quarta-feira, 15 de março de 2017

Semana da F1: Pontos aleatórios

Dica para quem quer fazer uma pós graduação: saiba que todos nós temos 24 horas para cada um dos sete dias da semana. Mesmo assim, tudo que você planeja fazer - que você fazia antes de enfrentar a pós - fica em segundo, terceiro e até quarto plano. 
O primeiro plano é sempre a pós: as disciplinas, os artigos, os trabalhos, as leituras de sua pesquisa. O segundo plano, é aquelas pequenas trivialidades, do tipo responder, logo que recebe, uma mensagem do whatsapp. 
O terceiro nível é quando todas as disciplinas estão feitas e seus trabalhos também, mas você está correndo atrás das coisas da sua pesquisa, percebendo que nem todas as horas do dia são suficiente para ela, mais ainda tomar banho, comer e dormir decentemente. Nisso, para no terceiro plano ficam os blogs, as redes sociais, os emails. Tudo, te dá bastante preguiça de atualizar, em especial quando você está caindo de sono e cansaço, por ter enfrentado umas horas de estudo na biblioteca. 
O quarto plano é tudo, absolutamente tudo mais os filmes que queria ver, as séries que vão acumulando os episódios, os novos álbuns lançados das suas bandas favoritas e até mesmo, as leituras de entretenimento, tipo revistinhas da turma da Mônica - que ficam para aquele momento básico que entre o sono e a falta de bateria do celular - ou para os momentos de visita ao banheiro. (E olha lá!)

Por isso que minhas postagens de F1 estão meia boca. Ver as coisas na internet, rapidamente, pelo celular enquanto se tenta estudar numa biblioteca barulhenta não é das melhores opções para se fazer um post.
Ontem foi um destes momentos que seguramente eu não poderia estar em situação mais desfavorável. Na biblioteca, tentando me afastar da conversa alta das moças da limpeza, mudei três vezes de mesa. Numa dessas, vi esse distinto carro da Force India via Twitter:


Baseada em uma das patrocinadoras da equipe, a BWT, a nova pintura do carro - que até dois posts atrás eu defini como o mais feio - foi modificada daquele que veio para a gente na apresentação. Permanece tudo ali: a basbana longa, o degrau do bico, terminando em uma forma de gosto duvidoso. Mas é... Rosa.
Quando acessei a foto numa das minhas migrações na biblioteca da universidade, pensei no caminho:
- "Talvez uma brincadeira, ou uma ideia de fãs".
Não que tenha pensando isso porque ter achado feio. Só pelo fato de, acrescido ao turbilhão de pensamentos, uma baita calor e desconforto, não processei a informação direito. Depois, só mais tarde, assentada próximo à uma confortável mesa com direito à uma bela janela que ventava um frescor da árvore próxima, eu recebi uma mensagem da Luane do Octeto avisando que elas do blog haviam "comprado" a Force India e "dedicado" as cores do site na pintura do carro.
Lembrando do fato, me atentei a observá-lo: eis que o carro, com pintura rosa, deu um ar totalmente novo ao carro, que antes, era considerado o mais estranho de todos. Não está totalmente lindo, mas que ficou bem legal e disfarçou aqueles detalhes que nos fez torcer o nariz antes. Isso foi feito e com muito sucesso.

Enquanto isso, treinos feitos, agora resta esperarmos por Austrália. 
Com o fim dos treinos tivemos uma ponta de esperança em ver não a Mercedes, mas a Ferrari fazendo um trabalho bom a custo de colocar seus pilotos mais vezes nos pódios, do que no último ano, PELO MENOS. 
Continuam, numa modéstia muito grande com relação à isso. Só poderemos começar a dizer se vale a pena essa amenidade, talvez, na quinta ou sexta corrida. Se depois delas, ainda tivermos boas e limpas vitórias, já dá para fazer um bom festejo. Tudo para sairmos dessa maratona de Lewis Hamilton tomando conta de tudo. 
Ainda que seja Vettel, eu mesma não ligo se Kimi não estiver no páreo para vencer um campeonato. Desde que ele voltou à Ferrari soube que ele aceitaria as condições de "reserva". As coisas mudam, e mudam para melhor ou pior. Ainda respeito e torço pelo piloto que aprendi a gostar com sinceridade, muitos anos atrás. Mas desde que ele foi pai, ele mudou sua condição e personalidade de forma natural, assim como eu amadureci a minha forma de ver o esporte. Hoje, aprendi que se ele reclamar é porque tem coisa errada. Se ele colocar panos quentes, eu devo dar de ombros. A situação é bem mais agradável assim, posso lhes garantir.
Embora olhe para o filho dele, e destarte, vejo a mãe, vejo na criança a fonte de uma coisa a mais para perceber crescimento de Kimi enquanto pessoa. Vejo sim que "Kimi sincerão" ainda existe, mas o "doidão da vodca" é coisa do passado. Pena que a imprensa brasileira ainda tasque comentários das épocas de jovem fanfarrão que ele tinha, ou comentários depreciativos sobre a sua forma um tanto insensível de encarar as coisas. Brasileiro acha que é o melhor ser humano do mundo, então, nunca perde a oportunidade de engrossar o caldo do estrangeiro, para se vangloriar de atos que muitas vezes são culturais e não merecem julgamentos, quiçá comentários ignorantes.
Mas isso, são outros termos. Todo o foco agora é falar mais do mesmo para qualquer segmento da comunicação: seja no futebol, seja no basquete, vôlei, triatlo, UFC e até outros tipos de entretenimento como novelas, programas de talk show, reality show e aqueles fúteis sobre fofoca de artistas, sempre pautarão os mesmos assuntos, a mesma falácia desnecessárias. Exigir agora coisas menos "nonsenses" dos veículos de notícias, em tempo que blogueiro e youtuber é profissão, é luta de guerrilha: não tem nem terá um lado vencedor. 

Infelizmente, a McLaren tem realmente um problema grave em ainda se manter com aquele pessoal da Honda coordenando alguma coisa na equipe. Figuras que, se fossem da minha responsabilidade, já teriam tomado muito tapa na cara à exigir melhores resultados. Os dirigentes parecem fazer vista grossa com relação ao problema, e podemos até arriscar dizer que, ou estão iludidos na esperança, ou estão escondendo jogo. Parece ser a primeira opção, para desespero de quem torce pela equipe e torce por Fernando Alonso. Mais ainda é pensar na tristeza que será para o "semi-novato" Vandoorne pegar essa "pedreira". Uma vantagem para o mocinh: não vai crescer no fermento do ego tendo um começo de carreira fácil com um carro bom. 

Dia 26 tá chegando... O que nos aguarda realmente? (Comentem suas expectativas!)
Abraços afáveis!

Nenhum comentário: