terça-feira, 12 de março de 2013

Com a palavra: Montezemolo


Presidente da Ferrari cobra título mundial de Alonso e diz que Massa voltará a ser útil (Fonte: Folha de São Paulo)

O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, disse que o piloto espanhol Fernando Alonso deve ganhar pelo menos um título Mundial de F-1 pela Ferrari, após estar a três anos na equipe italiana.
"Alonso sabe que tem que ganhar conosco e nós queremos ganhar com ele", disse Montezemolo em uma entrevista ao jornal italiano "Gazzetta dello Sport", na qual assegura que o espanhol irá cumprir seu contrato até 2015, mas que em 2011 foi prorrogado para 2016.
"[Alonso] está tranquilo e confiante. Fez bem em pular [os testes de] Jerez para se preparar o melhor possível e agora está no melhor momento. Estamos prontos", afirmou Montezemolo.
O presidente explicou que não falou com a imprensa nos primeiros testes "porque tinha que ver o potencial do F138 [novo carro da equipe]". Sobre o futuro do outro piloto da equipe, Felipe Massa, Montezemolo disse que "voltará a ser útil a Ferrari" e deixou aberta a possibilidade de renovar seu contrato até 2014.

Está aí quase meia dúzia de linhas nem um pouco úteis para quem gosta de F1, na verdade.
Sejamos pragmáticos. Quem curte F1, acompanhando corrida à corrida (e mesmo que não leia muitos jornais e notícias a respeito), sabe, sem ter que falar pessoalmente com Fernando Alonso, que o espanhol quer ganhar um mundial com a Ferrari. 
Ele mesmo vem falando isso desde 2010, quando pisou os pés na Maranello. 
Porém, se não é uma razão óbvia, partindo do pressuposto que todo piloto sempre bate nessa tecla toda temporada, mesmo defendendo mais remota equipe propícia a vencer, mudo os comentários.
A reportagem diz claramente: o presidente da Ferrari disse que Alonso DEVE ganhar pelo menos um título mundial pela Ferrari.
No meu planeta, "deve" está no vocabulário dos chefes. Se houvesse um dicionário de chefia, o "deve" e o "se vira" seriam as palavras chaves mais ditas pelos chefes por aí. O "deve" para aquele mais polido, e o "se vira" para aqueles grosseiros. 
Já a expressão "pelo menos um" é baseado na pressão feita. Eu, tenho aquela que Montezemolo implicante como é pensou: se Kimi foi aquele água com essência de limão na equipe e venceu uma vez, Alonso tira de letra um título também.
Só que agora é que os meros mortais tem ferramentas para perceber, que o problema da Ferrari não são os defensores de seus carros. Não há falta de motivação que justifique mal rendimento. O problema é interno, fora do alcance do piloto. 
Mesmo assim, como um bom chefe ele manda. E aquela história de "obedece quem tem juízo" acontece. Só que os que tem juízo pelo visto são poucos. Ainda é cedo para dizer, porém a Ferrari tem o mesmo papo retardado de estar projetando o carro do ano seguinte, enquanto os anos seguintes chegam e eles prometem para o próximo virando bola de neve sem solução. Estou errada? Acho que não: ALONSO: "NÃO DÁ PARA DISPUTAR O TÍTULO DE 2013 FOCANDO APENAS EM 2014"
O problema é que eles vem prometendo o carro do ano seguinte desde antes das mudanças.

Sobre a frase "Estamos prontos", reitero como o comentário acima: Será?
E sobre o futuro do Felipe Massa, é claro que estaria aberto! Depois dos dois últimos anos (sendo boazinha, porque eu contaria pelo menos cinco anos de serviço mal prestado) o que queriam? Contrato vitalício? 
Sinceramente, qual chefe ou, presidente protege quem só faz pequenas lambanças ou as grandes? 
Só o pessoal da Lotus consegue fazer na cara-de-pau, protegendo Grosjean. (Assim, cada equipe com a sua loucura não é? Depois não adianta chorar o leite derramado...)

Abraços afáveis!

Nenhum comentário: