sábado, 6 de abril de 2013

Filosofia do "pra quê isso?" ou Teoria do "E o Kiko?"

Queria perguntar a todos vcs se as vezes não ficam sem paciência de ligar a tv, de ler notícias na internet ou nos jornais impressos, abrir uma revista, ou mesmo gastar umas horas no facebook...
Bom, eu estou nesse momento "sem paciência" para quase tudo.

Antes mesmo de clicar em "email" no Yahoo vem uma avalanche de notícias propriamente inúteis para exatamente qualquer um logo na página inicial do portal. 
Instantaneamente meus neurônios trabalham e meu cérebro condiciona dois tipos de frase: "Pra quê isso??" ou "E o Kiko?" Famoso: O que que eu tenho com isso?
E se fosse só nos jornais, nos sites de notícias, portais e tv arriscaria dizer que estamos bem. Há tempos eu tenho certeza que jornalistas têm a certeza que somos um bando de bananas (e pelas notícias bobas repercutindo tanto, eles não estão tão errados assim). Mas o problema começa quando vc acessa o facebook. 
Esse ano eu fiz um limpa naquele meu perfil. Agora só tenho parentes, amigos, pessoas com interesses em comum, ex-colegas de turma, colegas de sala/curso e conhecidos que são gente boa. 
Eu sei usar a rede social. Se o que a pessoa publica não me agrada, ela não recebe um "curtir" meu, nem comentários, por um simples e pequeno motivo: o facebook é seu, então publique o que quiser. Assim eu publico também o que eu quero e o que acho que devo. Se realmente alguém vier falar "A", vai ouvir o alfabeto inteiro.
No meu facebook tem evangélico fervoroso, católico fervoroso, católico de faxada, judeu, ateu (e inclusive os que se dizem ateus, mas nem sabe o que isso significa), espiritas, ignorantes e intolerantes, tem os falsos, os carentes, os bêbados, os piadistas, os cultos (e os pseudo-cultos que são praticamente maioria), os revoltados, os rebeldes sem causa, os preconceituosos, os roqueiros... Como é normal, tem de tudo. Não compactuo com tudo que publicam, mas acho que ter esse tipo de contato vai além do que se pensa ou fala.  
Vcs não verão a Manu indo de perfil a perfil deles falando o que fazem de errado. E se publicarem uma opinião que eu não concorde, eu não vou lá dizer comentar "isso está errado, vc não pode pensar assim...". Porque se formos parar para pensar, o que é certo e errado?

O máximo que se pode fazer é pensar as frases que citei a cada momento que vê uma foto de gosto duvidoso, ou uma foto qualquer que venha com legenda em português que não se ensinava na escola (porque parece que está na moda não saber escrever), ou uma postagem transparecendo um preconceito, uma indireta para o namorado(a) escancarando a vida de alheios, um protesto sobre algum político, algum programa da Globo, ou sobre alguém que fez uma piada machista ou homofóbica, ou uma corrente de brincadeiras sobre um mesmo assunto publicado tantas vezes que já até perdeu a graça. 
É um tanto triste você pedir o povo tenha o mínimo de discernimento e gosto por cultura e quando diz que gosta de ler, a pessoa responde "Adooooooro Crepúsculo!" Beleza, gosto é gosto. Mas dói saber que se a maldita autora desse livro não escrever mais nada, a pessoa vai parar nessa coleção e nunca mais vai ler nada. Pior ainda quando vc dá de cara com uma livraria cheia de gente comprando livros e acredita que a humanidade está evoluindo. Daí vc pega a fila com o seu exemplar e observa a fila e todos só tem livros de auto-ajuda na mãos, tipo Augusto Cury. E os mesmos olham feio para vc, pois vc tem um livro de fantasia, na mão. 
Mais legal ainda é ser convidada pelo cinema local à uma estréia de filme que vc quer muito ver. Daí vc prepara ir na estréia, aquela emoção toda aflora e quando vê o maldito é "dublado", com aquela dublagem ridícula, com vozes medíocres, que estão em todos os filmes, sejam de animação, ação, romance ou comédia. Todas as mesmas vozes de sempre e o filme perde total a graça. Aí de vc reclamar com os diretores do cinema! A reposta é ainda mais deprimente: "Para não termos prejuízo, pegamos as cópias dubladas. As sessões enchem mais pois o pessoal acha complicado ler e ver a imagem do filme então opta pelo dublado..." Preguiça ou são todos analfabetos funcionais?
Também é estranho vc receber um convite de evento no facebook para fazer um "harlem shake na praça fulana de tal". Aconteceu comigo. Selecionei o "não participar" pois vc tem o senso crítico e não vê utilidade na coisa. Mas me perguntaram: "porque não?" E eu só pensei: "E porque 'sim'??"

Há outras coisas que perturbam, como por exemplo o aumento do preço do tomate.
Eu nem sabia que havia aumentado o preço, porque eu não faço feira. Mas via  facebook vi algumas piadas sobre o tomate super faturado sendo publicadas por todos: de evangélico à ateu, de patricinha fã de Vitor e Léo a metaleiro fã de Iron Maiden. 
Acho que foi quarta-feira dessa semana que eu vi algumas publicações como tirinhas e piadinhas montadas sobre o tomate e até ri de algumas bem boladas. Foi por ali que descobri o porque falavam sobre o tomate.
Hoje é sábado, e tinha tanto tomate no meu feed de notícias, que eu achei que a galera que produz tomate na minha cidade tinha invadido a rede social. 

A bobagem do tomate: Legenda de alguém no Facebook - "quero um desses agora, amooor, kkkkk"
Podem protestar: o que tem demais falar do tomate, Manu??? Nada, não tem nada demais. O que tem é vc publicar todo o dia da semana algo sobre isso e o negócio virar moda, que nem a bobagem da Luiza no Canadá: é tosco, aí é que saem publicando, e mais um monte quer fazer o mesmo. Vira aquela massa, que não é de tomate, mas é do mesmo ingrediente, de gente besta, unida. Queremos é publicar, mas nada de pensar na utilidade dessa publicação: o que eu quero com ela? Fazer rir? E se acabar a graça, porque vou publicar de novo outra coisa, bem parecida, do mesmo assunto? Não. Só a praticidade de compartilhar e pronto, "sou legal igual todo mundo", "sou informado", "uso o humor para criticar o aumento do tomate", "sou engajado", "tô na moda"...
 E a moda é fugaz. Amanhã ninguém lembra, principalmente porque hoje é sábado, é dia de beber até cair e no domingo ninguém vai lembrar de nada. Ou seja, segunda eles acordam, e no trabalho vêm um tomate no facebook, riem de novo e publicam outra vez. E aí, quem fica com cara de bobo é a gente que não dá a mínima para essas bobeiras.

Conversando com meu tio sábado passado ele apontou uma realidade que todos sabem, mas a maioria quer é isso mesmo, usando para aliviar o stress: "Facebook é coisa de gente desocupada", ele disse. "Quanta coisa inútil as pessoas postam", ele continuou. 
E é mesmo pra isso. Virou isso. É para reclamar de tudo e todos, e rir das coisas mais bobas do mundo, vigiar a vida dos outros e contar seus podres.
Mas há espaço também para coisas mais legais e que podem ser menos medíocres. Vc pode publicar vez ou outra uma frase de um livro que está lendo, alguma dica de filme, série ou programa de tv, uma notícia legal, uma novidade, uma imagem bonita, uma piada criativa, um comentário, fotos das coisas que vc gosta, o vídeo de uma música que vc adora, escrever um recadinho para uma pessoa legal, dizendo que vc se lembrou dela, que está com saudades, que precisa falar algo importante, que quer se encontrar, sair junto, estudar junto ou jogar conversa fora.

Mas e as notícias dos portais, tv e jornais? Quanta coisa assim, super profunda:

Neymar vai pra balada com namorada global...
Resposta:  "E o Kiko?!"

Casal famoso dá show de antipatia em festa...
Resposta:: Foi na minha festa? Então, "e o Kiko?!"

Fulana vai à shopping e gasta tantos milhões em lingerie...
Foi com meu dinheiro? Então, "e o Kiko?"

Webber vai sair da Red Bull...
Resposta: Saiu já? Não?! O pai disse que ele não vai sair? Então na hora que acontecer a gente comenta. Caso contrário: "E o Kiko?!"

Kimi é o principal substituto de Webber...
Ei, o Webber saiu? Nããããããão? Então, "Pra quê isso?"

Massa está superando Alonso e espanhol está abalado mentalmente com isso...
Meu, sério?? Duas corridas e Massa já é o esse grande piloto e o Alonso está com tanto medo que está  paranoico, andando de camisa de força? É isso?? 
Falam até em recorde de Massa sob superar Alonso coisa que jamais outro companheiro do espanhol teria feito: Uau! Porque não dão a taça de campeão mundial para ele? Aproveita e dá também um Nobel da Paz! Pra quê projetar um recorde que não aconteceu e pra quê forçar a barra e falar mal de todos que encostam no intocável e provocar a ira de quem sabe que não assim que funciona e causar ódio pelo Massa pessoa? "Pra quê isso?"

Daniela Mercury assume ser homossexual...
Tá, eu já sabia, mas assumiu? Legal que seja feliz com a companheira e pronto. Próxima.

Mãe de Daniela não gostou da união homoafetiva da filha...
"Pra quê isso?" Acho que já sabemos o suficiente da vida pessoal dela não? Agora tem que saber até as picuinhas familiares? "E o Kiko?!"

Thammy em visual sexy para a novela...
Sério! Novela já é uma bobagem, mas ainda pode piorar com a internet... Fazem toda uma análise sócio-política-econômica do novo visual e é inevitável: "Pra quê isso?!" e "E o Kiko?!" encaixam loucamente nesse espaço.

Pode parecer só que estou ranheta ultimamente, mas penso quase a todo o momento essas coisas. Vai indo, cansa! A paciência fica em um saquinho de filó. E se esse saquinho encher, ele transborda.

Abraços afáveis!

Nenhum comentário: