segunda-feira, 7 de setembro de 2015

GP de Monza: Um basta!

Comecei a assistir a corrida, mas não terminaria pois iria sair.
Ao ver a largada, desliguei de ímpeto a tv. Foi impossível não ficar totalmente triste.
Esporte era para dar emoção e alegrias. Ultimamente, esses sentimentos tendem a zero na F1.

E então assisti: Kimi se recuperou. Hoje pela manhã soube que Arrivabene deu como certo uma atrapalhada com os botões por parte do finlandês.
Será mesmo? Ainda não vi declaração do próprio, mas olha, já fica aí aquele lindo engasgo de mandar o chefe que fala isso na imprensa com um sonoro "Vaffanculo".
E então corrida de recuperação e "graças" Kimi ainda sabe fazer isso. Mas não é o suficiente, pois o idiota - na visão do italiano falastrão - se atrapalhou. Sorte que ainda Vettel poderia trazer "alegria" aos tifosi em sua própria terra
Porém o destaque da corrida é um babaca velho que teve o pódio caindo no colo. "Estou muito velho para isso"?? Sugestão: aposente. E Bottas: por favor, seja orgulho finlandês. Tinha tudo para passar o velho, e me torturou com gritos repugnantes daquele infeliz "narrador".
Pode até ter sido a corrida boa, mas esses bastidores repugnantes detonam tudo.

E que raiva da Mercedes! Eles nos fazem de trouxas. Aqueles avisos chatos e inexplicáveis ao Hamilton aconteciam enquanto Rosberg tinha o motor pegando fogo a poucas voltas do final.
O que é feito quanto a isso? Nada. Só um extintor e preocupação com o descolorido Hamilton por chegar até o fim. Colegas: corram só com o Hamilton. Ele é bom assim? Então certamente vale por dois.

Isso tudo é uma raivinha injustificada dessa que vos escreve? 
Pois discordo.
Há muito tenho reclamado da F1. Sim, eu tenho um raso argumento de dizer que está muito, mas muito mais chato quando Button e Vettel venceram por antecipação. Ainda assim, acho esses dois, dois bons pilotos. Vcs podem discordar, pois são livres. Mas nem de longe, esteve ruim quanto esse ano.
Eu acho que Hamilton não tem talento e não tem carisma. Eu escreveria personalidade - mas ele tem personalidade. Só que não é aquela personalidade por exemplo, que dê para admirar. Ele é aquele produto fabricado, que falta muita humildade e sobra - que transborda - ego. O ego leva muita gente a conquistar muita coisa, tenham certeza. Só tenho para mim que para isso  não se dá nome de talento. É uma questão de conceito. Usain Bolt, por exemplo, é um cara que tem muito ego, mas também muito talento. Aliado a isso, e uma boa vida, não tem porque vc não admitir que o cara chegou longe por mérito.
Reclamo sim, inclusive do tratamento da equipe com Rosberg. "Ah, mas ele é fraco". Não interessa! Está na F1 não é fraco. Isso que tem sido feito ali dentro é humilhação, uma coisa que todas as equipes já fizeram pelo menos uma vez com alguém. E o grande lance é que dá mesmo uma vontade de dar uns tapas em Rosberg, pois ele aceita isso. E quando não aceita, todos o chamam de mau perdedor. Ah, a inversão massiva de valores. Humanidade falha todos os dias... ¬¬'

Assim como a NFL que passou por uma situação semelhante, a FIA verificou a pressão dos pneus do piloto que caminha - facilmente e sustentado pelos grandes, agora claramente - para o tri. 
No final decidiram por isso: Sem punição.
O caso da NFL, liga de futebol americano, foi o seguinte: o quarterback do New England Patritos, Tom Brady, foi dado como responsável pelo peso abaixo do permitido usado no jogo do playoff passado contra o time do Indianapolis Colts. 
O fato foi analisado, com relatório e tudo, embora não tivesse provas concretas contra ele, a NFL iria decidir de 4 a 8 jogos de punição para o "infeliz". Foi dado como punição mínima de 4 jogos. O garoto-velho ainda arrebentou o celular que continha ligações que pudessem por ele em maus lençóis e assim mantiveram os 4 jogos. O cara então entrou na justiça comum. Venceu. Devolveram os 4 jogos. A NFL vai recorrer. Sim, porque se ela não o fizer, a autoridade dela já está manchada, agora, nem água sanitária resolveria. Vai até o fim.
Há uma ideia e não sei se procede, que Brady e a NFL estavam em consonância com essas bolas "tragas de casa" sendo levada à jogos. Com a rasteira, a NFL foi tirana para uns, e justa, para mim: se vc bota confiança em alguém, vc tem que mostrar-se ainda no controle quando esse alguém burla a regra estabelecida. 
É que nem ser a responsável pela bebida em uma festa. Um fulano se disponibiliza por ficar por conta da bebida. Se deixa esse fulano  responsável para descarregar 500 latinhas de cerveja e aparecem só 100 no freezer, é do seu bolso que sairá a compra das outras 400, pois foi vc quem confiou àquela pessoa o cargo que era seu, de sua responsabilidade.

A FIA acabou de dar um tiro no próprio pé. A Pirelli avisa todo o procedimento tomado para as corridas, e de repente a FIA decide por isso. Eu me sinto idiota. Do que adianta reunir Pirelli, pilotos e equipes, estabelecer uma regra normativa para depois não segui-la? De que adianta regulamento para isso, aquilo, aquilo outro, se abre exceções? Vou além: para quê fazê-las, se no fim, eles não querem "estragar as conquistas"?
Convenhamos: primeira corrida e Ecclestone já conversava a portas fechadas com esse "digno e carismático" piloto. Agora, a FIA dá de ombros por algo que visivelmente seria uma falta e visível, ou os tais rádios não comprovariam que algo estava errado e precisavam esconder... É tipo criança arteira: sabe que não pode sujar a roupa, mas espera a mãe olhar para ela para cair de barriga numa poça de lama. Hamilton foi o filho único da FIA e, acabaram de lavar a roupa suja. Ele está de roupa nova. 
Mais uma vez também: Miltinho não sabia de nada... Sofreu coitadinho, para chegar ao fim da corrida, pois correu demais e ficou desesperadinho... Oh, dó.

Como disse no post anterior, a F1 tem momentos e a gente fica só à espera do fdp estragar. 
A F1, FIA... tudo com F, estão F#de@&* com a nossa boa vontade e abrindo espaço para os FDPs tomarem conta do recinto.
Vamos lá Mafalda, grite por mim:

Abraços afáveis - apesar da revolta.

Um comentário:

Ron Groo disse...

Toto Wolf é um grande safado.
Só digo isto.