sábado, 3 de dezembro de 2016

Abu Dhabi em Fotos e sobre Nico Rsoberg

Vamos às fotos de Abu Dhabi, comentadas:

Já na coletiva de imprensa Kimi Raikkonen foi interpelado (eu acho que propositalmente, afinal Verstappen e Nars ainda são verdinhos na F1) pelo repórter se ele sentiria falta do Button e do Massa.
Observem as reações dos 5.


Eu detesto o Massa. Mas na boa? Eu achei a imitação excelente, kkkkk...
E olha, apesar do Kimi ter falado que a decisão deles ele compreendia e sabe que os dois terão sucesso no que irão fazer dali adiante, eu acho que ele estava tendendo a concordar com o "noooo" do Massa hahahahaha...

Esse sorriso significa: "Maldição, ele sabe!!" 
Hahahahahaha...
Mas sejamos pragmáticos, ele não respondeu a pergunta. Tudo que ficou foi aquele silêncio e esse sorriso hahahahaha... 


***

Toto: Eu tenho que dar um jeito no Rosberg... fazer ele chegar bem longe do LH...
Arrivabene: Deixa eu pensar...

Arrivabene: Quer um carro reserva da gente? Vou lá pegar em um instantinho...
Toto: Não. Não. Não quero incomodar...

Na verdade, Toto não queria dar tanto na cara com um carro mais lento... 


***

Gangue do Kimão
Uai. 
"Arrivamale" junto?


***

Houveram algumas demonstrações de carinho entre mecânicos, equipe e pilotos...
Mas essa aqui:

Assustadora 


***

Ali temos outra - no antebraço de Alonso -, uma homenagem ao Button que tem uma tatuagem de um botão bem ali.
Essa não é assustadora, viram?


***

Alonso: - JB, como tá o coraçãozinho?


***

Nos braços da galera


***

Vettel deu uma canseira no Rosberg, mas no fim, foi muito mais amistoso que o Hamilton


***

Olha só!


E ainda teve selfie:

Genuinamente, legal. Sem a cara de tacho do Lewis, que estava desse tipo, para pior:


***

A manguaça instaurada



Só vcs?  E o resto? Cadê?


***

A última classe de 2017. Os centrais estão fazendo bye-bye de vez. Nars também, por falta de contrato. E eu já não sei muita coisa, porque eu estou um pouco perdida para onde cada um vai e quem vai chegar.
Mas isso fica para próxima. 

Abraços afáveis!

ATUALIZAÇÃO:

Fiz uma pausa do blog. Essa postagem estava aberta para ser postada na terça feira, mas, devido a tragédia do avião com o time de futebol Chapecoense (que levou à morte 75 pessoas de 81 pessoas que estavam no avião, entre eles maioria jogadores, jornalistas e comissão técnica do time) não havia clima para brincar com qualquer que fosse o assunto. Muita gente se mobilizou nas redes sociais. A tristeza era grande para torcedores e não torcedores. Vidas se foram, e a gente ficou desde então em orações e vibrações positivas à amigos e familiares das vítimas, bem como aos sobreviventes - 6 ao todo. 

Logo as obrigações também estiveram à vista e precisei dar conta de um trabalho antes da sexta feira. Com isso feito, a postagem caiu para esse sábado com uma "novidade": 
Nico Rosberg anunciou, ontem, em coletiva ao vivo via rede social, que estava se aposentando. Nem a Mercedes sabia da sua decisão. 
Pensando por alguns minutos, eu percebi que foi uma sábia decisão, difícil, muito precipitada, mas sábia. Apesar de ter visto postagens de loucos e loucas dizendo que Nico no caso, sabia que era um verdadeiro piloto mediano, tirava time de campo por não ser nem "competitivo" ou não querer tomar "pau de novo do Hamilton". Esses loucos e loucas não disseram o mesmo do Massa, mesmo contando que o Massa, não tem título em seu nome. Jenson Button tem, e mesmo assim, ninguém ligou muito.
A gente sabe que, depois criação dos comentários de blogs, desites de entretenimento, redes sociais com perfis onde se pode dar a opinião como e quando quisermos, as coisas saíram do controle. Ao mesmo tempo que a gente sempre podeter sido favorável ao direito de todos expressarem opiniões, corremos o risco de ouvir e ler tanta "m" que é até difícil de mensurar.
Quando eu disse que não confiava que a Mercedes deixaria que Rosberg fizesse sua corrida de forma tranquila, eu pude ser bem idiota nesse pensamento. Mas as caras dos amiguinhos e do prórpio  Toto Wolff mostram claramente que ele - se pudesse - teria parado o alemão.
A Mercedes tem Rosberg como seu piloto desde que começou na F1. E desde então também, esperava até quase não poder mais, a renovar com ele. Primeiro, trouxeram o heptacampeão Michael Schumacher para ser seu companheiro. Superando o Schumi, que mais parecia estar ali para se divertir, eles deram a rasteira mor em Rosberg trazendo Lewis Hamilton, ganhando muito mais e como claro primeiro piloto na equipe.
Rosberg agora vai cuidar da vida. Chegou ao ponto de realizar o sonho: vencer um campeonato. Se ele acha que não vai ganhar mais, ele pode estar certo. Eu confio apenas que se as coisas melhorassem, só Alonso poderia tentar mais um título. 
Não, eu não vejo que Kimi ou Vettel ganhe mais nada na F1 agor, nem nos próximos anos.  
E esse papo de competitividade não existe mais à pelo menos 5 anos. Acabou gente. Agora é carro e um pouco de coragem, ou um carro e um pouco de politicagem. Nos últimos 2 anos, foram carros e um pouco de barbeiragem, embebido de politicagem. Então, fica complicado para Kimi ou Vettel voltarem a vencer. A Ferrari está cada vez pior. Caminha para seu décimo ano sem títulos. Vettel é o reclamão chato da pista, enquanto Kimi é "véio" bebum que dorme no meio do grid. 
Podem querer me jogar na brasa, mas eu, se pudesse, chamaria o Kimi no canto e diria para ele deixar 2017 para trás, decidindo por si só, uma aposentadoria. Periga ele ficar ano que vem sem contrato, sendo forçado à escolha de se retirar, por ser "desprezado" pelos demais. Um cara como o Raikkonen, nem de longe , muito menos de brincadeira, merece esse fim. Mas é o que tende a acontecer e isso arrebenta com a gente que torce pelo cara e quer o seu melhor. Justo ele, que sempre disse que filhos era só quando ele se aposentasse, para ver a criança crescer. O seu filho (escapulido) já vai para dois ou três anos e a moça já está grávida de outro. Poderia decidir como o Rosberg né?...
Vettel vai pelo mesmo caminho, com o começo diferente. Ele "alonsou". Depois de 2007, aquele bom e velho Alonso foi minando como se "dementadores" fossem sugando aos poucos seu talento. Hoje, ele brinca com a própria desgraça na McLaren, mas está até certo ponto, certo. Vettel teve um ano ruim em 2014, saiu da equipe e foi para a dementadora Ferrari. Está lá há dois anos, fazendo apenas o trivial. Alonso pelo menos chegou a disputar campeonato no ano em que chegou na equipe. Vettel, nem isso...
Infelizmente, foi 2007 o ano que eu acho que mostra que de LH, ainda temos muito a fazer acontecer. Em 2007 ele perdeu o campeonato por burrice (eu até achei que fosse por justiça), em 2008 ele ganhou pela incompetência do seu oponente e por uma sorte maldita. Os cinco anos seguintes, ele ficou com um carro mediano e aparentou a todos o quão meia boca ele é como piloto. Sem um carro potente, ele chegou a cogitar aposentadoria também. Com uma chance de ser rabudo de novo, fez contrato com outra equipe e venceu dois anos seguintes sem soltar uma gota de suor. Ele foi o cara que havia cutucado Vettel a dizer que vencer campeonatos com facilidade matava o esporte, quando o tal, comemorava seu quarto título antecipado. Hamilton mesmo quase matou o esporte em 2014, e desligou os aparelhos na pior temporada que já acompanhei - em 2015 - fazendo a gente perder a vontade de assistir a corridas.
Eu queria, queria mesmo que equipe Mercedes decidisse colocar um Verstappen lá para brigar com ele de igual para igual. Só assim para eu dizer que LH não ganha mais nada na F1. Quero ver ele começar com os chiliques dele, antes mesmo da temporada começar.
Mas fato é que a Mercedes vai arrumar um capacho, pois eles já tiveram um pouco de trabalho com o Rosberg. Imaginem se arrumarem um novinho insaciável por vitórias?

Rosberg disse que nasceu e cresceu com esse sonho: ser campeão da F1. Hoje - rico pra caramba - ele vai sair dos holofotes e curtir a família, com uma filhinha novinha e acompanhar o crescimento dela e quem sabe trazer irmãos e irmãs. Dinheiro tem, fome não vai passar. Ele está realizado. Quisera que todos do esporte pudessem fechar as suas carreiras no ápice como ele, e depois, viver feliz, fazendo umas coisas aqui, outras ali. 
Genuína e bela atitude de Nico Rosberg, sem soberba, sem ser mercenário... Honesto.
Obrigada Rosberg. Ganhou muito, mas muito mais crédito do que eu imaginaria depois de vencer um campeonato em cima de um cara nada humilde. Esse tipo de coisa, a gente aplaude mesmo.


Desta vez sim: abraços afáveis!

Nenhum comentário: