terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Playoffs NFL: Pós Divisional Round

Fim de semana com 4 jogos eletrizantes de playoffs de futebol americano já ficaram para trás. Agora, mais dois domingos (três, se contarmos o Pro Bowl), 3 jogos (finais de conferência e Super Bowl) e vamos ficar em modo "offseason".
Triste? Muito. Mas draft tá logo ali e também pré temporada chega rápido. Só precisamos esperar um pouco.

Peço que verifiquem meu post de palpites comentados para entenderem o que escreverei adiante. As apostasforam : Falcons, Patriots, Packers e Chiefs. 
Resultado: estou 3-1. 
Take a Take:

► Seattle Seahawks x Atlanta Falcons: vitória consistente dos Falcons. Porcentagem de apostas favorável, casa, clima e constância foram as chamadas do time de Atlanta. À favor, ainda contaram com um excelente jogo de Matt Ryan e Julio Jones. Contra, quase nada afinal o Seahawks estavam naqueles momentos da temporada em que eles, pareciam ainda estarem em modo piloto automático: como se era de esperar que pudesse teimar a acontecer, já que a campanha da temporada 2016 mostraram-se irreconhecíveis, fazendo o básico - que muitas vezes não era o suficiente. 
Não que jogaram mal, muito pelo contrário, jogaram apenas abaixo do que se esperava, enquanto o Falcons dizia à que veio (mesmo sem tanto alarde para o lado deles).

► Houston Texans x New England Patriots surpreendeu. Não imaginaria que visse turnovers ou erros de Tom Brady contra um time como o Texans. Sim, era muito fácil adivinhar vitória de New England, mas o Greatest of the Time, não foi o GOAT que dizem. 
O grande lance é, provavelmente, vocês só lerão esse tipo de comentário aqui. Duvido que alguém tenha a coragem de falar que houveram erros de Mr. Brady durante o jogo, ou mesmo que questione a postura chiliquenta dele, no meio de um jogo apertado no começo, gritando até com os juízes:os zebras que estavam bem ok e não tinham errado nenhuma marcação ou deixado algo acontecer de forma duvidosa. Uma interceptação inclusive, não vai ser comentada com rigor de chacota se fosse por exemplo. Eli Manning, como não foi comentado na transmissão que acompanhei e que não deve ter sido na transmissão que vocês acompanharam.
Como disse no post anterior, ano passado só se falava em Carolina Panthers. E então?... Tudo é questão de escolhas, de exaltar um lado e desmerecer o outro.

Dois jogos legais, mas meio morninhos. O começo do Seahawks (seed 3) e Falcons aparentava um jogo em banho-maria: nem tanto esforço do Seahawks em tomar a dianteira, demorando muito para saírem na frente do placar, enquanto o Falcons, mostrou mais facilidade para fazê-lo. Apesar do resultado próximo, 20 a 36, o Falcons costurou bem a barrinha do jogo. 
Já o começo Texans (seed 4) e Patriots foi apertado. A coisa começou a melhorar do terceiro quarto em diante constatando o atropelo de 16 a 34 para o time de New England. Se o começo tivesse sido melhor, era provável que não houvesse só quase 3 posses de bola para o Texans virar o jogo. Muito do sucesso do Patriots, foram as péssimas chamadas do time de Houston.

Dois finalistas: do lado NFC, o Atlanta Falcons (seed 2) esperava o resultado de Green Bay Packers (seed 4) e Dallas Cowboys (seed 1). Já o New England Patriots (seed 1), aguardaria o resultado de Pittsburgh Steelers (seed 3) e Kansas City Chiefs (seed2)

► Green Bay Packers x Dallas Cowboys: jogo mais esperado e talvez mais difícil, estava com uma facilidade homérica no começo. Mesmo que se diga qualquer coisa negativa, o jogo do lado do Cowboys funcionava, mas funcionava de um jeito que ainda, era apenas bom. É louvável sim que tenham tido uma temporada incrível, com dois rookies incríveis e tudo o mais? Sim. Mas, o excesso de falatório em cima disso, tem tudo para ser prejudicial. E foi. Tudo em excesso é ruim. 
Mas quem disse que equilíbrio das coisas existe? Tudo que é "bom" é exaltado, tudo que é "ruim" é achincalhado e no meio disso, os bichos da injustiça e do ego saem da jaula. E "bom" e "ruim" estão em aspas porque, afora do sistema do achismo, eles não existem como conceitos fechados.
O Packers não tinha responsabilidade nenhuma além de satisfazer seus fãs. Já o Cowboys, o "American Team", tinha mais a provar, já que "a América" estava de olho neles: tinham que provar que chegaram aos playoffs sem Tony Romo porque tem um QB melhor que ele, provar que um RB faz toda a diferença do mundo, que eles "atropelaram" certos times, com praticamente os mesmos recebedores dos anos passados e que, portanto portanto, beiravam o conceito de imbatíveis.  
Não é bem assim.
O Packers não precisava de muito, a não ser que fizesse a sua parte, já que esse ataque era "imparável". E fizeram o que propunham. Os dois touchdowns iniciais do Green Bay foram cruciais para desestabilizar a defesa do Cowboys. Assim, mais tarde eles puderam contar com a maravilha do tempo, já que a defesa não só acordou como foram para o campo mais vezes para tentar abrir espaço para o ataque fazer alguma coisa. E fez. A pompa continua e todo mundo segue ainda aplaudindo os "rookies". Nada mudou. 
Jogou bem? Sim, mas o Packers foi melhor. A temporada 2016 deles inteira: não faziam grandes espetáculos, vieram aos playoffs com 6 derrotas na conta, contaram com a inteligência de Rodgers e na hora de enfrentar o Cowboys, só contaram com o "fazer o que tem" e deixar eles resolverem os problemas deles. E deu certo. Muito certo. Eu não esperava outra coisa do Packers. Disse no post passado que se entrassem com esquemas lentos como foi contra o Giants, podia esquecer. Começar o jogo rápido seria eficiente, mas teria um custo: acordar a defesa. No fim, o esquema inicial unido à paciência sem perder a cabeça, levou à um fieldgoal com poucos segundos no relógio.

► Pittsburgh Steelers x Kansas City Chiefs...
Sejamos bem sinceros: que porcariazinha de jogo! Para playoffs, bem feio. Steelers seguem nos playoffs com um jogo em que fez 6 fieldgoals! "Ah, mas feio ou não, estão na final..." Tá, mas só com isso para enfrentar Patriots, a gente sabe que é pouco.
E eu errei o palpite. Apostei no Chiefs esperando que eles calassem a minha boca. Não calaram. Fizeram mais que o Steelers: dois touchdowns  seguros e rápidos e dois fieldgoals. Mas meu.. cadê aquela defesa que detonou o Broncos? Cadê a defesa, que pode não ter parado o Trevor Siemian, mas arrebentou o pé dele, num dos melhores jogos que ele teve? Poxa...! Me ajudem, né?
Para piorar, apostei neles e lancei mão do seguinte comentário no post anterior:



É de ficar bem revoltada, né, não?! 
Mas... Parecendo um jogo da batata quente, quem ficasse com a batata jogava com o Patriots. E deu nisso. Steelers deu uma bela de uma sorte. Até quando, nós não saberemos. Mas podemos palpitar.

Domingo então ficou com um jogo bom e outro bem difícil de assistir.
E assim: Packers 34 @ 31 Cowboys e Steelers 18 @ 16 Chiefs. 
Para a rodada de conferência, a semi-final do Super Bowl, teremos o seguinte esquema:
Para a NFC, o Falcons classificado com seed 2, enfrenta em casa, o Packers, classificado com o seed 4. Para a AFC, O Steelers, com o seed 3, joga no Gillete Stadium enfrentando o Patriots, que mantém ainda a melhor campanha da conferência ou seja, a seed 1. 

Caídos Seahawks, Cowboys, Chiefs e Texans. As possibilidades que eu postei no comentário anterior, caíram duas, a mais ou menos e a menos favorável:



A escolha "mais" permanece. Mas ainda temos a possibilidade Patriots @ Falcons, Steelers @ Packers e Steelers @ Falcons. 
Falcons e Patriots venceram seus oponentes com mais de 2 posses de bola de vantagem sob eles. Vão para suas finais de conferência com um certo favoritismo sob o Packers e Steelers respectivamente, embora, o Falcons possa a vir enfrentar um time muito mais complicado que o Patriots enfrentará. 
O que sei é que o palpite dos jogos de domingo próximo fica só para o post de sábado. Até lá, vamos pensando nisso...

Abraços afáveis!

Nenhum comentário: