sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Finais AFC e NFC

Fazer uma análise seca do que está por vir das finais das conferências AFC e NFC é para especialistas.
E olhe lá! Temos vivido tempos em que o simples ato de colocar alguém para comentar algo na mídia requer muita paciência para encarar dois momentos: um espertalhão falando - que não passa de uma farsa, ou um estudioso - que uma hora vai ter uma opinião polêmica e cair nos braços do povo ou ser xingado massivamente, dependendo das estruturas mentais de quem recebe a opinião.
Anos 2000 era para ser mais adequado aos moldes evolutivos da mente humana. Ledo engano. A cultura do "zé povinho", aquele mesmo que ouve ou lê, concordando e reproduzindo é tão grande, que a frase "Esse cara é muito sensato" já não dá para ser empregado mais com tanta frequência, quanto é a frase: "Quem é esse idiota?"

Pois bem. Eu vejo muitos idiotas. Principalmente no que se limitam a falar de esportes.
Peguem um jogo qualquer entre sei lá, Barcelona e Real Madrid e o maior número de canais brasileiros - sejam eles fechados ou não - que estão passando o jogo e dedique alguns minutos para cada canal. Em todos, você ouvirá narradores escandalosos e comentaristas oportunistas. Escandalosos está claro, agora e os comentaristas oportunistas? São aqueles que pegam o time favorito, por exemplo, e esmiunçam todo o esquema de jogo deles (que cá entre nós, não é muito difícil em se tratando de futebol de bola redonda, hoje). Depois falam o que o time - com menos chances de vencer a partida (como se isso fosse fácil de adivinhar) - deve fazer para parar o ataque, por exemplo. Começa o jogo e o time menos favorito, jogando mal pacas, chovendo críticas e estatísticas da porcentagem de faltas e posses de bola do adversário, até que... vem um lance de avanço que resulta em um gol. Instantaneamente, por mais que o comentarista, seja ele do tipo tático/esquemático ou falastrão/cabeçudo, ele tece comentários do tipo "É exatamente isso que se espera do time fulano de tal, já vinhamos falando que eles são bons nisso e nisso, e está jogando melhor, porque soube aproveitar a chance, blá e blá..."
Percebem o que eu digo? De acordo com o que é feito, eles mudam instantaneamente de opinião. Raramente alguém diz que não está jogando nada, mas o placar está favorável. 
Não sei se é exclusivamente no Brasil, mas esse é um fato perceptível.

É tipo na F1. Reginaldo sempre foi o estudioso, enquanto agora, o Burti é o esquemático, o técnico. Com o passar dos anos, Reginaldo é o tipo velho chato, das quais solta datas e corridas épicas de vez em quando, e desce a lenha nas costas dos pilotos atuais que no fundo são bem melhores que o protegido do narrador - Galvão, o narrador escandaloso - , mas que não merecem comentários à favor porque não é o que o público quer ouvir. Burti, com o passar dos anos, entrou nessa, de criticar à esmo. É simples: Quando Massa está disputando posições, eles exaltam. Quando chega em um forte tipo Hamilton, eles torcem para alguma coisa dar errado no carro do cara. Se é Vettel que chega em Hamilton aí a frase quase em coro é: "Chegar é uma coisa, passar é outra". 
Lógica idiota, não é mesmo?

Na NFL é assim também: comentaristas que podem até entender muito, mas soltam opiniões as vezes a gente não concorda. Principalmente, porque eles são meio que treinados ao dados do placar. Mas é mais raro, que eles venham com informações pífias, pois sabem que dependendo do time em campo, a virada pode acontecer e existem inúmeras jogadas a serem feitas e tudo o mais. 
Porém... No meio da temporada, Cam Newton não poderia ser MVP em virtude da sua "falta de confiança". Desde sempre ouço que ele não é QB confiável. Hoje o comentário é que ele "joga muito". UAU! O Panthers e o Patriots tiveram times quebrados ou bem fracos para enfrentar. Mesmo assim, são os favoritos para o Super Bowl, um pela fama que tem (mesmo tendo perdido de alguns fracos times) e o outro, que perdeu uma só vez na temporada regular.

E eu, para não exercer minha lógica (que para muitos, à essa altura será idiota), farei algumas análises mais simples e outra bem mais dolorosa.


Divisional Round. Dois times de folga, os Seed 1 e 2. Em ambas conferências a disputa deu-se entre os Seed 3 com o Seed 6 e o Seed 4 contra o Seed 5, certo? 
Novamente, entre a AFC e NFC, escaparam o Seed 6 e o Seed 5. Certo de novo? Ótimo. 
No Divisional Round, novamente: Seed 1 x Seed 6 e Seed 2 x Seed 5, como manda a regra. 
Escaparam daí, os Seeds 1 e 2. Isso é que o "zé povinho" chama de "a lógica prevalecendo": a melhor campanha da conferência enfrenta o segundo melhor.
Portanto, AFC: Broncos recebe o Patriots em casa (o melhor em casa contra o segundo melhor) e NFC: Cardinals embarca para enfrentar o Panthers em casa (o segundo melhor enfrentando o primeiro)

Seguindo essa lógica que deveria agradar o "zé povinho", o Broncos vence na final da AFC e Panthers na NFC - ambos Seeds 1, ambos as melhores campanhas.

Porque então o "zé povinho" vota incansavelmente em Patriots x Panthers no SB 50?

Me incluo nessa turma, vcs podem me lembrar. Sim, porque eu ando mais pessimista que tudo. E pergunto: o mundo é justo? Desde quando? E lá no esporte só vence quem é bom pacas, e não quem tem uma sorte danada?
O Seahawks provou já que desde que venceram o SB 48, podem até serem bons, mas tiveram falta de sorte em dois momentos. Pior: poderiam sim terem vencido aquele jogo contra o Panthers semana passada, se não fossem tão cheios de si.
Só o Patriots e o Panthers tem sorte. Só o Cam Newton pode dançar na cara dos companheiros rivais e não levar uma multinha por atitude anti-desportiva sequer. Só o time dele, quase não teve lesões. Só o Patriots pode ter Brady reclamão e um corpo de recebedores santo que fazem de um tudo para que as jogadas dele virem touchdowns. Corpo de recebedores que, estão jogando lesionados, mas jogando. E se não der certo, basta Brady olhar feio para o juiz ou pedir tempo que o Belichick ajusta o esquema. Não é isso que todos falam? Não é isso que leva o time a ser vitorioso?
Eis a lógica do "zé povinho" e, a lógica mais dolorosa pra mim. 

Seguindo a lógica do Brady "Mito" e "CamVP" é fácil Seed 2 x Seed 1 no Super Bowl, com vitória do time que fez uma temporada de quase invicto - mas que todos esquecem que quase perdeu pro Giants, quase perdeu pro Saints e quase perdeu para o Seahawks na temporada regular e "oê!" nem sofreu com lesões e problemas administrativos como os outros 31 times.

Temos então então duas lógicas simples e óbvias: a de Broncos x Panthers e a que o povo quer o Patriots x Panthers.
Ninguém fala do Cardinals, porque sempre tem um isolado na brincadeira, que ninguém dá crédito.

A minha lógica "idiota"? Acho o jogo do Cardinals muito, mas muito melhor que o do Panthers. Opinião, gosto, vontade... Pode ser? Claro que pode, né? Não tem regra, tudo pode acontecer, não é?
Então, o que eu quero é vitória do Broncos - porque pode ser o último ano do Peyton Manning, o responsável para que eu escolhesse o Broncos para torcer, e ele merece terminar (se é que vai terminar) com chave de ouro. E que disputem então com o Cardinals. E que vença o melhor. 
Caso contrário, preparem para  nova modinha: sai Seahawks e entra Panthers.

Não, não apostei. E nem vou. O que eu quero, pode e não pode acontecer. Então, deixo para sofrer no jogo.

Abraços afáveis!

Nenhum comentário: