segunda-feira, 13 de abril de 2015

Grande Prêmio da China 2015: Mais do mesmo

- Mais do mesmo. 
- É. Até quando? 
- Não sei. 

Eu não pergunto "até quando" terá mais do mesmo. Pergunto "até quando" que nossa paciência pode aguentar.

China não é das melhores etapas, ainda mais se contar o fator sono. Dessa vez ela foi ruim, mesmo que pilotos que eu goste tenham se saído relativamente bem.
Não sei quanto a vocês, mas achei detestável a forma como Lewis Hamilton largou. Se fosse um piloto espanhol aí, seria "o" assunto para discutir a sua postura dentro da equipe e também na F1. Muitos já teriam seu discurso pronto dada o "passado sujo" dele, se é que existe de fato.
Na China, Lewis gosta das artimanhas/maracutaias, né? De ajuda para sair da caixa de brita até ficar torto na largada para ferrar com a corrida do companheiro, pois no "braço não vai conseguir, porque estou com preguicinha".
E dá-lhe reclamação porque o assoalho apoteótico saindo faísca que estava esquentando a bunda.
Os caras ganham rios de dinheiro, trabalhando bem menos do que eu e vocês e vem com essa de bunda esquentando? Larga disso, então! Vai vender coco na praia!
Não quer? Então pilote. Toda corrida ele tem que soltar um "mimimi" no rádio. #chaaaatooo

Em todo a corrida não foi péssima, pois teve uma narração mais adequada. Gosto do Kleber Machado porque ao contrário do José Roberto, ele termina os assuntos, e ao contrário do Galvão e do José Roberto, a voz dele não é irritante, ele não inventa estatística chata, sabe quem está sendo filmado e ainda faz umas piadinhas de vez em quando, narra a corrida e não fica falando e analisando a postura do Massa e do Nars, a cada meio minuto e torcendo contra a galera que está à frente ou atrás para marcarem pontos. Tanto é que nem teve entrevista com um dos Felipes no fim da corrida.
Claro, que teve esses lances de torcidinha, mas sutil o suficiente para que eu não me irritasse. 
Fica Kleber Machado, pelo amor à minha sanidade! 


Mas e a corrida? Previsível do começo ao fim. Não acho legítima a vitória do Hamilton, pois já passou de ser interessante. Nem tem porque comemorar. E Rosberg - que decepção - se rendeu mesmo ao mandato do "sossega" da Mercedes, ou o quê? 
As Ferraris se aproximam, mas ainda não o suficiente. Quero ver dobradinha de Vettel e Kimi para logo e no pódio (já que a equipe me privou disso com Alonso ano passado...). 
As Williams estão longe de alcançar as duas equipes e a RBR ainda patina na inconstância. Continua sendo triste a situação da McLaren e passa a ser chato ter que ver a Sauber se dando melhor que a Force India (vide o abandono do Hulk logo no começo...)
Estava tão morno que por vários minutos filmavam Ericsson em disputa com Ricciardo (ou seja, meio de grid) e depois filmavam Maldonado com Button, ou Pérez com Button (ou seja, fim de grid). Lá pela volta 45 eu parei e pensei:


Era um custo para os caras ganharem 13ª ou 11ª posições! Que isso??? Sim, deve filmar essas coisas, mas não por minutos a fio como acontecia. Aí eles perdiam a ultrapassagem e davam replay. ¬¬' Estava estranho.
Para piorar, três carros com problemas que rendiam fumacinhas ou fogo mesmo, saíram da corrida. E no fim, foi a vez de Verstappen, faltando umas 3 voltas. No meio do caminho, comissários fizeram um papel tosco digno de 


para retirarem o carro da pista, quando já tinha uma longa fila de carros atrás do Safety Car. Se não chegassem os engenheiros da STR teriam arrebentado o carro na portinha de entrada e saída dos boxes.
Se estava tudo morno, então o fim ficou esfriou, porque a correria foi para dar tempo do SC sair e darem a bandeirada, com Hamilton mais uma vez preocupadinho. Poxa, teria sido legal mais uns instantes e ele perder o primeiro lugar né não? Teria ficado mais legal...

E a próxima corrida é no Barein... 
So-cor-ro! 

Abraços afáveis!

Um comentário:

Ron Groo disse...

foi chato demais... muito chato demais.