segunda-feira, 18 de abril de 2016

GP da China: Ok, mas não tanto

Um dos carros que nos desmotiva a assistir as corridas largaria em último. Procedia? Sim, mas sabíamos que, em virtude da tecnologia, ele chegaria a pontuar. 
Este era Hamilton, mas e Rosberg? Este, largava na pole, e em virtude das largadas mequetrefes, não ficou em primeiro quando apagaram-se as luzes vermelhas e sim, o segundo da classificação trabalhou bem. Quase víamos diante de nossos olhos o primeiro vencedor depois de tanto tempo com as caretas dos pilotos da Mercedes. Este era o garoto sorriso, Ricciardo.
Se não fosse a sorte que tem batido à porta da Mercedes à 3 corridas seguidas, certamente seria Ricciardo no lugar mais alto do pódio, ontem. Se não bastasse acontecer coisas erradas com os carros que saltaram à frente dos carros da Mercedes na corrida da Austrália e do Barein, na China, o pneu de Ricciardo foi para as cucúias devolvendo o P1 à Rosberg, logo na primeira volta.

Na mesma largada, o companheiro de Ricciardo, Kvyat, decidiu que deveria ser agressivo. E foi. A consequência da sua tentativa resultou em pouquíssimo espaço para Vettel que tirou o pé para não colidir com ele, mas acabou tocando no companheiro, Kimi. O que tinha feito um bom terceiro lugar na classificação, acabou sem muito o que fazer. Vettel se safou bem, caindo algumas posições. Kimi já levou a pior, tendo que carregar o carro para os boxes e batalhar para recuperar-se na corrida depois do incidente.

Assim como Bottas na corrida passada, ao tocar com Hamilton, esse bololô entre Kvyat-Vettel-Raikkonen não só foi como é incidente de largada. Mas como no Barein, Bottas atingiu Hamilton, houve punição ao carro 77, para não ter choro do carro 44. Dessa vez, Vettel limitou-se a pedir desculpas via rádio pelo toque, dizendo o que vimos: que não houve espaço.
A Ferrari não se importou. Os comissários, muito menos. Na verdade, porque não tinha mesmo porque. Mas a equipe sim, ela vibra com as ultrapassagens e poles do Vettel. Com Raikkonen vocês podem ver: a reação era basicamente a mesma da narração de ontem. Há vibração com as ultrapassagens até do Hamilton, mas quando Kimi passou o inglês e o Massa sem tomar conhecimento, eles mudaram rapidamente de assunto. A Ferrari é a mesma coisa. Indiferente ao que Kimi faz, e vibrante ao que Vettel faz. É a Ferrari. Quem não está acostumado?

Quem se importa com isso? Os fãs do Kimi, e talvez nem todos. Mas fato é que nem ele sofre com isso, a gente aprende a não sofrer também. 99% de seus fãs acham que Vettel foi "falso". Eu tenho a seguinte postura: é corrida. Esse negócio de tolir pilotos nas suas investiduras de ultrapassagem só prejudica um grupo menor, e geralmente é a turma dos não queridinhos. Se Vettel pediu desculpas na hora do incidente, conversou com o Kimi assim que saiu do carro, e ainda cobrou de Kvyat - tomando uma má resposta - de que ele mergulhou muito forte e poderiam ter colidido, ele quis 3 vezes parecer falso aos fãs do Kimi e chorão aos olhos dos demais fãs da categoria? Não me lembro dele ter ficado assim quando prejudicava Webber.
E sendo fã do Kimi, sei que o Homem de Gelo não chora mágoas. Não vai voltar aquela largada e punições não dão fruição à competição. Tem que seguir em frente, porque chorar, sabemos, não leva a lugar algum. Ainda mais que ele não é um dos queridinhos.

No fim das contas o que arriscou teve pódio. O que se desculpou teve pódio. O que se ferrou teve um P5 e ultrapassagens e uma recuperação de corrida, excelente. Acho que isso basta para que a gente fique feliz com o desempenho de seu piloto favorito, em virtude de tanta má sorte.

Mas não é o suficiente para ficar feliz com a corrida como um todo. Sempre as melhores coisas acontecem, se não no meio do grid, do segundo lugar para trás.
Não me interpretem mal: acho que Rosberg merece vencer pois, é bem difícil ser subordinado em uma equipe que diz ter jogo livre, mas não tem. Porém Vettel fez uma boa corrida, Kvyat arriscou na largada e apesar de não ter conseguido se segurar depois que Vettel se aproximou, ainda assim teve uma corrida significativa. Ricciardo teve uma má sorte, mas teve também a melhor corrida de recuperação dele, assim como Kimi. Certamente estes são os 4 nomes principais dessa corrida.
E o meus desafetos, Massa e Hamilton? Bem, entre seis ou meia dúzia, um defendendo e um atacando, mostrou que os dois são do mesmo nível, sambando na pista e tomando "passões" de velhinho aí, que tem gente que diz que não é mais útil à Ferrari. 

GP de madrugada é ruim. As pistas não nos chamam a perder o sono por elas. 
O GP da China não é sempre ruim, e esse foi ok, mas nem tanto... Nem tanto...

Abraços afáveis!

Nenhum comentário: