sexta-feira, 29 de julho de 2016

Versões Boas, ruins ou melhores? "Rolling in the Deep"

Essa postagem em que eu apresento músicas já conhecidas e as versões que foram feitas por outros músicos tende a ser cruel. Até agora (e vocês podem conferir na aba Especial 1: Versões/Covers) trouxe muita música que já era boa em sua forma original, mas nem sempre contou com versões que fizessem jus à elas.  
Posso parecer repetitiva, mas existem músicas que não se deve mexer. Simplesmente são excelentes como são, com os interpretes originais. A maioria das boas músicas que a gente tem por aí foi absolutamente detonada na série Glee. Todas as vezes que ouvi alguma coisa daquele seriado, tive muita relutância em aceitar. Tanto que nunca fiz postagem com alguma versão que surgiu de lá.
Evito também mostrar versões de algo bom transformado em pop desagradável - embora eu comecei do jeito inverso com essas postagens - do pop desagradável a versão adequada - quando apresentei duas versões de duas músicas da Britney Spears e foi um arraso positivo: uma porcaria pop interpretada por uma moça com a voz de pata com cólicas podia ser bom material nas mãos certas. 
Mas fiz postagens em que nos bons momentos, as músicas originais e as versões se equipararam. Mas hoje eu certamente ainda farei uma postagem em que as versões superaram as versão original que apesar de ser boa, pode ser melhor.

"Rolling in the Deep" é uma música da cantora Adele, para quem não sabe. Se perguntarem à 10 pessoas aleatórias que ouvem música sempre, independente do estilo favorito, eu arrisco dizer que 9 gostam de Adele e a única que restou dirá que não tem nada contra. Foi um "booom" alguns anos atrás quando ela lançou o álbum dessa música. Pouca gente a conhecia. De repente ela era um ícone da música. E eu confesso que só a conheci dado o sucesso. Não tenho suas músicas no meu playlist, se querem saber, mas não é porque detesto. 
Muita gente passou a ouvir as suas músicas repetidas vezes e em muitos lugares a gente acabava escutando "Rolling in the Deep" tocando. A repetição fez com que se tornasse uma dessas músicas que você fica cantarolando o dia inteiro. Estava em toda parte: Adele aqui, acolá. Lojas de departamento, academias... Fazia tempo que eu não ficava sabendo de uma música que não fosse dessas que a gente fala "que horror!" quando ouve, fazendo tanto sucesso. 
Nos show de tv de calouros, o pessoal soltou os "bichos" cantando o novo hit - muitos, deveriam ter ficado só esguelhando a letra no chuveiro, incomodando apenas o vizinho de corredor e os membros da casa. 
Mas não vou ser boazinha; verdade seja dita: hits repetitivos enchem o saco. E "Rolling in the Deep" encheu. Tanto que até bandinha de rock pop começou a copiar, como verão nas versões abaixo.
Fãs novos e de longa data de Adele que me perdoem. Mas não vou dizer que Adele fez uma música tão perfeita que é dessas que nem precisa de versões. Nem vou "favoritar" versões meia boca ou praticamente idênticas à orginal. Duas em específico, que encontrei e ouvi, são infinitamente melhores que a original.
Mas é a minha opinião. E é claro que vocês podem tanto discordar, como concordar.

Primeiro, a versão original, seguida das versões numeradas:

Original: "Rolling in the deep"
Intérprete: Adele
Composição: Adele e Paul Epworth
Álbum: 21
Lançamento: 29 de novembro de 2010
Estilo: Soul e Blues


Versão 1: OneRepublic

Sem álbum.
Estilo: Pop Rock



Versão 2: Panic! at the Disco

Sem álbum
Estilo: Indie Pop


Versão 3: Nicole Scherzinger

Sem álbum
Estilo: R&B



Até agora, fraquinhos, certo? Inclusive a ex Hamilton acima. Vamos ver se melhora?


Versão 4: Aretha Franklin

Álbum: Aretha sings the great diva songs
Estilo: Soul


Melhorou demais!!! Aretha Franklin é boa pedida.

Mas reservei as minhas melhores para agora em diante. Vocais masculinos. E dos bons.

Versão 5: Linkin Park

Sem álbum
Estilo: Rock alternativo, new metal (a música em si saiu quase acústica)



Evoluímos!!! Mudamos o estilo, o timbre vocal e resultado: Cherster mandou bem no cover.

Mas até agora podemos ver que, entre um pouco mais de peso nas guitarras ou uma voz diferente, quase todos não mudaram em nada da música, não colocaram seu jeito de cantar as frases, seu próprio toque ou ritmo. Afora Aretha e o Chester acima, a maioria copiou bem a risca inclusive os gritos da dona Adele.
Tentativa bem sucedida de imprimir identidade no interpretar a música, só na minha versão favorita:

Versão 6: Poets of the Fall
Sem álbum
Estilo: Rock alternativo e acústico



Marko Saaresto! Que voz! Que pessoa! Divino!
"Rolling in the Deep" passou a ter outra "cara" para mim, com o Poets of the Fall. #TotalmenteExcelente

Caminho livre para vocês:  escolham a preferida. Ou uma, ou a original, ou todas ou nenhuma. (Tá valendo!)

Retorno na segunda com o comentário do GP da Alemanha.
Abraços afáveis, até lá e excelente fim de semana!

2 comentários:

Ron Groo disse...

eu só conhecia a versão da Aretha. Gosto muito até.
mas esta do Linkin Park ficou bacana

Manu disse...

Ficou bacana mesmo! ;)