sábado, 28 de fevereiro de 2015

Pode? Pode, mas...

Estou mais constante no Twitter para ficar sabendo das notícias. Vez ou outra, pipocam alguns absurdos, que a gente não sabe se ri ou chora (especialmente as notícias que mais interessam, as políticas, econômicas e sociais...)

Mas, mesmo no entretenimento, nem assim dá para achar tudo lindo. Eis que fazem poucos minutos, eu li, que publicaram no Twitter: Lewis Hamilton pode lançar álbum com gravadora de Jay-Z

E o título da postagem desse sabadão é "Pode? Pode, mas..."

Mas sinceramente? Para quem torce pelo LH é só mais um meio para gostar ainda mais. Mas eu que não gosto de ninguém que aparece demais, não me torno fã dele. Se tivesse nutrido alguma admiração (não houve chances para isso, apenas no começo, mas depois que vi que ele curtia um holofote...) eu já teria enjoado à bodas. E ele não, quer exposição sempre que possível. 


E só para constar: pode ser o melhor hip-hop, R&B, blues ou qualquer estilo já feito no mundo. Mas não vou pagar para ouvir. Se acontecer de acabar ouvindo, por conta da curiosidade...


Abraços mega afáveis a todos, e excelente fim de semana!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Versões boas, ruins ou melhores? Sledgehammer

Certamente pelo título vocês já sabem do que se trata as versões da postagem de hoje.
"Sledgehammer" é uma música do Peter Gabriel, gravada em 1985 como faixa do álbum "So" (lançado em 1986). 
Peter começou como vocalista e líder da banda Genesis, mas depois lançou-se numa bem sucedida carreira solo, e também tem notoriedade como ativista de direitos humanos. 

E então, lembram-se de "Sledgehammer"? Na sequência, a original e as versões:

Original: Sledgehammer
Composição: Peter Gabriel
Data: 1986
Álbum: So
Ficou famosa: Após alcançar o nº 1 das paradas de sucesso nos EUA, Canadá e Grã-Bretanha, em 1987, concorreu a 3 categorias do Grammy e o vídeo bateu o recorde de 9 premiações no MTV Awards (recorde que ainda detém) e é até hoje o vídeo-clip mais tocado da história do canal.



Versão 1: Maiysha
Álbum: This Much is True
Data: 2008
Estilo: cantora de R&B, mas a versão tem também uma pegada blues.



Versão 2: Northern Kings
Álbum: Reborn
Data: 2007
Estilo: Metal Sinfônico, projeto paralelo de quatro cantores de origem finlandesa: Marco Hietala (Tarot e Nightwish), Tony Kakko (Sonata Arctica), Jarkko Ahola (Teräsbetoni) e Juha-Pekka Leppäluoto (Charon, Harmaja e Poisonblack).


Essas são as versões que aparecem em álbuns. Outras bandas fizeram covers muito semelhantes à original em suas turnês, como Trey Anastacio Band e The Dave Matthews Band.

Para a escolha, embora a original seja imbatível, eu gosto muito da versão do Northern Kings. Não conheço nada de Maiysha, mas a sua proposta não soou mal. neste caso, se Peter Gabriel seria intocável com seus sucesso, a roupagem mais metal garantiu um novo jeito de ouvir a música e no caso apreciá-la. 

Como sempre, passo a vez à vocês. Quero saber o que acham das versões e da original.
E deixo alerta, como sempre, que outras versões desse quadro já passaram por aqui. Se Quiserem conferis, basta clicar neste link

Abraços afáveis!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Nota rápida: sobre Alonso

Dias corridos, peço desculpas, mas logo escreverei propriamente no blog. 

No domingo, soube do acidente de Fernando Alonso nos testes na Espanha, e fiquei sem entender bem porque ele foi para no hospital. Mas era uma medida preventiva já que ele tinha ficado desacordado por algum tempo. Todo cuidado é pouco.
Disso já surgiram "n" bobagens, já que a McLaren demorou avaliar o que aconteceu, divulgar e nhenhenhém. 
... Quando falo que esse mundo anda chato...
Mas vá lá, estranhamente, esse é o segundo dia que o espanhol ainda está internado. Uma carinha abatida na foto que vi dele no hospital, mas mesmo achando que seja necessário se recuperar por completo, se todos os exames foram feitos, acho que se recuperar em casa não custaria nada.
Hoje pela manhã li notícias de que ele não se lembra do que aconteceu. Acho nada alarmante, depois de uma concussão, é raro alguém saber completamente o que se passava. Há casos de acidentes graves que o piloto sai ileso e andando. Há outros em que não tem escolha, é hospital mesmo e nos melhores casos, apenas repouso. 
Concussão é grave. Não pode ter dado nada nos exames, mas em geral, uma semana de descanso é necessário para que se estabeleça a rotina de estar propenso à Forças G novamente. 

Mas vi no jornal da cultura da hora do almoço semana passada o comentário na hora do esporte sobre a tentativa de dar potência aos motores F1 esse ano, para "melhorar" a competitividade na categoria... Já sei que não vai resolver em nada, nem sei porque começaram com essa. 
Mas vamos por algo a pensar: em que estado está Jules Bianchi? Sabemos bem o quanto organizadores são cabeças duras quanto a esse lance de "competitividade"... ¬¬'
Talvez seja melhor antes de fazer mudanças à categoria, passarem a tratar os pilotos menos como ratos de laboratório, antes que casos como os de Alonso, tornem-se uma constante. 

Abraços afáveis! E força aí Alonso! 

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Sobre capacetes

Sabem aquele momento de ócio que você tem preguiça de levantar e pegar um livro. Ou rodou os 500 canais da sua TV, mas é inculto o suficiente para não ter nem vontade de parar na reprise do Rei do Gado? Ou um empregado, um estagiário já fez tudo por você e consequentemente você (acha) que não tem mais nada e põe-se a pensar em bobagem?

Pois eu acho que é isso que os conselheiros da FIA fazem nesse meio tempo entre temporadas, a chamada off-season, adequadamente apelidada de silly season.
"Silly" até dizer chega. E olha que a gente diz, mas não adianta.
É nessas épocas que panacas de coração verde amarelo desbotado, passam um guache nas cores reiterando discursos risíveis pró pilotos brasileiros. Esse ano, não só o Massa recebe os tais comentários, mas o novato Nars entra na disputa pelo caneco de 2015. #AhamSei
É por esses meses, antes da nova temporada se consumar que se tem reviews de carros e dos testes livres, uns equivocados, outros tiros no escuro que podem até serem corretos com o fim do ano. Diretorias soltam uma bobagem aqui, cita ex-piloto ali, fala mal daquele acolá, lança carro futurista na web, mas está se roendo de nostalgia sem sentido... Alou, Ferrari, essa última foi para vocês! Até que a bobagem mais sem sentido é falar que Vettel se parece até fisicamente com Schumacher. 
O apocalipse da falta da razão. 


A silly season já foi mais quente. Apesar do Massa ter vindo num desses sites que publicam no twitter se vangloriar que fez melhor que o Kimi na Ferrari... É uma coisa fácil de se esperar vindo dele. 
Sobre isso, me dêem licença: Alguém, por favor, dê um prêmio para ele?! Dê de piloto do século, na FIA Gala 2015; ele é sumariamente merecedor de tal condecoração!!! Dois troféus: campeão vitalício, "desde 2008 fazendo a alegria dos torcedores de F1" e um de piloto do século "e toda eternidade, forever and ever". Isso deve bastar por enquanto. Depois pensamos em Nobel da Física e criamos Nobel da Estatística e da Lógica, porque ele também é visionário nessas áreas.


Coulthard também disse algo, que apesar de saber que a Ferrari pode ter um carro pior que 2014, acho exagerado o pensamento. Vi no twitter e não apurei a veracidade da frase, mas ele teria dito que se Vettel não superar Kimi essa temporada ele pode considerar como fim de carreira. 


A silly season está morna. Porém a FIA trata de tirar as barbas de molho: "Ah, não temos nada para fazer, vamos inventar uma bobagem, uma coisa ridícula, sem utilidade?" 
"Vamos", todos gritam. 
E a besteira vem: podem proibir a mudança de pintura de capacetes em meio a temporada - F1 helemts design chances tin-season to be banned... 


 PRA QUÊ??????

Essa frescurada da F1 ainda vai fazer essa ela desaparecer. E do jeito que está, não é complicado dar razão aos saudosistas da antiga categoria. 
Quanta mesquinharia, procurando chifre em cabeça de cavalo para falar "ah, não, não pode...!" #SantaPaciência


Hoje pouco tem feito para fazer valer a categoria. 

Sabem, nisso a NFL fica na off-season com os divertidos trocas de jogadores, comissão técnica, renovações de contrato e prisões e bafões dos mais safadinhos envolvidos. Dá aquela saudadinha fofa e você se pergunta: "Demora muito para agosto?"


E já que eu falava de capacete, acabo de ver no blog 10 jardas uns designs diferentes dos capacetes dos 32 times da liga. (Ver link aqui.) alguns ficaram lindões.
A NFL pode nem liberar para mudar, mas sejamos pragmáticos: nos dá a chance de brincar com os símbolos dos times, curtir o que gostamos, publicar, criar, comentar com os amigos, quase sem nenhum compromisso mais sério. 
Dica para a FIA: watch and learn!


Abraços afáveis!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

45

Começo da semana: 
"- E aí, onde você vai pular o carnaval?
- Vou pular da cama para o sofá, do sofá para a cama."

*silêncio*

Sexta-feira 13: 
"- E aí, já esquentando os tamborins?
- Tamborins uma ova!... Hoje é sexta-feira 13, e do mês de fevereiro..."

Para muitos foi e está sendo exatamente isso: começo da semana e os dois assuntos foram, - se não as chuvas, no nosso caso aqui da região - "onde passaríamos o carnaval", já que a cidade anda numa situação complicada com prefeitura, que nem anda pagando funcionários, que dirá fazer festa de carnaval! Muitos estão sem suas economias já. Gastaram muito ano passado e agora cortes de gastos aqui, aumentos acolá e, como brasileiro faz bem, agora arruma papos de Impeachment e tá tudo certo, numa boa. Ter pensado bem na hora de votar, ninguém quis né? Só achamos mais fácil defender um, ser partidário de outro e agora morremos abraçados todos, detestando o voto do outro e de bolsos vazios. É ou não é totalmente excelente? #sarcasm
E é até bom que aqui não aconteça carnaval. Porque gastar grana com esse evento se no fundo só o que gente colhe é sujeira nas ruas e badernas até altas horas da madruga? De muito essa cidade nem tradição não tem, e quando tem festas grandes é uns "sertanojos" metidos que vem aqui e saem falando mal da cidade. ¬¬'
E nesse clima carnavalesco geral, já conto com o caso de muitos estarem nos seus trabalhos agora só pensando nas festas dos 4 dias e indo até meia noite da quarta de cinzas, chegando com a cara mais amarrada e inchada de goró na quinta-feira levando e distribuindo coices pelo local de trabalho.
Depois disso, o discurso manjado de que "agora sim o Brasil começou o ano..." 
Filme cansativo e rotineiro esse hein?

"Você parece que detesta carnaval..."
Não, apenas sou indiferente. Tem ou não tem a programação de festas e desfiles, pouco me importa. Tem o feriado prolongado o que é bom quando tenho muito o que fazer e/ou chance de descansar. Não estou fazendo nada, então se eu pudesse, deixava dar o feriado aos que querem descanso e avisaria que não fizessem um mísero barulho perto da minha casa: uma nota de música ruim e eu já mandaria uma escolta na porta da casa da pessoa. Sim, porque barulho de festa de vizinho só mostra o quanto ele se acha superior ao resto da vizinhança impondo seu gosto sujo por sons que ele chama de música.

"É isso então, você detesta a música do carnaval!"
Sim, não vou mentir. Um sambinha de raiz deve ter lá sua diversão e em som moderado, talvez até seja compreensível. Mas pagode, música eletrônica - de cd pirata de DJ de quinta, sertanejo universitário, forró, axé e funk carioca pedem para serem estilos detestáveis.

O título me pede para concluir o post. Então me dá licença para explicar o "45" nesta véspera de carnaval.
Data: 13 de fevereiro de 1970. 
Hoje: 13 de fevereiro de 2015.
Quarenta e cinco anos desde a data de lançamento do primeiro álbum do Black Sabbath, homônimo que veio a ser lançado no dia 13 de Fevereiro de 1970. Este mesmo álbum continua ser considerado, por muitos, como um dos mais influentes e inovativos da história do rock, portanto uma data importante para quem é amante do estilo musical.

Com o álbum, eu perguntaria se não teria uma rebelião feia se tocássemos em altos decibéis - conforme essa galera festeira faz com suas péssimas músicas - nesse carnaval em casa... #ImaginaSó


Abraços afáveis e excelente sexta-feira!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

A F1 nesses tempos de offseason e testes

Mais por fora que bunda de índio, eu ainda não estou pensando em F1.
Algumas vezes vejo uma coisa ou outra no twitter, visito blogs amigos e me adéquo a algumas notícias, parciais de tempo dos testes, apresentações de carros, nascimentos de pimpolhos, desmanchos de noivado...
É fato que a temporada passada causou um estrago sem precedentes na motivação dessa que escreve esse humilde post, sem dúvida. Animação para temporada 2015? Talvez lá quando começar mesmo na Austrália. E olhe lá.

A F1 perdeu o gosto substancial. Basta fazer um mínimo teste: das duas vezes que meu pai me chamou para ver sobre a F1 na tv, no Globo Esporte/Esporte Espetacular, eu tive que ver e ouvir Marciana Becker falar dos dois pilotos brasileiros do grid. Domingo passado ela até entrevistou o "pouca telha" pigmeu e galã do Galvão. (Não definiram de qual Felipe falo? O primeiro é o Massa e o segundo o Nars).
Um saco.
E tende a piorar, a partir do momento que você lê os críticos de plantão, prevendo coisas infundadas. 
Vai ser outra temporada "boring" galera. Se pensarmos assim, pode até ser que as coisas melhorem afinal: "o que vier é lucro". 

Mas ontem, especificamente, eu me deparei com uma coisa mais intrigante: o grande lance da desmotivação em acompanhar o esporte é que ele perdeu a graça. Simplesmente. 
Os pilotos até tentam, mas ainda parece tão pouco. 


Ontem vi isso e de fato, eles se divertem. Abrem a porta do jardim de infância e brincam mesmo. 
"Ah, eles ganham um burro de uma nota preta, Manu". Sim. Mas eu - e tenho certeza que vocês também -, sabem e acreditam que quando a gente faz o que gosta, apesar dos sacrifícios, vale muito mais a pena do que aquilo que você faz, forçadamente. 

E a F1 perdeu essa diversão no seu cerne, e arrisco dizer em todo seu conteúdo. Pode até ser pela conta bancária, mas esses caras são competitivos, e quando não estão satisfeitos desistem não porque são fracassados, mas porque são orgulhosos (ou teimosamente corretos). Na hora lá da disputa, com as vezes dirigentes pé no saco, pistas nada desafiadoras, ou carros ruins até dizer chega, de onde tira-se motivação para botar sorriso no rosto de quem acompanha a categoria ou do fã? De onde tira-se vontade de abrir um portal qualquer de automobilismo na internet que fala da última etapa avisando já no título a posição final do piloto medíocre só poque ele é conterrâneo? Cadê, se não em um lugar bem perdido, aquele senso crítico de conseguir dizer que seu piloto favorito está uma marmota morta ou metido demais e optar por caras felizes e boa gente que nem Daniel Ricciardo?
Já viram ele no programa inglês TOP GEAR? (Ver aqui, tirem uns minutos, pois vale a pena!) Eu  vi e adorei. Achei que a F1 está mais do que na hora de arrumar caras menos moldados, figurinhas menos mimadas, e mentes mais abertas... Até porque mudar a estrutura dirigente dela, ou organização não vai. Ali o dinheiro berra tão alto que dói os ouvidos dos sensíveis e sensatos. Talvez caras mais despojados, menos duros, menos moldado, menos chatos,  motive continuar a acompanhar, já que esse esporte nos cativou tanto, que largar agora seria um desperdício. 
Como vem sendo essas temporadas, com essas corridas dispensáveis, essas picuinhas absurdas é bem complicado você levantar a bandeira de fã. E passa a ser menos prazeroso, ser um fã.

Que 2014 nunca mais se repita.
Amém.

Abraços afáveis!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Da série: É horrível, eu sei, mas eu gosto! - #2

Assistindo a filmes, fazendo uma mini maratona de filmes que estão concorrendo a Oscar ou outros que já estava interessada em saber se são bons ou não, parei para pensar naquelas coisas principais e cruciais para ter nos longas que me agrade 100% .
Eu não sou fã de filme romântico e nem terror e tenho como raros exemplos de suspense. Mas até assisto um ou outro destes, a não ser terror que minhas últimas experiências foram sustos e medos gratuitos. E ainda paguei para me sentir agoniada, então... Se puder evitar, no, thanks.
Sou dessas que dispensa um filme do Woody Allen, porque não tenho paciência para os filmes dele, por mais artísticos e aclamados pela crítica que sejam, por blockbusters com uns caras estourando de músculos e explosões. Se for filme de super herói com atores que eu gosto então, adiós, #partiucinema. Namorado comigo ficaria feliz: eu não ficaria naquela frescura de não pegar sessões com o Homem de Ferro, enquanto a mulherada quer ver um comédia romântica em cartaz. 

Mas, eu gosto de comédias. Eu só não tenho paciência com os American Pie da vida.
Certa vez, fui ao cinema com uma turma de amigos ver o tal do "Super Bad: É hoje!". Meus amigos rolaram de rir. Eu não abri um sorrisinho nenhuma mísera vez. Olhava o maldito relógio toda vez e fiquei pensando no sorvete que eu pedir depois que saísse da sala, antes de voltar para casa, porque olha... Que filme horroroso.
Nunca, em hipótese alguma, assisto a comédias no cinema. Foi a primeira e única. Acho dinheiro mal gasto *Manu Nonô Correia com Orgulho*. Explico o porque: a. no cinema sempre terá homens. E alguns homens quando começam a rir, não param. Não me lembro qual filme fui ver no cinema ano passado e passaram trailer de um filme brasileiro. Um animal do meu lado ria tão alto que não ouvi metade das piadas. A única que ouvi, era uma tão velha, mas tão velha que se brincar é do tempo que o Ari Toledo ainda contava as piadas dele nesses programas de auditório. O povo do cinema riu tanto, que se os trailers tivessem passado no fim do filme, o pessoal tinha feito o refrigerante todo nas calças e nos bancos. E isso me leva ao motivo b: quando riem tanto assim - e muitas vezes risadas forçadas ou de coisas sem graça - eu perco a vontade de rir junto. Não é que as coisas são boas, ou divertidas, é o pessoal que naquela escuridão quer fazer de um tudo para aparecer ou ri, mesmo que forçado, para forçar que tá divertido. Ai de você se sentar perto de adolescentes, então...
Meu motivo c é, se caso alugar o DVD, eu posso dar pause no conforto do meu lar e rir, sem perder a cena seguinte - o que acontece muito. E claro. Posso por legenda, e prestar atenção no que foi falado em inglês, para saber se traduziram mal ou não. 
Sim, sou chata nesse ponto, mas é melhor assim. Aí se for para gostar do filme, você gosta por completo.

O post da série nº 2 "É horrível, eu sei, mas eu gosto!" vai para um filme de comédia, destes que faz jus a frase. (O primeiro dessa série está neste link aqui, e foi uma música)


"As Branquelas" é tosco, mas é tosco, mas é tosco!.. 
Eu acho graça de algumas coisas, muitas por serem tão desastrosas que você acaba rindo. 
Há quem sempre guarda a frase "Ela vai ter uma ATP - Ataque de Pelanca", mas eu gosto de ficar irritada de mentira e dizer: "Segura meu poodle!"


Chega a ser vexatório, mas vá lá, é por isso que eu montei o post. Nem sempre a gente gosta das coisas mais "cult" dessa vida. :D


Rsrsrsrsrs... E aí, já assistiram?
Abraços afáveis a todos, e excelente começo de semana para nós!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

New England Patriots e Super Bowl 49

Com um jogão a temporada 2014 e playoffs 2015 da NFL teve seu fim no último domingo.
Desafortunadamente, deu New England Patriots.
Desafortunadamente, o Seattle Seahawks não atropelaram o time como fizeram com os Broncos ano passado.
Desafortunadamente, pelo lado afetivo, estou de coração partido e indeciso quanto aos futuro do time e do quarterback resolvi admirar.
E, desafortunadamente... agora para se acompanhar nova temporada só lá pelas bandas de agosto.
Se bem que já terminamos janeiro, então, 2015 está com cara de correr mais rápido que 2014. Tudo isso tendo isso um lado positivo - as coisas que você mais espera acontecerão sem crises de ansiedade, e claro, um lado negativo - piscou e você já está um ano mais velho, prazos de trabalhos a serem cumpridos gritando no seu ouvido e você desorientado mais que balança não calibrada.

Publiquei ontem no Twitter e publico aqui de novo, porque achei lindo as palavras iniciais de Aaron Rodgers ao receber o prêmio de MVP das mãos de Peyton Manning. "Qualidade" Achei mesmo que ele foi sincero e foi um pedido em nome de muitos presentes: "Você vai voltar essa temporada..." E todos esperamos que sim, Rodgers! \o/



Merecido MVP, merecidos prêmios para defensor e para novato do ano:





E eu e o Ron Groo apostamos com uma galera palpites dos jogos desde o primeiro playoff, Foi divertido, mas acabamos perdendo. A minha derrota vem respondida com a escolha de um avatar "tosco" como prêmio no Facebook:


Isso que dá crianças, perder apostas. Cuidado.
Mesmo assim: Já com saudades, NFL!

Abraços afáveis!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Super Bowl 49


Aproveitem que eu não faço postagem dia de domingo rsrsrsrsrs...
Enfim, hoje é dia de Super Bowl e apesar de não ter nenhum dos meus amadinhos times, em especial meu Broncos, fazer pouco caso do jogo agora não dá.

De A a Z se fala do jogo, pois afinal, a audiência para a NFL pelos brasileiros cresceu bastante. E como tudo que se fala demais por aqui, garante um grupo chato pra chuchu de metidos a especialistas ou críticos.
Ano passado meu Broncos foi para final como  Seahawks. Na segunda amanheci com fãs do Seattle brotando como ervas daninhas e um grupo de egoístas falando mal do esporte e menosprezando o evento (eu não vou no perfil desses seres falar mal das suas publicações infinitas sobre aquilo que gostam...). E ano retrasado, ainda teve gente que noticiou mais sobre o show do intervalo da Beyonce que o jogo... É brincadeira?! ¬¬'
Agora tenho certeza que até os críticos podem parar para ver o SB... "O marido da Gisele joga naquele time ali...", apontarão para a TV.  
"U-A-U" pra vocês!

Chega de papo furado. Com ou sem bolas murchas, é Seahawks @ Patriots hoje à noite. Eu acho que dá Seahawks. Mas é perfeitamente possível dar Patriots. 
Se eu pudesse, não votava em ninguém. Mas vou relaxar e esquecer mágoas e assistir ao bom evento. Ah, tem Katy Perry no intervalo... Não me importa, mesmo.
Terá Lenny Kravitz de convidado e pelo menos, é melhor. Vão acabar tocando "American Woman". Que clichê! o.O
E parece que tem um convidado surpresa... É para ter medo?

Que venha um bom jogo. Desejo a todos um excelente domingo!
Abraços mega afáveis!

PS: Aaron Rodgers levou o prêmio de MVP da temporada - seu segundo na carreira.
Quem será o MVP do Super Bowl? Arriscam um palpite?