segunda-feira, 22 de junho de 2015

GP da Áustria: "eeeh?!"

A corrida começou tranquila. Para facilitar a nossa vida, o narrador era alguém tranquilo e que dita ritmo minimamente consciente de uma narração. Cléber Machado pode não ser o melhor narrador do universo (longe disso), mas seus comentários mais lisos que não protegiam de forma nojenta um dos Felipes, ou os dois, nem forçava para que os outros dois papagaios dessem as suas opiniões toscas a respeito de coisas e pessoas que não conhecem, foi positivo. Se houveram comentários críticos não afetou a minha irritação pois nem guardei atenção. Nada como na última corrida, cujo o narrador explorou toda a falta de noção e nada como o outro "narrador" mor que se dedica a uma selecinha aí. Ficamos bem.

A largada foi boa até certo ponto. Até ali nos quatro primeiros carros. Ainda esteve longe de ser o ideal mas depois de erro duplo dos dois carros da Mercedes no treino e ainda assim eles permanecerem largando na frente, só mostrou o quanto a F1 está "russa". Até nos erros ainda não são superados por mais ninguém e se são, é sempre o coitado do Rosberg que se ferra. 
Mas eu gostei que Hamilton tivesse jogado o seu carro fortemente contra o companheiro de forma tão descarada e doentia. Tem necessidade daquilo? Claro que não, mas ele gosta de provocar rompantes de raiva nos outros e se condói quando a maré vira contra ele. Porém Rosberg foi bem em se livrar e soube aproveitar as chances das curvas e deu de ombros para Hamilton, tomando a ponta e só lutando para permanecer. Isso na primeira volta. Pouco atrás, Vettel fazia o mesmo com Massa. Quase idêntico movimento... E eu esperei que Vettel pudesse fazer o serviço melhor. E fez. O lugar do Massa é quarto, e quarto deveria ser.
Apesar da razoável largada, houve um momento ruim e até assustador. A imagem cortou rapidamente e um carro sob o outro em acidente e identifiquei o capacete de Kimi. O acidente tinha sido forte e feio. Nada grave havia acontecido, o carro de cima era o de Alonso, que saltou rápido do carro visivelmente atento a saber como Kimi estava. Os dois apertaram as mãos e estavam plenamente inteiros: olharam para trás para verem o estrago. Ali sem replay dava para imaginar muita coisa. Quando mostraram, pouco dava para saber o que tinha acontecido, mas paira que Kimi perdeu o controle mesmo e tinha pouco espaço para isso. Após a corrida sabe-se que não há culpa de nenhum dos dois envolvidos, apenas incidente de corrida. Alonso e Kimi, que já foram companheiros de equipe, mas gera muito comentários, foram cordiais um com o outro, pois à anos competem na mesma categoria, e à anos se respeitam. Mas nem chegaram na Áustria e já não tinha muito o que fazer por lá. 
E então mais um personagem na pista: o Safety Car,  até volta 7 por aí. 
Logo que a Ferrari só tinha um carro na pista, a McLaren fazia o Button abandonar. O que Ron Dennis e sua trupe querem provar com esse esquema vergonhoso ainda resta entender... 

SC fora e voltamos mesmo à mesmice da F1. A monotonia bateu ponto na pista da Áustria com aquele ar campestre se dó nem piedade. Vai ser assim todo ano, podem crer. 
De fato desde 2009 a F1 está ruim, mas até ano passado haviam coisas que ainda nos seguravam, queriam saber no que ia dar, mesmo tendo desconfianças. Ora, sabemos que está tudo arquitetado para o tricampeonato de Lewis e o ego dele vai reproduzir-se por bipartição. O Ego 1 cresceu de tal forma que já tem até conta corrente individual em banco. Com o tri, ele expandirá e o pedaço que escapar dará forma a um novo indivíduo: o Ego 2. 

Se essa monotonia chatinha veio fazer a sua visita de sempre, não resolveu colocar uma vassoura atrás da porta. O máximo que aconteceu é a dona Ferrari aprontar na parada do Vettel e ele perder o terceiro lugar para aquela criatura de nome Felipe Massa. E aí Arrivabene? Corrida passada foi o Kimi que ficou em quarto... Coméquefica seu discurso agora?

E se corrida passada nos privaram do pódio com o Bottas, na Áustria nos deixaram ver aquele pouca-telha. Desastroso, hein?!

Corrida ruim, mas não das piores. Se alguém perguntasse: " E aí, como foi a corrida?", a resposta seria tal qual a resposta do Billy Cristal no Oscar 2012, entre os segundos 20 a 23.



E foi. 
Abraços afáveis!!! Boa semana de trabalho para nós!

5 comentários:

Talita Regis disse...

"Ora, sabemos que está tudo arquitetado para o tricampeonato de Lewis e o ego dele vai reproduzir-se por bipartição." ADOREI! XD
kkkkkkkkkkkkkk'

Foi uma corridinha sem sal mesmo, ainda mais depois da "murchada" que a batida de Kimi e Alonso provocou nessa que vos fala... :/

E que pódio mais... gasp... Bom, tira o Nico dali para o bixin não se infectar, gente... O.O

Não dá para se empolgar com a F1 atual. Pelo menos na época em que a Red Bull dominava tudo tinha luta até o final... :/
Com a Mercedes fica difícil...

Talita Regis

Manu disse...

Talita, Rosberg ao mesmo tempo que acertou ir pra Mercedes, errou pelo desprezo velado que encontra naquela equipe.
E é, o acidente deu uma "murchada" ainda maior na nossa expectativa.

=*

Ron Groo disse...

Nem ligo mais pras Mercedes e seus cones...
Fiquei de olho no Nasr, correu bem. E o melhor, não tá caindo no oba oba.

Manu disse...

Isso é Groo. Percebi também que os próprios narradores da Globo já não ficam muito em cima dele, o que significa ponto para ele.

Manu disse...

Isso é Groo. Percebi também que os próprios narradores da Globo já não ficam muito em cima dele, o que significa ponto para ele.