domingo, 24 de março de 2013

E na Malásia, temos até suor de telespectador!

Sei que prometi minha coluna apenas na terça-feira, mas, não me contive.
Prometo ser breve e imparcial.
Naqueles que terminaram a corrida, Alonso abandonou primeiro. Largou bem, e foi esperto, mas no sanduíche de carros e pista molhada, se viu tocar na traseira de Vettel, que largou na frente e se manteve. Alonso levou o carro com asa quebrada até a volta seguinte, segurando o máximo que podia, e mesmo perdendo a posição para Webber, ainda poderia conseguir se recuperar depois da troca. Mas a Ferrari não chamou o piloto espanhol, que abriu a segunda volta com a asa toda fincada abaixo do carro, terminando assim a corrida de número 200 dele.
Com a equipe escolhendo a estratégia errada, só Massa poderia ter forças e razões de garantir alguns pontos, quiçá lutar por pódio. Não foi o que aconteceu, terminando apenas em quinto, e atrasando a vida das Lotus.
Falando neles, Grosjean pode ter algumas coisas melhores que Kimi, mas terminar em sexto foi e não foi um grande trabalho. Kimi nesse caso, teve uma corrida apagada, com alguns erros e escapadas de pista. Mas confesso que mesmo custoso, ri mundo de sua briga com Hulkenberg. Principalmente quando o Homem de Gelo reclamou no rádio das jogadas estranhas de Hulk. O alemão da Sauber parecia possuído, rsrsrs...
Se falo de possessão, a "zica" também se instaurou na Force India: primeiro os pitstops atrasados com problemas para trocar pneus. Novos pitstops e tanto Di Resta quanto Sutil ficaram tempo demais esperando que a equipe resolvesse a situação. Nenhum terminou a corrida.
Sobre a Williams, Maldonado abandonou novamente, e mesmo que os resultados não sejam de pontuação, Bottas se manteve na pista tanto na Austrália, quanto agora na Malásia. Nada contra Bruno Senna, mas Bottas veio com pompa de ser protegido, mas está sendo mais consistente que o companheiro experiente de equipe, coisa que Senna não conseguiu com tanta facilidade.
Das equipes pequenas, STR teve o primeiro ponto com Vergne, mas o segundo abandono de Ricciardo. As demais, Caterham e Marussia, a primeira com problemas de boxes com a STR e a segunda sendo o de sempre, pouco causam impacto. 
Sobrou a McLaren, que parecia ter achado o ponto do trabalho, com Button em quinto, mas um erro de pitstop causou o não marcar de pontos. Maré ruim neles, Perez não sustentou pneus, e marcou apenas dois pontos. A bruxa estava à solta.


Eis os três primeiros da Malásia. Três figurões da discórdia que mostrava uma corrida atípica, dos boxes à pista.
Primeiro quero deixar claro que não gosto do Webber, acho-o muito bruto para comentar as coisas.
A corrida estava chinfrim, com ele (que por um milagre largou bem) e depois de algum pitstop tomou a liderança. Vettel, em um dado momento era mais rápido que ele e questionou a equipe a chance de ultrapassa-lo. A equipe pediu paciência e a corrida seguiu. Pensei: se ele é mais rápido, que passe!
Mais tarde, foi isso que aconteceu, na volta 45. No custo, e brigando muito, Vettel tomou a liderança.
Em tempo, Rosberg trocava de posição com Hamilton e Hamilton retornava à terceira posição. Em um dado momento, Rosberg questionou a equipe dizendo estar mais rápido. Na mesma postura que a RBR, Ross Brawn negou a ultrapassagem, alegando Hamilton estar fazendo um bom trabalho.
No fim, Rosberg até ameaçou, mas na lógica da equipe optou por ser capacho. Percebia-se um certo privilégio no caso da Mercedes, sim. Hamilton não tinha tanto pneu e precisava poupar combustível. Mesmo assim Rosberg teve que ouvir um não e ficar quieto. Cobrou da equipe, que tudo fosse diferente em uma próxima chance. Digo a Rosberg que não será assim. Hamilton será protegido nas próximas, sempre que tiver mais pontos, e porque é a estrela.
Na Red Bull, apesar de ser a mesma coisa, eu fiquei pesarosa pelo Webber afinal ele lutou pelo primeiro lugar que lhe foi tirado mesmo depois da equipe dizer a Vettel que mantivesse assim. 
Vettel pensou nele, assim como acho que Rosberg deveria ter feito o mesmo. No caso da Mercedes, Rosberg e Hamilton estavam muito parecidos e de fato, um tinha problemas enquanto o outro era mais rápido. Foi fato, pelo menos, pra mim, a abertura de Hamilton e Rosberg merecia o pódio.
No caso da Red Bull, a luta de Webber para ser líder, era mais intrigante e por isso, talvez Vettel precisasse ficar mesmo onde estava.
Porém a polêmica é: o piloto não pode mais ser radical e querer arriscar? Não pode desobedecer a equipe, enquanto muitos dizem que deveria? Quando Massa precisa ceder ao Alonso, o comentário é que ele não deveria obedecer, mas quando alguém desobedece aí é polêmica?
Quem está certo, quem está errado? 
Afinal, o que se quer de uma corrida da F1?

São coisas que pensarei melhor, e discutirei na terça com vcs. Os comentários estão às ordens.
Abraços afáveis!

3 comentários:

Jessika Lemgruber e Hugo Mendes disse...

Acredito que se um piloto mostra ser mais eficiente nos treinos,e reproduz isto na hora da corrida, a equipe deve dar condições a esse piloto de brigar por algo maior. Sobretudo em inicio de temporada onde parece haver relativa igualdade de condições.
Lógico que existem outros fatores a serem avaliados, mas este deveria ser um deles, e parece não ser...
Corrija-me se estiver equivocado, Manu! É apenas uma opinião de leigo, bem longe de ser um especialista em GP's como você ! ^^

Hugo

Manu disse...

Oi Hugo! Legal ter vc por aqui!!!
Vc está correto, pelo menos, compartilho de sua opinião. Se o cara tem mais condições de brigar, em começo de temporada ainda, não vejo razões para fazer o possível em disputar uma posição maior. No caso de Webber ele fez um bom trabalho toda a corrida e não parecia mito mais lento, mas era fato que Vettel não deixaria por menos e é visível que ele prefere (assim como muitos) o primeiro lugar.
Em tese, Hamilton estava, muito lento e tendo que poupar combustível e pneus. A ordem da Mercedes pareceu equivocada, a meu ver, mas se Rosberg tivesse ultrapassado, seria o mesmo desconforto que criou-se na RBR. Mas tanto ele quanto Vettel teriam meu "ok" em vista de que: "se tem capacidade, que o faça".
Ordens de equipe sugerem uma fraqueza muito grande dos pilotos.

Escreverei mais sobre amanhã!
Obrigadão por comentar!! \o/
Abração e a gente se vê!

Ron Groo disse...

Tá certo. E corrida de F1 com graça é só ter ultrapassagem.
Webber que se dane.