quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Quem pergunta o que quer...

... Ouve o que não quer.
Esse é o ditado. Mas, sinceramente? Quem pergunta o que quer sabe o risco que está correndo.
Eu tive uma professora de português, no ensino fundamental, que era a segunda mais carrasca da cidade. A primeira é já idosa, mas não aparenta, a não ser pela fama de professora firme a ponto de querer ensinar aos seus alunos, o latim.
Sempre gostei da ideia, mas não estudei nas escolas em que ela era professora. Peguei a segunda mais carrasca. Essa era mesmo, mal-humorada. Só que eu entendia que na realidade ela era sarcástica.
Em uma aula ela entregou uma folha em mimeógrafo com perguntas idiotas, respostas ainda mais idiotas.
Me lembro como se fosse hoje o tanto que ri da aula aquele dia. Mais tarde eu descobri que era piada de email que todo mundo recebe. Mas algumas perguntas se encaixavam perfeitamente no perfil sarcástico da professora.
Algumas das perguntas e respostas idiotas eram:

O homem chega na casa da namorada com um enorme buque de flores. Até que ela diz:

- São flores?
- Não! São cenouras.

Quando te vêem deitado, de olhos fechados, na sua cama, com a luz apagada e te perguntam:

- Você tá dormindo?
- Não, to treinando pra morrer!

Quando está chovendo e percebem que você vai encarar a chuva, perguntam:

- Vai sair nesta chuva?
- Não, vou sair na próxima.

Você acaba de tomar banho e alguém pergunta:

- Você tomou banho ?
- Não, mergulhei no vaso sanitário!

Você está no banheiro quando alguém bate na porta e pergunta:

- Tem gente?
- Não! É a merda que está falando!

Hoje mesmo sentei uma mesinha na faculdade, quase uma hora antes do meu ônibus chegar, peguei um livro e comecei a ler.
É incrível como quando arrumo algo para fazer no campus e aparece alguém para falar algo sem a menos utilidade para vc. Estava eu concentrada na história, me encaixando no personagem, quase esqueci onde estava. Aparece um conhecido: "Manuuuuu"... Terminei a frase, olhei para a pessoa, falei o costumeiro "oi e sorri. Confesso que estava na esperança de ser só essa saudação e eu pudesse voltar à leitura, mas não foi assim. A criatura se sentou do meu lado e disse: "Lendo um livro?"
"Não!!!!! Estou olhando as letrinhas dançando..."
Ou
"Estou esperando a história se soltar das páginas e entrar, por osmose, na minha cabeça..."
Cacilda, eu deveria ter respondido essa. Mas fiquei com aquela falsa, mas educada, polida e gentil: "pois é... quero terminar logo, pois está bom."


Então, em casa, vi esse vídeo do Kimi no Octeto Racing Team:



Se a fome é a mesma para vencer o segundo campeonato? Que resposta ele queria ouvir??? Será que nesse tempo todo entrevistando o Kimi esses jornalistas não sacaram que ele não tem saco para essas perguntas?? Porquê e para quê responder perguntas retóricas?
Eu devo ter feito basicamente a mesma cara que Kimi fez, pensando na resposta para o conhecido hoje me perguntando do livro. 
O Kimi, no mínimo pensou em algo bem mais a cara dele, bem mais cruel e duro como é de seu feitio. Ou alguns palavrões em finlandês que eu tive algumas oportunidades de conhecer... Não sei, mas a gente percebe a frustração na cara do Homem de Gelo.
Podem falar o que for. Kimi é mesmo 8 ou 80. Perguntas retóricas e sobre a vida alheia, não são as que ele gosta de responder e ele não vai responder nada que seja pomposo, não vai recitar poemas, nem fazer citações de Shakespeare. Pode esquecer! 
E me apontem uma, uma resposta sequer que ele não esteja certo, embora tenha sido grosseiro? Não tem! Ou são respostas retóricas, ou são grosseiras, ou sinceras. Mas são todas, verdadeiras. Ponto.
Penso eu que a esposa (agora ex esposa... já todos sabem) do Kimi, devia penar. 
Eu rio das respostas dele, porque não é comigo e tenho vergonha na cara em nem ousar pensar em um dia perguntar essas bobagens para ele. Perto dele, eu ficaria muda. Mas a mulher dele falava com ele. E tenho certeza que se ela falasse alguma coisa óbvia, ela ouvia coisas mais óbvias ainda. Dia de TPM devia ser o inferno na Terra entre os dois... 

Mesmo assim, aceitaria, de muito bom grado, um "intensivão" de "como dar respostas alá Kimi Räikkönen".
Pelo que percebi, estou "precisada" rsrsrsrsrs...

E vcs? Preferem as respostinhas mais ou menos ou as sinceras?

Abraços afáveis!

2 comentários:

Ron Groo disse...

Não precisa pensar muito, é só deixar o coração falar na hora da pergunta torta.
Mas vou avisando, nos levam tão a mal...

Octeto Racing Team disse...

Manu, adorei!!!! É exatamente por aí!!!!
Pena que na nossa vida mundana, nem sempre podemos ser sinceras como Kimi. Engolir sapos faz parte!!! rsrsrsrs

bjs, Ludy