quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Versões boas, ruins ou melhores? "All I wanna do is make love to you"

Saracoteando no Youtube - algo que eu creio que ninguém faça como eu, que é ir para o site para assistir à entrevistas de músicos, atores e atletas que eu gosto, além de assistir à alguns videos clips de músicas boas, e/ou buscar uns stand ups de gente grande - e não ficar nesses videos de "youtubers" patéticos ou aqueles virais meio bizarros.
Mas, mudei de assunto... saracoteando no Youtube ouvi a música "All I wanna do is make love to you" da banda Heart. Lembram? Pois se não, a hora é agora!
Eis então que descobri uma versão não muito diversa desta, que posto hoje afim de discutirmos a melhor entre versão e original.


Original: Heart
Composição: Robert John "Mutt" Lange
Álbum: Brigade
Data de lançamento: 14 de março de 1990
Gênero: Pop Rock e Hard Rock

Versão: Halestorm
Álbum: ReAnimate (EP)
Data de Lançamento: 2011
Gênero: Hard Rock



Um pouquinho menos pop que a original - que beira às clássicas baladas oitentistas - Halestorm apresenta uma versão com um pouquinho mais de peso e, com uma voz muito semelhante à Ann Wilson, de Heart, Lzzy Hale vai pelo mesmo caminho, só sendo um pouco mais "rasgada". A banda esteve no Rock In Rio deste ano, no palco Sunset, no dia 25 de setembro. 
Se Heart era uma bandinha dessas em que vai direto para as coletâneas com títulos de "Love Metal", Halestorm não vai longe disso, pelo que já ouvi algumas vezes. Com um pouco de toque mais "agressivinho", Lzzy apresenta músicas que seriam facilmente cantadas por, sei lá, Vince Neil, do Motley Crue, só que numa versão feminina. 
Essa por exemplo é um versão que foi feita pela banda várias vezes ao vivo, fazendo parte depois, no EP supracitado, já com versão em estúdio. A moça usa a letra para falar claramente a que veio.  Em outro caso, citando os títulos sugestivíssimos das músicas, mostra que as letras não são romantiquinhas e com a função de serem as mais diretas possíveis: a música que rendeu Grammy em 2013, por exemplo chama-se  "Love bites (so do I)" (tradução livre: "Amor morde, e eu também"), "I am the fire" ("Eu sou o fogo") e "I like it heavy" (Eu gosto disso pesado), fora a letra de "Apocalyptic", que tem refrão pra lá de quente. Se tiverem curiosidade, só ouvir a dita cuja, aqui.

"Orelhando" as duas músicas de "All I wanna..." a original é mais a cara de quem gosta as coisas antigas, aquela nostalgia que te leva até para os tempos em que ouvia ela no rádio. Modernizada - mas nem tanto - a versão de Halestorm pouco adiciona, mas dá uma força maior e não estraga. Dá para ouvir as duas sem grandes dramas... ou não?
Fica com vcs agora.

Abraços afáveis - sem whatsapp, sem manifestação pró ou contra Dilma, mais simples, e mais verdadeiramente, afável! ;) 

Nenhum comentário: