quarta-feira, 17 de abril de 2013

Sobre Kimi na Lotus


POR KIMI, GRUPO GENII PLANEJA VENDER PARTE DAS AÇÕES NA LOTUS, DIZ REVISTA (Fonte: Tazio)

O grupo luxemburguês Genii, proprietário da Lotus, planeja se desfazer parte de suas ações na equipe para continuar a parceria com Kimi Raikkonen em 2014. A ideia é, com o montante da transação, ter capital suficiente para renovar o contrato do finlandês, que teve seu nome ligado a uma futura transferência para a Red Bull. A informação é da revista italiana “Autosprint”.
“A situação de Kimi é baseada numa série de coisas e não no que a Red Bull tem a dizer”, disse Gerard Lopez, um dos donos do Genii, à publicação inglesa “The Sun”.
“Posso lhe garantir que Kimi não é o tipo do cara que vai assinar qualquer tipo de pré-contrato com ninguém. Se continuarmos dando a ele o que ele quer, não há razão para que ele vá para outro lugar.”
Como outras equipes sem motor próprio, a Lotus terá de aumentar seu orçamento em 2014 para se adequar ao novo regulamento técnico da F1. O diretor técnico James Allison também é cotado como um dos candidatos a substituir Paddy Lowe na McLaren.
Ainda segundo a reportagem da “Autosprint”, a Red Bull planeja vender a Toro Rosso, seu time B na F1, para investidores do Oriente Médio.

É.
Em primeiro lugar, muita coisa precisa pode ser comentada a respeito dessa pequena reportagem.
Primeiro que por mais que a Lotus venha se aproximando aos poucos de bons resultados isso não fará dela grande, caso ela não tenha patrocinadores fortes e resistentes.
O que se passa na cabeça de uma pessoa qualquer é que Kimi é então muito caro pra equipe. Mas antes de que essa pedra seja jogada só peço uma pausa. Kimi pode ser caro pra equipe, mas ele tem trazido nesse tempo todo motivos para investirem nele. Com seus bons resultados (até agora pontuando em todas pela Lotus, das 20 corridas do ano passado, pontos em 19 e nesse ano, três corridas, dois pódios, e segundo lugar no campeonato) coloca a equipe visível, coisa que se dependêssemos de Grosjean por exemplo, talvez não fosse assim e a Lotus estaria em uma crise muito maior.
Se outras equipes fariam isso por Kimi, isso eu tenho certeza que não. A Ferrari nunca precisou de dinheiro, então dispensou os serviços do finlandês com a cara mais lavada que puderam fazer. Com isso, a escolha de torcer por Räikkönen me rendeu desde o fim de 2007 até hoje, muito comentários sobre incompetência, desmotivação, frieza (fora as constantes cobranças pelo gosto pelo álcool, como se isso fosse uma constante como batimento cardíaco). Gente para falar besteira vai surgir sempre. Com isso eu só priorizo aquelas opiniões que por mais que sejam diferentes da minha, tenham fundamento lógico e não patético.
Equipes como a Mercedes ou a McLaren também não fariam, as menores então, não tem condições de entregar um carro razoável, então, seria chover no molhado.
A Lotus pode dizer o que for, mas a procura por Kimi deixa a situação diferente. Mesmo que ele seja íntegro e não larguem eles na mão, por mero acaso ou sem conversa, ele se torna o doce mais procurado da padaria. E é por isso que eles começam a correr a trás para mantê-lo interessado, trabalhando no carro e dando o que ele quer: chances de vencer.
Eu penso que o comentário sobre Kimi na Red Bull tenha só tomado força pois uma briga foi gerada entre Vettel e Webber. Caso contrário, poderia até vir a tona, bem mais tarde, mas não acho que alguém realmente tenha interesse em Kimi simplesmente assim, do nada. 
Primeiro porque o assunto veio a tona para abafar os comentários fervorosos sobre o incidente da tricampeã e seus pilotos na Malásia. 
Segundo, porque assim, o foco dos comentaristas e jornalistas sairia do "esporte ético" para o "dream team" prestes a vir em 2014. 
Terceiro que Kimi só é cogitado, pois a Red Bull pode parecer mais meiga que a McLaren, mais calma que Ferrari, mas é mais esperta que as duas juntas:  aniquilaria assim de vez uma das equipes que pode crescer mais e ser imbatível logo, logo. 
Duvidam? Digo um ano: 2009. 
A Ferrari tinha um péssimo carro, e havia cometido o grande erro de má administração no ano anterior. Colheu maus frutos no ano seguinte. 
A McLaren esqueceu que 2008 tinha acabado e ficou na festa interminável.  
A Brawn surgiu do nada no ano de 2009 e a McLaren só pode ser espertinha, aniquilou a equipe, tirando dela, o campeão mundial, e em 2010 começou o que para eles seria um "dream team". 
Enquanto isso a Ferrari também arquitetou para que seu ano não fosse apático, trazendo o melhor piloto do grid. 
Só que ambas esquecem que para segurar caras grandes, é necessário mais que dinheiro. É necessário carro competitivo.
O que era a Red Bull antes de Vettel e Newey? Pois para mim, a Red Bull está sendo muito mais esperta. Eles tem um grande projetista e estão querendo sonhar com um "dream team" que talvez, de fato, em vista de todas as teorias, pode sim, ser a hora de aparecer uma equipe perfeita de cabo a rabo.
Porém, ninguém sabe o que querem os dirigentes da Red Bull, não se sabe se tudo o que a Lotus fizer, surtirá efeito.
E imagino que sim, Kimi pode ficar na Lotus. Penso que é feliz ali. Mas depois de 2009, mãos no fogo por uma equipe não é mais uma opção. 
Sim, será bom para a Red Bull, com Vettel e Räkkönen. Sem dívida. Eu, particularmente acho que nenhuma falta de respeito surgirá entre eles. Imagino até que seriam os grandes protagonistas de espetáculos a olhos vistos, sem polêmicas. Até incluo Alonso no jogo, sem as amarras ferraristas.
Mas o que está por trás do esporte, por trás das corridas, é a política e o dinheiro. E é isso que afunda qualquer barco de mundos perfeitos. Não há outro meio, se não esperar e esperar. E esperar, acima de tudo, que as opções escolhidas tenham sido as melhores.

Abraços afáveis!

6 comentários:

Octeto Racing Team disse...

Eu gostaira muito que ele ficasse na Lotus. Que a equipe pudesse oferecer a ele chances reais de vencer. Eles formam uma ótima combinação, mas é preciso dinheiro para que eles possam ser competitivos para enfrentar Red Bull, Ferrari, Mercedes e McLaren.

Não quero Kimi na Red Bull. Sei que ele e Vettel são amigos, mas isto não conta na hora da disputa. E embora Kimi não se importe com esta questão de 1º piloto, a Red Bull de fato não gostaria de alguém para bater de frente com Vettel.

bjs

Ludy

Marcos Martins disse...

Kimi sabe da dificuldade financeira de sua equipe, então se a Lotus parar de evoluir seu carro e a RBR realmente estiver interessada nos seus serviços, eu acho totalmente plausível ver o Raikkonen ao lado do Vettel. E sim, isso seria o "dream team"!

Manu disse...

Corcordo Ludy, que sim, ficar na Lotus é o melhor caminho. Minhas ressalvas com a RBR são parecidas com as suas. As expectativas dessa parceria ficam muito mais em um mundo perfeito, fantástico hehehe...

Aê Marcos, seja bem vindo aos comentários. Contarei com vc aqui mais vezes!
E sim, se a Lotus parar de evoluir será inevitável que Kimi não cogite a proposta da RBR.

=*

Octeto Racing Team disse...

Pois é Manu. É claro que vou entender se ele sair da Lotus e for para a Red Bull, afinal de contas, ele quer vencer e se a Lotus não puder dar isto a ele e a Red Bull sim, é a escolha certa a ser feita.

Mas não acho que o ambiente na equipe austríaca será leve como na Lotus. Há tempos eles deixaram de ser aquela equipe descontraída e engraçada que era quando chegaram à F1. O buraco hoje lá está bem mais embaixo.

bjs, Ludy

Manu disse...

É, e bota "embaixo" nisso rsrsrsrsrs...

Ron Groo disse...

Kimi é importante peça no marketing da equipe... E vence. Logo, o que puderem fazer para segurá-lo, farão.