quinta-feira, 16 de março de 2017

Tag sobre Séries

Há um ano, um mês e um dia exatos - 15 de fevereiro de 2016 - eu respondia à uma tag de séries que vi no Facebook.
Acompanhem o link: Tag das séries, para os comentários à seguir. 
No post, eu comentei que não era muito dada à séries e que minha lista era pequena. Mas uma coisa era certa: já sabia que começar uma e outra série até virar uma bola de neve, é meio inevitável. 

Eu comento no post que assistia Once Upon a Time, Vikings, Game of Thrones, Ripper Street e The Big Bang Theory. Não parei de assisti-las. Já quis desistir de uma: Once Upon a Time. Está repetitiva e chatinha. Mas comecei, estamos na sexta temporada e devo - forçosamente - continuar para ver no que dá. Não me espanta ser dos mesmos criadores do Lost. Esse pessoal sabe - com propriedade - perder o fio da meada e bagunçar nossas ideias. Neste caso, não é que esteja com uma trama complexa, apenas está enrolando demais, numa bagunça de personagens que, comparado aos contos de fadas (que agora tem uns acréscimos de outras literaturas, vez ou outra) as mudanças da série misturam coisas nada a ver com recortes cronológicos bizarros.

Ripper Street teve a quinta e última temporada finita em outubro do ano passado... Por isso, neste caso, fiquei órfã desta série. Poxa, série boa, mas muito boa. Vou sentir uma baita falta.


No post de fevereiro do ano passado prometia iniciar Versailles, Sherlock e tinha planos de ver House of Cards. Só cumpri a primeira. Versailles é uma dessas séries de puro requinte, contando a juventude de Luís XIV. Um primor, apesar do excesso de cenas de sexo e nudez.
As outras, estão ainda nos planos.

Na postagem nunca comentei as séries que já assisti e que já acabaram: começo com Ripper Street, uma excelente produção da BBC, com atores ingleses excelentes e uma trama dos crimes da rua onde Jack - The Ripper agiu, matando muitas mulheres, na era vitoriana. sem dúvida, a minha série favorita dos últimos tempos. 
Não comentei no post também sobre Barrados No Baile, que tenho assistido aos poucos, com minhas irmãs, que acompanharam até a sexta temporada, quando ainda passava na Globo, nos anos 90.  Tenho assistido pois elas assistem e no caso, acompanho junto. Não é da minha época e por essa razão, não me cativa. 
Everybody Hates Chris, dispensa apresentações. É uma dessas (junto com Prince of Bellair, Me my wife and kids) que a tv aberta propiciou a repetição exaustiva e o nosso gosto por elas. Nunca fui dada à assistir as que não citei, especialmente Chaves e Chapolin. Acho esse seriado simplesmente chato.
Marco Polo, uma série da Netflix, excelente, bem produzida, que teve duas boas temporadas e foi cancelada pela empresa... Isso simplesmente me tira do sério, sabendo que uma série de drama histórico como essa deu lugar à um monte de historieta descartável que está virando modinha por aí. Série com temática polêmica, situações estranhas e umas coisas sem noção. Mas deixa estar...


Mesmo contra a dona Netflix, assisto à Narcos. Essa segunda temporada já enrolou bastante também. No afã de mostrar a história de ascensão e queda de Pablo Escobar, cada capítulo da primeira temporada era um fato interessante e intrigante sobre o personagem. Na segunda, dois capítulos ou mais já falavam da mesma coisa - Pablo escondido ou fugindo de algum lugar quando a polícia o descobria. Assim, vão para a terceira temporada, para chegar ao fim e captura do trafica só sabe Deus quando, afinal, está repercutindo um "sucesso", eles vão enrolando o quanto podem. Espero que dessa vez, venha o desfecho. 

Assisti também à primeira temporada de "Drácula" com o salve-salve Jonathan Rhys-Meyers, no papel bem encaixado de Drácula. O apelo da série era um pouco modernizado e modificado daquele Drácula antigo ou de Bram Stocker, com um Drácula bem jovem e sedutor. Não sei porque raios não prosperou, assisti ano passado a primeira temporada e poderia ter vingado, pois estava longe de ser fraquinha. 
E por falar nesse ator (ui!), foi também no ano passado que vi as 4 temporadas da série The Tudors, em que ele faz o rei Henrique VIII, seus levantes políticos e relações com as suas 6 esposas. Também no tom de mostrar um Henry mais sedutor, a série apimentou a história com pouquíssimas mudanças, sendo a mais gritante a juventude e beleza do rei: não um homem ruivo, barbudo e gorducho, mas um homem jovem, esbelto e atlético. A maravilha mor dessa série ficou por conta da criação: Michael Hirst, renomado criador dos filmes Elizabeth I e II, é também "o cara" na criação de Vikings.

Falando em reis, também assisti uma série de produção inglesa, como telefilmes, adaptando a obra The Hollow Crown de Shakespeare. A trama consiste na queda de três reis: Ricardo II, Henrique IV e Henrique V. Muito boa, com excelentes atores, entre eles Jeremy Irons, como Henry IV e Tom Hiddleston, Henry V.
Tom também fez um mini série sobre um infiltrado que decide ajudar numa investigação de prisão de um criminoso, chamada The Night Manager. A série lhe garantiu Globo de Ouro de melhor ator de mini-série de tv. Boníssima.

Sitcons são as minhas favoritas, certamente. Comecei a ver, no ano passado, uma que teve apenas duas temporadas e deveria ter bem mais do que isso. Seguindo a premissa do "tudo que é bom dura pouco", Vicious foi divertidíssima. A trama trata-se de Freddie e Stuart, um casal homossexual que vive juntos à 50 anos. Em tom de humor britânico e uma implicância latente entre um e outro, eles recebem amigos em casa e ali, como num teatro, num quadro só, as situações se dão com ótimos diálogos.
Do post anterior coloquei na tag 1: Nunca assisti How I Met Your Mother. Tratei de mudar isso e eis que baixei os episódios, assisti as 9 temporadas. Bem divertida, mas, não bate as minhas favoritas FRIENDS e The Big Bang Theory. Comento mais, depois.

A bobagem do vício se fez presente, e quanto mais se assiste, mais se arruma uma nova: depois de tudo isso, eu ainda programo assistir outras mais. No site "filmow" eu coloquei lá no "quero ver" - Medici: Masters of Florence, Victoria, Downton Abbey, Snatch, Stranger Things, Sherlock, e sinceramente, posso não parar por aí... 

Vamos à tag:

► Qual sua série favorita do momento?

Ainda é Vikings. E acredito que será por um bom tempo. 


► Cite 3 séries que todos deveriam assistir.

Isso é subjetivo. Por mim, mandava todo mundo parar de assistir série que está todo mundo assistindo só porque um monte de gente está comentando. Isso dá asa para produtor ficar fazendo 500 temporadas e as que a minoria gosta e que tem um certo apelo interessante, acaba cancelada. Mas sugestão fica com: Versailles, Vikings e Ripper Street (ainda que já tenha terminado). Indico porque gosto e porque preciso, que as duas primeiras, não sejam canceladas por falta de ibope, rsrsrsrsrs... Já me basta a frustração com Marco Polo.

► Cite uma série que todos gostam, menos você.

No momento, Game of Thrones. Não é que eu não goste, mas é que perdi o pique. Desde o seu início, muita gente que não sabe onde está o nariz, começou a assistir e essa massificação faz a gente querer tomar distância. Muitos não leram os livros, fazem suas teorias na internet, entram em grupos de debate, e respiram a obsessão como se fosse comida. Para completar, eu já desconfiava do iminente final quando eu procurei saber da série antes da sua estréia. Desde uma foto de divulgação de Kit Harington, o Jon Snow e Emilia Clarke, a Danerys juntos, numa capa de revista americana, eu saquei os esquemas: o bastardo era o Gelo e a menina era o Fogo. Os livros chamam As Crônicas de Gelo e Fogo, então seria a história deles até chegarem no poder dos sete reinos. E fim. O que me segura nessa série é que ainda resta personagens cativantes (a maioria legal também já foi assassinada, matando a gente aos pedacinhos) e por ter dragões: três dragões! 


► Cite uma série que ninguém assiste, mas que você adora.

Eram duas: Ripper Street e Pushing Daisies - que naquele espírito de ser boa, mas ninguém deu o devido valor, acabou com um "season finale" meio amplo na segunda temporada. Agora, eu gosto muito de Versailles. Não conheço ninguém que assista.

► Qual o tipo de série que você gosta?

Dramas históricos, épicos ou comédias leves. Não sou fã dessas de super-heróis ou essas que exploram assuntos polêmicos, nem de investigação. As que tem um tom romance quase ou totalmente adolescente, também passo.

► Qual o seu crush de alguma série (homem e mulher)?

Boa pergunta. Acho que não tenho. Talvez crush por personagens cativantes: tipo os personagens de Vikings. Não sou fã do elenco feminino, mas Lagertha é um tipo bem legal para dizer crush - Katheryn Winnick é belíssima e sua personagem é ótima. Mas gosto também bastante do Floki e do rei Ecbert - que sempre propiciou diálogos ótimos com Ragnar. 
Agora crush no sentido de atributos físicos há muitos, mas não latentes, são muitos, mas acho que vou de Edmund Reid do Ripper Street interpretado por Matthew MacFadyen e Ned, o fazerdor de trotas de Pushing Daisies


► Qual a primeira série que você assistiu?

Acredito que foi FRIENDS. E toda vez que posso, assisto tudo de novo. 

► Qual seu site favorito para assistir séries?

Não assisto em site. Baixo para assistir quando eu puder e evitar que os sites desapareçam, e se eu gosto delas, eu guardo dinheiro e compro os boxes das temporadas, pois ficar esperando Netflix postar para que eu possa assistir de novo é piada. Além disso, nada bate qualidade de DVD. 

► Qual o final de série que você mais odiou?

Foi How I Met Your Mother. Além de parecer que correram com o enredo na nona temporada, ficou meio dramático demais para um sitcon. Em todo, não odiei, só achei que era para ser a Robin sempre e pareceu que foi um final forçado para agradar quem shippava Ted & Robin.
Lost não conta porque não assisti todas as temporadas. Pelo visto, a segunda série que não vou gostar do final pode ser GoT.

► Qual série você queria que não acabasse?

Ripper Street, Pushing Daisies e Vicious. 

► Cite um personagem que você tem algo em comum

As minhas irmãs de me chama de Ted Mosby do How I Met Your Mother, porque eu tenho mania de corrigir as pessoas de casa. 
Mas eu tenho um quê de Chandler Bing por fazer piada e trocadilho quando vejo oportunidade.


► Cite um personagem que você não gosta, mas assiste a série

Há sempre um desagradável. No FRIENDS eu não gostava da Emily, a inglesa que o Ross se casa.  A que eu menos gosto é a Mônica. No How I Met Your Mother, eu já estava cansada das mesmices "taradas" do Barney. De GoT eu tenho uma raiva danada do autor e dos roteiristas rsrsrsrs... Em Once, só salva a Regina/Rainha Má e Hook, pois o resto, tá naquela interpretação "piloto-automático", ou já eram ruins e ficaram piores. Em Vikings eu não gostava (ops!) da Aslaug. 

E por fim:
► Você assiste (ou assistiu) uma série brasileira?

Já assisti algumas, todas, da Globo: Amorteamo foi a última. Assisti a primeira temporada e Pé na Cova, mas parei. Toma Lá, Dá Cá era bem melhor. Também assisti Hilda Furacão (inclusive queria assistir de novo e não há um maledeto site com os episódios). Lembro também de Sai de Baixo e Capitu. 

Comentem suas "investidas" em séries. Desejo à todos um excelente dia de Thor :D

Abraços afáveis!

Nenhum comentário: