segunda-feira, 31 de outubro de 2016

GP mexicano: pimenta no final, mas não para corrida

Estive em um estado de graça e de risada no momento da corrida: assistia à um jogo da NFL enquanto acompanhava poucos lances da F1 via internet.
As vantagens: enquanto não via muito do que acontecia na corrida, percebi dois nichos de telespectadores da corrida, via tuítes - os que estavam achando a corrida uma porcaria, e os que estavam preocupados com as estratégias. O primeiro grupo me pareceu o mais regular e mais condizente. O segundo, estava muito preocupado com as ações do Vettel ou do Verstappen que me deu coceiras para bater boca com eles via rede social.
Mas...
Olha só: eu prestava um pouco mais de atenção ao jogo do time que eu nem gosto - não o time, mas o QB - Patriots. E de repente alguém arremessa algo no campo que os caras da TV questionaram se não era uma flanela amarela. A descoberta do que era me garantiu uma risada tamanha, que eu nem esperei o fim da corrida quando a minha bateria acabou e eu me dirigi ao meu quarto desligando até a internet por conta de trovões. 
Arremessaram um pênis de borracha no campo - algum torcedor do Bills, provavelmente. 
"Ah, que palhaçada..." "Ah, que desrespeito..."
Sendo sincera, desrespeito é o que a FIA faz com a F1 e as regras circunstanciais mais podres já vistas. A segunda vantagem de estar assistindo outro esporte é que além de rir desse evento inusitado que nem foi tão preponderante assim no jogo, me fez ver que, a corrida, em banho maria, não era opção boa de entretenimento para aquele hora do domingo.

Resumo: Hamilton largando de ponta a ponta, cortando chicane, disputas amenas - rádio engraçados (tanto de Alonso, quanto de Vettel) e só. A pista não é atrativa nem no visual.
Não é novidade alguma que a Ferrari quer Vettel na frente de Raikkonen então não vejo porque protestar pelas paradas diferentes dos pilotos. Raikkonen vai para 2017 sabendo que ele é o segundo caso na equipe. Ele sabe disso desde que assinou o contrato, então, desculpe os fãs xiitas do Iceman: eu gosto muito dele, coleciono fotos, reportagens e salvo vídeos de entrevistas dele, mas se ele está enchendo os bolsos para ser segundão, não sou eu que vou gastar meus nervos sofrendo com as decisões da Ferrari.
Paciência, pô. Se ele tivesse realmente sendo prejudicado de alguma forma, ele já teria cascado fora. No mais ele tá ali para ter o mínimo possível de competitividade - e claro, bolsos cheios.
Então, críticas negativas sobre sua passividade não é legal, assim como sobre a sua vitimização também não é. Kimi é praticamente um novo Irvine. 

E que raios de raiva é essa agora com as reclamações e xingamentos do Vettel via rádio? O povo tá todo contra o Sebastião só pelo seu estresse. Ei! Sim, as vezes ele exagera? Sim, mas na boa? Quem não se estressaria com aquela pataquada que é essa categoria em termos de regras? 
Sinceramente - sempre teve proteção aos pilotos de equipes grandes, mas sejamos claros aqui: proteger talentosos é uma coisa. Petulantes e mimados infantis é outra.
Hamilton é protegido até quando faz as maiores "Ms" na pista. Tudo porque eles sabem que ele acusará os punidores de racismo. Está na fuça isso, porque ele já fez esse jogo. O resto não tem esse "álibi". Certo ou errado, ser racista ou ser acusado de racismo é igualmente ruim. A vantagem do racista é que ele geralmente não tem a consciência pesada e nem justifica o seu crime. O acusado, sofre e tenta, as vezes sem conseguir, negar a qualquer custo. 
Agora eu realmente não sei o que segura esse pessoal com relação as punições de Verstappen. No começo achava que o arrojo dele seria uma coisa boa. Até quando ele brigou com Vettel e Kimi ao mesmo tempo esse ano, fiquei semi-imparcial. Mas logo depois ele provou do próprio veneno e ficou irritadinho. Uai, não seria assim, corrida, disputa?
Corridas passadas deram holofote ao fato porque Verstappen feriu o "todo-poderoso". Agora ele tomou a primeira punição por claro, algo que a própria FIA deixou que acontecesse: que ele achasse que era certo sambar na cara de qualquer um. Sim, sambar e não aceitar que façam a vingança.
É como deixar a criança roubar biscoitos recheados antes do jantar, o menino passar mal e o médico dizer que ele está com distúrbio alimentar. Os pais deixam o pacote de bolachas no mesmo lugar de antes, mas decide então deixar a vista só para ficar colocando  o menino de castigo toda vez que ele atacar o doce quando tiver visita em casa. Quando ninguém estiver "vendo", ou ninguém comentar nada, o menino terá recheio de chocolate até na orelha.

Vitória de Hamilton, Rosberg administrando o mínimo para não perder de vez o campeonato e não provocando o companheiro para não gerar futuras sabotagens e Vettel ganhando pódios no grito. Aviso sobre o Vettel: ele já está com cara de velho antes dos 30, se continuar assim, el se aposenta antes do penta. 

Só para frisar: corrida chata, categoria infeliz. Somos uns bestas por seguir isso ainda...

Abraços afáveis!

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

GP do EUA em fotos

(Peço desculpas pela demora)

Uma foto:

Um sentimento:


***

"Ai, americanos são isso, são aquilo, e mais aquilo..."



Mas eles sabem fazer uma festa. Ah se sabem...
Olha isso:




***

A senhora Todt achando que tem 15 anos de idade...


***

Papo Finlandês:
Kimi: - Hei...
Valtteri: - Hei. 
Fim.


Se o Reginaldo visse essa foto, voltava com a ladainha que os dois se estranham...


***

Venus Williams não estava na Williams?


***

PAUSA DRAMÁTICA PARA A FOTO A SEGUIR:
*
*
*
*
CHRISTIAN HORNER?


GERARD BUTLER:



***

Poxa, Christoph Waltz, gosto tanto de você. 
Na Mercedes? 
Rindo para o Hamilton? 


***

O Kimi já é nervoso, aí o cinegrafista ainda cola nele depois de uma caquinha da equipe?


***

Lewis vencendo = corrida chata


***


Se fosse uísque, né Butler?!
Mas sei que não é, e sei também que isso é nojento...


Abraços afáveis!

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

GP dos Estados Unidos

GP nos Estados Unidos da América tem um gosto bizarro para muitos de nós brasileiros. Desde sua estréia lá em 2012, não tivemos transmissão ao vivo do evento pela tv detentora dos direitos da F1, a Globo. Motivo: campeonato brasileiro. Sim, em letras minúsculas para deixar implícito todo o meu desprezo pelo campeonato. Ainda mais quando rende uma balburdia de violência da torcida ao fim dos jogos, pelos apitos amigos que as duas "equipes" já estão careca de se beneficiarem.
Morando no "país do futebol" tive já minha cota aí de 4 anos de abstinência de GP EUA por conta da escolha de terceiros. Não tenho tv a cabo e se tivesse, SportTv seria uma das minhas menores preocupações. Porém, cada dia mais, as coisas acontecem só na tv a cabo e eu, fico na vontade. Inclusive quando se trata de outro esporte que eu quero também acompanhar.

Aos poucos a Globo vai "desmamando" os fãs da F1 - já somos poucos, e desde 1994 começamos a perder aliados.
Desde 1994 procura-se um substituto do Senna.
Desde 1994 a gente soa meio ridículo frente aos outros fãs de F1, porque muitos de nós são nostálgicos pra caramba.
Desde 1994 a gente mostra para todos e qualquer outros fãs estrangeiros, o quando o pachequismo é repugnante.

E por isso, você que caiu de para-quedas nesse post acha que os fãs e endinheirados apoiam o esporte no país? Estão redondamente enganados. Desde 1994 a vontade de ter um novo ídolo na F1 que fosse brasileiro, foi miando, miando... Ou ficou só na vontade. Essa ideia, teve um certo vigor com Rubens Barrichello, que em toda sua trajetória pode até ter alguma razão de ter orgulho, mas é lembrado pelos fracassos e fraquezas. 
No Brasil é assim: de 10 tentativas de acerto, um único erro propicia o fim de tudo. Assim, seja piloto, seja ator da Globo, cantor sertanejo, etc., pode ver a mídia se alimentar do seu "escorregão" e acabar com sua "vida", caso você não tenha as artimanhas certas para se reerguer do tombo.
"Rubim" virou piada pronta, seja nos seus atrasos, seja na suas justificativas pelos fracassos.
Felipe Massa, seguiu os mesmos passos, com as mesmas desculpas. Se tinha mais talento que o anterior, foi irrelevante para a F1 no todo. Vai aí se aposentando com o "louvor" de saber parar agora, antes que vire, também uma piada como é Rubinho (embora eu ainda acho que ele não está livre disso - pelo menos, não da minha parte).
Eu poderia citar aqui outros pilotos brasileiros pós 1994, mas vocês podem já assumirem logo e perceberem que todos, não deram em muita coisa. Nem mesmo o sobrinho do "Santo".

A Globo aos poucos, parou de passar GPs que batem com os jogos do Flamengo ou do Corinthians. Tirou, por medidas de ibope, os treinos classificatórios do ar. Na real, é apenas segundo plano pois as classificações são chatas, e colocar um programa com mais 2 apresentadores falando tudo ao mesmo tempo, é super legal numa manhã de sábado.
A emissora, não liga mais nem para seus pilotos brasileiros em pista, e quando liga, só fala deles, aproveitando que um está de partida e o outro, pode nem ter contrato ano que vem. Os mesmos, nem perto de fazerem uma boa temporada estão, mas num passe de mágica midiática, eles são exemplos para analisar qualquer pista. Uau!
O GP brasileiro está em suspenso já para o ano que vem, na iminência de nem existir no calendário de 2017.
Isso mais o acréscimo de regras absurdas e podas visíveis de pilotos regulares na competição ano após ano e uma política muito sacana da categoria, geram ainda menos esforços de nós, fãs com relação as corridas finais.

Nós fãs também não ajudamos muito. Eu diria que nada. Somos poucos, primeiramente. Nos damos ao disparate de nos acharmos especialistas ("se o fulano pode, por quê eu não?") e soltamos nossas críticas e abobrinhas seja via redes sociais, micro blogs, blogs, podcasts ou videos - e eu me incluo nessa. Falamos com a boca cheia do nosso piloto favorito e damos risada com tudo que ele faz, mas ai de nós se alguém queira fazer algo específico com eles: o resultado é inevitável, viramos o Hulk da hipocrisia e agimos como advogados super eloquentes (ou não) sobre o que ele (piloto) deve ou não fazer para resolver isso ou aquilo.
E saiam de baixo quando aqueles outros fãs, que só veem os erros dos pilotos, começam a fazer as suas críticas animadas, fazendo questão de esquecerem completamente dos acertos em prol de uma "falsa" imparcialidade. 
Sem falar os pachecos nostálgicos, que fazem os novos fãs os chamarem de "velhos", e os velhos, de "chatos".

Isso tudo aqui é para dizer a todos que não tem coluna sobre os acontecimentos do GP de ontem, porque vi apenas algumas cenas do que disseram ter sido destaque da corrida. O compacto do compacto eu diria, endereçado apenas à quem eu percebo como ainda merecedores de atenção, como Ricciardo, Alonso e outros pilotos, (a exceção de Hamilton e Massa) e naturalmente Kimi e Vettel.
A F1 está acabando para muitos de nós, então se as situações são adversas, a gente acaba dando de Elza em Frozen e mentalizando: "Let it go, let it goooooo..." (Ridículo isso, mas a intenção aqui é arrancar alguma risada, para quebrar o mau humor inicial, certo?)

Sim, eu usei meu domingo todo para acompanhar um outro esporte e um outro costume de americanos: fiquei por conta, toda a tarde de assistir à pelo menos 3 jogos da NFL, a liga de futebol americano - e acompanhar os resultados dos demais. 
Não, a NFL não é totalmente mais limpa que a F1, mas é,  mais justa, imprevisível e atualmente, mais divertida que a F1 dos últimos 3 anos. 
Então, não vou enchê-los com mais opiniões rasas de cunho particular. 
Que Hamilton ganhando de ponta a ponta é sinônimo de corrida chata. 
Que Rosberg tem que se focar nesse campeonato para vencê-lo logo. 
Que é um absurdo o que Ferrari faz GP após GP... 

Simples assim, a gente se encontra na próxima postagem com as fotos do GP.

Abraços afáveis e boa semana a todos!

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Kimi Räikkönen: 3.7

Hoje é aniversário do piloto mais popular da F1: Kimi Räikkönen.
E isso nem é papo de fã, ele tem mesmo essa atribuição depois da pesquisa em 2015 que colocou ele como o mais popular da F1 atual.
O Homem de Gelo, como é conhecido desde que entrou na F1, completa 37 anos hoje, já podendo ter muitas amostras de que ele apesar de ser "frio" é "cool" no sentido figurado também da palavra; ou vão me dizer que vocês não dão risada com as respostas óbvias e inteligentes de Kimi aos jornalistas, ou cenas risíveis de telão com um picolé na boca e uma coca-cola nas mãos em plena corrida paralisada? Frieza por frieza com jornalistas e vitórias, é preferível do que tagarelice aparecida.


Feliz dia ao Iceman, marido, pai de Robin, campeão mundial de 2007, vice de 2003 e 2005, piloto atual da Scuderia Ferrari, ao lado de Sebastian Vettel.
37 anos, 13 de F1, 2 de WRC. Recadinho:


Que ele siga em frente fazendo o que mais gosta e dando alegrias à quem o acompanha. O "Velhinho de Gelo" ainda tem muita lenha para queimar:



Abraços afáveis!

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Malásia e Japão comentados em fotos

Ricciardo e o bom uso do dedo social



 Rosberg riu porque pensou em fazer isso para o Hamilton, mas não poderia tripudiar com aquele estouro de motor. Deixou ele sofrer sozinho com aquele evento homérico e a gente, dar risada absurdos. As reclamações do Hamilton vieram:


Agora pensem em todas as frases que ele declarou sobre o motor e leiam fazendo essa cara:


Deu certinho, não?

***

A selfie dessa vez teve uma mulherada, que mais parecem que personagens CGI (feitas por computador), só com movimentos diferentes, mas as caras praticamente, todas iguais


***



Vi essas coisas no Tumblr, na última quinta-feira. Não vi nada sobre a coletiva, e só pensei três coisas com esta sequencia de gifs:
a) Que essa é a reação mais sincera que o Kimi poderia fazer para seja lá que o Hamilton mostrou para ele no celular: seja mulher pelada, seja um vídeo pornô, seja uma charge engraçada, que seja. Kimi não tem emoção demais e é assim que a gente gosta.


b) Pensei também que Hamilton virou um viciado. Depois de postar fotos no Instagram de calça de moletom deixando as "joias da família" aparente demais, a gente pode considerar que a criatura logo logo fará que nem uns atores ingleses e uns jogadores de futebol americano e vai sair por aí tomando sol nas partes pudendas e deixar-se fotografar. Se não fotografar ele próprio, no ápice do narcisismo (para arquivos de "manda nudes") "deixando" vazar como se fosse hackeado.


c) Ao pensar nisso, nas suas postagens exibicionistas, imaginei que era normal o Kimi estar entediado com coletivas. Ele nunca gostou delas, bem sabemos. Mas achei que era meio desrespeitoso com os jornalistas, que o atual campeão do mundo estivesse brincando no celular, nestas horas...


Mais tarde, na sexta-feira, eu descobri o que Lewis estava fazendo, e as consequências do ato. Chegarei lá...

***

O que tanto resolvem?
O cara faz terceiro lugar e de repente eles trocam o câmbio?


***

Não sei que é o tio aí,
e pelo visto, nem o Hulk


***

Kimi recebendo os Snapchats do Hamilton e analisando a situação "polêmica" (mas sem mamilos)


***

Cara de quem achou aquela japa ali suspeito, né Kimi? 
Aquele sorriso de "que esse cara quer?"
Já fiz muito isso...


***

E o Nobel da Animação vai para...!!!


***

Eis o que Hamilton fazia na coletiva de imprensa japonesa: 
Pintou os coleguinhas de bichinhos e se fez de coellhinho com lacinho e tudo:

Isso indica várias coisas. Uma delas, que as três coisas que eu pensei sobre aqueles gifs que publiquei estavam certinhas:

a) Sim, Kimi achou graça, mas não deu importância, como era de se esperar;
b) Sim, Hamilton está viciado em se exibir, nem que seja de coelhinho (e depois Rosberg que é o Britney da história, né?);
c) E sim, os jornalistas acharam a sua displicência com a coletiva, desrespeitosa. Também porque ele publicou "This shit is killing me" que é sem exageros: "Essa merda está me matando"

Só por uma reação já deu para acertar tudinho hein?


Daqui, podemos fazer vários comentários, então, aproveitando que vocês estão sentados, aqui vai:

 Com a divulgação no Snapchat, os jornalistas que não são bocós, apesar de aparentarem, usaram isso a favor deles e contra Hamilton, atacando-o.
Lewis decidiu responder as críticas de sua indisciplina com um mimimi que respondia a coisa com palavras de  que estava brincando, ninguém o entende e agora só vai dar entrevistas só quando solicitado e obrigado.

Abrimos precedentes para que Lewis saiba algumas coisas sobre ter redes sociais:
a) Publique o que você quiser, mas saiba as consequências deste ato e assuma a responsabilidade da postagem como um adulto;
b) Saiba a hora de fazer isso. Se tivéssemos numa aula, qualquer professor se irritaria com o aluno que esteve fazendo isso. Depois vem chorar nota, como bem sabemos.
c) Usar a imagem sua, tudo bem. Mas usar a imagem dos amigos, poderia caber até processo. Sainz não deve ter ligado, mas é certeza que Lewis não pediu autorização para pintar carinha de raposa no rosto dele. Kimi também não liga. Sabemos que ele não gosta de entrevistas, mas ele foi usado na imagem com legenda desrespeitosa.
d) Se estava brincando, bastava pedir desculpas aos envolvidos e aos jornalistas e estaria tudo certo.



Percebe-se que não foi bem assim.
Como pessoa pública, Hamilton poderia ter dito o que eu falei no item d). Ele preferiu fazer-se de criança birrenta, coisa que ele faz muito bem.
Rouba a bola e não "brinca" com mais ninguém? 


Os jornalistas cutucaram a ferida. Sabendo que ele estava lá forçosamente, e que ele possivelmente, se provocado da forma certa, falaria umas bobagens de conspiração a respeito do estouro do motor na corrida passada, ou repetir a frase "alguém não quer que eu vença", visto que não conseguiram sua atenção, criaram polêmica com o cara errado.

Está certo que jornalista são uns chatos, perguntam coisas ridículas, mas esse é o trabalho deles. Se Lewis é piloto a tanto tempo, deve saber dos setores que fazem os esportes funcionarem. Um deles é a mídia. Querendo ou não, se precisa dela. O mínimo de amistosidade que der para oferecer para esses jornalistas, melhor será, mais rápido a entrevista acabará e menos dor de cabeça resultará.
Porém, como disse, os jornalistas mexeram com o cara errado. Eles deviam era ter criticado sua conduta e não buscado saber como ele se justificaria. Criticando e dizendo que o trabalho deles é justo e que eles prefeririam ser melhor tratados e deveriam seguir adiante, afinal, todo dia a gente encontra um babaca por aí: é caixa de supermercado mal humorado, funcionário público preguiçoso, funcionário de loja incompetente, atendente de correios que está curioso para saber o que tem no seu PAC, é colega de mesa no escritório que não para de falar no telefone, é amigo que quer favor seu na hora que você está ocupado e assim os exemplos transbordam.


Mas os jornalistas foram inocentes. Lewis está na F1 à 9 anos. Ele tem 31 anos.
Desde 2007 ele tem feito muita coisa infantil e irresponsável:
a) Disse que não sabia dos esquemas da McLaren de espionagem, sendo que todo mundo sabia;
b) Já pediu para que comissários empurrassem seu carro de caixa de brita, mesmo sabendo que isso não é permitido;
c) Perdeu seu campeonato em 2007 por ser imaturo psicologicamente; 
d) Já foi punido por fazer manobras consideradas ilegais e declarou que não era culpado e que puniram "porque eu sou negro" - incitando uma discussão racista sem necessidade;
e) Já mentiu descaradamente (para se safar) para comissários;
f) Fez uma festa perseguindo Felipe Massa em 2009 que parecia dois galos de briga. Quando um batia no outro, era o outro tentando vingar na corrida seguinte. Digno de risadas, mas também, uma macha na carreira dos dois - parecendo dois idiotas;
g) Com novo e compatriota companheiro também fez micagens: quando Button se dava melhor que ele, ele declarava que a largaria a F1 para ser cantor;
Logo, nos anos seguintes, quando estava para sair da equipe, declarou que Button não era seu amigo, porque ele não o seguia no Twitter... WTF?


h) De 2010 a 2014, com as sucessivas vitórias de Vettel, declarou que isso era "ruim" para a F1...
i) Adrian Sutil - o seu melhor amigo da F1 - se envolveu com uma briga numa festa com um cara da Lotus. O cara abriu processo por lesão corporal. A testemunha que Sutil escolheu para livrar a cara era o companheiro de balada, Hamilton. O covardão não foi depor e deixou Sutil sem armas contra o cara da Lotus e mais de um ano sem contrato com qualquer equipe na F1;
j) Já de saída da McLaren, mas ninguém sabia, Hamilton divulgou a "telemetria" do carro no Twitter. Tomou uma bronca homérica, mas era visível que ele fez de propósito - logo ele assinaria com a Mercedes;
k) Na Mercedes, ele protagonizou triunfos, mas também cenas lamentáveis de infantilidade, uma das primeiras: questionar a nacionalidade de Rosberg: de Mônaco? Da Alemanha? Finlandês? Como se isso importasse...


l) Em disputas com Rosberg, joga o carro do alemão para fora da pista. Quando isso lhe acontece, a equipe faz reunião geral;
m) Quando perdeu em Mônaco, ano passado, nem participou da festa do pódio direito como uma criança mimada. Mas quando Rosberg, noutras garfadas que tomou, se revoltou, ele tripudiou e sorriu para a câmera;
n) Esse ano, virou o rei do atalho por fora da pista. Ninguém vê nada disso...
...
Carimbado que esse cara não tem responsabilidade mesmo? 
Para mim até registrado em cartório.
Para Lewis e sua egocentricidade:




Tá bom né?

Bom resto de semana para todos.
Abraços afáveis!