terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

TAG de Livros

Conforme fiz ontem - trouxe do Facebook uma tag de séries - trago uma de livros. Eu fiz ambas na rede social hoje, já que fui desafiada. (Obrigada Myn!! ;) )
No desafio do seriador eu mudei umas coisas. Fui sucinta e direta, por exemplo, dizendo que nunca vi The Walking Dead - em tom de que não pretendo fazê-lo e aqui, coloquei uma que tenho vontade em iniciar. 
 A Brincadeira Literária tende a ser um pouco só diferente. Algumas coisas aparecerão aqui, porque eu não escrevi na rede para não ser mal interpretada. Aqui mando as respostas certas com as justificativas adequadas.

Brincadeira Literária:

1 - Último livro que leu: "Jane Austen - Uma Vida Revelada" de Catherine Reef



2 - Livro que está lendo: Estou lendo coisas para a minha dissertação, ou seja, são coisas "técnicas". Para "descansar" estou relendo "Harry Potter e o Enigma do Príncipe". Se esse que é repetido, eu as vezes me esqueço de voltar aos estudos, imagina se eu começar um inédito? Irei perder o meu foco, certamente.

3 - Um livro que te indicaram e você amou: Isso é bem complicado, pois geralmente eu não empolgo tanto quanto a pessoa que indica. Eu comecei a ler a saga Crepúsculo por indicação. Os livros não me causam reação positiva, como foi para a pessoa que me indicou. Muita gente ama, e eu mais uma vez fiquei fora desse círculo. Não arrependo de ter lido pois foi uma leitura fácil que não me tomou muito tempo. Mas sim, se eu soubesse, eu teria optado por outra coisa. Mas vamos lá! A pergunta é de livro que segui indicação e gostei. Acho que foi "O Oceano no Fim do Caminho" de Neil Gaiman, uma boa pedida. Não o livro específico, mas o autor. Muitos me diziam gostar dele e tive a primeira chance com esse livro. Surtiu bom efeito, tanto que comprei mais 3 de sua autoria que me disseram ser bem melhores. Logo irei conferir.
Outro que li e achei agradável foi "Alta Fidelidade" de Nick Hornby - indicado pelo Ron Groo.
Me lembro também de ter lido "A Menina que Roubava Livros" de Markus Zusak à muito tempo e ser minha mais boa indicação, tanto que depois encontrei em "Eu sou o Mensageiro" - também de Zusak, uma tocante leitura.

4 - Livro que você gostaria de esquecer que leu, só para ter o gostinho de ler pela primeira vez novamente: Vai ser óbvio, mas não tem outro jeito - "O Senhor dos Anéis" de J. R. R. Tolkien
E as sagas Harry Potter, que me trás boa lembrança do tempo em que eu arrumava sempre um livro para ocupar minhas horas do dia - antes das responsabilidades de faculdade.

5 - Livro que você gostaria de esquecer que leu porque era muito ruim: "Uma Breve Segunda Vida de Bree Turner" de Stephenie Meyer. Um livro bem inútil que se passa com uma personagem que aparece no fim do último livro da saga "Crepúsculo". Pior que isso, acho que só a adaptação desses livros no cinema. 

6 - Livro que todo mundo deveria ler: Se você for uma criança de 11 e poucos anos, a saga Harry Potter pode ser a chave para seu gosto por livros. Para os adultos, é relativo - qualquer livro pode ser bom. Mesmo que seja um autor que eu acho desnecessário, o importante é que o hábito da leitura seja constante no dia-a-dia de uma pessoa. (Não vou mentir que quando a pessoa cita Augusto Cury também me dói na alma, mas ao menos, é leitura... Fazer o quê?) A leitura faz com que se evite as muitas das opiniões grotescas e ridículas formuladas a esmo. No momento, eu diria que todo mundo deveria ler uns livros de política para não pagar de idiota (e mesmo assim, há quem lê bastante e ainda assim cai na infelicidade de falar bobagem). Até dicionário acho que vale a pena a leitura pois o português anda sendo assassinado sem dó, não é mesmo?!

7 - Livro que virou filme e você ficou satisfeita com a adaptação: "A Menina que Roubava Livros"... Mas existem filmes adaptados que ficaram melhor que os livros: um deles é o "Drácula" de Bram Stocker, dirigido pelo Coppolla. Me julguem a vontade, mas as epístolas do livro não chegam perto da tensão que o filme trás.

8 - Livro que quer ler: Tem uma pilha me esperando, outros devidamente guardados em espera. Se fosse escrever todos, demoraria bastante, posso garantir. Além disso, os "técnicos" clamam por mim e estes "festivos" acabam ficando para depois. 

9 - Livro que você tentou ler, mas desistiu: São três. No Facebook eu só coloquei esses dois: "O Monte Cinco" de Paulo Coelho, que eu não sei porque mas não consegui desenvolver. E "A Tormenta das Espadas - As Crônicas de Gelo e Fogo" de George R. R. Martin. Eu li o primeiro, o segundo... e várias outras coisas aconteceram e - para mim - a leitura de Martin é difícil de desenvolver e tentar ler de forma rápida não parece o forte do seu tipo de escrita, então, abandonei por um tempo, até ter mais tranquilidade para ler. Juro que não entendo como tanta gente conseguiu devorar esse livros com tanta facilidade... Salvo exceções, que sei que são bons leitores, os demais me deixa desconfiada quanto a isso, não vou mentir. São pessoas que custam a escrever uma frase coesa nas redes sociais, mas são fãs do livro. Eu achei a leitura difícil. Uma áurea de livro épico com diálogos chulos e as vezes muito sarcásticas, maldosas e com palavrões, pareceu meio difícil de ambientar. Não tem muito o que imaginar no livro, senti dificuldade de formular personagens na minha mente, pela falta de detalhes. Acabei na preguiça e imaginando os personagens que já tem rosto com a série da HBO. Complicado é que lá na série muita coisa mudou o que só piorou para mim. É de se espantar que muita gente detesta a leitura difícil de Tolkien, por exemplo, consegue achar normal esse Martin ser best-seller e inclusive se render a sua leitura. Coisa inexplicáveis da vida...
O outro, eu não escrevi no Facebook. Acho que já ofendi quem gosta da autora Stephenie Meyer, então se eu disser qual outro eu desisti, mais gente ia achar ruim e são pessoas amigas que não quero magoar. Foi o "50 Tons de Cinza" de E. L. James. Me chamem de antiquada, mas não é para mim. Eu ainda não entendi se eu parei de ler por conta da temática central ou do ponto feminista que existe dentro de mim, e eu achava que não existia. Mas certas coisas tem limite, e você pára uma leitura de um livro como aquele quando você vê que a inocente personagem, faz muitas perguntas sobre sexo ao tal Grey, mas não pestaneja em agir de forma quase instintiva quando eles estão juntos. Personagem central fraca? Ok, tentei mais umas páginas... Mesmo discordando das atitudes do cara que ela conhece pouco, ela ainda aceita muita coisa rápido demais. E ela não enfrenta o cara? Em nenhum momento em que li. Não, isso não é nem de longe saudável de viver, que dirá ler. Acabei não indo ao fim e soube da história completa por terceiros. Não julgo quem gostou, ou encontrou romantismo no livro. Desisti porque não gostei de ficar lendo uma personagem que fica brigando mentalmente consigo mesmo, que tem heróis românticos na mente, mas tem um palavreado nada cortês e se envolve com um cara muito, muito problemático, que fala (e faz) coisas piores ainda.

10 - Livro que você gostaria de viver: "Eu sou o Mensageiro" de Markus Zusak. Em tempos antigos de internet, eu seguia um fotolog que tinha contos, contos de heróis templários e coisas do tipo. Um dia ele escreveu e me enviou um, depois que eu comentei em vários de seus contos. Esse que me enviou, contava sobre uma moça da Idade Média, que tinha uma carruagem e andava pelas fronteiras se intitulando "Mensageira da Alegria". Ela dizia ao personagem de todos os contos dele, que ela levava sorrisos às pessoas que ela conhecia em suas andanças. De qualquer forma, avisei que tinha achado legal, ele publicou e dedicou à mim, dizendo que ele acreditava que a personagem tinha muito a ver comigo embora, não me conhecesse. Não guardei o conto, mesmo que tivesse achado legal a menção, pois ele era trivial e simples. Além disso, ele havia escrito e os contos eram dele... De fato, ele não me conhecia e assim permaneceu, até perdermos completo contato. Na mesma época li esse livro do Zusak, em que o personagem central Ed, tem um dia-a-dia relativamente fracassado, mas se liga à uma missão de mudar vidas. Por isso, minha escolha.

É isso!
Abraços afáveis!

Nenhum comentário: