Momentos para partilhar - Semana 41

Estou quase finalizando as tags da 52 semanas. Como já fiz a semana 51 e 52 em meados de dezembro, em virtude das perguntas de fim de ano, finita a de hoje - semana 41 - faltará apenas 9 semanas para completar de vez.


Semana 41 - As coisas mais difíceis num relacionamento amoroso são



► Entender e aceitar as diferenças

Esqueça se vai encontrar uma pessoa idêntica a você. Muita gente busca isso e estou inclusa. Certamente é por isso que estou solteira (rsrsrsrsrs...). Não porque não aceito e não sei respeitar diferenças, mas sim porque creio que não aceitarão as minhas. Para isso, uso um exemplo: certamente aceito - apesar de não entender rsrsrsrsrsrsrs - que um cara super interessante goste de sertanejo. Eu não cogito o relacionamento, pelo simples fato que ele poderá não engolir bem eu ignorando o estilo musical dele totalmente, e preferir meus fones de ouvido com sons de qualidade. Certamente ele não ouvirá minhas coisas também, nem acho que deva forçadamente, fazer só para me agradar.
Aceitar e entender as diferenças é o seguinte: é os pequenos detalhes, as pequenas coisas que o outro faz, antes mesmo de te conhecer, que faz parte dela. Um gosto pelo Sidney Magal não afetará se cara tiver um álbum do Iron Maiden em casa. Entendem? O cara pode ter horário para tirar uma soneca e você tem que respeitar isso, fazendo outra coisa para si, aproveitando para ler ou ver tv. Pode gostar de jogar futebol com os amigos no horário da sua Fórmula 1 e você vai deixar claro que ele pode ir, enquanto você fica vendo a corrida pela tv, por questão de preferir mesmo.
Isso vale para opiniões sobre certas coisas, e se você realmente gosta, nada pode afetar.

► Ciúmes

Eu costumo dizer que ciúme só transborda quando é obsessão ou quando há motivos para ter. Mulher é mais ciumenta, por uma série de fatores. E mesmo as "descoladas", aquelas que "não ligam", sofrem ainda que caladas. O pior é não dar o braço a torcer. 
Eu de fato não teria ciúmes, mas em um relacionamento sério, intimaria: está afim de outra? Ótimo, eu devo ser a primeira a saber. Assim, pelo menos, vai ter uma sombra de respeito. Avisos e conversar breves e sinceras, ajudam muito. O relacionamento é assim, se o cara quer ir na sua casa e você não pode dar atenção, tem que ter a liberdade de dizer que naquele momento não dá e se perder ele para outra é muito simples: não havia respeito, então, esqueça.

► Implicância

Vejo muitas mulheres implicantes com os seus pares masculinos irritadas. Os caras são mais engraçados, mais bobos, falam umas coisas sem pensar e aí fica aquele "mimimi" do "o que você quis dizer com isso?" ou "você não leva nada à sério?" Assim como os homens também vão fazer certos comentários e trazer à tona certos assuntos, afim de irritar. 
Eu acho isso pura implicância. É aquele momento infantil que todo mundo passa em relacionamentos (e até em amizades) que só serve para implicar. O lance chato é quando isso vira rotina. Assim as brigas passam de leves para grandes e pronto; virou um casal insuportável.

► Metas diversas

Quando ambos entram em um relacionamento com metas diversas, as coisas podem sair dos eixos. Para evitar isso, há de existir concessões equilibradas: se a mulher quer casar enquanto o homem quer comprar uma casa, eles precisam conversar para encontrar o ponto em que ambos se satisfaçam. O que vejo em alguns casamentos é o homem as vezes concedendo pelo gosto da esposa, causando uma infelicidade que é arrastada a todo momento. A gente percebe que a pessoa não está contente. Cuida dos filhos e trabalha, enquanto a esposa, senta e conta seus assuntos de facebook. Juro, vejo isso mais rotineiramente que imaginam.
A vida - não só nesses casos de compartilhar com outro - é feita de escolhas. Se você se anula pelo outro, pode até causar a felicidade dele, mas raramente a sua. A não ser que seja um santo na Terra...

► Falta de maturidade

Para tudo na vida, se você não for adulto e responsável, a coisa despenca. Em relacionamentos vejo assim. Ser sincero ao avisar que não quer nada sério em um primeiro encontro é sinal de maturidade também.
Ser maduro é encarar bem as coisas e as escolhas, inclusive para morar junto, casar e principalmente ter filhos - maturidade leva a muita coisa boa: honestidade, respeito, lógica, ou seja, é a chave de tudo. 
E sobre ter filhos penso que além de planejamento, ambos tem que participar igualmente. Não tenha filhos porque a sua religião prega para multiplicar, nem porque seus pais estão cobrando netos - não serão eles que vão educar! -, nem ache que se foi fácil criar você, que irá sair-se bem com pimpolhos por aí. O que vejo em todo lugar é enorme descaso com filhos. Os tais filhotes pintam e bordam, falam o que não devem, enquanto pais e mães estão trabalhando ou vendo tv, jogando o principal da educação nas costas de professores (que diga-se de passagem muitos são infelizes na profissão e podem descontar nos seus filhos - fora que é muita criança para um só professor...). Filho é compromisso, e infelizmente, se você optou à colocar um no mundo, tenha responsabilidade para fazer dele um adulto descente. Quando ele estiver adulto aí sim, pode ficar vendo tv... ;)

Certamente algo falta. Para vocês, o que há de mais difícil em um relacionamento?

Abraços afáveis!

segunda-feira, 24 de março de 2014

Lista: Meus quarterbacks favoritos

Já comentei algumas vezes que futebol americano foi um achado para mim, nesses últimos anos. No ano anterior então, foi a coisa da qual eu esperava ansiosamente para que chegasse quintas-feiras e fins de semana. Me divirto muito com o esporte.
Decidi então, publicar as minhas escolhas como top 5 Quaterbacks quando vi que, desde a semana passada - se não estou enganada - o site da NFL disponibilizou uma lista para votar no "melhor quarterback da história" (para quem quiser votar, quantas vezes quiser, segue o link aqui). No site, há batalhas entre Tom Brady e Eli Manning, por exemplo, e uma batalha que depois eu comento melhor, entre Peyton Manning e Russell Wilson. 
Lista é questão de opinião, sempre. Posso, seguramente estar cometendo deslizes nas escolhas, e que daqui 10 anos, eu posso mudar. Mas a questão é que, agora, esses são meus favoritos.

► Drew Brees




O primeiro jogo que assisti em meados de 2012 foi do New Orleans Saints. Curti muito o uniforme dos caras e achei bem legal os esquemas de jogos. Mas aquele sentimento de ainda não entender muito bem como funcionava, me deixava meio dispersa. Ainda assim, achei Drew muito certeiro nos passes, e logo soube que ele estava entre o melhores da atualidade. Graças a internet a gente se inteira das coisas, e assim Drew é a minha primeira escolha. (Fora que Drew tem uma família linda - uma bela esposa e três meninos fofos - e isso é mais que um parênteses, rsrsrsrsrsrsrs...) 
No site da NFL ele disputa com Ben Roethlisberger do Pittsburgh Steelers. Como é de se esperar, Brees está vencendo Big Ben facilmente na prévia das votações. 

► Aaron Rodgers



Guardei o nome de Aaron rapidamente por ser um nome bem americano de se dizer (diga, com sotaque americano texano, para verem o efeito, hehehehe...). Falando sério, gosto muito do jogo do Green Bay Packers por Aaron e foi uma pena a lesão dele no ombro, na última temporada. Perdemos muito de Rodgers por conta disso, e por um beiço de pulga ele não passou a vencer San Francisco 49ers nos últimos playoffs.
Parênteses? Ok, Aaron é um cara engraçado, famoso adepto às "photocombs" (aquelas fotos de penetras em poses) com seus colegas de time, antes dos jogos começarem. Há fotos ótimas, cada uma mais engraçada que a outra. xD
No site da NFL Aaron concorre com Phillip Rivers, do San Diego Chargers - time que uma vez teve Drew Brees. Rivers também perde na prévia de votos, e só ganharia de todos os outros pelo número de filhos (Rivers tem sete filhos!).

► Eli Manning


Um monte de gente terá ataques de risos por essa escolha, ainda mais pelo último ano de Eli no New York Giants. Por mais que tenha sido um ano péssimo, com o time todo caindo no conceito, Eli lançou sim muitas interceptações; mas o cara é bom, apesar disso e temos que ter consciência que foi um ano atípico. Fora que eu, na minha humilde ignorância, só conhecia o NY Giants como time de futebol americano. Assim, guardar nomes e alguns jogos do time na memória não foi tão difícil assim, apesar da minha memória volátil.
Na pesquisa do site da NFL, Eli concorre com Tom Brady. E está perdendo, por um tanto considerável, na prévia das votações. Algo realmente sem noção, a meu ver. Eli bateu Brady em dois jogos significativos. E isso não aprece ser significativo para muitos. Penso também que é aquela coisa chata dos "team Brady" que mesmo ele não renda um ponto - que dirá uma reticências - vai ter uma turminha grande babando ovo. 
Desculpem, mas Brady não estará na minha lista particular. Ainda não me atingiu de forma substancial, se é que me entendem. 
Fora que, o pessoal também pode estar levando à votação, o último ano de Eli. Isso seguramente não faz muito sentido. É assim que funciona? Faz uma carreira boa e uma quedinha é o fim para ele? Bom, assim não dá para ter credibilidade nas escolhas, mesmo. 
Gosto de Eli, mas gosto ainda mais do irmão mais velho dele...

► Peyton Manning


O cara é chamado de mito, lenda viva... E olhem; detesto colocar as figuras em altos pedestais assim, sem ter acompanhado ao vivo, pelo menos mais da metade de suas carreiras, mas é assim: parece ser mesmo um mito.
Dá gosto de ver Peyton jogar, simplesmente.  E foi por ele (não porque estava na moda) que escolhi de vez Denver Broncos para ser torcedora. Assim ele se tornou dos top 5, o meu favorito  dentre todos. 
Parênteses? Gosto das respostas de Peyton - em algumas entrevistas ele se mostra um cara bem engraçado. 
No site da NFL ele concorre com Russell Wilson e acontece algo semelhante no combate dos dois, que acontece com Brady x Eli: Wilson está vencendo. Porque? Pelo Super Bowl apenas. A carreira monstro de Peyton, todos seus números, são jogados no lixo por um jogo. "Ah, mas é o Super Bowl". Eu sei, e mesmo assim, não concordo. Tenho direito, ou não?
A tal maneira também de deixar a votação acontecer quantas vezes você quiser, tira um pouco da credibilidade. Muitos devem estar ali clicando interminavelmente... 

► Colin Kaepernick


Pensei, pensei, pensei e escolhi Colin para fechar. Se Rodgers e Brees estão aqui pela precisão de seus passes e os irmãos Manning pelo gosto que dá em assistir seus jogos, fiquei entre Russell Wilson e Colin para escolher entre os quarterbacks que também correm nas jogadas. 
Se fala da "gangue dos 4", os jovens que também correm com a bola. Não sou muito fã do Andrew Luck e Robert Griffin III teve uma lesão no joelho na temporada 2012-2013 que comprometeu parte de seu desempenho. Mas não deixa de ser uma possibilidade. Em suma, a escolha de Colin se dá por ser mais atlético - e apesar de Russell também ser seguro nos planos e ser mais racional que Colin - escolho o cara tatuado por arriscar um pouco mais, apostar mais no show. 
Colin não disputa nada no site da NFL, mas certamente estaria no lugar de Russell Wilson se não tivesse perdido para ele na competição da NFC... Colin, entrou no playoffs da temporada 2012- 2013, e foi o responsável por levar o time ao Super Bowl 47. Na temporada que acabou, ele passou por toda a temporada, elevou o time à disputa de conferência da NFC. Ou seja, ele e Wilson não estão tão diferentes assim, só por um ter um Super Bowl. 
Se assim for, nem adianta clicar mil vezes seguidas em Peyton naquela votação... ¬¬'

Passo a bola para vocês, escolham seus top 5 e comentem! 
Abraços afáveis e excelente semana para todos nós!!!

PS: Hoje é aniversário do Peyton Manning. Vai ter festa em Omaha? 
Péssima piadinha... rsrsrsrsrsrs...


sábado, 22 de março de 2014

Versões boa, melhores ou ruins? - Wicked Game

Com as versões de músicas meio clássicas ou pelo menos, bem conhecidas faço um post musical do dia. 
"Wicked Game" pode não facilitar muito a memória de vocês, mas logo entenderão qual é. Trata-se exatamente da música romântica pop do fim dos anos 80, composta e interpretada por Chris Issak.
Para as versões, trago dois exemplos, muito legais que são bem diferentes da versão pop de Issak.
Vamos primeiro, à original:

Original: Chris Issak - Wicked Game 
Composição: Chris Issak
Álbum: Heart Shaped World
Lançamento: 1989




Versões disponíveis estão logo abaixo. A primeira é do H.I.M. uma banda finlandesa de "love metal".

Versão 1: H.I.M.
Álbum: Greatest Love Songs Vol. 666
Lançamento: 1997




Versão 2: Corey Taylor
Álbum: - (Taylor fez - e ainda faz - uma série de show acústicos como projeto paralelo à suas bandas Stone Sour e Slipknot)



A versão original é mesmo uma boa composição. Do pop, H.I.M. a transformou em uma versão metal, mais light porém não próxima ao hard rock. A voz de Vile Valo é marcante, nada semelhante a de Chris Issak, cujas "desafinadas" propositais, são marca da música. 
Já Corey Taylor - dono de uma das melhores vozes do rock atualmente - apresenta uma incrível versão acústica da música. Perfeita e com estilos próprios do vocalista. 
Impossível escolher uma só. As versões foram muito felizes.

E vocês, o que acham? Ficam com a versão original, ou com a versão do H.I.M ou do Taylor? Aguardo comentários! Por fim, desejo a todos um excelente fim de semana. Retorno na segunda!
Abraços afáveis!

PS: Para verem as outras versões que já apresentei aqui, basta clicar na aba "Especiais 1: Covers/ Versões" ou clicar aqui.

Atualizando: Nos comentários Ron Groo lemboru bem, uma versão ao vivo feita pelo R.E.M. Minha falha, confiram a música aqui.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Dica de leitura: Alta Fidelidade

Eis um livro que comprei e li assim que recebi como indicação do Ron Groo (valeu Ron Groo! Super legal o livro - me identifiquei totalmente com a mania de listas rsrsrsrs...).

Alta Fidelidade de Nick Hornby:


Certamente foi uma indicação interessante, que no caso, repasso a vocês. 
Não sou muito de ler romances, mas quando leio, eles são mais sob o ponto de vista de personagens femininas. Neste, é um caso de personagem que está perdido no que se refere às dimensões regentes do nosso dia a dia; como trabalho, vida afetiva e contato com família e amigos.
Nick Hornby é um autor inglês que nos apresenta Rob - um desses típicos personagens perdidos, que tratam de arrumar suas vidas em um dado momento da história. Rob é dono de uma loja de discos à beira da falência e acabou de ser abandonado por sua namorada Laura, com quem morava. Já li alguns livros que as personagens femininas contavam seus dramas amorosos, coisa que - geralmente - nos leva ao fim do livro com rapidez e entusiasmo ao dar pela identificação com alguma situação (ou como me parece ser sempre o meu caso ao apaixonar por um personagem da narrativa).
Aqui não há tanta identificação - a não ser a mania das listas, que falarei melhor depois - afinal Rob é um homem de 30 e poucos anos quee conta sua história como narrador, a partir do começo de suas relações com as mulheres lá na adolescência e em diante. 
Para começo dessa conversa, ele monta uma lista das 5 garotas que deram o fora nele e foram cruciais para sua "montagem" da personalidade amorosa. A primeira namoradinha na rua perto de casa, a namorada das escola, a da faculdade - que o fez virar o cara dono de loja - e mais uma outra e  enfim, a Laura - a última, que o deixa morando sozinho, por estar descrente do relacionamento - apesar de um relacionamento ligeiramente estável. Laura não está na lista. 
E então, com humor e algumas tiradas que devem fazer sentido para os homens, ele se apresenta ao leitor. Rob, um cara meio fracassado, fanático por música - e com personalidade para saber escolher as boas coisas do ramo musical e saber como costumo dizer "educar seus ouvidos" - vive o que a gente chama de "fundo do poço", com nenhum amigo muito próximo para chorar magoas; a não ser seus funcionários da loja; dois caras que fazem de tudo para não encarar uma conversa séria e adulta, principalmente nesse assunto de mulheres.
Mesmo com a lista da qual a Laura não está, ele percebe, nem rápido nem claramente, que talvez essa seja a única daquelas que ainda valeria a pena em lutar para ficar junto. E como ele encara tudo isso? Com música! Todo o desenrolar dos dramas pessoais de Rob, tem como pano de fundo músicas, singles e cultura pop. 
Interessante, mesmo!
Meu destaque - apesar de não ser em nada o que o pessoal de uma resenha faria - é o apreço de Rob pelas listas. Ele faz lista de razões e opiniões para praticamente tudo. Propõe desafios entre o amigos que trabalham na loja e volta e meia a cada capítulo, surge uma lista nova. Em um momento específico e importante, ele acaba sendo perguntado, formalmente, para fazer uma lista de melhores singles de todos os tempos. E ele acaba tendo um leve branco - se preparou tanto para isso, e logo quando era expressamente necessário; ele ficou inerte.
Não posso dizer nada sobre isso. Gosto de listas e as vezes me pego gastando muito tempo formulando elas. E toda vez, que faço listas para compartilhar no facebook por exemplo, alguma coisa fica de fora e me arrependo, rsrsrsrs...
Uma opinião pessoal é de que as feministas talvez não gostarão do livro. (Tudo bem que conheço representantes odiosas do "movimento" e outras feministas mais normais, mais conscientes podem até gostar...) Mas Rob é (e ao mesmo tempo não é) o típico cara que irritaria as mulheres. Orgulhoso - não admite erros, assim como não admite que está sofrendo - nem busca uma reconciliação mais romântica ou afetuosa. Rob não verbaliza o que sente, retém tudo, e busca outras soluções que a maioria que é mais sentimental, descartaria ou encararia como descaso. Ele não percebe de primeira, e ao mesmo tempo, não encara de vez o fato da Laura ser a sua mulher ideal. E ele comete deslizes altos, como verão, caso optem por ler "Alta Fidelidade"; porém são coisas que fazem parte de um relacionamento. Ao mesmo tempo que ele é um personagem passível de sentir raiva, ele não é, uma vez que se mostra extremamente humano - um cara normal vivendo nos anos 90.

Fica a dica, para quem quiser ler; recomendo. Leitura leve, com humor sarcástico, e sacadas que podem nos lembrar romances ingleses antigos, mas com história de um homem contemporâneo. 

Abraços afáveis!

quarta-feira, 19 de março de 2014

Momentos para partilhar - semana 40

Uma pausa bem vinda do assunto F1 nesse blog. Só para dar um respirada. Hoje, venho com uma tag das 52 semanas, para aliviar as postagens sobre o esporte. E é uma um pouco difícil, afinal não sou ligada a cheiros e alguns no top 5 podem soar meio estranhos; como poderão ver.

Semana 40 - Meus "cheiros" preferidos são



► Guaraná

Estranho? É, pode ser, mas é verdade: adoro cheiro de guaraná!

► Gasolina

Ok, confesso que esse também é uma preferência estranha, mas acho bom pra caramba...;

► Flores

Hoje mesmo as orquídeas da minha mãe já abriram e estão perfumadas. Não tenho nenhuma flor específica - e favorita - para esse caso;

► Perfumes masculinos

Não sou fã de perfume. Alguns são muito fortes, e sempre opto pelos mais discretos e menos "doces". O mesmo se aplica a cremes, que sendo a base de frutas, as vezes me garante uma turma de mosquinhas ou abelhas me perseguindo. Não é legal. Fora que dependendo da intensidade do aroma, me enjoa. Mas não há perfume masculino que eu não ache bom demais. \o/

► Pão (ou assados)

Cheiro de pão recém saído do forno, ou bolos ou carnes assadas. Amo de montão e abre o apetite mais do que frituras ou temperos!!!

E poderia acrescentar "cheiro de livro novo", mas é cheiro de papel com tinta e talvez plástico. É algo meio abstrato então, fica fora da lista. ;)

E vocês, algum cheiro que amam?
Abraços afáveis!!

terça-feira, 18 de março de 2014

Legendando fotos do GP da Austrália 2014

Confesso que senti falta de selecionar fotos para comentar em cada GP. Mesmo assim durante a pré temporada fui inundada no meu Tumblr por fotos do Massa como se fosse o melhor espécime masculino que se tem notícia. Agora, pelo menos, tenho motivo salvar algumas: para fazer umas pequenas zuações. (Vale lembrar que algumas coisas são brincadeira, então, espante o mal humor!).

Rosberg modelando. Em pose, esperou as dondocas Hamilton (que toda vez coloca as sobrancelhas  no lugar *WTF*) e Ricciardo, que muito provavelmente estava tão eufórico quanto desnorteado.

***

Hamitlton: - Você viu o que eu fiz? Refutei a ideia de liderança e fiz a pole position! \o/
Rosberg *pensa*: "Huuum, aguarde e confie..."

***

Nicos em click... Brincando para ver quem pisca primeiro?
Nunca saberemos, os loiros brincaram de óculos escuros, rsrsrs...


***

Foto de início de temporada, como de praxe. Temos pigmeus, sorrisos meia boca, personagens de desenho, sorrisos exagerados, ombros caídos, caras amarradas, caras feias, pescocinhos tombados e asinhas abertas. Só não entendi os companheiros - um longe do outro: porque o infeliz fotógrafo não facilitou a vida do Ericsson colocando ele entre o Gutierrez e o Hulk? ¬¬'

***

 Tudo igual: macacão, boné e óculos. Sério mesmo? Santa criatividade...
Alonso está com aquela cara que a gente faz para ser simpático, mas sabemos que como as coisas estão, é rir para não chorar, sabem? Já Kimi certamente estava pensando: "como posso sair daqui?"

***

Vettel: - Nunca pensei que diria isso, mas estou com problemas no carro... (rindo sem graça)
Kimi: - Ha-ha, "tamu junto"!


***

Button: - E aí, vocês se conhecem?
Ricciardo: - Oi, prazer, Ricciardo, vc é...?
Kevin: - Magnussen, Kevin Magnussen. Aguarde-me no pódio. 
Button ri, pensando: *promessa ou ameaça?*

***

Olha o campeão de 2014, faz tchau para ele!!


***

Hamilton: - Sabe, Massa, aquele ando que venci você?
- Sabe, aquele ano em que você olhava pelo retrovisor e lá estava eu, batendo em você e te tirando da pista?
Era legal não? *fica pensando...*

Massa ignora quando Lewis começa uma canção e pensa: *como vou me livrar dessa?*

Massa, conclui: *já sei!!* - Olha aqui meu amigo, camarada Kamui! Gente finíssima, cara da hora, dá cá um abraço, vamos desfilar juntos, irmão asiático...
Kamui ri sem graça e pensa: *como vou me livrar dessa?*

Essa foi a solução. Koba foi eficiente. Pareceu desmedido, mas não. Ele perdeu o freio! Já passei por isso, e não é legal. #sério
Mas eu diria que foi em cima da pessoa certa. Se era para "causar"... Se ele perder o campeonato, pode crer, Kamui será o culpado. Sempre há um culpado, sempre.

Massa: - Como assim? Te chamei de amigo! 
E assim desatou-se uma lamentação regada a muita fúria. Massa sempre acha algo no que culpar, e nesse caso, ele achou que era ainda pessoal. ¬¬'
Pobre japa. Foi sabatinado que nem o Glock. Lembram do Glock? Então.
Cuidado pilotos: Atravessar o caminho do Massa pode ser pior que tomar chibatadas. Estando certo ou não, ninguém ligará. Ali é o único lugar que admite conspirações e falcatruas pessoais, mesmo quando não exitem provas da existência das mesmas. Basta você achar que é e pronto, está certo.


***

Bottas, amigo, dica: só observar o que está acontecendo, não pode. Tem que ajudar!
Até porque, você conhece o que tem aí, então, ajuda a dona Emilia já que o vento foi desleal.
E a hora que ele perceber alguns "urubuservando" as pernocas da moça, ele não vai achar nada bom. 


***

Sente sono, Kimi? Com que frequência?
- "Todo o tempo"


(Vi um meme ótimo dessa foto, no facebook - fonte aqui)

Ri litros! 

***

Um extra: posso?
Eu ri. 


***

Os haters estão rindo até agora. Mas que é estranho ver cenas como essa, é.


 ***

Dedinho de Rosberg no teor "Ao infinito e além!"


Abraços afáveis!