sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Carros da F1 para 2015 - parte 1

Com aquela boa empolgação (#sóquenão) decidi já fazer os posts com uma foto de cada carro que já apareceu nos sites especializados e mídias sociais. Para quem acompanha F1 como eu, já sabe as formas e cores que as equipes escolheram e enfim, pouco dá para falar sobre, até mesmo quando os tais carros forem para a pista nos testes de pré temporada.
Ainda não surgiu nenhum carro muito bonito. A grande vantagem é que por enquanto nenhum bico feio e inadequado para crianças apareceu. Mas não significa que melhoraram nesse ponto. Há esquisitices e apelidos depreciativos novamente.
Como disse e acrescento: não há empolgação, muito menos surpresas, que dirá ansiedade para que essa temporada comece logo. Mas destacarei além de carros, fatos noticiados que eu tenho que protestar ou comentar antes que fique ultrapassado demais para criar descontentamentos.

O primeiro carro que apareceu para nós foi o da equipe Williams. As brincadeiras giraram em torno dos fãs da equipe de que Frank e sua trupe não mudaria de jeito nenhum a pintura bonita do carro. E pelo visto, não foi só uma piada, e sim um fato consumado. Eis o FW37:


O que mais me deu vontade de largar de vez essa categoria é que com a Williams apresentando um carro primeiro, todas as manchetes do dia aqui em "terras brasilis" foram "anagramas" que usavam as seguintes palavras: Carro - do - Massa - é - apresentado - primeiro. Em alguns casos usaram também "Felipe", "2015", "temporada" e "Williams", mas em nenhuma dessa frases teve "Valtteri" ou "Bottas".
Não sabia que a Williams ia correr só com um piloto...  



Por essa razão - e confesso que não quis perder meu tempo, depois de clicar em 3 manchetes brasileiras a respeito da imagem do novo carro da Williams - eu acabei sem saber a informação de quem é o piloto de testes deles, já que Nars foi cantar em outro palco. Quem souber, grita o nome aí, beleza?

Mais um carro meio prateado na parada. Dessa vez é a Force India. Gostava mais da pintura do ano passado. Sou uma besta fã da F1: gosto de carros que explorem o preto nas cores deles. E como eu odeio esse tanto de propaganda: Outdoor de rodas. ¬¬' O tom prateado vai fazer muito narrador gagá e tosco não fazer a menor ideia de quem está nos boxes ou quem saiu da pista, até porque não tem brasileiro nos carros com tons prata e aí eles não decoram nem por decreto a cor do capacete. Eis o VJM08:


Bonito. Até agora o mais ajeitadinho. A Force India mantém seus pilotos da temporada anterior: o bom - mas desprezado - Nico Hulkenberg e o meio descompassado, Sérgio Pérez. 
Na última quartá-feira, a Force India indicou ter optado por não participar dos testes de abertura em Jerez, em fevereiro (dos dias 1 a 4), pois estão trabalhando no carro dessa temporada. Eles iriam para os testes com o carro de 2014, mas esse também será utilizado pela equipe de mecânicos para análise na formulação completa do VJM08. Justo. Devem dar as caras nos treinos de Barcelona (dias 19 a 22 de fevereiro e dias 26 a 1º de março).

Na seqüência, a equipe que está naquela de fazer um senhor evento das suas coisas: a McLaren. Esta, vem para 2015 com o retorno de Fernando Alonso e novos motores; agora motores Honda. A aposta é voltarem a vencer a qualquer custo. Mas por incrível que pareça, não usarão aquela pintura que todos esperavam que fosse. O MP4-30:


Meio apático não? Mas o que importa de fato é que esses infelizes funcionem bem, sejam carros de corrida. O mesmo se aplica para aquela equipe lá, a Ferrari. De que adianta contratar campeões mundiais talentosos, se eles não correm sozinhos? Não é?
A McLaren decidiu recentemente que manteria Jenson Button como companheiro de Alonso e o inglês é já experiente de casa e de Honda (venceu 2009 por conta deste motor). Com isso, desceram Kevin Magnussen à piloto de testes. O garoto não curti,u mas deve ter em mente que é jovem ainda e tem muita estrada para percorrer.

Próximo, a Sauber! Antes mesmo de saber sobre o C34 já tinhamos uma "novidade" sobre a equipe Sauber: que a coisa não estava boa para eles e  contariam com os investimentos de seus pilotos para o desenvolvimento do carro. Novidade não? 


Dois pilotos pagantes: Marcus Ericsson e Felipe Nars. Ano passado quando esse último talzinho assinou com a equipe, o nosso amado Galvão Bueno encheu a bola não só dele, como da equipe também. Foi como se Nars tivesse ganhado um Nobel, um Oscar e uma faixa de Mister Universo (sim, porque no tom do puxa-saquismo do pseudo narrador ele era inteligente, gente fina e bonito... ¬¬').
Na realidade ele tinha assinado com a Sauber, uma equipe ruim das canelas e agora ruim das pernas. Já era de imaginar que boa coisa não viria. Foto do C34? É pra já:


Olha que primor, que obra prima! #SarcasmModeOn
Feio. Pintura de desenho infantil. Mas vá lá. Que que eu tenho com isso?!
Mas o repeteco foi sutil, mas houve: As palavras da manchete eram: Sauber, brasileiro, Felipe Nars e carro. 
Não é pagante, é patrocinado. Hum-hum, sei. Eu vejo bem a diferença, mas na prática é bem diferente: quando é piloto de fora é pagante, quando é piloto brasileiro, é patrocinado.
Ai, ai, ai, ai... Banco do Brasil...


E a última, até agora, foi a apresentação da Ferrari, hoje. O SF15-T:


É isso aí. O de sempre, vermelho, apoteose, muita pompa e no fim, decepção. Essa coisa aí que vão usar para tentar conseguir ficar entre os 10 primeiros na temporada 2015. Agora é chuva de acusações pelos anos perdidos com Alonso, exaltação dos pilotos, até eles começarem a patinar na pista com um carro aquém dos talento deles. Já vi esse filme e já vi com os mesmos atores e agora, temos as novas contratações. E pelas caras do Kimi nas fotos da apresentação oficial do "carro" não estava nada legal. Tudo bem que ele não é do tipo que passa nenhuma emoção, mas né? A gente já sabe que vem bomba aí. Não precisa gastar neurônio com isso.
Ah, os pilotos: Mantém Kimi, recebem Sebastian Vettel (coitado...), tem Esteban Gutierrez como piloto de testes e Jean Eric Vergne para ocupar o posto do simulador. 

Empolgação tendendo a zero. Mas vamos indo. Domingo acaba a NFL e apesar do Super Bowl ruim para uma torcedora do Broncos, vou ficar órfã desses jogos empolgantes até meados de agosto. Ô tristeza! #jácomsaudades

Abraços afáveis!

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Dicas de Leitura: Sherlock Holmes

"O cadáver de um homem, nenhuma razão para o crime. É a primeira investigação de Sherlock Holmes, que fareja o assassino como um 'cão de caça'. Lamentava-se de que “não há mais crimes nem criminosos nos nossos dias”, quando, nesse instante, recebe uma carta a pedir a sua ajuda — o cadáver de um homem foi encontrado numa casa desabitada, mas não há qualquer indício de roubo ou da natureza da morte. Sherlock Holmes não resiste ao apelo, mas sabe que o mérito irá sempre para a Polícia."
Essa é a sinopse desse livro que eu ganhei no Natal passado de uma amiga, indicando, na dedicatória, que mais um autor inglês fizesse minha alegria com sua obra em mãos.
Li esse livro em 3 dias, enquanto ficava em salas de espera. Essa é a grande vantagem dos contos e livros do Sir Arthur Conan Doyle: ele nos prende até o fim com a resolução dos casos encabeçados pelo enigmático e fascinante Sherlock Holmes.
Livros - como esse é o caso - para mim são isso: personagens interessantes. O grande ápice dos meus livros favoritos são pelo menos uma identificação com algum dos personagens. Não identificação com minha vida ou personalidade. Nem sempre. As vezes só por identificar uma construção interessante por parte do autor para um ou mais personagens. Ultimamente, o personagem nem é tão interessante assim, pelo viés do complexo - como o caso de Gollum em "O Senhor dos Anéis" - ou fascinante - como o caso de Holmes.  O simples fato de saber contar uma história (quando o personagem é o narrador) já é o suficiente. 
No caso de "Um Estudo em Vermelho" e outros contos de Sir Doyle é fácil: Holmes é fascinante e intrigante pelo olhar de Dr. Watson que, de certa forma, é Doyle. 

Uma coisa que me deixou bem triste com os livros recentes é a falta de profundidade de personagens de livros. Personagens bobinhas, mulheres que nem tenho forças para analisar e escrever aqui. (Até porque se eu for apontando os defeitos de alguns livros aqui, vai ter gente que vai ficar chateada comigo...) 

Rubem Alves disse certa vez em um de seus livros que dar livros de presente é o melhor presente possível. É uma forma de fazer à ela um elogio, um agrado à sua inteligência.
De uns tempos para cá, tenho amado ganhar livros. Mais ainda, em presentear. Depois que Rubem deixou isso claro em uma das suas obras, não tem mais outra manifestação mais agradável para dizer que gosto de alguém quando for comprar um presente.
Mas, não é tudo mil maravilhas. No caso desse belo presente da minha amiga, ela teve de usar de uma artimanha bem sutil para saber se poderia me dar esse exemplar. Perguntou se quando eu tinha feito uma disciplina específica no curso de História - da qual me formei no fim de 2013 - a professora da tal disciplina tinha sugerido a leitura desse livro. Disse que não e que na realidade na ementa antiga constava apenas "As Aventuras de Sherlock Holmes", um livro com 12 contos/crimes relatados pelo Dr. Watson sobre as resoluções de Holmes. Para confirmar, ela perguntou se eu tinha o "Um Estudo em Vermelho". Neguei e ela ficou com uma cara de pensativa, alegando que queria ler... Sugeri o que eu tinha e ela disse que pegaria emprestado depois. Dez dias depois ele estava na minha casa com a dedicatória de presente. Nem havia desconfiado, mas achei ótimo. Fiquei muito feliz.
Esse é um dos pontos de se presentear com livros: você pode correr sério risco de presentear com algo que a pessoa já tenha.

Por questão de ocasião, decidi presenteá-la depois da defesa de monografia, com um livro de algum autor que ela gostasse. Escolhi Ítalo Calvino. Como nunca havia lido nada dele, eu sabia que não poderia buscar falar sobre, com ela pois desconfiaria. Fui falar com o namorado dela e ele mesmo (que trabalha numa livraria) separou um ótimo que andava cobiçando. Juntei o útil ao desejável.  

Uma amiga minha que fez curso de Letras, ama bibliotecas e cheiro de livros. Por consequência do curso, tem livros de literatura brasileira e estrangeira. Gostando ou não gostando deles, leu muitos livros na vida. Consequentemente, tem os preferidos. Jamais conseguiria dar livros para ela se não perguntasse antes qual ela quer e sair para comprar. O momento da surpresa iria pro beleléu, mas tenho certeza que ela ficaria feliz com o presente. Na dúvida, só posso perguntar diretamente ou esperar pelo comentário.

Agora tem gente complicada de presentear. Tem uma conhecida outro dia que também se formou em Letras e aí conversando sobre vários livros ela o tempo todo dizia: "não, esse não li". 
Duvido que tenha ido "Os Lusíadas", sei lá, ou algo do Machado de Assis. Não leu Lewis Caroll e nem Fernando Pessoa. Cervantes? Nada... Jane Austen? Leu, mas não lembra direito... Que curso foi esse, só Deus sabe. Não tem publicações na área, nem nada.
Mas diz que gosta de livros. E eu pergunto: será? Os gostos da conversa foram de gosto duvidoso. Nem chamaria de livros...

Há os que sempre que te vê com livros, lamenta que não tem tempo para ler (tempo é a gente que faz - larga esse whatsapp que você tem tempo para ler...), ou conta sobre o livro que está lendo na hora que você está concentrada no seu (e por consequência não é fã de livros porque se não desconfiaria que quem lê, quer sossego nesse momento). O pior é aquele que diz que é leitor voraz e joga no assunto citando os favoritos como aqueles livros de auto-ajuda. Maior gasto de papel no mundo pra mim são esses livros. 
Tudo é uma questão de gosto, mas a galera do romance fica sempre na mesma. Agora que tem gente fazendo livros que nem nasce erva daninha, fico pensando se não cansam das mesmas coisas, nos mesmo jeitos. Eu cansei dos meus livros de mestrado e estou lendo tudo que não tem nada ver com minha área só para aliviar a mente. Até livro de aventura infantil estou lendo. Faço o processo simples: um sério, como contos ou romance, um de aventura, um infantil e uma releitura. Nada técnico, por favor. E nada repetitivo. Li dois da Jane Austen seguidos e vou deixar o terceiro para depois, porque se não, fica muito arrastado para mim, já que é tudo no mesmo estilo.

Enfim, o post é para dar a dica de "Um Estudo em Vermelho" e perguntar duas coisas: se já leram algo de Sir Conan Doyle e o que estão lendo no momento.
Eu acabei de ler dois livros, nos dias que se passaram - no fim da semana passada "Variações sobre o prazer" de Rubem Alves e " O Oceano no Fim do Caminho" de Neil Gaiman.

Abraços afáveis!

PS: sei que há já notícias da F1 rolando, como carros apresentados... Mas vou deixar acumular as fotos e informações para ver se crio ânimo para falar dessa temporada que está prestes a se iniciar. Depois de 2014, nada é ruim o suficiente que não possa ficar pior...

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Bolas murchas?

Está rolando uma investigação sobre o uso de bolas murchas no jogo Colts @ Patriots. 
Os haters do Patriots entoam gritos "Once a cheater, always a cheater" - o literal uma vez trapaceiros, sempre trapaceiros. Os defensores do time achama que é puro "mimimimi".
E esse ato de choradeira ocorre em qualquer esporte mesmo. 
E na boa? Nada me surpreende. 

Loucuras, insanidades e mimimis, "bolas murchas" é tema de piada suja e baixo nível. Então deixa quieto, rsrsrsrsrsrs... 
Mas posso, dar uma zuada?



A família Manning manda lembranças, Brady. Sorte dele também que o Giants não estão no Super Bowl. 
Faltam 10 dias para o evento, galera!

E eu sei que já rolaram fotos de carros da nova temporada da F1 então logo venho com um apanhado geral sobre ela porque, afinal, a gente xinga a bichinha, mas não deixa de acompanhar porque o vício é enorme!

Bom dia de Thor a todos! 
Abraços afáveis!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Finais de conferência, acertos e erros

Antes tarde do que mais tarde, cá estou com minhas impressões sobre os finais de conferência.
Relativamente foi bom assistir aos jogos sem a pressão da torcida pelo meu time. 
Porém, há adendos de sensações e sentimentos a serem feitos:

Primeiro: depender de uma tv aberta que promete e não cumpre é osso. Eu assisto os jogos pelo Esporte Interativo. É um rolo danado para ter tv a cabo aqui na minha rua e na cidade há agora outro agravante: uma empresa que presta serviços aqui tem os famosos incompetentes trabalhando para eles. Os canais funcionam, mas é impossível fazer gravações. Ninguém sabe gravar as coisas em pen drive, por exemplo, direto do aparelho, nem mesmo os técnicos que instalam. Ou seja, se vc estiver morto de sono, tem uma reunião, aula ou alguma outra coisa... Perde o programa.  
Além disso, aqui é assinar sky ou outras é fazer contrato com a ação vegetativa. Se tivermos uma tv paga, adeus vida social (que já é ínfima) e boa saúde mental dos habitantes. Ficaremos que nem os personagens humanos do filme Wall E.


Mas voltando ao Esporte Interativo, a situação foi a seguinte: O jogo Packers @ Seahawks estava marcado às 18hs, inclusive na programação no site do canal. De repente, tinha um lixo de jogo com o Flamengo passando, com direito a entrevista demorada, comissão jornalística à postos no campo. Aí apareceu o Zico, e eles decidiram puxar saco do véio e detonou nosso jogo. Ficou naquele joguinho chumbrega, sem um mísero gol, arrastado, tosco... André Henning (que eu gostava mesmo, apesar da mania de puxar saco de outro bocó chamado Neymar) ficou o tempo todo dizendo que estava aberto o EI plus. Aberto estava era minha boca para xingar, isso sim!
Consegui um link e assisti uma hora de jogo via internet, que por um milagre divino, funcionava relativamente bem.
A situação com o canal tende a piorar: esse ano tem a Liga dos Campeões. É muito jogo para um canal passar. Nossa NFL vai pro saco, galera! Se não sabem coordenar essas coisas agora, porque a cada ano é uma palhaçada nova envolvendo esse futebol chatonildo de primeira classe (ora é campeonato francês, ora é copa do nordeste...), imagina agora com direitos de transmissão desse evento, sozinhos?

Enfim, a coisa está feia e bem feia, não só por isso. Desde o começo do ano o assunto comentando no Yahoo envolve a NFL. Essa é a desvantagem da popularidade do esporte no nosso país. A vantagem: podemos encontrar artigos dos times com mais facilidade, começar a companhar a liga... Porém... Brasileiro tem o dom de estragar  as coisas. Exagero? Entre em qualquer grupo de NFL no Facebook e tenha úlceras por algumas pataquadas que você vai ler: desde comparações bizarras, até torcedores do Seahawks modinha. Criatura nem sabe escrever o nome do QB deles e já vem com comentários dizendo que o time é "foda". Aflora, aflora e só para ficar um pouco mais chato, aflora mais um pouco comparando jogadas e pessoas do time ao futebol convencional ou Pelé. Fora a turma que está na rua usando bonés de aba reta do Raiders. É a mesma cultura das camisetas do Ramones e do Rolling Stones. Não fazem a menos ideia do que estão usando, "achei a marca legal", responderão certamente.

Mas chega. Vamos falar dos jogos. 
Até que não estou tão péssima nas minhas apostas, ano passado errei bem mais palpites e nada me surpreendeu tanto quanto a derrota do Broncos para o Colts (que na realidade teve mais carga sentimental que qualquer outra coisa).

Quase acertei que o Packers ia para SB. E olha, sem medo de ser feliz, antes daquele quarto tempo, antes dos 3:52 finais, com os cabeças de queijo vencendo por 19 a 7 eu estava bem satisfeita com o fato de ter acertado a aposta e a torcida, ainda mais que Seahawks eram favoritos. E mesmo que aqueles 3:52 tenham sido suficientes para empatarem e virarem o jogo na prorrogação o Seahawks garantiu agora mais feridas nos corações dos outros que se imaginava. Jogo ruim deles, viu? E de repente, Marshawn Lynch aparece quase dançando na beirada do campo, como se estivesse nem aí e vem um touchdown (dele, por sinal), um fake filed gol e estamos empatados e a prorrogação foi mero acaso porque piscou e já estava anotado outro TD e muito choro. 
Se não tivesse visto o jogo e apenas soubesse o placar, teria dito: "ah ok, o Seahawks venceu apertado mas venceu porque tem defesa, tem isso, tem aquilo, tem torcida". Mas não. Só entrou no campo de fato faltando pouco menos de 5 minutos para o fim e resolveu tudo. . Se a vida fosse assim... Mas na realidade ela é assim. No meu caso, eu sou quase sempre o Packers. Faço tudo e no final comemoro com um sorvete, vem alguém vestido de sol para derreter a sobremesa...
O Packers merecia. Rodgers merecia. Broncos Nation e Packers Nation unidos em um só sofrimento em dois anos diferentes pelos mesmos destruidores. Agora galera, Seahawks encara o Patriots.

Posso? Devo agradecer o Patriots por mostrar que o Colts é um time muito "overrated". Mas parece que há um lance de uso de bolas "murchas" (se é que dá para traduzir deflated, dessa forma)  no jogo e só posso dizer uma coisa: não me interessa mais. Parece que sentiram que a bola estava assim quando Brady foi interceptado.
Brady continua sendo agraciado como mito, o pessoal ama o headcoach Belichick... Não há provas de que o time colocou as ditas "alteradas" de propósito. Na real, o Colts não perdeu por isso, perdeu porque finalmente pegou um time inteiro. E nem estava tão fácil assim, afinal nos dois primeiros quartos, Gronkowski dropou bolas fáceis ou Brady mandou bolas tortas para ele.  

Só sei que esse ano teve lances muito discutíveis, assuntos suspeitos... Bonito é que nada aconteceu com meu time. Fico feliz em saber isso.



Acertei então um de dois jogos. Quase acertei dois, o que tecnicamente estou bem, pelo menos não estou sendo pega de surpresa nos fins deles...
Agora vem o ProBowl e um monte de gente boa nem vai das as caras, por lesão ou porque estão no SB. Sensação de jogo furado? ...

Comentem aí!
Abraços afáveis!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Apostas do Championship Game

Livre (infelizmente) das amarras da torcida de coração eis meu post de apostas das finais de conferência da NFL que acontecem no dia 18, domingão.

Esses jogos são simples. Do fim de semana último, aconteceu o round de divisão que eram 4 times da AFC e 4 da NFC disputando duas vagas para a final de conferência. Da AFC salvaram-se o New England Patriots e o Indianapolis Colts e da NFC, o Seattle Seahawks e o Green Bay Packers.
Para a montagem dos jogos é preciso lembrar dos seeds de classificação para os playoffs: o Patriots se classificaram em seed 1, o melhor time da AFC.  No divisional round, se vencessem o Baltimore Ravens, receberiam o vencedor do jogo Colts x Broncos, em casa. Com a derrota do Broncos para o Colts, os azuis e brancos camaradas da ferradura vão enfrentar o Patriots em Foxborough.
O mesmo acontece na NFC. Se o Seahawks, que classificou-se com seed 1, passasse do Panthers, receberia (como receberá) o vencedor do confronto Cowboys x Packers em Seattle. Os cabeças de queijo venceram e agora enfrentam o forte Seahawks com aquela torcida cabulosa.

Coincidência mais que coincidência (e para muitos apenas uma bobagem), os times que estão na finais de conferência são todos guiados por quarterbacks número 12. Menos Russell Wilson certo - porém ele tem um forte aliado camisa 12 que é a torcida - e se contarmos, 1+2 = 3. Eis o 3 de Wilson.

As minhas apostas para os jogos serão talvez um pouco confusas e meio sem sentido, mas vou fazer o meu melhor para que entendam. 

Final AFC


Numa dessas entrevistas que o Peyton Manning deu a David Letterman, o apresentador foi enfático em dizer que Peyton colocou Indianapolis no mapa (em termos esportivos). Aí vem um menino novo e em 3 anos de casa consegue o terceiro* SB do time? No way, José! *Colts tem um de 1970 como Baltimore Colts e o garantido por Peyton em 2007.
Podem me chamar de doida, afinal vou torcer para o Patriots, a favor de Brady, o cara que todo mundo fica naquela chatura de comparação com o Peyton, mas verdade seja dita: mais ou menos um SB na conta do tio Brady aí, não vai fazer diferença para os chatonildos de plantão ficarem nas comparações sem sentido. Manning é o cara dos números, dos recordes e Brady é o cara dos jogos, das vitórias. Tem pouco tempo pro Peyton reverter esse aspecto (e é capaz que nem volte a jogar esse ano, dada as especulações da mídia especializada), então, não muda. Quando uma galera enfia uma coisa na cabeça, meu!! É osso duro de roer fazer mudar de ideia. ¬¬'
Vou não só torcer, como apostar no Patriots. Entendo que o jogo só está ganho quando termina, mas li que o pior rival que o Patriots pudesse encarar nesses playoffs era o Ravens e eis que passaram pelo time de forma lutadora e de igual para igual. O Colts até agora pegou times estranhos: um desfalcado e apático Bengals e um subitamente problemático e lesionado Broncos. Não acho que são páreo ao Patriots. Achava que o Ravens era, mas dado o jogo o Pats no último sábado, o Colts terá seu carimbo de volta pra casa no fim do jogo. 
Assim espero... "Orelhou", Mr. Tom Brady?!

Final NFC


Aqui a coisa fica mais complicada. Aaron Rodgers está com uma lesão - não muito grave, mas que prejudica seu desempenho - no pé esquerdo. Esse foi fator pelo jogo mais pressionado contra o Cowboys e vai ser fator preponderante contra o Seahawks. No jogo contra o Cowboys, o Packers contava com o climão positivo (porém frio) do Lambeau Field. Agora, além da lesão de Rodgers, eles contam com a luta de jogar com aquela chata trupe torcedora de Seattle. Fora que nos últimos jogos o Seahawks tem feito por merecer suas vitórias, não foram exatamente perfeitos em tudo, mas estão com tudo. 
Euzinha, vou torcer e apostar que Rodgers vai criar uma força descomunal e calar o estádio em Seattle. Se o ataque funcionar, o combustível será dado à defesa do Packers para parar também o jogo de Wilson. 
Mas o favorito é Seahawks, em casa e eles vão devidamente bem. Coordenados, se forem para o SB 49, mesmo com a derrota para boa parte da mesma trupe no SB passado, não ficarei revoltada. Prefiro o Packers sim porque confio no Aaron "relax" Rodgers, mas esse é um chute daqueles bem arriscadinhos, tenho plena consciência disso.

As combinações: 
* Patriots e Packers é razoavelmente agradável. (Melhor ainda com vitória do Packers)
* Patriots e Seahawks é meio avesso aos meus sentimentos, mas ok. 
* Packers e Colts e eu sou Packers desde que nasci. 
* Colts e Seahawks eu espero que os "gaviões do mar" (O.O) atropelem, que nem fizeram no fatídico fevereiro de 2014 e fico "gradecida", apesar dos pesares...

E vcs? Mandam o quê?

Abraços afáveis, excelente fim de semana a todos e excelente jogo a quem vai acompanhar. \o/

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Fotos dos Playoffs

Salvei umas fotos que me deram pensamentos maliciosos - muitos já são por si só cliques maliciosos  - dos jogos dos playoffs e pensei: "porque não brincar um pouco com elas no blog, que nem faço com a F1?"
A coisa está tão esquisita com meu time, que para botar um sorrisinho na cara, pode ser revigorante aprontar uma dessas. Conto com vcs para incrementar com algum comentário. Preparadinhos?


Essa foto é do começo do mês Cam Newton em uma coletiva. 
Que que isso, jovem? 


E é uma calça que a gente chama de "skinny" (com a barra apertadinha no tornozelo...) mais um sapatinho/sapatilha sem meia? 
The Real Superman não usaria isso.
Pensando bem, o cara usa uma cueca sob a calça então...


***

Eis momentos em que a NFL pode ser divertidíssima, na perspectiva "para além do jogo". 


Dica a longo prazo para os cuidadores dos uniformes do Pats: troquem o elástico das calças do Gronkowski porque em jogos passados eu temia que isso estivesse a beira de acontecer, e bem, aconteceu nesse fim de semana, como podem ver. 
Olhem bem e dividam esse sofrimento comigo:


Quem assiste Esporte Interativo sabe do que estou falando: eles não entram de comercial, então ficam repetindo umas cenas dos jogos quando acontecem pausas. Essa cena acima foi repetida algumas vezes, na dose certa para garantir pesadelos.


Furem.
Meus.
Olhos.

***

Essa cena foi hi-lá-ria: Mr. Brady nervosito!! E pensar que só o Philip Rivers era chiliquento... 


A treta nada mais foi que Brady foi encurralado depois de um sack e sopitou mais ainda porque tentou levantar, não teve espaço e caiu de novo e aí já levantou gritando e encarando até o vento. 
Ri muito, obrigada. :D
O juiz na hora deu o jeito com um singela frase adaptada ao indivíduo: "Senta lá, Tom".


***

Ó o Julian "Lenhador" Edelman. (Lenhador porque embaixo daquele capacete tem uma barba digna dos profissionais da extração de madeira).
Num único lance preciso, fez cosplay de Sérgio Malandro... 


E saiu fazendo piruetas com o amiguinho Amendola (cujo o nome me lembra amêndoas, e por isso chamo ele de Peanuts - amendoim em inglês - desde sempre, porque nunca lembrei que o nome da criatura era "Amendola"...)

Garappolo - reserva do Brady - viu a pirueta e ensaiou um pas-de-deux.


***

Isso que eu chamo de lanchinho. 
Um quilo e meio, jovem? Não ia ter desculpa se eu não engordasse se tivesse isso de dieta. #partiuLambeauField


***


Antonio Ramiro rende sorrisos apenas pelo nome. Vem à cabeça um senhor barrigudinho e bigodudo com sombreiro e solando num violão mexicano. Usem a imaginação, um programa de late show musical e o anúncio do apresentador: "Com vocês, Antonio Ramiro e seus Mariachis"... 



Capitaram? 
Mas voltando a pose, que rendeu risos e um comentário sonoro das companhias do jogo semelhante ao "huuuuuum..."
Logo, ninguém perdeu a estribeiras e já brincaram que essa poderia facilmente a capa da Swin suits da Sports Illustrated. Quem compraria levanta a mão?!


***


Se você, assim como eu, pensou na hashtag #medo, estamos juntos. 


Luck foi o meu carrasco nesse fim de semana, mas desde que tomei conhecimento dessa cara sexy não posso deixar de associar ele com a figura de algum ator que tem chances de ser protagonista de filme de terror americano com o papel de psicopata. Ou seja, enfrentá-lo no fim de semana e ainda perder para ele, rendeu tantos pesadelos quanto o cofr(inho) do Gronk no sábado.
Furem.
Meus.
Olhos.


***


Único momento em que pude dar uma risadinha. 
C.J. Anderson querendo segurar Orlando Franklin assim foi "pácabá"...


Comentem aí! 
Abraços afáveis!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Pós derrota (apostas dos fim de semana)

Logo entenderão o porque dessa foto de cachorro aqui. Foi com essa cara que fiquei boa parte do jogo de ontem. entre Colts e Broncos. Decepcionante é a palavra. 
Mas entenderão melhor a foto, quando eu terminar.
Falamos dos jogos menos doloridos para os mais complicados:

Ravens @ Patriots foi o primeiro da rodada. Excelente jogo dos dois times, o melhor  que assisti no fim de semana, e o mais empolgante.
Disse que torceria para o Ravens. Torci e não fiquei tão frustrada; os corvos jogaram muito bem, mas desafortunadamente, voltaram para casa. Com placar 31 a 35, o Patriots começou abrindo muito a defesa o que foi bem regido e aproveitado pelo ataque de Flacco. Como disse no post anterior eu não sou dessas que acha o Brady "o mito". Já li comentários que ele não é lá esse tipo de pessoa amável e perfeita que pintam não, mas vá lá, o cara jogou relativamente bem. Dá margem depois para chamarem e tatuarem "MITO" na testa dele, um jogo desses. Porém, todavia, entretanto, no entanto (fazendo uso de todas elas, para não restar dúvidas), o nome do jogo não foi dele, nem de Gronkowski - que até teve seu brilho de melhor tight end da liga, mesmo que ofuscado, mas não foi tão crucial quanto Edelman e Amendola. 
Julian Edelman já foi quarterback no high school. Até, minha irmã que é torcedora do Pats, me mostrou um vídeo de Edelman onde a entrevista teve perguntas em torno da época em que ele jogava nessa posição. Uma delas era se ele - amigo de Brady - dava dicas para o companheiro sobre como correr com a bola a estilo semelhante a Luck, Kaepernick, Wilson... Ele dizia que não, que na real queria dar uns pitacos mas deixou a entender que Brady não era muito aberto a isso, numa postura talvez (interpretação minha) autoritária do jogador. A gente só para de aprender, quando está a sete palmos, vale lembrar...
Aquela jogada, dele, com lançamento para Amendola que resultou um limpo e perfeito TD muito provavelmente não foi ensaiado exaustivamente. Foi muito mérito de Edelman e da ligação com Amendola, que estava particularmente bem nesse jogo. (Ver o lance aqui) E certamente sugestão do wide receiver ao companheiro Brady. Sorte que houve confiança do QB para o lance que foi sutil mas decisivo.
Depois dessa galera, posso falar o que for, mas o Pats fez aquilo que eu adoraria que meu time tivesse feito ontem... ¬¬'

Seguindo adiante, o jogo Panthers @ Seahawks era o o jogo mais simples de apostar. No começo não foi muito fácil para o Wilson e sua trupe passar pela defesa do Panthers, mas depois as coisas se alargaram e um dos times mais arrumados no quesito defesa + ataque está na final de conferência com altíssimas chances de serem os protagonistas do Super Bowl 49 novamente, se não, bicampeões. Placar final do jogo 17 a 31.

Assim, dois finalistas: Ambos com Seed 1, o Patriots receberia o vencedor de Colts @ Broncos para a final da AFC e o Seahawks receberia o vencedor de Cowboys @ Packers na final NFC.

Domingo amanheceu particularmente quente aqui mas lá, tínhamos o Ice Bowl 2. A cidade de Green Bay é particularmente fria e o estádio, descoberto. O frio seria um adversário a mais, porém não pareceu ser difícil de enfrentar pelos times em campo. Final de jogo 21 @26. 
Os Cowboys jogaram melhor do que contra o Lions, mas dessa vez, as zebrinhas não facilitaram suas jogadas e chances. Inclusive um lance polêmico deixou de vez a marca da decisão dos árbitros para esses jogos. Se Dez Bryant tinha ou não posse da bola, agora já era. De certa forma, toda a choradeira do jogo contra o Lions se resolveu nessa, mesmo que seja discutível. Reitero: o Cowboys levando vantagem de certas marcações de arbitragem não era de ontem. Eu que não tenho memória eidética para dizer em quais momentos já via acontecer. [Ah, e o Colts também. Temporada passada os zebras passaram a mão em um dos encontros com Houston Texans (e ontem também, os zebras não marcaram a favor do Broncos porque o cara do Colts ficou desacordado com a pancada... Não são marcações polêmicas, são regras passíveis de interpretação. Uma hora vai errar mesmo...)]
Eu estava, sinceramente, já aceitando a ida do Cowboys para a final, mas fato é que mesmo mancando e dando pulinhos desagradáveis no campo, Aaron Rodgers foi até a final da conferência e se cabe dizer, ainda acho que deve ser MVP. E se ele não for que seja J.J. Watt, mesmo que não tenha ido aos playoffs. Não tem outra opção.

O último jogo foi sofrido, principalmente para mim. Como torcedora do Broncos é mais que complicado ver os jogos como os das quais passamos no ano passado e ontem. O Super Bowl 48 foi terrível, mas apesar de tudo até que Peyton tentou colocar as coisas nos eixos naquele fevereiro de 2014. Dessa vez, nem Peyton pode dizer que tentou o seu melhor. Admitiu que jogou mal. Foi decepcionante ver o jogo dele ontem. Não que seja a culpa inteiramente dele, mas não foi o Peyton que me fez escolher o Broncos como time, nem de longe. 
Há indícios de que a comissão técnica do Broncos vá mudar (acho bom, John Fox tem sua parcela de culpa nessa derrota) e pelo que andei lendo, é provável que Manning também deixe o time e os jogos. Isso é deveras injusto, se acontecer, pois queria ver mais um triunfo de "véinho" antes do "fim". Placar final 27 a 13 pontos, vexatórios.
E vou contra a maré de novo: não acho que o Colts está com essa bola toda. Andrew Luck é mesmo um excelente QB, mas até agora eles pegaram times apáticos; Bengals e um quase-morto Broncos. Também não gostei dos sorrisinhos maliciosos de Luck em algumas partes do jogo. Achei que ele era mais humildezinho. Pode ser que é aquela a carinha dele mesmo, mas achei ele muito sorrisos e uma comemoração muito aflorada de todo o time no fim que de todo, doeu ainda mais. Mas vá lá, sou uma em mil, certamente, e ainda conto com a mágoa da derrota.




Entendem agora porque escolhi a foto do cachorrinho lá no começo? Façam a comparação da cara e boca de ambos. (Ainda gosto do Peyton e não serei vira folha por causa disso #fato Até porque, as coisas sobre gostos e escolhas são levadas muito a risca por mim. Se gosto, gosto, não é por números, recordes ou  títulos que vai me fazer ser team A ou tema B. E sejamos honesto, pois para quem torce para Räikkönen é fato que tiro de letra esses sofrimentos esportivos rsrsrs...)

Ah, só para martirizar um pouco mais: de 4 jogos, só acertei 2 palpites: Packers e Seahawks. 


Assim, saiu os dois finalistas restantes: Packers viaja para enfrentar o Seahawks em casa para a final da NFC. Uma judiação. Com Rodgers baleado daquele jeito, naquele antro barulhento de Seattle, teremos o time de Wilson e cia. novamente no SB, como parece ser o mais favorável momento para o time, dada as circunstâncias. 
E quanto a final da AFC, o Colts viaja para Massachusetts para enfrentar o Patriots. Espero que Brady e cia. passem o trator, rsrsrsrsrsrs... Não é assim que a galera do Pats gosta de impulsionar o seu time e seu QB mito? Então, segura um lugar pra mim, que vou abrir essa exceção no meu coração peludo: é hora de Brady calar meu insignificante bico. Estou dando essa honra para ele. :D


Brincadeiras a parte, será dois excelentes jogos. Se o Packers conseguir um milagre proporcionado pelo outro mito, Aaron Rodgers, será um SB fenomenal. Se, como parece ser mais lógico, for Pats x Seahawks no SB 49, vai ser um bom jogo para se assistir com certeza...
Mas vamos por partes, não é? Agora já não sofro por antecipação, até porque meu time ficou para trás.


E vocês, o que acharam dos jogos do fim de semana?

Abraços afáveis!