quarta-feira, 8 de julho de 2015

Há um ano o país chorava e eu ria

Ano passado, nessa mesma época aqui no blog, eu mesclava assuntos de F1 com Copa do Mundo.
Em 2006 - creio que na Copa sediada pela própria Alemanha - decidi que não torceria por outra seleção senão a deles. 



E gargalhei 7 vezes no dia 8 de julho de 2014 como jamais esquecerei. Hoje já fiz o tributo. Dei as minhas risadas revisando os gols.  :D


 A gestão do partido no poder à 13 anos no governo do Brasil (e mais 3 por vir) teve e tem uma série de defeitos. Fora os inúmeros absurdos que fazem e acontecem com o nosso dinheiro e com nossa integridade. Essa Copa foi uma delas. Fui contra, sou contra. Pessoas de mente livre de bizarrices conversavam amigavelmente antes da Copa e antes das eleições comigo e a situação que enfrentaríamos em 2015 não era das melhores nas nossas previsões. 
Eu ri com vontade daquele dia do jogo. Mais ainda das figuras que foram filmadas naqueles 6 minutos e quatro gols. Ali eles choravam. Na hora dos políticos que essa turma vota e defende arrancarem nosso dinheiro, eles se dividem entre pedir Ditadura Militar e defender as medidas do partido como se fosse o time do coração. A insensatez transbordava e transborda direto - principalmente nos discursos das redes sociais -, seja nas veias dos "coxinhas", seja nas veias dos "petralhas".
Naquele dia, pós 7x1, posso ter rido. Mas desejei rir mais principalmente quando vi as disputas mesquinhas na época das eleições. As amizades se desfazendo, a incoerência sentando no sofá da sala. Me desculpem, mas nem se colocarmos uma vassoura atrás da porta a visita da Dona Incoerência vai "puxar o carro". Ela veio para dormir na nossa cama, se deixarmos.
Desejei rir mais, nesse ano de 2015 principalmente da cara daquela galera que bateu o pé dizendo para mim que a presidente da República não aumentaria impostos, não ferraria a vida do trabalhador, e que teria pulso firme para responder aos problemas com a Petrobrás. Optam por culpar a oposição e ai de nós se rimos deles. Ficamos sem forças se mostrarmos que nem tudo é assim tão simplista.
Agora nem dá para rir de alguns deles, ao passo que só me entristeço em ver familiares sem ocupação, amigos sendo dispensados dos empregos, o dinheiro acabando, os recursos do MEC diminuindo, corte de gastos aqui, corte de bolsas acolá... Alguns defensores já começam a ter o bolso reclamando  e xingando. 
E ainda tem Olimpíadas!!! Olha, que "wonderful"?!

Me disseram na época que a Seleção Alemã humilhou o país. Continuo dando risada e debochando: "bem feito!" Para mim, as ações da humanidade pelo mundo, os desrespeitos de uns com os outros, desde intolerância religiosa até não perdão de dívidas internacionais, a fome e vidas sendo tiradas a preço de capim por questão de etnia ou sexualidade é muito mais digno de lágrimas que uma derrota - ainda que merecida - no futebol.

Abraços afáveis.

2 comentários:

Ron Groo disse...

Eu continuo rindo até agora.

Manu disse...

Sempre :D