terça-feira, 23 de maio de 2017

Corrente Musical de A a Z: Black Sabbath

Senhores e senhoras, venho com mais um post do Corrente Musical de A a Z. Desta vez, tivemos quatro opções novas e uma da repescagem: Black Sabbath, Blind Guardian. Backstreet Boys, Bon Jovi e a segunda chance para Alice in Chains.
Para o post desta terça-feira, vem com a banda que garantiu 5 votos.

Banda ou artista mais bem votado


♫ Música que mais gosto:



♫ Música que eu não gosto: 

Poxa, difícil. Mas escolherei pelo contexto (não amo a "sweet leaf" hehehehehe) não pelo som, claro... rsrsrsrs...



♫ Música para dançar:




♫ Música romântica:





♫ Música que me define: 




♫ Clipe favorito:


♫ Álbum favorito: Depois de pensar bastante, escolhi "Paranoid", segundo álbum de estúdio de 1970 e com a formação original (Ozzy Osbourne - vocal, Tony Iommi - guitarra, Geezer Butler - baixo e Bill Ward - bateria). Creio eu que é um dos discos mais importantes da década.
Faixas: 1 - "War Pigs"  
2 - "Paranoid"  
3 - "Planet Caravan"  
4 - "Iron Man"  
5 - "Electric Funeral"  
6 - "Hand of Doom"  
7 - "Rat Salad"  
8 - "Fairies Wear Boots"  

♫ Pior álbum: Sinceramente, não há. 
Inclusive, um dos álbuns que da banda que gosto e que acabei não citando nenhuma música dele é Heaven and Hell. Possivelmente, o meu segundo favorito. O álbum é 1980 e com a formação mudada com Ronnie James Dio nos vocais, eu realmente acho um álbum excelente, a começar pela capa:


Menções honrosas: 10 músicas boas que não se encaixaram na brincadeira

N.I.B.;

Estão abertos os comentários: quais as escolhas de vocês?

E para a semana que vem(talvez bem no fim da semana) teremos uma nova postagem. Os votos computados foram: Black Sabbath com 5 votos, Blind Guardian e Backstreet Boys com 0 votos, Alice in Chains e Bon Jovi com 1 voto cada. 
Conheço pouca banda com a letra C que dê conta do recado para fazer a brincadeira. Mas, para o voto da próxima rodada é o retorno das mais votadas: uma terceira chance ao Alice in Chains, uma segunda chance para Bon Jovi e mais três novas bandas para votarem:






O process de votação é o mesmo, aqui nos comentários, logo depois das escolhas de vocês, ou na página do blog. Semana que vem, depois de GP de Mônaco e Indy 500, a gente dá continuidade na "Corrente Musical de A a Z".

Abraços mega afáveis!

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Corrente musical de A a Z: AC/DC e A-ha

A abertura  da brincadeira com o Angra (Não leu? Não seja por isso: clique aqui) abriu a votação com 4 bandas para o post desta semana, que vocês escolheriam entre: Aerosmith (que teve 0 votos), AC/DC (três votos) A-ha  (com três votos) e Alice in Chains (com um voto). 
Como houve empate, farei a brincadeira com as duas bandas: A-ha e AC/DC. Contando que Alice in Chains teve um voto e Aerosmith nenhuma, Aerosmith está fora da escolha da próxima rodada. Alice in Chains terá uma segunda chance e vai para nova votação junto com as opções da letra B. 

Banda ou Artista mais bem votado:




♫ Música que eu mais gosto:





Música que eu não gosto: (Que menos gosto, na verdade)





♫ Música para dançar: 





(Para dançar tipo Carlton Banks, rsrsrsrs...)

♫ Música romântica:

(Do AC/ DC? rsrsrsrs... Difícil, mas... Desafio aceito!)



♫ Música que me define:





♫ Clipe Favorito:





♫ Álbum preferido:


AC/DC é uma dessas bandas das quais se fica difícil de escolher um álbum bom. Mas escolherei o que tenho e consequentemente, ouvi bastante e assim, acaba sendo uma escolha óbvia de preferência: Back in Black de 1980. O sétimo álbum de estúdio, e com os integrantes: Brian Johnson (vocais), os irmãos (guitarristas) Angus e Malcolm Young, Cliff Williams (baixo) e Phil Rudd (bateria).
As faixas: 1 - "Hells Bells";
2 - "Shoot to Thrill";
3 - "What Do You Do for Money Honey";
4 - "Givin the Dog a Bone";
5 - "Let Me Put My Love into You";
6 - "Back in Black";
7 - "You Shook Me All Night Long";
8 - "Have a Drink on Me";
9 - "Shake a Leg";
10 - "Rock and Roll Ain't Noise Pollution"

A-ha também é complicado, pois, assim como AC/DC possui muitos álbuns (não a mesma quantidade)  e todos bons, especialmente os mais recentes, pois se tornou o exemplo bom de banda que soube evoluir o seu som. Cada disco tem pelo menos uma grande música que leva à ficar na dúvida. Mas escolho: Scoundrel Days, segundo álbum de estúdio, de 1986. O trio norueguês de formação nunca se desmantelou: Morten Harket nos vocais, Paul Waaktar-Savoy na guitarra e Magnen Furuholmen nos teclados. A escolha está pautada na faixa título, que é uma excelente música e também por Manhattan Skyline, a minha favorita.
Faixas: 1 - "Scoundrel Days";
2 - "The Swing of Things";
3 - "I've Been Losing You";
4 - "October";
5 - "Manhattan Skyline";
6 - "Cry Wolf";
7 - "We're Looking for the Whales";
8 - "The Weight of the Wind";
9 - "Maybe, Maybe";
10 - "Soft Rains of April"

♫ Pior álbum:

Não tenho razões para não gostar de um álbum de nenhuma destas bandas. Justificativas pautadas em "ouvi pouco" ou "não ouvi ainda", não podem fazer justiça aos trabalhos.

► Menções honrosas: 10 músicas que não se encaixaram na brincadeira

AC/DC: ♫ Thunderstruck;
T.N.T.

A-ha: ♫ Scoundrel Days;
Take on Me; *
I Call Your Name;
Stay on These Roads e ♫ The Living Daylights

* Take on Me é inclusive um dos clipe mais legais das eras áureas da MTV. 

É isso. Como sempre, está aberto os comentários para falarem de suas preferências para cada banda.
Mais que isso, também peço que votem, aqui ou na página do blog no Facebook, a banda da próxima postagem. Minhas escolhas serão como as anteriores, quatro opções na letra B: bandas de rock e uma mais pop. A segunda mais votada da letra A foi Alice In Chains, com isso, a banda retorna, tendo uma segunda chance.

Quem vai para o próximo post do "Corrente Musical de A a Z"?





ou 



Quatro bandas com B. Backstreet Boys é a opção pop. Nem malucando de vez que lhes daria a opção Beyoncè ou Britney Spears (risos). A mais votada, figurará o post da semana que vem (na terça-feira). A segunda banda mais votada, terá a segunda chance com as bancas ou artistas da letra C.

Abraços afáveis e agradecimentos imensos pela participação! Deixem suas escolhas (e seus votos) nos comentários!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

GP da Espanha com fotos comentadas sarcasticamente (ou não)

Se este é Roscoe, ele deve ter ido à coletiva no lugar do dono...
Será que o cachorro também se inspira nos cachorros do Senna?


***

Na hora da entrevista a "falsiane" é a personagem principal


***

Super empolgado hein, Kimi?


***


Alonso fazendo  o básico: sorrindo e acenando, mas arquitetando magias


Vandoorne sabia o que o espanhol estava preparando e riu da ignorância alheia
7º lugar no grid. Poucos podem, poucos fariam (nessas circunstâncias)


***

É Vettel, Hamilton passou e você nem viu.
E pensar que quem deu show, foi você... Fazer o quê?


***

Kimi agindo como brasileiro: tomando um "7 a 1" de alemão


***

"Ali embaixo estão as chances da Renault ser competitiva" - Hulk
Sainz Jr. está tipo:


***

*Esperando o Uber chegar*


***

Adendo sintomático:


a) "Massa atrapalha volta rápida de Verstappen para o grid de largada no GP do Barein"
b) "Com Massa à frente, Vettel perde chance de atacar Bottas e tentar vencer o GP russo"
c) "Massa sugere aumento de área de ultrapassagem para aumentar chances de ultrapassagem no GP espanhol"


Quinto GP acontecendo e lá vai ele atrapalhando alguém e de novo, e de novo... Até que se ouve uma pergunta ótima no rádio: "Porque sempre o Massa?"


Se era para isso que voltou, que vontade de:


***

Thomas: A figurinha do GP


Abraços afáveis!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

GP da Espanha: Fato e opinião

O GP espanhol começou de um jeito que já extrapolaria as emoções de muitos, a começar pela largada. Tudo bem que Vettel aprendeu direito a observar que Hamilton não sabe largar bem, porém a desvantagem maior, nessa hora, ficou com o outro carro da Ferrari. Visivelmente mais rápido que o compatriota que largou em terceiro e sumariamente "sanduichado" por um holandês que vinha em quinto, Kimi acabou tocado por Bottas, numa tentativa de tirar proveito da falta de espaço e também fazê-lo perder o traçado, uma vez que com isso, Kimi sairia da pista ou tiraria o pé. Essa ideia do Bottas me parece algo de quem está em equipe suja. Na Williams, muitas vezes, Bottas mostrou-se medroso em defender posições. Agora de repente, Bichinho de Goiaba cresceu no fermento depois da vitória na Rússia (e depois de alertas de Toto e Lauda sobre "o seu lugar na equipe", certamente). 
De forma bem didática, entendemos a lei da física e a lei da malandragem: a primeira lei foi quando Kimi, sem espaço para escapar do toque de Bottas, bateu em Verstappen, lateral com lateral. Kimi saiu na pior com toda a suspensão dianteira esquerda, torta. Verstappen também teve danos na suspensão. A segunda lei, é aquela das equipes grandes: está sem potência ou sem jeito de defender posição? Jogue sutilmente o carro, dando ao adversário a responsabilidade de evitar o acidente. 
É assim que se constitui corridas de carros, certo?
Para nós é até fácil encarar isso. Somos adultos, temos mais de 15 anos que assistimos a categoria, já vimos todo o tipo de lei da física se fazer exemplo prático, já vimos também que meritocracia nem sempre tem lugar no asfalto... Já vimos inclusive pilotos fazerem coisas estapafúrdias e serem aclamados, já vimos o contrário também, caras que ao fazerem coisas absurdas foram pintados como ruins e passaram a ser odiados. Tudo isso, depende de opinião. E opinião, minhas queridas pessoas, é caso e não fato. 
Fato é irrefutável: Derrube uma caneta que está próximo de você agora e observe que ela vai cair no chão. Isso é fato. Agora, derrube mais de uma caneta e saiba que você não saberá de que jeito elas ficarão no chão. Se você disser, antes de derrubar, que elas formarão a letra inicial do seu nome no chão, isso é "opinião" e não fato.
Podemos usar isso no esporte. Se torce para um, todo o resto é inimigo. Ouso dizer que vocês encontrarão poucos fãs de Kimi Räikkönen que não tenham xingado, ontem, Bottas, Verstappen, Hamilton (por estar lento à frente dos 3), Vettel, por ter deixado o companheiro sem "ajuda" para trás, ou ainda o asfalto, a Ferrari, a FIA e até o vento. Cabe xingar, com razão ou emoção (mais o segundo caso, que o primeiro, convenhamos). 
Por uma questão de não querer dar a minha opinião, sobre o fato - Bottas encostou o carro, Kimi afastou e bateu em Verstappen - eu não xinguei, nem Bottas, nem Verstappen. Xinguei mentalmente Hamilton, que ficou sambando na pista e isso só piora a questão do espaço. Mas não xinguei verbalizando ou digitando algo em redes sociais. Porque é opinião, e não fato. O fato não é refutável, a opinião é. Apresentando minha ira com relação à má largada de alguém, as pessoas dirão, cobertas de razão, que largada é assim: as vezes se sai ileso, as vezes não. De nada adianta se eu disser que Hamilton larga mal, que nunca tocam nele, que blábláblá... Não interessa. Cada piloto olha o seu umbigo nesta hora. As vezes ele é habilidoso (ou sortudo) o suficiente para sair ileso, ou se recuperar mais adiante.
Somos adultos, certo? E como tratar disso, da decepção de ver uma corrida de seu piloto favorito finita logo na largada, com uma criança? Explicar isso, passo a passo para ela? Não há jeito. Ela vai chorar de decepção, como chorou Thomas, lá na platéia, e foi captado pelas câmeras, todo vestidinho de Ferrari, quando Kimi saiu da corrida.

Marketing? Óbvio que sim. Era uma criança, que faria qualquer um ficar com pena. Se fosse filho meu seria consolado, no modo comum. Como fã de Räikkönen, eu mostraria para ele, que diante das adversidades, "pegue uma coca-cola e um picolé, meu filho!" Mas não conseguiria fazer ele acreditar que todo o stress não vale a pena, até que ele fosse, adulto.
Mas a F1 agora quer se ligar com seus fãs. E logo, quando Vettel fez uma bela ultrapassagem, o menino foi novamente filmado, vibrando. A Ferrari (por intermédio da direção da prova) e Kimi já esperavam Thomas, no motorhome. Das lágrimas, o mocinho foi aos sorrisos, ganhando atenção do pessoal da equipe, ganhando boné do Kimi e tirando foto com o piloto. Atitude fofa, que a gente esperaria claro, de aparecidos que curte um holofote como o Hamilton. Mas a imagem se finalizou com Kimi, algo que, posso dizer que não foi realmente sua ideia, mas não houve protestos por parte dele. Isso é ser Kimi e ele deu atenção e um grande momento ao garoto, e também à família, já que é de conhecimento público que a mãe é uma grande fã da equipe. Por mim, posso dizer que, apesar de não duvidar da capacidade de Kimi em ser sensível, o problema é ser sensível para as câmeras verem. Há quem dirá que foi ele também, um aparecido. Mas quando é para fazer o bem, eu digo que o altruísmo não é exagero e sim um dever. Mesmo que seja só para "aparecer". Dentro do ano de se exibir, alguém sai no lucro, no fato, Thomas e sua família.

Na pista quem fez por onde em "aparecer" foi Vettel. Fez ultrapassagens e segurou a posição como campeão mundial que é. Foi uma bela corrida, mas só até um momento. As paradas seriam as que colocariam Hamilton na cola de Vettel. A Mercedes já fazia o esquema antes mesmo da corrida dar início. Com incidentes que tiraram da pista Vandoorne, e mais tarde,  Bottas, vieram dois momentos de Safety Car virtual que, ajuntou os carros.
Vettel segurou Hamilton uma vez depois de sair dos boxes, na segunda parada. Segurou quando ele se aproximou por conta da estrategias e SC. 
E então Massa veio esse ano, não só para atrapalhar como ser um completo idiota. Atrapalhou Verstappen, atrapalhou Vettel em duas corridas das quatro anteriores: "Porque ter que ser sempre o Massa?" perguntaram no rádio.
Sinônimo de encrenca esse ano, já na quinta etapa, tudo que o Massa estampou nas manchetes foi coisa ruim: a pior delas, veio aqui, na quinta corrida: a sugestão de aumentar o limite para o uso do DRS para (leiam com aquela voz máscula) "ter mais chances de ultrapassagem". Por conta dessa dica ridícula que acataram, Hamilton passou Vettel sem erros do alemão, sem luta, sem show. 
A equipe Mercedes vibrou. Eu achei que cortou toda e qualquer empolgação de disputa. 
A gente quer mesmo emoção, quer luta por posições. Agora me digam: que luta e disputa houve ali? Facilitou tudo para que de novo, a Mercedes só se glorifique de ganhos fáceis. Emoção? Que emoção?
Aí, no que antecede o pódio, aquele que todo mundo chamava de mimado e ranzinza, comentou com sorrisos a ultrapassagem com Hamilton. O inglês gênio foi cínico e arregalou a sua arrogância, não dando atenção ao Vettel.  
Bobos de nós que ainda acreditamos nas melhorias e ainda reclamamos do marasmo da Rússia... Bobos de nós...

Abraços afáveis!

sábado, 13 de maio de 2017

Quinta etapa da F1 2017: GP da Espanha

Primeira etapa da F1 constituiu-se de grid de largada simples: Hamilton, Vettel, Bottas, Raikkonen.
A corrida costurou-se assim: Vettel, Hamilton e Bottas (com Raikkonen ainda em quarto). E nós definimos que mudanças, poderiam vir no quesito resultado.

A segunda etapa? Bem, ela mostrou no começo, o mesmo: O grid ficou com Hamilton, Vettel, Bottas e Raikkonen. 
Copiei e colei? Sim, descaradamente. É mentira? Não, antes fosse...
A corrida deu nisso: Hamilton Vettel e Verstappen (com Ricciardo em quarto). E aí, já nos desmotivamos.

A terceira etapa seria um divisor de águas. O grid acabou sendo mesmo, um divisor das anteriores: Bottas, Hamilton, Vettel e Ricciardo. Bottas fez um serviço menos cordeirinho e Raikkonen não deslanchou. 
Na corrida, não mudou o que veio dos grids anteriores: Vettel, Hamilton e Bottas (com Raikkonen em quarto) - ou seja, o mesmo molde também da corrida da Austrália, a abertura da temporada. Pelo menos, era bom para quem torce por Vettel, Ferrari e um sumiço das Mercedes. 

Todo mundo não gosta da etapa na Rússia, desde que começou a fazer parte do calendário. E eu, sem meu computador, tive de me contentar em ficar sem comentar o grid de largada do GP que parecia promissor à deixar as coisas ao menos, mais voltadas para algo diferente dos últimos dois anos. 
Esta então, quarta etapa se deu assim - o grid composto por um empolgante mudança da ordem: Vettel, Raikkonen, Bottas e Hamilton. E mesmo contra os protestos de ferraristas e entusiastas - a corrida pode ter sido xôxa, ela ainda animou com uma vitória que ainda não tinha acontecido e um pódio legal: debut de Bottas, avanço em pontos de Vettel à liderança e retorno de Kimi ao pódio. Hamilton, só o quarto. E isso, deu todo o brilho necessário para a corrida. 

Mas aí vem as etapas européias. A fase mais empolgante... Mas marcada por abrir com GP da Espanha. E aí eu fico bem possessa: não gosto da pista espanhola, tenho meu pc ao meu dispor para comentar o grid de largada, a corrida e as fotos, mas, chega o dia do Treino Classificatório com... Uma porcaria de uma mesmice pela terceira vez no ano! Grid da Espanha é esse mesmo, meu povo: Hamilton, Vettel, Bottas e Raikkonen.


Seguindo essa de "paciência", ao menos a gente torce e torce de novo o treino classificatório e deixa escorrer no copo, o caldo que vale a pena consumir: lá na frente tudo igual, mas Alonso fez magia e largará em sétimo - uma ótima posição dado infortúnio que tem sido o carro da McLaren. By the way, ainda dá para chamar aquilo de carro?
Sétimo é o lugar cativo do Massinha, que diz que o ideal era o lugar cativo, mas larga em nono. By the way 2: essa cara voltou para fazer o mesmo de sempre: reclamar e dar desculpas? 

Torcendo para que Magic Alonso termine a corrida, na zona de pontuação e que a Ferrari trabalhe para melhores resultados, inclusive para o Raikkonen, e não só para o líder Vettel.
Deixo aqui a relação do grid para a corrida de amanhã:

Fonte: Grande Prêmio

Boa corrida a todos e abraços afáveis!

PS: não se esqueçam de votar, clicando aqui

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Corrente Musical de A a Z: Angra

No começo deste mês de maio brinquei com uma dessas correntes de música no Facebook. Bastava comentar na corrente de um amigo virtual que ele ou ela, automaticamente indicava uma banda ou músico e você deveria fazer o mesmo, no seu perfil, respondendo as seguintes questões [Me deram: e escreve o nome da banda que te indicaram]: 

♫ Música que mais gosto;
♫ Música que não gosto;
♫ Música para dançar;
♫ Música para o "mozão" *
♫ Música que me define;
♫ Clipe favorito;
♫ Álbum preferido;
♫ Pior álbum.

* PS: Vou mudar para "Música romântica". "Mozão" é deveras brega, ainda mais quando não se tem o "mozão", rsrsrsrs...

Seguindo essa brincadeira, que me pareceu um bom exercício, inicio o "Correntes de A a Z", tendo em mente que a próxima postagem dessa natureza será com a banda que vocês escolherem. 
Só desta vez, eu é que escolho uma banda com A, para dar começo na brincadeira. 

Banda ou Artista:



♫ Música que mais gosto:


♫ Música que não gosto:

(PS: não é que não gosto, apenas cansei de tanto que ouvi...)



♫ Música para dançar:





♫ Música romântica: 



♫ Música que me define:




♫ Clipe favorito:




♫ Álbum preferidoAurora Consurgens. 

É o sexto álbum da banda, lançado em 2006. Os integrantes eram Edu Falaschi (vocal), Kiko Loureiro (guitarra), Rafael Bittencourt (guitarra), Felipe Andreoli (baixo), Aquiles Priester (bateria) e Fábio Laguna (teclados). 

Faixas: 1 - "The Course of Nature";
2 - "The Voice Commanding You";
3 - "Ego Painted Grey" ;
4 - "Breaking Ties";
5 - "Salvation: Suicide";
6 - "Window to Nowhere";
7 - "So Near So Far";
8 - "Passing By";
9 - "Scream Your Heart Out";
10 - "Abandoned Fate";
11 - "Out of This World"

Com esse disco, eles fizeram também a tour de 15 anos da banda. Foi meu primeiro grande show, em novembro de 2006, em Uberlândia - MG. Também tenho um pôster autografado por cada um, da capa do álbum que ganhei em uma promoção de rádio de rock local (que nem existe mais, pois os nossos "amigos" sertanejos tomaram conta e pelo visto, vieram para ficar... ¬¬').
Por essas e outras coisas, o cd tem um significado especial.

♫ Pior álbum: Aqua


O sétimo álbum da banda, lançado em 2010. A formação era a mesma do anterior, só que no lugar de Priester, Ricardo Confessori havia retornado à banda de formação. 
Faixas: 1 - "Viderunt Te Aquae";
2 - "Arising Thunder";
3 - "Awake From Darkness"
4 - "Lease of Life";
5 - "The Rage of the Waters";
6 - "Spirit of The Air";
7 - " Hollow";
8 - "A Monster in Her Eyes"
9 - "Weakness of a Man"
10 - "Ashes"

Esse álbum foi o último de Edu Falaschi na banda. Esse não é o motivo da escolha. Na realidade, eu não consegui ouvir com "bons ouvidos". A ideia dele, como um álbum conceitual me pareceu boa (é sobre a peça "A Tempestade" de Shakespeare), mas, por falta de vontade ou mesmo pouca insistência, não gostei. Precisaria tentar ouvir melhor em outro momento, mas passou e não o fiz. Tanto passou que estou bem desatualizada das coisas que envolvem a banda.

Menções honrosas serão as 10 músicas que eu gosto, mas que não se encaixam nessas perguntas. Vamos à elas: 
Rebirth
Carry on
Time;
Speed;
Breaking Ties;  
E as versões de ♫ Mama e ♫ Wuthering Heights.

Se quiserem contar as escolhas de vocês, os comentários estão abertos para escreverem as músicas do Angra para cada questão. 
Peço também que votem na próxima banda/ artista que querem ver na próxima postagem. Como eu que escolhi Angra, coloco quatro outras opções da letra A. A que tiver mais votos, virá para o post da semana da que vem.


Quem vocês querem ver no próximo post do "Corrente Musical de A a Z"?






ou 



Votem em uma destas bandas no status sobre esse post na página do blog no Facebook, clicando aqui. Pela banda mais votada, montarei a lista da semana que vem. (Se não tiver perfil no Facebook, vote nos comentários!)

Abraços afáveis!