segunda-feira, 22 de abril de 2013

Sobre GP do Barein

Costumeiramente com a minha coluna de segunda a respeito das corridas de domingo: aqui vou eu!
Infelizmente a minha vontade de escrever uma postagem como foi a de 2012 para esse GP fica fora de cogitação. Não dá para fazer uma postagem dizendo que tudo foi legal pra caramba. Ainda continuo não gostando muito da pista e em tese, não foi muito diferente. 
As semelhanças de pódio são praticamente as mesmas:



Então, me deixei levar pela loucura de ler a minha postagem do ano passado (e aqui ela está: Barein serviu para alguma coisa). E as semelhanças não pararam no pódio, o que comprova que Barein não se tornou boa de uma hora pra outra, ainda assim é em partes, chata e em partes, previsível.

Incrível, como o que comento lá em 23 de abril de 2012, sobre as Ferraris quase não mudou. De acordo com a declaração da narração local, Massa tinha estratégia inteligente para lutar por pódio. Décimo quinto lugar e claro, ele passou pertinho, só que não. 
Ah, dois pneus rasgados, sei. Pois é, acontece. Alonso com a DRS estragada e quatro paradas,  ainda marcou míseros quatro pontos. Mas marcou. Não e grande coisa, ano passado foi melhor, mas quando o azar bate a porta, ele entra mesmo sem ser convidado.
Palmas para o "Rubim" que com a transmissão foi sensato em não alfinetar ninguém e até fez comentários, ainda que muito longos, extremamente construtivos. Quando todos pensavam que o pneu do Massa era algo da pista ele foi lá e disse o que estava na cara: o carro deveria estar mal equilibrado, afinal era sempre o mesmo pneu com problemas, devia estar saindo de traseira ou algo assim. 
Com o fim da corrida, Massa declarou a Mariana Becker (sempre péssima) que "não sabia explicar" o acontecido... Grande cara, não?

Fazendo um parênteses fora da minha coluna do ano passado, devo parabenizar "Rubim" pela transmissão. Não tivemos quase nada em que desse raiva, ao ouvir. Desde o começo, ele foi sensato, avisou que há pilotos que não gostam de dar entrevista antes da corrida, pois estão concentrados. Disse que o que eles respondem não é bem pensando (ou seja, se alguém for mal educado é porque está sendo incomodado), e ainda teve uma certa influencia feliz para fazer uma rápida pergunta a Webber e receber uma resposta bem humorada e claro, sensata pois não custou nada do momento dele. As explicações durante a corrida foram eficientes, e ele não julgou ninguém, não disse nada que dessem más interpretações. 
Bom profissional Rubinho, se continuar assim, trocamos o Burti por ele. Conselho: só não entre na jogada do Galvão e do Reginaldo que nossa vida e manhãs de domingo ficarão muito boas em vista do que era. 

Voltando a coluna, eu também reclamei da Mercedes ano passado. Engraçado como Hamilton que não teve nenhum grande momento, do nada aparece em quinto, marcando pontos, e Rosberg morreu na praia. Ano passado, na China, Rosberg venceu. Esse ano, mesmo largando na frente, chegou a duras penas em nono.
Já que é de Hamilton que falamos, esse ano ele está em outra equipe, está certo. Não apareceu em nenhum grande momento da corrida e mesmo assim, foi melhor que ano passado.
Já na antiga casa, a vida não foi boa para seu ex companheiro de equipe, Button, nem ano passado, nem nesse. Ano passado, teve pneu furado, esse ano teve uma pedra no pneu... Pérez seguiu a risca o pedido de Whitmarsh e deixou de ser educado. Atacou todo mundo que teve chance e na maioria das vezes na loucura que lhe cabe.
Sim, gostamos de ver arrojo, mas gostamos de ver daqueles que a gente sabe que não vai voar nenhum pedacinho de carro. Parabéns Whitmarsh, vc reviveu um monstrinho.

Vettel também estava com aquela mesma ideia de que teria que andar muito para vencer. Quase como ano passado, veio de cara pro vento, e em pouquíssimas voltas, deixou de ser líder. Não foi prejudicado por nada nem ninguém e repetiu o passeio dominical de 2012. E da mesma forma, em outro ano não ouvimos falar de Webber a não ser no fim da corrida, quando Perez achou que poderia fazer mais uma vítima. 
Pérez teve uma espécie de pódio ontem, ganhando o primeiro lugar por ter quase matado de raiva o seu companheiro de equipe, o segundo por ter jogado pra fora da pista um campeão mundial (depois de Kimi, a vez foi de Alonso) e terceiro, por infernizar a vida de um velhinho, o Webber.

A dupla da Lotus agiu praticamente igual ao ano passado. Grosjean deu as caras depois de 3 corridas apagadinhas, e lutou de igual pra igual com Hamilton, assim como ano passado e garantiu, depois de uma boa largada, um bom ritmo e um terceiro lugar. O repeteco não parou aí. Kimi se classificou mal, porém não se abateu. Sambando na cara de quem fala em excesso de desgastes de pneus, reclamou até porque havia parado cedo, quando todos haviam parados muitas vezes ou já estavam prestes a novas paradas. A equipe sem graça da Lotus respondeu que era assim mesmo e até agora não saquei muito bem a estratégia. Mas deu certo, e ele é figura principal nessa. 

Diferente do que disse ano passado, a Lotus não tem muito que se orgulhar da dupla esse ano, e sim de um deles. Apesar de Grosjean ainda não ter feito nada que nos fizesse lembrar quem ele é, ainda falta um pouco mais para a equipe se sentir completa. Acompanhar Kimi deveria ser uma constante em todas as corridas, para que de fato a Lotus consiga muita coisa boa, afinal eles tem um bom carro.
Kimi é com Vettel, os únicos pilotos com três pódios em quatro corridas. Vettel se distanciou de Räikkönen em 10 pontos, sendo o somatório até agora com o alemão com 77 pontos e o finlandês com 67. 
Já que aqui no Brasil muita gente curte desculpas esfarrapadas para não fazer as coisas que são obrigação, eu dou destaque a uma coisa que li nesse instante no Uol esportes: Crise alérgica quase tira Räikkönen de GP do Barein
Segundo lugar? Nada mal... 

Em tese, por mais que o pódio seja legal, por mais que a corrida tenha sido palco de ultrapassagens, problemas inesperados  rasgos de pneus e estratégias furadas, e gente louca fazendo ultrapassagens arriscadas e afoitas, ainda assim a corrida do Barein é chata.
Mas não acompanhar as corridas é uma fraqueza que não supero. Ainda mais quando alguns fazem ela valer a pena, pelo menos um pouco. 


Abraços afáveis!

2 comentários:

Jaime Boueri disse...

Massa disse que não tinha o que explicar, porque não tinha mesmo! Simples.

Quem em sã consciência ia parar de duros ao mesmo tempo do pessoal que estava de macio para colocar os mesmos pneus de pau?! Quem?!?! O_o

E, só pra complementar. Não acho que tenha sido uma questão de equilíbrio do carro não. No máximo pilotagem... Mas, acredito em detritos. Ainda mais no segundo, que dechapou...


Decidi torcer pra ele por causa disso aqui: http://blogdoboueri.blogspot.com.br/2012/11/gp-brasil-corrida-2_26.html

Mas, sinceramente, já estou começando a desistir, viu?!

Manu disse...

De fato não havia o que explicar, mas poderia dizer as possibilidades, tipo, detritos ou carro mal equilibrado. Talvez na largada com Sutil?!
Mas enfim, a resposta não resolveu muito.

Não é pra menos que se desiste Jaime. Muitas coisas acontecem e fazem a gente perder a vontade mesmo. ...

Abs!