quinta-feira, 9 de maio de 2013

Maus presságios

O presságio 1 de que Kimi Räikkönen estaria sendo paquerado para, ano que vem, sair da equipe preto e amarela, para se dirigir à uma equipe do tipo, Red Bull, começou a tomar força por como um boato, para provocar uma picuinha interna da equipe do energético.

O presságio 2, se deu que jornais afirmavam que Webber planejaria aposentar-se da categoria em 2013, devido a briga com seu companheiro. Estaria negociando com outras categorias para deixar de vez o lugar. Mesmo com as negativas, jornais ainda insistem em tramas que dão força para o fogo da expeculação. A última, trata-se de uma venda de sua casa e planos para iniciar em 2014 uma investida na Le Mans (ver aqui).

Boatos ainda que não confirmados, devem ter algum ponto de verdade. Se são especulação infundada ou imaginação fértil, digo que esses jornalistas precisariam de um boa hora de dedicação à outra atividade, que renda alguma coisa mais útil. Pois não queremos saber de coisas que não tem chances de acontecer, ou são meras coincidências. Mas, um boato que surgiu e foi negado, aconteceu, e virou o presságio de número 3:
James Allison, agora ex-diretor técnico da Lotus, estaria de trouxas prontas para assumir um cargo na Ferrari. Rumores sim, mas o que interessa é que James Allison é ex funcionário da Lotus. (ver aqui)

Não seria nada para se preocupar, se esse cara não fosse simplesmente o mentor do carro E21, que por sinal está na vice liderança do campeonato. Essa é a pouca ameaça que a Red Bull tem e poderia continuar a ter, com Kimi Räikkönen, que também é vice líder do campeonato de pilotos e pilota o E21 garantindo pra equipe  pelo menos 70% do trabalho feito para mantê-la na segunda colocação. 
A Red Bull que não é besta nem nada, estaria planejando, ferraristicamente, em ter Kimi como companheiro de Vettel, tendo mais tranquilidade para vencer outros mais campeonatos com largas vantagens, à frente aos adversários, deixando-os comendo poeira, como foi em 2011.
Tudo isso faz sentido.
Mas repito: são meus maus presságios. 
Ninguém se importa, mas reviver os anos 2008-2009 arrebenta com qualquer expectativa minha para com a categoria. 
Mesmo com David Coulthard e outros revelando que Sebastian + Kimi = a sucesso (ver aqui), nenhum deles apresentam duas perguntas sem resposta: Porque Mark Webber não é mai útil para a Red Bull? 
A resposta não é porque o rendimento dele é aquém de Vettel, pois é abaixo dele quase sempre, a olhos vistos. Não é isso. Qual é o real motivo?
Se vc encontrou a resposta, eu pergunto: porque Räikkönen deveria embarcar nessa? Onde está a vantagem para ele?
É ficção querer dois caras talentosos em uma mesma equipe. Uma foca vai receber mais sardinha que a outra, mesmo que seja sem querer. 
O que eu sei é o que Newton me ensinou: dois corpos não ocupam o mesmo espaço ao mesmo tempo. 


Não resta outra opção do que esperar e torcer que eu esteja redondamente enganada. Só quando algo de fato acontecer, verei se posso voltar ao assunto. Afinal, já expus o que penso. O resto, é necessário confirmar para dizer.
Abraços afáveis! 

2 comentários:

Ron Groo disse...

Talvez não Manu.
O que pegou forte na questão dos dois pilotos da Red Bull foi a forma de agir do piloto canguru.

Toda vez que Vettel precisou dele disse que não ajudaria.
E toda vez que teve chance em pista, tentou ferrar com a corrida do Vettel nem ligando para a equipe.

Dai complica.
Acredito que se chegar com transparência e dizendo que vem para vencer a coisa muda de figura.
Até porque Raikkonen não é do tipo que faz picuinha e nem jogos mentais.
Só corre.

Manu disse...

Se bastar isso Groo, posso ficar tranquila.
Abs!