segunda-feira, 4 de abril de 2016

Barein: longe de ser ruim, mas perto do bom

Confesso que na última semana de GP eu, além de ter criticado a corrida, lamentei que dali duas semanas enfrentaríamos o GP do Barein.
Li comentários muito felizes com a corrida ontem. Houve até pedidos do GP do Barein 3 vezes por ano.
Olha o desespero que a F1 e a FIA nos proporciona: Barein quase nunca é esse espetáculo de corrida, na maioria das vezes ruim mesmo e tem gente querendo que seja sede de corrida mais de uma vez no ano. Ok, lá quem faz pole não vence a corrida, mas também quem vence não saiu lá do vigésimo lugar, o que - em tese - seria o raciocínio que se aproxima do mais lógico para uma corrida com competitividade.
A carência é tão grande que empolgamos com uma corrida melhor do que o que vem acontecendo sempre nos tilkódromos. Em certo momento, Kimi Räikkönen esteve muito perto de Rosberg - o primeiro colocado - e teve gente contando os segundos da diferença na esperança de que ele ultrapassasse o alemão e acabasse de vez com a hegemonia da Mercedes. Há quanto tempo acompanhamos essas corridas, meu povo? Sequer o carro do Kimi era filmado enquanto isso acontecia. A transmissão então, estava muito preocupada com o desempenho das Williams que lutavam mais que tudo à fazer algo significativo na corrida. Era meio óbvio que a corrida não fosse assim tão boa para que Kimi tivesse chegado e ultrapassado Rosberg ao fim da etapa. Não que não fosse possível por ele, ou que Rosberg fosse entregar fácil. Mas porque no fim das contas, continuou muito igual a tudo esperado. Duas Mercedes e uma Ferrari no pódio. Só muda a ordem.

Pontos ruins: Fernando Alonso fora da corrida é ruim. No seu lugar, a promessa Stoffel Vandoorne, Alonso torcia pelos boxes pelos primeiros pontos da equipe. Button saiu logo nas primeiras voltas.  A McLaren ainda rema na amargura. (Do novato falamos depois, ainda estamos no pontos ruins.)
A classificação: além de desnecessariamente ruim, aposta em algo que não muda nada. Nos desmotiva ainda mais a esperar pela corrida. Quando você vê um carro da Ferrari saindo fumaça na volta de apresentação, é impossível não pensar que vai ser tão ruim quanto a classificação.
A transmissão? Tanto a da FOM quanto a da Globo são uma porcaria. A FOM com essa mania de mostrar briga de meio de grid como se estivesse esquecido a câmera ligada, dá um certo sono. Eu sei que pode ser que a gente perca uma ultrapassagem, mas em algumas corridas, as ultrapassagens simplesmente não chegam a acontecer! Mas não quer dizer que isso não teve vantagens: pudemos ver Massa ser ultrapassado por muita gente, pelo menos *risadas maléficas*
A transmissão global também é aquele mais do mesmo. Falas estranhas do Galvão, pérolas novas e antigas: "Tá bonito, tá gostoso" foi meio aterrorizante, confessem.
E a defesa pró Massa? Será que não cansa?
No largada, o toque do Hamilton tinha sido com o Massa. Depois que viram que era o Bottas à frente, questionaram se não cabia punição para o finlandês. "Tá bonito" e tá certinho, Galvão e cia! Palmas para vcs!
O mesmo cabe à outras coisas estranhas, mas aí meu texto pode demorar horas para ser escrito. reclamar da defesa sobre o Felipe é correr atrás do rabo. 

Pontos bons: a largada do Hamilton. Eu ainda não verifiquei antes de escrever esses comentários, mas tenho certeza que ele não se culpou daquela largada.
Finalmente Rosberg tem a faca e o queijo na mão: na corrida passada, as Ferraris foram muito boas, mas nas Mercedes, Rosberg foi mais esperto e mereceu vencer estando à frente de Hamilton. Desta vez, Rosberg não precisou de muito esforço. Ao ver aquela largada, pelo menos Rosberg sabe se virar. 

A arrancada da Williams pode ser um segundo ponto. Eu disse que Bottas precisava perder o medo de certas investiduras. Pena que em alguns casos ele tenha feito isso e algo saído errado. Mas ali, (como foi também quando ele disputou com Kimi, no ano passado, na primeira vez) foi incidente de corrida. O que o Pérez fez mais tarde com o Hulkenberg foi jogada proposital para fora da pista. Ninguém levantou investigação. Enquanto a FIA minar incidente de corrida com punição em largada dessa forma, continuaremos achando-os os babacas que são.
É uma pena que a equipe não tenha piloto que possa fazer dela alguma coisa melhor.
E nos pontos bons eu acrescento os "passões" que Massa levou. E ainda nosso querido Galvão discursou que o carro estava tão bom, que o Felipe disse que estava confortável... U-A-U!
Estratégias erradas sim, acontecem, mas coisas desse tipo, não acontecem tanto com pilotos firmes ou bons. Ou eles reclamam ou eles sofrem até o fim.

O trabalho de Kimi é um outro ponto. Sem Vettel (uma pena) a Ferrari teve um carro para se preocupar. Kimi largou em quarto e caiu para quinto, mas logo foi tirando os tempos e ultrapassando os carros. Ficou mais da metade da corrida em segundo lugar, tirando tempo da vantagem que tinha para Rosberg quase propiciando uma pressão. Fato: deixar a mulher e o filho em casa, pode ser vantajoso. A moça não parece saber ficar com a criança enquanto ele trabalha, já que no paddock Robin fica o tempo todo com o pai. Eu sei que a saudade aperta, mas é preciso saber dividir as coisas e enquanto o garoto ainda não entende isso, a mãe deve fazer o trabalho de "pãe".

Grosjean. Quem diria! Criticado horrores, fez a sua segunda boa corrida. Eu desafio que vocês encontrem alguma postagem minha em que acabei com o moral do cara. Sim, apelidei ele de Linguini, sim, pode ser que critiquei ele vez ou outra por algum comentário injusto da parte dele, mas dizer que ele era um fracassado, não cheguei a tal ponto. Nem acho que aquele grande acidente foi culpa dele. Na época eu lembro de ter visto um tal de Hamilton largar o volante antes de bater em Alonso. Mas a culpa caiu no Linguini e assim foi.
Todo mundo merece uma segunda chance e parece que Grosjean está tendo a dele. Deixem o povo chamar ele de gênio. Na F1 isso acontece com quem não merece tantas vezes que uma hora, eles acertam. Ou não. *rsrsrsrs...*
O mesmo cabe a Vandoorne. Marcou pontos com a McLaren. Não é gênio, mas fez algo muito mais positivo do que se esperava de um novato. É a prova de que dá sim para fazer algo com aquele carro, se ele parar de dar problemas. Pode ser muito lucrativo para eles, mantê-lo bem próximo, para substituir Button ou mesmo Alonso quando eles decidirem que cansaram da brincadeira. Não acho que essa troca deve ser imediata, pois Button marcou mais pontos que Alonso ano passado, mostrando que, com trabalho duro e paciência, essa McLaren um dia chega a ser aqueeeela McLaren. E Alonso, meu querido, plante um pé de arruda. Precisamos ainda mais uns anos com você dentro dos carros e não de fones de ouvido de cara para as TVs.

E nisso, daqui duas semanas a gente volta a falar de corridas. Amanhã tem post de fotos.
Abraços afáveis!

2 comentários:

Ron Groo disse...

foi bom... talvez porque a expectativa fosse baixa.
Mas é verdade que depois que começaram a correr a noite melhorou muito.

Manu disse...

É verdade. Se tivermos expectativa baixa, as coisas podem ser mais agradáveis então... Que venha a próxima!