terça-feira, 30 de abril de 2013

Sobre Kimi na Lotus (parte 2)

Definitivamente, meu plano nunca foi fazer desse post aqui: Sobre Kimi na Lotus uma parte 2.
Porém o assunto ainda continua.
Não adianta Webber anunciar que não sai da Red Bull, se a imprensa insiste em crise entre ele e Vettel. 
Nem adianta ele explicar que nunca foram grandes amigos, mas que se respeitam e buscam juntos a felicidade da equipe. A imprensa ainda acha que ele quer fazer média para garantir contrato ano que vem, e que na real, teme ser sumariamente substituído.
Os chefões da RBR fizeram o favor de citar o nome de Kimi Räikkönen, e agora, nenhuma outra hipótese vem à tona. 
Não adianta Kimi responder que está pensando nesse ano, e exclusivamente nas corridas de 2013 e não prevê mudanças no futuro. A imprensa cutuca o finlandês no buraco da ferida: se ele disse que voltou para a F1 porque confiava que teria um carro competitivo, que fizesse ele vencer, porque não escolher a equipe com o carro mais bem projetado para isso?
Não adianta ele responder uma frase do tipo "Vencer é importante, mas mais que isso, é importante estar feliz com o que faz"...
Não satisfeitos, eles vão em cima de outro ponto que pra eles, seria muito importante - amizade entre ele e Vettel. Jamais arrancarão de um dos dois algum tipo de ofensa. Porque não tem motivo falar mal.
A imprensa age como uma fofoqueira da vida: "ah, eles são amigos, é o dream team"... 
A amizade na F1 é diferente, ele se dá por afinidade e/ou por respeito. Se você for maduro e gostar de conversar normalmente com alguém, aí sim, você pode dizer, que há alguma amizade. 
Mas não espere que o cara seja o padrinho de casamento.
Nem todos os meus amigos são para serem padrinhos de casamento. Uns servem para conversar de F1, outros sobre cinema, outros sobre séries, outros sobre faculdade, outros sobre música, livros... E sendo sincera, não passa de 3 aqueles que são para fazer exatamente tudo junto. Mesmo assim, cada um tem sua vida, seus motivos para as coisas que fazem ou deixam de fazer. 


Vettel disse, essa semana que sim, seria ótimo ter Kimi como companheiro de equipe. E eu pergunto: qual resposta ele poderia dar, se não fosse essa?
Por mais que eu goste de Vettel, e confio que foi uma resposta sincera é preciso ater ao bom senso, e entender que no status em que ele se encontra, está muito, muito confortável. Ele é tricampeão em uma equipe que é tri com ele, e lhe oferece tudo. Kimi não ligaria se fosse considerado segundo piloto porque ele não faria esse papel na realidade. Se o mundo dele parasse de girar pelas coisas que falam dele... Pfff! 
Mas você pode amar uma pessoa, se casar com ela e dizer que ela é o amor da sua vida. Mas eu desafio você passar a trabalhar com ela, e ela não fazer uma mísera coisa que te irrite ou faça começar uma briga.
As pessoas são diferentes, e se elas se dão bem não significa que não terão um dia ruim. Quem não garante que Vettel não vai surtar uma hora que Kimi não lhe der a passagem? Quem garante que ele vai ficar sorridente toda vez que Kimi for bem sucedido e ele não? Quem garante, mais ainda, que ele não vai se incomodar quando Kimi disser que não se importa com que Vettel faz?
Pior, quem garante que a RBR não fará um repeteco do que a Ferrari fez, com Kimi, em 2008 - 2009?

O papo de que Kimi está entre razão e coração também não me agrada. Primeiro que acho apenas que o boato surgiu porque a RBR fez o favor de transparecer interesse. A jogada foi simples, se não pode superar o inimigo, que se junte à ele. Ao mesmo tempo, jogaram nas costas do Webber a chance para resolver-se com a imprensa o fato de não ser muito bem quisto, desvirtuaram de Vettel a figura vilã, e o mais importante: mostraram força. Sim, porque na ameaça de Webber causar mais problemas, disseram que são capazes de ter um cara forte, que é amigo de Vettel e que será cordeirinho. 
Não é bem assim. Duvido que Kimi cairá em lábias hipócritas (ainda que veladas). Não de novo.
Mas não estou por dentro de tudo que se passa ali, para falar na bucha X ou Y. Pode ser que todos estejam dando declarações para dar corda a uma coisa que nem tinha planos. Um minuto de bobeira, uma mentirinha que agora está virando fato, e tudo pela lenha da imprensa. No fundo, pode ser que nem a Red Bull está pensando mais nisso, nem a Lotus.

Ontem, vendo a notícia de que Robert Kubica estaria sim com chances de retorno, (afinal assumiu que visitou a Mercedes para usar os simuladores)... Fiquei pensando na primeira vez em que o nome de Räikkönen foi citado na F1, depois de sua saída. Foi pela Lotus, que sem Kubica (devido ao trágico acidente), precisava de uma jogada de marketing extra.
Como é costume da imprensa que faz mal e porcamente a cobertura do que se passa na F1, tive um momento de "caçar pelo em ovo".
E se a RBR com essa de citar Kimi como planos futuros, fez o pessoal da Lotus deixar cair a ficha e descobrir que eles não tem outra alternativa, uma carta na manga caso Kimi decida ir pro lado deles? 
E se Kubica voltar pra "casa"? E Kimi realmente não estiver nem aí pelo que pensa o pessoal da Red Bull? 

E depois disso, só posso finalizar com: Maldita seja a Red Bull... ¬¬'

Abraços afáveis! 

2 comentários:

Também Falo Disso disse...

Meu medo é exatamente esse, um repeteco de Ferrari 2008-2009.
Ótimo texto, Manu.

Manu disse...

Não será nada agradável se formos ler as mesmas bizarrices daqueles anos a respeito do Kimi.

=*