quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Massa se aposentando...

Hoje cedo sentei em frente ao computador depois de quase uma hora de treino na academia. Estudei, recebi más notícias, li umas bobagens.
Hoje cedo constatei o quão medíocre algumas pessoas são. Somos cegos, surdos, mas infelizmente não mudos com relação aos levantes políticos deste país. 

Mas este meu blog nunca foi para agir com rompantes de hipocrisias. Se alguma vez fui assim, peço desculpas antecipadas, sem ao menos saber quando e como a cometi. Como é de praxe, sempre coloco público algumas brincadeiras, comentários esportivos, feliz momentos de entretenimento e hobbies. Se alguém lê, sabe bem que não foi forçado. Já posso me considerar bem sucedida com o meu blog. Há mais de 8 anos no ar e nos últimos 5 não tive nenhum problema de comentários depreciativos, provocativos ou ofensivos. Pode até ser que alguns desprezam, mas quem ainda visita a página, ainda sabe respeitar, mesmo que não concorde com o que eu escrevo aqui. 

E eu não vou falar de política. Acho que eu já deixei claro em outros momentos qual a minha postura com relação à esse tema, especialmente agora, em tempo atribulados. 
Quero falar do trivial, do que fez esse espaço tomar corpo: Fórmula 1.

O piloto brasileiro Felipe Massa anunciou hoje, a sua aposentadoria. Não teremos Massa na F1 de 2017. Consequentemente, menos um para que eu pegue no pé e faça piadas remotamente sarcásticas sobre seu desempenho e seus comentários em entrevistas.

As notícias no Grande Prêmio, por exemplo, exaltam os feitos do piloto. Feitos que eu, acho totalmente irrelevantes e vocês, que acompanham o blog ou me conhecem, sabem bem disso. 
O portal também exalta Massa com auxílio das declarações de outros pilotos. Lá há destaque nas manchetes como o atual companheiro Valtteri Bottas - que teria dito que Massa é sempre rápido e subestimado. 
Eu digo "teria dito" porque não fui verificar a veracidade das falas. O portal vez ou outra recorta as palavras e a gente as compra com o clique. 
Se Bottas disse isso, confio que 50% desse comentário envolve não uma verdade, mas sim o ato de dizer que o companheiro que você bateu por dois anos seguidos (e continua batendo, no terceiro ano) é "muito rápido"  proporcionaria uma exaltação de seus próprios feitos.   E por mais que as coisas sejam ainda incertas quanto ao talento de Bottas, eu acho sim, que dá para concordar que são excelentes feitos.

Ex companheiro de Massa, Kimi Räikkönen, teria se lamentado da aposentadoria e elogiado o Felipe com sutis "Cara forte e muito legal". 
Cara forte. 
O cara que um ano depois da chegada dele na Ferrari, teve de aceitar o "novato" ser campeão mundial". Mais forte ainda, para no ano seguinte, marinar com o estigma de "campeão por 17 segundos" pelo resto da carreira.
Já o "muito legal" foi uma caridade do Räikkönen. 
Quando o brasileiro se acidentou, Kimi foi achincalhado na imprensa mundial pela sua falta de sensibilidade em não visitar o companheiro no hospital. A informação de que Kimi apareceu no dia da cirurgia para visitá-lo e não o viu pois o mesmo descansava da operação, pulverizou-se. 
Acordado e falante, Massa destilou veneno e confirmou a insensibilidade do companheiro. Naquela época perguntei e reforço: se fosse o contrário, Kimi no hospital e Massa visitando, teria o esmero de apoio e solidariedade?
Hoje, os dois são "amigos" a ponto de Kimi até dar capacetes ao Massa e capacetinhos ao seu Felipinho.

Jenson Button estaria dizendo que a atitude em se aposentar é corajosa. 
Essa doeu. Não porque eu discorde de Button. 

Ali no começo do texto, eu disse que eu não ia ser hipócrita. 
Não vou tripudiar. 
Não vou listar aqui os porquês de achar o Massa um piloto mediano e muitas vezes fracassado. Não vou fazê-lo agora.
Razões: a) tenho amigos que estimo muito que são fãs dele e b) não cabe mais ficar dando opinião de foro particular só para esperar que alguém que pense como eu, aplauda.

O fato de Button ter dito isso, dói. Explico: Button tem agora, 36 anos. Fernando Alonso tem 35. Kimi, 36. 
Felipe está dizendo tchau da F1, com 35 anos. Os quatro são os mais velhos do grid. 
Alonso tem prometido aposentadorias desde que chegou à McLaren. Talvez antes. Não importa. Fato é que a involução da equipe o desmotiva cada dia mais. O melhor piloto do grid as vezes sequer é citado em uma disputa, corrida após corrida.
Button é motivo de piada desde que foi para a mesma McLaren. Chegou na equipe quando ela começou a ruir. Há quem peça que ele se aposente. Mas ele não quer. 
Kimi tem feito papel de escudeiro do Vettel, já pelo segundo ano seguido. E ele vai o ser em 2017, com 37 anos.
Ele sempre foi reclamão. Na Lotus, com o seu retorno à categoria, seus rádios reclamões era motivo de risada porque ele estava vencendo corridas e sendo competitivo. De repente, surge pilotos mais petulantes e ele já é o ranzinza e precisa se aposentar. Seus rádios reclamativos perderam a graça num piscar de olhos. 
Até Sebastian Vettel, tetra campeão, já está taxado de rabugento. E ele tem 29 anos.  

Massa escolhe se aposentar exatamente no momento em que já começa a dar sinais de fraqueza. Já houve pelo menos duas corridas em que Massa nem rifou as ultrapassagens sob ele.
Ele soube que não tinha contrato da Williams para o ano que vem e decidiu pela aposentadoria. 
Ele diz não para as negociações que ele sabe que não vai lhe render muito por conta da idade: o que tinha de ser, já foi. Quem agora permanece ou é teimoso/fanático ou corre para encher os bolsos.
O filho-da-mãe ainda vai sair por cima nessa. Não vai ficar lá em equipe pequena passando vergonha ou escoltando alguém que recebe um boeing a mais. Não vai ficar a mercê de uma mídia especializada que vai pintá-lo de velhote, de reclamão, de sarcástico, de fracassado, de bobão, de vilão, para contrapor o gênio, o prodígio, o mocinho, o futuro campeão, o talentoso, o arrojado... 

Vocês sabem que eu gosto de falar sério, mas também gosto de brincar.
Eu não vou sentir falta do Massa. Vou sentir falta de falar mal dele. Vou sentir falta de poder publicar foto dele nos posts de humor e pegar no pé sobre a altura dele, sobre as desculpas esfarrapadas, sobre os fracassos, sobre sua queda de cabelo ou mesmo, sobre a sua simples presença.
Porém eu nem devia estar escrevendo esse texto agora. Deveria esperar alguns minutos depois da última corrida deste ano, lá em Abu Dhabi. Por que olha, depois de ser o "quase campeão", ele ainda pode ser o "quase aposentado". Vai que?!


Abraços afáveis!!

Nenhum comentário: