sábado, 22 de agosto de 2015

"Piadas" da Bélgica + Comentário da Corrida

Sabem quando a coisa é ruim, mas tão ruim que você escolhe dar risada pois não quer gastar lágrima? Pois é.

Piada 1 do fim de semana: McLaren. 

Está certo que o carro está com inúmeros problemas. Mas já tivemos aí uns 4 anos de Caterhams, Marussias, Hispanias e afins, e sempre houve aquele discurso, de os carros serem inferiores para a categoria máxima, mas nunca, nunca sofreram punições por questões de ajustes de carro que somassem 105 posições à menos no grid. Não, eu não coloquei um zero ali só para ficar engraçado, é isso mesmo, cento e cinco (por extenso) posições, somados entre Button e Alonso, com 50 para o primeiro e 55 para o segundo, pelas mudanças nos compostos do motor. 
Regra é regra. Mas daí mais uma vez, essas regras fazendo uma turminha - inclusive nós, espectadores - de trouxas. #falasério

Piada 2 e 3: Ferrari.

Recontrataram Kimi Räikkönen. Discursam bonito e pedem pelo bom fim de semana com seus pilotos, inclusive o recontratado; o rei de Spa. 
E então eles trollam o cara mais uma vez: assim como a Hungria, o carro deixou o boneco na mão. Pela segunda vez seguida, Kimi foi prejudicado e ainda apareceu na tv gesticulando com os braços alguma coisa para a equipe de engenheiros e estes, encaravam uma tv, mas não o piloto.
Querem resultados? Dêem soluções. 
A Ferrari sempre teve piloto bom, um pelo menos. SEMPRE. 
O que nunca tiveram como colaboradores foram os mágicos.

Já a terceira é mais engraçada do que trágica. Partindo para o Q3 a equipe, soltou o seguinte tuíte:


Não procurem este no perfil da Scuderia Ferrari porque  não está lá mais. Assim que o Q3 finalizou, eles deram um sumiço nessa postagem, uma vez que Vettel fez e fez, mas terminou em 9º. Q1 e Q2 parecia que daria certo o P3 e então o tuíte era uma prévia do possível. Só que "deu ruim" como dizem; #fail seria mais apropriado. 
Não seria de hoje que confiam demais naquele objeto de quatro rodas que tem mais nome que desempenho. 
Volto a dizer: a Ferrari sempre teve piloto, ao menos um completamente descente, todo ano. Nos últimos 2 anos, teve a chance de ter dream team nas mãos. Pintam os mágicos de palhaços e aí, o circo ficou pronto. É espetáculo à olhos visto: #sóquenão.

Piada 4: Williams.

Essa é de rir mesmo. 
Bottas esteve melhor que o Massa. 
A Globo entrou com o treino ao vivo e o Massa deu uma aparecida. Sabendo que as Mercedes iam deitar e rolar, cabia à Williams e a Ferrari (maybe a Red Bull) a disputar como segunda equipe na fila. Com os ditos do advogado, Galvão Bueno: a Williams ia para cima e Massa garantira isso à ele. 
Com o P3 perdido, Vettel só lucrou com um 9º lugar. Quem aproveitou bem isso? A Williams! Mas com Bottas.
Há! 
A liderança subiu à cabeça, Massa?!


Piada 5: Trio Global + Nars

Nars ainda não é piada pronta, a não ser pelo fato de que ele é PP como alguns outros doidos da pista. O PP aqui é sigla para "piloto pagante", seja recurso vindo de petroleira estatal, seja de qualquer outra empresa, o PP se enquadra. Mas Nars é diferente. Seu PP é entendido como sigla de piloto patrocinado. Para mim, dá na mesma. Só muda a fonte do dinheiro.
Mas há algum tempo, rola nas transmissões da Globo pouca ou nenhuma atitude de puxa-saquismo para o Felipe Nars, desde que divulgou-se melhor umas notícias a respeito de seu passado ajudado por Kimi Räikkönen - e os incultos, perceberam que o Nars devia algo ao finlandês, mais que apenas dividirem o mesmo empresário. 
Assim, por coincidência - e eu não acredito nisso - diminuiu-se os comentários sobre seu desempenho (que deu uma caída significativa desde a primeira e a segunda corrida desse ano), o narrador deixou de falar tanto nele - José Roberto chegou a soltar a pérola em um desses GPs que tinha demorado muito para Nars cometer algum erro - e então, pouco se ouviu dele, em termos de novidade boa. 
Até que hoje, ele ficou mal classificado e deu entrevista a emissora, dizendo inclusive que questionaria o porquê de Ericsson se sair melhor que ele naquele momento. Ai começou aquela história de que "mandou bem" e que deve questionar mesmo, e blábláblá.
Eu concordo. Deve questionar, quando tiver argumento: o meu principal é - se o cara teve promessa de igualdade na equipe, que exija que ela aconteça - assim, saberemos que há possibilidade de lutar de igual para igual na pista. Se tiver à frente do companheiro no campeonato, que também o faça. Esse parece o caso de Nars: estaria igual ao Ericsson, e está bem melhor que o sueco no campeonato. Merece explicações, merece saber o que acontece e inclusive - se o erro for seu, que busque resolver amanhã. Se for da equipe, que façam o trabalho direito, enquanto ele, fará o dele. Ponto.
De repente o discurso agradou o trio global (Galvão ficou todo feliz com o "garoto bonito"), lembrou de seu aniversário ontem (ganhou bolo, será?) e Reginaldo contou a tal de que Nars não está muito bem com seu mecânico, em casos até de troca por outro profissional.
Ora, ora, ora. Se fosse Alonso, ou Kimi, ou Rosberg apelando uma certa "facilitada da equipe" ao companheiro, aí o discurso mudava. Galvão diria que Alonso não sabe perder, que Kimi andaria perigando perder o lugar na Ferrari (mesmo tendo contrato novo) e Reginaldo diria que Rosberg não tem a genialidade de Hamilton.

É ou não uma piada quando a situação muda conforme o personagem?
Pior que novela da Glória Perez.


***

Palpites a parte, quisera eu que Spa, meu circuito favorito, fosse brilhante. 
Periga a ser um dos GPs igual ao de todo o ano. 
Spa não merece. Não merece.
Mas clamo, por fim, que se Hamilton vencer amanhã, que aposentem de vez a frase: "Só o melhores vencem em Spa". Já faz bons anos que essa premissa está minguando.

Grid de largada de amanhã: neste link aqui.

Abraços afáveis! Boa corrida a todos!

***

Um pequeno post sobre a corrida, afinal há pouco de se comentar e não quero me alongar muito. 
Spa é perfeito para fazer a gente revigorar a vontade de assistir o retorno da categoria. 
Mas quando a temporada está à esses níveis...

O começo já azedou: Hulk tinha as chances de fazer uma corrida em Spa boa. Mas o carro pifou antes mesmo da largada. Menos um, sobravam 17 para que fizessem da manhã de domingo mais empolgante que a lasanha que me aguardava, no forno. No grid, havia 18 mais um para largar dos boxes: era Sainz que padecia do mesmo mal no funcionamento do carro que sofreu Hulk, então 19 carros ao todo. Eu contava 17. 
A largada se fez e Pérez provou que talvez se Hulk estivesse na pista, teria feito uma boa corrida também. Desta vez não foi Hamilton o pastel da Mercedes e sim Rosberg. Sorte que logo, ele voltaria ao fatídico segundo.
Saiu Maldonado, na volta 2 e reduziu para 16 as opções, entre boas e razoáveis.  As duas ruins teimariam a estragar a festa. 

Corrida enfadonha, morna. Nem de longe combinava com Spa. 
Com o Hamilton não fazendo besteira ele ia tomando dianteira, com os pit stops, a mesmice se adequava. Eis o primeiro estragador da festa.
Quando não a Ferrari faz "bobice", a Williams faz. E quando é erro homérico, é com o Bottas. Até senti uma certa risadinha interna do trio global. Atividade puramente nojenta - mais que o erro do mecânico da Williams. 
Consequência: Drive Through para o Bichinho de Goiaba mais amado da F1. 
Assim não vale passar ele no campeonato, pequeno líder!

Os únicos momentos que saíram dos eixos, além do momento "falta de atenção" da Williams, se deu com pane no carro do Ricciardo e um Safety Car Virtual (para verem o tanto que a corrida estava já em modo "esperando essa bobagem acabar logo"). Vettel em terceiro, se sustentou com uma única parada, enquanto o rei de Spa, nem conseguia ultrapassar o segundo estragador da corrida mais majestosa do calendário. A bobagem de ter apenas um jogo de pneus, resultou em um rasgo monumental do composto e zero pontos mais nada de pódio para Vettel.
A Ferrari nos dá tristeza.

Restou à Linguini, subir ao pódio depois de uma postura digna de piloto normal durante toda a corrida. Isso teve razões melhores enquanto ele esteve próximo do pódio: fomos agraciadas com closes de um mecânico bonitão na Lotus. (Olha a que nível chegamos quando a corrida é morna!) Se Maldonado tivesse por ali, talvez tivesse feito muito, e algumas loucuras para trazer - ao menos - o esquecimento da lasanha que já estava quase pronta.

Sem ultrapassagens legais, sem lindas cenas na Eau Rouge... A F1 chegou no ápice da sua inutilidade: Spa não deu um gostinho sequer de satisfação, a temporada está sendo sinônimo de que a coisa está mais feia que a gente imaginava. 

E foi isso: dos 16 carros que permaneceram na pista, até a volta 40, tiveram dois que eu não queria para estragarem a minha festa.

Clamo agora, sem sombra de dúvida que aposentem de vez a frase: "Só os melhores vencem em Spa". Com um GP desses moldes, nem parecia Spa. Chega a ser heresia se lembrarmos como essa pista já deu gosto de assistir... 

Abraços afáveis!

2 comentários:

Ron Groo disse...

Da piada da Williams eu não ri não...

Manu disse...

É, eu ri não pela equipe, mas pelo Massa. Acabou que minha risada foi cortada na corrida. Acabaram com o Bichinho de Goiaba, poxa!