quinta-feira, 29 de abril de 2010

Gênio(s)

Meu amigo Cristiano Mateus do blog (de mesmo nome: link) deu a idéia do texto de hoje. Inclusive escreveu nos comentários de meu post anterior a seguinte coisa:


Sobre os "Gênios"...
Por mais que não queiramos... sempre criamos expectativas, veja na F1... Queremos ver um Piloto que nos Cative, certo!?
Agora, o que cativa vc, Manu!?

Prometi à ele um texto o mínimo coeso sobre isso e divido aqui com todos que quiserem ler. (Já aviso que é bem provável que fique longo e paciência será boa aliada!... ¬¬')


Pois, vamos a isso, então.
Antes de tudo refleti bem sobre isso e acho que serei muito ampla na construção de meu texto. Provavelmente vou apagar e revisar tudo umas 10 vezes pelo menos, até que tudo saia satisfatório. Ao menos para mim.
Pela questão: “por mais que não queiramos sempre criamos expectativas” digo que isso é fato concreto, pelo menos para mim. Não sei bem se criar expectativas é boa coisa. Ultimamente comigo não foi bom, não rendeu bons frutos. Falo isso acerca da minha vida pessoal. As relações com as pessoas foram, quase sempre, desmoralizantes quando criei expectativas antes de observar bem, antes de analisá-las para entendê-las.
Quando mais nova era comum criar expectativas sobre os garotinhos legais da escola e etc... Sempre fui infeliz em toda suposta escolha. Não que os caras fossem sempre lotados de defeitos até as bordas. Mas um pequeno deslize era motivo para eu pensarr que era melhor eu estudar, que ganhava mais. Caras tímidos, meiguinhos, inteligentes, aparentemente responsáveis e perfeitos? Desmontavam-se, derretiam-se para as maiores criaturas desonradas e fúteis que encontravam pela frente.  Homens! Demorou a que eu entendesse que inteligência, educação, ou pelo menos seriedade fossem qualidades das garotas interessantes nas listas dos caras da minha geração. O jeito era sair gritando, falando besteira e sendo burra que nem uma porta? Eu não ia ficar feliz assim, portanto, larguei as minhas expectativas de homem perfeito no papel. Sim, porque só ali elas fazem todo e completo sentido.
Foi assim até na minha decisão do curso em que pretendia fazer na faculdade. Eu queria Engenharia Mecânica, mas desisti quando pensei na questão do tanto que sou molenga para apertar um parafuso, carregar um caixa pesada e ah!... Prestei para Matemática, passei em quarto lugar sem nem pegar num livro e freqüentar apenas umas bestas aulas de cursinho preparatório. Não sei como nem por que. Mas passei numa universidade federal. E o resultado não foi bom. Fiz três semestres e descobri o que era estudar. Sempre tive alguma facilidade na escola. Matemática não era facilidade. Definitivamente era dom. E eu depois de pegar umas disciplinas que nas “engenharias” todas soavam tão mais simples e práticas, saí antes de tomar raiva completa das exatas. Fui cursar História, algo totalmente diferente, e ali, depois de um vestibular desses decididos em última hora, eu passei para o novo curso. E vou dizer que não é tão bom assim também. Pelo menos na Universidade Federal de Uberlândia não causa nenhuma vontade, ou empolgação na questão do profissional.
Como na Matemática, criei expectativas que me frustraram. A graduação em História, apesar de fácil (embora a palavra não seja bem essa) e leve, diria que também não contemplou os anseios. Talvez o problema seja meu e não dos cursos. Mas daí acredito que seja outra questão.
Tudo envolve expectativa, qualquer que seja a circunstância.
Seguindo, então a questão do Cristiano:

Por mais que não queiramos... sempre criamos expectativas, veja na F1... Queremos ver um Piloto que nos Cative, certo!?

Na F-1 não é novidade para ninguém que acompanhei Kimi Räikkönen com dedicação de uma admiradora. Mas passei longe de defini-lo como gênio. Eu acho complicado tratar de gênio alguém do esporte. Se sentir cativado por esse ou aquele é um tanto mais fácil, na F-1 principalmente. Digo isso por que: veja Michael Schumacher. Eu sei, afirmo e assino embaixo que precisamos dar tempo ao tempo. Quatro corridas não podem resumir como balanço total de seu retorno. Mas para muitos sua figura é bem esse termo de “gênio” na qual referiu Cristiano. Não era esperado esse retorno morno, para não dizer decepcionante.
Cativar-se a alguém já é uma coisa mais fácil de render-se. Kimi foi (e sempre será – duvido que isso mude algum dia) foco de minha afeição. Discordo que o fato dele gostar de beber seja algo que me desmotive a admirá-lo. Para mim é mais algo cultural (algo oriundo - talvez comum - do país dele) do que plenamente algo de suma importância. Ele paga as contas dele e tem o direito de escolher fazer o que bem entende da forma que preferir. E ele tem personalidade. Para mim já basta. E por que ele não deveria ser 100% perfeito? Ora, porque ninguém o é.
No mais, não vou me casar com ele, dividir as 24 horas do meu dia com ele e muito menos teria a pretensão de controlá-lo, discipliná-lo ao meu jeito de viver e entender as noções de que acho necessárias. Admiro-o como profissional do esporte e de suas decisões e táticas em pista, a forma como responde os jornalistas...
Genialidade para mim está ligada a parâmetros de um conjunto de coisas que me façam sentir atraída a me afeiçoar a essa ou aquela pessoa. São coisas que geralmente não saberia  explicar. Não é fácil para mim, mas tentarei ser clara explicando com exemplos.

Agora, o que cativa vc, Manu!?

No meu curso de graduação por primeiro exemplo. Onze de dez de meus professores citam ou tem certo apego por Karl Marx. Ao mesmo tempo nos lembram sempre que é preciso ter opinião, correto? Pois eu tenho a minha. Acho Albert Einstein muito mais completo que Karl Marx. Consequentemente se me perguntassem de um gênio, não responderia que é o nosso amigo barbudo, e sim Einstein. Por motivos práticos, admiro mais suas falas e teorias que qualquer uma que Marx tenha dito/escrito.
Na literatura acho difícil encontrar um único gênio. J.R.R. Tolkien talvez por toda a mitologia e línguas que criou em seus romances seria minha resposta. Sou fã do autor desde 12 ou 13 anos. Nas crônicas, adoro Rubem Alves. Diria que ele é uma pessoa que beira ao completo. Basta que leia um de seus escritos. Ele pode falar bem de forma simples e sábia sobre Literatura, Educação, Psicologia... Vivência. Posso dizer que até onde o que li, e do que levou sua autoria, em nada discordei dele. Existem muitos que podem ser grandes escritores, e estes podem ser apenas alguns. O mesmo cabe às artes... Pintores, Escultores e porque não dramaturgos e atores. Para se dar bem nisso eu levanto a bandeira do completo, da genialidade.
E falando em “ser completo” vou para dois últimos exemplos na música. Outro caso é a arte musical. Não existe só um gênio nesse ramo. Só de compositores clássicos já teríamos bastante assunto. Mas como o texto fala de mim, deixo as minhas impressões:
Sou fã da banda de metal sinfônico finlandesa Nightwish (como já relatei várias vezes). O autor das letras, tecladista e produtor Tuomas Holopainen (e dono da banda, vamos dizer logo) me cativa. É visível que ele tem uma inteligência e tato musical, porque se envolver com uma banda que explora orquestra (como nos dois últimos álbuns), compor músicas (com inspiração literária e letras poéticas), sonoridades épicas que soam como verdadeiras sinfonias (metálicas sim, mas não menos bem elaboradas e complexas), essas criações dele, que me fazem sentir bem, emocionada ou tocada, é motivo para me render à admiração.
Tuomas lá tem seus defeitos, seus “perfeccionismos”. Mas ele sabe exatamente o que fazer no estúdio, sua alma vai toda na arte de sua música, composta cada linha, por cada sentimento vivido e traduzido de uma forma artística bela e... Hoje, raro o momento que uma música faça isso comigo. Gostar é uma coisa, sentir seu sangue correr mais rápido, vontade de pular e também se emocionar e resgatar a música como uma obra intocável custa um bocado. Tuomas é capaz disso em todas músicas de um álbum da banda.
Outro exemplo é caso antigo. Eu estava na barriga de minha mãe quando Jason Newsted substituiu o baixista de formação do Metallica, Cliff Burton. Foi lá em 1998 ou 1999 que fui saber e entender Metallica e com esse tempo eduquei meus ouvidos com as músicas da banda. A ficha só caiu quando Jason deixou a banda em 2001. Depois disso parecia que Metallica se dissolvia acada instante. Eu jurava que James e Lars eram o suporte da banda e Kirk era um complemento. Jason era apenas um mero substituto do grande amigo deles. Não vejo razão para discordar dessa premissa. O problema era pessoal e para se ver livre como pessoa, Jason preferiu cair fora. Fez o que queria com a banda paralela que foi motivo de sua briga com James do Metallica e a banda pareceu-me que esperova por Jason repensar, tanto que não procuraram imediatamente um substituto usando o produtor Bob Rock na gravação do St. Anger. Só depois de colocarem um ponto final em tudo, Rob Trujillo veio ao lugar de Jason para a turnê. E Jason foi parar onde? Com Ozzy Osbourne. Ali entendi que certas decisões na nossa vida, quando feitas para nosso próprio bem, rende frutos carnudos e apetitosos. A decisão de Jason poderia não ser a mais sábia, mas era melhor. Ele era reconhecido ainda como um bom baixista e acrescentava um bônus ao seu currículo. E me tornei sua fã, mesmo, em letras maiúsculas FÃ.  
Logo, ele gravou com Voivod ao lado dos excelentes músicos que compõe essaa banda canadense. Sim, pode ter pecado ao encarar um programa de tv (que há que diga que foi ridículo) chamado Rock Star Supernova.
Não se arrependeu de sair do Metallica. Não ficou fazendo como faz Dave Mustaine do Megadeth, cutucando sempre que pode (com razão ou não) a banda que o dispensou. Ao contrário desse, foi sábio ao decidir o que era melhor para si, e talvez percebendo que não faria a diferença que esperava que fizesse no Metallica, foi cuidar da sua vida, e se sentir bem consigo mesmo. Eu acho que aí que acho que adquiriu mais admiradores.
Ele ainda passou por um infeliz problema no braço. Em 2006, Jason se machucou tentando segurar um cabeçote de baixo que caía. O acidente resultou em lesões no bíceps direito e ombro esquerdo, e teve que passar por cirurgia imediata. Sua aparição veio em 2009 quando juntou-se ao Metallica novamente para o Rock and Roll Hall of Fame, da qual a banda foi homenageada. Agradeceu a banda e fez um belíssimo discurso, sem pompa sem ressentimentos. Tocou ao lado de Trujillo e o som dos dois baixos ficou muito, muito legal. Um grande músico todos os dois, e Jason ainda mais.
No início desse mês vi um vídeo bem recente no youtube com Jason em uma entrevista falando de sua vida de músico e sua nova inspiração de criatividade, dessa vez explorada na  pintura. Dia 6 de maio fará numa galeria em São Francisco na Califórnia, sua primeira exposição de obras. Pude ver algumas do catálogo no site oficial da galeria e me senti feliz por ver que ele não olha para trás, segue em frente e usa isso com algum benefício artístico. Que seja só para ele, mas que é feito para que toda sua intensão, criatividade e produção tenham e deixam uma marca. Um novo "gênio" para o meu panteão. E cada dia ele surpreende mais.
É bem com isso que tento finalizar meu texto e minha idéia sobre. Me cativa a possibilidade da pessoa fazer algo bom, o suficiente para marcar e ecoar quando não estiver mais aqui. Como fez Tokien, Einstein, Tuomas, Jason e tantos outros que poderia citar e... não caberia tanto.
Do filme de Ridley Scott, “O Gladiador” tento finalizar acerca de uma frase em que o personagem de Russel Crowe, Maximus diz logo no início para seu batalhão (*)

A razão e conclusão do meu texto é mais ou menos resumida nessa frase. Nesse filme também mostra a questão de decisões. O personagem General Maximus é um líder que mostra e faz a diferença não só por seus homens, mas por toda Roma. É isso que me cativa. É isso que é genialidade: é a precisão do saber, o tanto que for possível o que fazer e como fazer da melhor maneira qualquer coisas que possa deixar aquela tatuagem, marca, lembrança de emoção, motivação... cativação.
Claro:
(*) “O que fazemos em vida, ecoa na eternidade”  

  
Abraços afáveis!

terça-feira, 27 de abril de 2010

Apocalipse está próximo

As pessoas perguntam o que está acontecendo com o mundo e eu tenho a resposta!
Há!
Não, não sou Mãe Dinah, mas é evidente: É o apocalipse se aproximando.
Eu pensei mesmo que os anos 2000 seria uma revolução em termos de coisas legais, tecnológicas, a gente voando em naves que nem os Jetsons... ¬¬'
O que eu vejo é um bando de coisas sem sentido e um retrocesso absurdo. Em todo lugar, em todo canto.
Tenho certeza de que Deus está nos dando pequenas pistas de nosso retrocesso cerebral e cultural e etc. Sim. Se já não bastasse a natureza se vingando aqui alí e acolá.

Hoje vou mostrar alguns dos indícios de que o "Apocalipse" está bem próximo. Inauguro essa seção agora. Assim que encontrar mais indícios podem saber, cá estarei.
Cuidado aos cardíacos, as cenas são fortes...

 Serginho do BBB com essa birosca desse short e perninhas depiladas... (Nada tenho contra os gays, mas acho que tudo cabe o limite do bom gosto, não?)

Uma tal "banda" chamada Cine...(quando essa onde de banda emo vai acabar ó Deus!)

Uma outra "banda" Restart?(alguém já viu o babaquinha do vocalista dar entrevista? Se não, dêem graças à Deus)

Nem sei que merda é essa. Bom...Vcs entenderam pq está no hall do Apocalipse, não?

Cenas fortes eu concordo. Eu queria só saber uma coisa: eu fiquei em coma? O que eu perdi que acordei vendo essas coisas infelizes na tv e ainda ter uma porrada de criatura inútil usando essas calças esses cabelos horrendos e ainda fazendo o sucesso com a garotada? Concordo que essas fases bestas sempre tem, mas chegamos num ponto que é preciso que tiremos todos os objetos cortantes de perto de nós se não uma desgraça pode se suceder.
Falem, é desmoralizante, não?

Aceito dicas do Apocalipse, certo? Email-me!
Abraços afáveis! *Afável não é emo, oks?*

sábado, 24 de abril de 2010

A inveja é uma coisa chocante

Imaginem a situação: vc está numa sala de aula. A aula é de italiano e lendo um texto em voz alta para que a professora corrija sua pronúncia, a sua colega, 30 anos mais velha que vc, interrompe logo que vc lê uma frase a respeito da cidade de Roma...
- Ah, é tão bela a cidade! Quando fui à Itália eu beijei o chão logo que desci do avião. Era uma emoção tanta em estar no país de meu pai...
Tudo bem... Legal. Dado alguns minutos, nova interrupção:
- Ah, tão lindo, chego arrepiar em lembrar...
- E vc tem algumas fotos? Traga na aula que vem para todos!
- Sim, mas ah, fotos não são a mesma coisa. O importante era estar lá.
E a professora emenda:
- Ai gente, quisera eu ser chique...
E lá se foi mais 15 minutos de conversa.


Aconteceu isso comigo não faz um mês. Toda aula agora é motivo para reviver a passada viagem da criatura, que agora aposentada, acha que nós pagamos 120 reais por mês para ouvir sobre experiências turísticas. Seu marido também aposentado, nada em rios de dinheiro. Ela trabalhava no INSS, consultora e bláblá blá e também nada em dinheiro e ainda controla os horários meus e das colegas de acordo com seu tempo livre. Agora é tudo Itália, Fortaleza, Brasília, São Paulo... E suas viagens...
Inveja a minha, pensei. Mas depois de duas aulas sobre o mesmo assunto, imagino que perdi a vontade de ir para qualquer lugar que fosse, (lógico que eu tenho outras prioridades mesmo), mas o tal do ficar contando sempre, enjoa.
Não foi a primeira e única vez que a inveja é motivo de um singelo comentário maldoso, seja de quem seja. No meu caso, me revoltei com a idéia do assunto ser pauta quase toda aula e perdíamos algum bom tanto do rendimento previsto para 1 hora e meia de novas lições e gramática. E quando eu vou falar algo, fazer alguma piada sou cortada na raíz??? Uai!


E aí vai, os assuntos são diversos. "Não-sei-quem" rebelou-se contra uma doida que tirou nota baixa na prova e saiu falando que quem teria nota alta tinha colado ou dado "moral" para o professor. Outra veio com o vestido curto numa reunião e "causou" entre os colegas da ala masculina e a ciclana no banheiro avisou para algumas que deu um jeito de fazer um plano mirabolante para que a infeliz vestimenta se rasgasse na frente do chefe.
E aí escutamos isso, vivemos isso... E recebo um email, com um texto que dedico aos invejosos/revoltados de plantão. Eu - você - e sempre: nós:


O sujeito foi cortar o cabelo num barbeiro que freqüentava há mais de vinte anos.
- Rapaz, tô tão ansioso... Vou pra Itália amanhã! 
- Itália? - perguntou o barbeiro - Com tanto lugar bom pra ir, tu vai pra Itália?
- É, eu vou pela Alitalia.
- Puta que pariu!!! A pior companhia de aviação do mundo.
Vai pra que cidade? 


- Roma.
- Que merda! Cidadezinha feia! Vai se hospedar aonde?
- No Hilton.

- Que bosta, eu hein! Aquilo é o maior pardieiro! Vai ver o papa?
- Claro!
- Programinha de Índio, hein??!! Milhões de pessoas se acotovelando só pra ver o papa...

O pobre do sujeito sai do barbeiro injuriado.

No dia seguinte, viajou e curtiu a viagem, que foi ótima e se divertiu muito, se sentiu renovado.
Logo que voltou, não pensou em outra coisa a não ser fazer questão de voltar à barbearia.
 
- E aí, como foi a viagem? perguntou o barbeiro.

- Rapaz, você não sabe o que me aconteceu. Eu tava lá no Vaticano tentando ver o papa. 
 
 
- Logo que o papa chegou na sacada, ele olhou pra multidão e desceu. Saiu de lá e começou a andar na minha direção. Foi se aproximando de mim cada vez mais.
Quando o PAPA chegou bem pertinho, falou um troço no meu ouvido. Só pra mim!
- E o que o papa falou pra você? - perguntou o barbeiro agoniado pela curiosidade
- Ele disse: "Que cabelinho mal cortado, hein, rapaz ?  QUE MERDA DE BARBEIRO É O TEU?!"

Abraços afáveis! Bom fim de semana a todos!^^

quinta-feira, 22 de abril de 2010

20 coisas para fazer no elevador

Toda vez que recebo esse email eu penso que se um dia eu trabalhar em algum lugar que tenha elevador, tratarei de "executar" algumas dessas coisas (absurdas algumas, engraçadas um pouco). Principalmente as de rosa! xD

20 coisas para fazer no elevador:

1. Quando houver só uma pessoa no elevador, dê um tapinha no ombro dela e finja que não foi você;

2. Aperte os botões do elevador e finja que eles dão choque. Sorria e faça de novo;

3. Se ofereça para apertar os botões para os outros (qual é o seu?), mas aperte os botões errados;

4. Segure a porta e diga que está esperando por um amigo.

5. Deixe cair sua caneta e espere até alguém se oferecer para pegá-la, então grite: “É minha!”;

6. Traga uma câmera e tire fotos de todos no elevador

7. Deixe uma caixa no canto, e quando alguém entrar, pergunte se elas ouvem um tique-taque;

8. Finja ser uma aeromoça e revise os procedimentos de emergência com os passageiros;

9. Pergunte: “Você sentiu isso?”

10. Quando a porta se fechar, fale: “Tudo bem. Não entrem em pânico. Ela abrirá novamente”; (a melhor!!!!!)

11. Mate moscas que não existem;

12. Diga às pessoas que você pode ver suas auras;

13. Grite “Abraço grupal!”, e então force-as

14. Faça caretas dolorosamente enquanto bate na sua testa e murmure: “Calem a boca, todos vocês! Calem a boca!”;

15. Abra sua pasta ou bolsa, e enquanto olha dentro, pergunte: “Tem ar suficiente aí dentro?”;
16. Fique quieto e parado no canto do elevador, encarando a parede;
17. Coloque uma marionete na mão e use-a para falar com os outros;
18. Faça barulhos de explosão quando alguém apertar um botão qualquer;
19. Encare outro passageiro por um tempo, e fale: “Estou usando meias novas”;
20. Desenhe com um giz um pequeno quadrado no chão e diga para os outros: “Este é o MEU espaço”.


Nada como um dia de bom humor... ou pelo menos alguma bobagem na cabeça.
Abraços afáveis!

terça-feira, 20 de abril de 2010

Sem dar asa para polêmica

Olá pessoas!
Sei que deveria postar algo sobre o GP da China mas contratempos conprometeram minhas idéias de post "comentário pós corrida".
No fim de semana pedi à minha amiga Mariana (que já apareceu aqui dando entrevista, e é torcedora do Felipe Massa) para que ela fizesse um comentário sobre uma reportagem que eu colocaria aqui.
Pois bem. De antemão gostaria de dizer que mesmo não gostando muito do Felipe, fiz porque acho necessário a participação daqueles que outrora também deram entrevistas e deram as caras por aqui.
Como não sou dona da verdade, busco as mais diversas opiniões sob os mais diversos aspectos, situações e pilotos na F-1. E além do mais Mari é uma pessoa formidável, e nossas conversas sobre F-1 são divertidíssimas, mesmo que torçamos por pessoas diferentes.
Ao que interessa - a reportagem da Folha Online (notícia do dia 16/04):


Já virou quase uma rotina. Desde que assumiu o posto de titular da Ferrari, em 2006, entra ano e sai ano, Felipe Massa invariavelmente se vê respondendo a perguntas sobre sua exclusão da equipe ou a chegada de um novo piloto para sua vaga.
Desta vez, seu potencial substituto seria o polonês Robert Kubica, da Renault, amigo de Fernando Alonso.
Mas, em vez de se importar com as insistentes perguntas em Xangai, Massa acha graça e diz que já negocia um novo acordo com o time para quando terminar o atual, no fim deste ano.
"Já ouvi muito isso. O Valentino [Rossi, da MotoGP] já foi colocado no meu lugar, depois foi o [Sebastian] Vettel, o Fernando [Alonso]", enumerou o brasileiro.
Segundo o ferrarista, as negociações para um novo acerto começaram em 2009.
Presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo disse que é muito cedo para especulações. Kubica, que se diz bastante satisfeito na Renault, afirma que não há nada de concreto com a Ferrari. 

Comentário de Mariana como torcedora de Felipe:

"Como fã acompanhei as notícias que saíram sobre a possível renovação de contrato do Felipe com a Ferrari. Primeiro li que Stefano Domenicali chefe da equipe, elogiava a evolução do piloto na F-1 e que não renovaria com ele por menos de 12 meses, que poderia ser de até 3 temporadas o contrato.
Nem preciso dizer que fiquei felicíssima com a notícia. Mas como alegria de pobre dura pouco (e muito pouco!) no começo dessa semana (dia 15/04) Felipe tratou logo de “botar panos quentes” dizendo que no momento só se preocupa em lutar pelo título. E mais... que desde o ano passado (antes do acidente) já conversava para renovar o contrato e que agora voltaram a falar sobre o assunto.
Bom... parece mesmo que Felipe está bem tranqüilo quanto sua permanência na Ferrari.Agora é esperar a  novela da Renovação de Contrato terminar! E que só terá fim no meio do ano mais precisamente no Grande Premio da Itália, que é quando a Ferrari anuncia os próximos pilotos para a próxima temporada.
Até lá, haja paciência viu?!"

A minha pertinência é a seguinte: muito se comenta sobre isso. Galvão Bueno, torcedor (e não narrador) e amigo pessoal de Felipe tratou logo de noticiar tal fato de contrato na Ferrari no GP da Malásia, após saber de uma suposta reportagem (que segundo ele viria da imprensa espanhola e para quem acompanha o blog Octeto Racing Team, sabe que a Tati informou que a notícia veio da França, ou seja, um país "neutro", por assim dizer) que Robert Kubica, por ser amigo de Fernando Alonso estaria se encaminhando para a Ferrari. Mas o pequeno notável Massa teria as folhas do contrato na mão bastando sua humilde assinatura. O que já não é bem assim. 
E mesmo que fosse! Kimi Räikkönen tinha um contrato que foi rompido antes do tempo. No caso um contrato não anda sendo algo tão valorizado assim.
A questão é: em que etapa da temporada estamos mesmo? Ah, até esse momento, caminhando para o GP da China, que finito nesse último fim de semana veio à tona outra polêmica: a do "probleminha" entre Alonso e Massa na entrada dos boxes num dos pit-stops.
Minha mera inocência não viu nada de mais numa situação como aquela. Mas alí estavam em jogo Alonso e Massa, ambos da Ferrari. Eu já sabia que viria uma nova polêmica. 
Com que intuito?
Promoção? Propaganda? Exaltação? Ou sadismo?
Eu voto no sadismo seguido da expressão "caçar pêlo em ovo". Sadismo sim, porque eu nunca vi uma imprensa como a nossa ( e talvez a espanhola também e porque não a italiana, apesar de não poder falar muito sobre as duas devido ao fato de não acompanhar mesmo intensamente ambas) gostar tanto de um "fuá". Mesmo com a justificativa de diretor de equipe bem como um "tudo bem" oníssono de ambos os envolvidos, parece que não foi o suficiente.
Não há necessidade de tudo isso. Na realidade, só eu sei o quanto sofri acerca da balela do "sái Kimi e vem Alonso". Críticas intensas e ferrenhas altamente desnecessárias sobre a índole do piloto finlandês foi posta em cheque. Tudo que poderia ser ameno, virou algo como uma novela das oito da Globo sem direito a dancinha indiana.
Corriqueiro o evento. Eu sei admitir isso. Queriam disputa, emoção, pilotos botando par quebrar (as vezes literalmente) para conseguirem melhores posições e correndo (sim, correndo) atrás do prejuízo quando largam mal? O que estamos vendo?????
Limpo ou não, Lewis Hamilton foi extremamente afoito quando disputou com Vettel nos boxes, levou uma simples advertência (porque com Lewis sempre fica só na advertência?) e cadê polêmica nisso? Nada. "Puf" aconteceu e "puf" mudamos de assunto.
Estamos na quarta etapa da temporada. Essas especulações são tão superficiais... Não sabem que o que vale é o "agora" da próxima corrida,  o imediato, o que dá para fazer aqui e alé no carro para melhorar... Mas não. Sempre querem saber como será a próxima temporada antes da última terminar. Projetam, mas projetam errado! Deveriam pensar em quem pode, deve, deveria, poderia vencer essa temporada de agora e que a temporada que vem, é a outra nota da música.
Eu concordo que os holofotes estão sobre os dois F's - Felipe e Fernando. Mas para quê gastar o assunto numa bobagem que não casou danos e além de tudo, dificilmente terá algum impacto no campeonato?
Se assim for, porque assitimos F-1 e não - como já disse - uma novela das oito?
Deixem seus recados.
Abraços afáveis!

PS: Obrigada Mari! Valeu mesmo!

sábado, 17 de abril de 2010

Treino Classificatório da China: eu não vi! =(

Gente! Dormi além da conta e perdi o treino hehehehehehehe!
O que eu sei vagamente foi pelo que li e pelo o que vi na tv, o que não ajuda muito, mas resume bem.


Essas são as carinhas da frente. O Vettel está quase freguês da pole position. Webber luta para manter um emprego que já foi fadado à boatos de que contrato do australiano não seria renovado e o mesmo substituído por Kimi ano que vem (será? tenho lá minhas dúvidas...)Vamos ver né se a Red Bull aguenta dessa vez até o fim, pelo menos no caso do Vettel.
A turma "firinfinfim" que vem depois do trio acima fica:
4°. Nico Rosberg,  5°. Jenson Button, 6°. Lewis Hamilton, 7°. Felipe Massa, 8°. Robert Kubica,  9°. Michael Schumacher, 10°. Adrian Sutil, 11°. Rubens Barrichello,  12°. Jaime Alguersuari, 13°. Sebastian Buemi, 14°. Vitaly Petrov, 15°. Kamui Kobayashi,  16°. Nico Hulkenberg, 17°. Pedro de la Rosa, 18°. Vitantonio Liuzzi, 19°. Timo Glock, 20°. Jarno Trulli,  21°. Heikki Kovalainen, 22°. Lucas Di Grassi, 23°. Bruno Senna e 24°. Karun Chandhok. 
Acho que vai dar rolo entre quinto, sexto e sétimo lugar. ¬¬' Pelo menos na largada. Só isso que consigo prever.
Schumacher precisa de ajuda, de quem eu ainda não sei, mas ele precisa hahahahaha. De resto nada me surpreende. Talvez Alonso em terceiro seja uma coisa que não esperava, apesar de num bolão ter votado nele como candidato à pódio nessa posição. Acho que ele percebeu que se depender da Ferrari, as coisas ficam obscuras o jeito é trabalhar no braço p/ conseguir algo.
Amanhã tem previsão de chuva então, vou certificar que se o sono bater, estará gravando. Pode ser que alguma coisa interessante aconteça na corrida.
No mais não posso dizer muito porque não assisti o bendito treino. Estou nos casos de trazer um texto em breve de uma fã de Felipe Massa (se tudo der certo).
Nisso, deixo o espaço para quem quizer falar do treino nos comentários. Amanhã apareço aqui se for possível e comento a corrida.
Abraços afáveis e boa diversão na madrugada!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Que isso? - GP da China e seus treinos livres...

Pessoas!^^ Espero "encontrar" todos bem. Ao menos melhores que eu. ^^
Há duas coisas que nesse exato instante eu gostaria de perguntar.
Uma é:
Porque a Ferrari disse que não havia problema mais como o motor de seus carros e logo de cara mais um motor de Fernando Alonso vai pro beleléu? (E claro, depois dessa vem outras como: porque a Ferrari contrata pilotos como Kimi e Fernando, afinal e no fim o circo é o mesmo? Porque diz que seu carro é bom sendo que ultimamente essa premissa não vale e a palavra bom não serve... etc e etc... Não é? Ou estou errada?)
A segunda:
O que foi isso?



Eu nunca vi! Acho que ninguém também nunca viu mas... Nada mais me surpreende... ¬¬' Pareceu até efeito especial. Poderiam usar a imagem como uma propaganda... O.O Melhor não, vai que Bernie usa essa idéia... ¬¬'
Esqueçam!

Amanhã é dia de treino. 3 horas da manhã e eu num sono terrível como o caboclim abaixo:

 *Resgatei a foto do Octeto Racing Team 

Se der, darei as caras por aqui falando de minhas impressões sobre o treino classificatório e uma tentativa de advinhar a corrida do domingo.
E força na peruca!
Abraços afáveis!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Italiano!

Oi gente!
Estou fazendo um post rápido hoje de divulgação. 
Eu faço aulas de italiano (iniciei ano passado) e minha professora Isabella elaborou um blog com diversas coisas em italiano, super bonito e organizado onde podem encontrar de tudo, desde curiosidades até informações com dúvidas em relação a língua. Há também um post com canais de tv, jornais, estações de rádio e revistas italianas (segue link direto).
Eu vou estar participando e comentando sempre já que sou aluna e estou aprendendo, e no caso, a forma mais interessante disso é interagir por lá, hehehehe... ^^
Aos interessados: Occhio Alla Lingua vale para os alunos e para quem tem curiosidade e gosta de aprender coisas novas.
De qualquer forma o endereço deste blog estará aqui ao lado direito, nos meus favoritos.
Volto amanhã talvez com algum comentário sobre esse fim de semana de F-1.
E como manda o idioma italiano:
Ciao, ragazzi e ragazze!

sábado, 10 de abril de 2010

Velhice precoce...


Eu só posso estar sofrendo de um mal novo: a velhice precoce.
Se existe eu nem sei, mas ontem diagnosticado a doença, admito que sou portadora com covicção.
Sexta-feira é para todos estar com sorriso bobo nos lábios porque afinal chegou o fim de semana.
Eu fui para aula pela manhã não com o sorriso bobo porque estava com um sono descomunal. Mas eu sabia que naquela noite esse problema seria resolvido.
Sabe esses dias em que nada dá certo? Mesmo que você não tenha planejado nada mirabolante, mas tudo que acontece no decorrer dele te deixa ao menos com as pestanas quentes?
Eu sou tranquila, basta que não seja injusto, eu encolho os ombros e fico na minha. Fora isso eu parto para briga. Mesmo.
Primeiro a aula na faculdade seria necessário um computador e projeção para slides. Foi reservada uma sala fora do meu bloco para isso (já que o meu bloco se encontra em "troca de telhado" em plenas aulas...¬¬'). 
A Universidade Federal de Uberlândia está um caos, senhores e senhoras. Abriram muitos cursos e não tem salas para todos, aderiram ao ENEM e sinceramente acho que é por isso que tem entrado tanto novato "tapado" (para ser educada), na universidade. É visível que a universidade tem muito mais alunos que o normal, as salas estão lotadas. Ainda trocamos de reitor faz um ano. O novo não está agradando ninguém e chegam a chamá-lo de ditador. Está uma verdadeira zona.
Na sala que reservamos haviam alunos de outra disciplina de um pessoal da Física.
E o que houve? Tiramos os alunos de lá e depois a professora deles bateu boca com a gente nos tratando de invasores da sala dela. A nossa professora nem teve altura para encarar a falta de educação da adversária, colega de trabalho: tentou mater a calma, mas saiu com muitas patadas e coices.
Eu avisei que aquilo daria confusão e no primeiro "sumam da minha sala" eu já estava na porta para não causar piores comoções. Mas os retardados dos meus colegas quizeram ser heróis e ouviram o que não queriam, e no fim acho até que mereceram.
Invadimos uma outra sala estranha, e ficamos até às 9:30 quando começaria outra aula. A aula era para ser até as 11:30, mas na circunstância que nos encontrávamos, não dava.
De lá saí e fui à pé, num sol de lascar, andando 11 quarteirões até a escola que eu farei estágio. A diretora, uma besta que vive na lua, informou que só posso começar o estágio com todos os papéis assinados (que a universidade já informou que vai demorar a entregar assinado e carimbado ¬¬') e que semana que vem nem preciso ir lá. Até dia 16 eles estarão paralizados esperando resposta do Governo de Minas Gerais a respeito da proposta do sindicato de professores sobre aumento. A escola é estadual.
E aí como fica? A minha professora de estágio sorri e diz com uma vozinha de quem canta para neném dormir: "não sei, você tem que conversar com o pessoal da escola" e eu vou na escola e ninguém me responde nada. Só falam em "paralizados, querida, não fazemos nada, se não o governo não nos ouve!"
M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!
Fui embora. Entrei no maldito ônibus de volta para minha cidade querida. Os novatos do ônibus são uma turminha de burrinhos, infatis e medíocres que desde o início do ano conversam tanto que atrapalha todos no ônibus. Ontem eles bateram seus recordes. O ônibus atrazou 40 minutos porque muita gente queria voltar para cidade, mas não tinha ônibus suficiente (o que acontece sempre e a empresa insiste que não aumentou o número de estudantes. Não, eles se multiplicam por bipartição! Ranca um pedaço de um e nasceoutro indivíduo! ¬¬'). Com uma bando de idiota falando alto no ônibus, fiquei ouvindo Sepultura (que era o mais violento que tinha no meu mp4) no último volume, afinal ouvir idiotice de gente de mente pequena eu já estava esgotada.
E os novos amiguinhos gritaram que tampou o som do mp4. Riram, pulavam nos bancos, xingaram o motorista, cantou para um do grupinho levantar e dançar "rebolation" para todos e assim foi. Os veteranos como eu riam e diziam "que povo chato!". Foi a comoção: todo mundo vendo minhacara feia veio comentar comigo a situação. Um conhecido da engenharia elétrica me falou quando descemos do ônibus e eu e ele íamos p/ casa que não conseguiu dormir nada com a bagunça. "Espera só eles abestados fazerem a primeira prova e vc vai ver que o Zero deles será tão grande que eles param com a macaquice". Ele morreu de rir e disse, que torcia para que isso acontecesse. E estamos combinados: quando eles tiverem caladinhos seremos nós, eu e os marmanjos das Engenharias que vamos nos vingar. Eu já entrei no grupo de "extermínio" com meu mp4: os fãs de "rebolation" vão ouvir "Roots, Bloody Roots" do Sepultura durante toda a viagem.

Se não bastasse, tomei a tal vacina contra H1N1. O negócio não dói, mas meu braço ficou doloridíssimo durante as horas seguintes. Tive aula de guitarra logo depois e meus movimentos ficaram limitados. Eu não sei o que houve mas meus músculos não responderam bem à isso e meu braço ficou estranho. Na aula o tempo todo fiquei fazendo caretas. Pobre de meu professor que pensou que o problema era com ele. 
Um dia de cão. 

Aos professores. Já vi que a vidinha de vcs é um saco, porque brincadeira! Se estouram com qualquer coisa que se mova perto de vcs. Aos funconários de governo... Pai do céu! Não tenho culpa se esse país não os ajuda. Falo isso sobre a escola do estágio... Que culpa tenho se as diretoras escolheram esse ofício caótico? E que culpa tenho se o MEC exige que eu faça essa porcaria de visita à escola? Não é por isso que tenho que ser tratada como um pequeno verme.
Quanto aos inúteis seres perturbadores da tranquilidade, agradeço à eles porque descobri que estou velha e não tenho paciência com gente jovem. Parece que eu nunca fui. Mas realmente acho que eu não era retardada assim não. Eu tinha senso e educação nas horas que era preciso.


Em meu momento de Limão ontem, recebi esse email da minha tia:
"A IDADE

Quando você encontrar alguém da sua época e achá-lo muito velho e acabado, é bom correr pro espelho e fazer uma bela autocrítica.
A idade passa para todos.
Eu estava sentada na sala de espera, para a minha primeira consulta com um novo dentista, quando observei que o seu diploma estava pendurado na parede. 
Ao ler o nome, de repente, eu me recordei de um moreno alto, que tinha esse mesmo nome. 
Era da minha classe do colegial, uns 40 anos atrás, e eu me perguntava se poderia ser o mesmo rapaz por quem eu tinha me apaixonado à época? 
Quando entrei no consultório, imediatamente afastei esse pensamento do meu espírito. Este homem grisalho, quase calvo, e o rosto marcado, profundamente enrugado, era demasiadamente velho para ter sido o meu amor secreto... Quê que é isso? 
Depois que ele examinou minha boca, perguntei-lhe se ele tinha sido do Colégio Estadual Central.
- Sim, respondeu-me..
- Quando se formou?
- 1966. Mas, porquê a pergunta?
- Eh..... bem... você era da minha classe.  
Aí, então aquele velho horrível, anormal, cretino, tremendo filho de uma p..., me perguntou:
-
 A Sra. era professora de quê?????"

O povo realmente só tem "pérola" para dizer mesmo. ¬¬'
Abraços afáveis e bom fim de semana a todos (se for possível ^^)!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Diretor da Williams: "Como Barrichello nunca foi campeão?"

Eu sei que estou em falta por aqui, mas é que tive de fazer um estudo/reflexão para amanhã sobre Brasil República... ¬¬'... e tomou boa parte das minhas tardes...
Hoje fui dar um jeito nos emails acumulados e atualizar minha vidinha com algumas notícias e me deparei com essa que está aó no título do post. Fonte? Yahoo Brasil:

As brincadeiras de Rubens Barrichello sobre a performance do carro da Williams aparentemente não irritaram os dirigentes da equipe. Diretor técnico do time, Sam Michael foi só elogios ao piloto brasileiro, com quem começou a trabalhar este ano.
"Ainda estamos no começo da temporada, mas tenho que dizer que ele é um dos melhores pilotos com quem já trabalhei", afirmou Michael. "Ele é um cara que tem muito experiência e isso ajuda Nico Hulkenberg também", destacou, referindo-se ao jovem piloto alemão, que faz sua estreia na F-1 em 2010.
Segundo Sam Michael, o conhecimento de Barrichello acelera o desenvolvimento do carro da Williams. "Para ser honesto, eu nunca trabalhei com alguém tão bom quanto ele desde [Heinz-Harald] Frentzen e Damon Hill quando voltei para a Jordan, há 12 anos. Foi a última vez que trabalhei com alguém de seu calibre, é impressionante", destacou, citando o acerto da escolha de pneus do brasileiro no Q2 do treino classificatório para a Malásia. "Eu estava em pânico, mas ele foi muito útil", cntou.
O dirigente diz que Barrichello superou as expectativas de todos na equipe, incluindo Adam Parr, Patrick Head e Frank Williams. "O que provavelmente mais nos surpreendeu é "como esse cara não foi um campeão do mundo várias vezes? Ele é muito melhor que vários pilotos que já foram campeões, além de estar sempre em lua de mel. É o parceiro perfeito", analisou.

Eu escrevo esse post deixando o espaço para quem quizer discorrer sobre a pergunta do dirigente:
 "Como Barrichello nunca foi campeão?"
Porque eu, acho que minha cabeça está tão voltada para reflexões sobre a República no Brasil que realmente não consigo pensar em nada mais. Ainda se tratando de algo tão complexo... ¬¬'
Quem sabe amanhã?
Abraços afáveis a todos!