segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Querer é poder?


Semana passada fiquei em casa todo o tempo. Recesso na universidade.
Confesso que precisava passar um tempo aqui. "Mamis" precisava de um "help", afinal se nada faço, posso, ou melhor: DEVO ajudar.
Desde o início do semestre na faculdade algo acontece com freqüência.
Devo confessar, demorei para perceber tal coisa. Mas estava lá todo tempo.
Semana passada dos 3 dias restantes antes do recesso, tive contato com a "rotina" apenas em um desses dias. Os posteriores pareceram como que faltava algo.
Minha semana seguinte, depois de eleições, eram dias de descanço em casa como ostra em sua concha. Cumprindo com minha vontade/dever.
Na semana seguinte tudo voltaria a ROTINA.
E hoje a "rotina" não veio. Novamente parecia que faltava algo.
Minha aula acabou muito cedo e meu amigo pediu para que eu fosse esperá-lo para irmos lanchar juntos. Enquanto o esperei, pensei comigo que aquilo era uma espécie de sinal.
Não sou uma criatura mística, embora eu por vezes acredito nessas coisas, mas dentro de seus limites.
Algo "estalou" na minha mente e percebi que mesmo eu me sentindo bem com aquela "rotina" ela não veio para fazer parte da minha vida.
Se existe destino, a estrada dele caminhou por um atalho. Mas não um atalho onde se chega mais rápido e sim um atalho que não leva ao verdadeiro DESTINO. Leva à outro lugar que não sei qual. Não houve curso natural das coisas. Não foi o seu plano. Não foi meu pedido.
Coisas mundanas eu sempre consegui. Era só eu pensar e já estava em minhas mãos. Algumas gastaram tempo e/ou maturidade. Mas todas tiveram valor e conquista. Custaram mas não doeram. Outras nem custaram.
Mas em um ponto específico eu nunca consegui o que queria. E nessa "rotina" de início de semestre vislumbrei uma possível conquista. Mas ela não apareceu hoje e naqueles 3 dias.
E não sei o que foi exatamente, mas isso simbolizou a minha "derrota". Mais uma vez a frase ecoou como em todas outras vezes: "Não era para ser". Tentei mais uma vez dando uma segunda chance mesmo o racional me puxando a perna. Chutei ele longe e corri atrás da "rotina", onde ela poderia estar. E comprovei. "Não era para ser".
Então, querer é poder?...
...Nesse caso, não para mim!

*Construa pontes e não cercas em sua vida!(by Manu)*

Abraços à todos!

8 comentários:

Anônimo disse...

.....e Moleque Chatto, escreve: Precisarei de Fernando Pessoa nessa: " Querer não é poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há-de poder, porque se perde em querer ".

Cristiano Matheus disse...

Hum... MC, vc é realmente surpriendente!!!

Manu, o destino prega peças e é necessário serenidade para extrair a sabedoria desta experiência.

Nosso, que profundo...

Você leu o que aconteceu comigo e me fez ver que empreendedorismo era o caminho que eu devia seguir!!!

Até mais...

Anônimo disse...

....e M.C. escreve: Ô, Cricri ! Vê se não vai entrar na ora herrada nesta onda do empreededorismo, hein ? Olha o mercado financeiro....Tá a cara da caveira da Manuuuuuuu ! Mais para bruxo...feiticeiro.... do mal...uuuuuu ! Onde anda a gatinha do Haroldo nos ombros ? Sumiu....

Anônimo disse...

...e eu, eu mesmo e mim mesmo( tenho sangue índigena..mim quer comer ! O quê ? Vira aí, cara pálida ! ), escreve..... ô palavrinha disfirciú : Empreendedorismo ! Falarei com o meu amigo Warren Buffet ! Só prá ajudar o Cristiano.

Manu disse...

Valeu meninos!

PS: É mesmo MC, a "mocinha do Haroldo" sumiu...
Quem sabe ela não aprece logo.

Abraços!!!

Análise F1 disse...

Manu,
Nenhum de nós podemos o que queremos, pois é natural da humanidade querer sempre mais do que se tem ou se pode ter. Mas querer e não poder é sinal de ainda buscar algo desta vida e achar graça nela, sinal de estar vivo e não apenas existir. Quem não quer algo que não pode ter(ou ser)não tem sonhos. E quem não tem sonhos não tem vida...

Adoro seus textos!
Abração!

Anônimo disse...

....E M.C. maaaaannnnnda, pro filosofobundista Análse F1: Nenhum de nós( a banda ) podemos o que queremos( mentira , se voce quer ir ao banheiro, vai...mesmo que seja no matinho ), pois é natural da humanidade querer sempre mais do que se tem ou se pode ter( realmente, tu vai numa churrascaria e come prá cacildis, pecado da gula ! E tem comida em casa ! ). Mas querer e não poder é sinal de ainda buscar algo desta vida e achar graça nela ( Porra, nao tenho uma Ferrari, caralhamba ! E por que acho graça nisso ! E nao peguei a Flávia Alessandra, ainda....), sinal de estar vivo e não apenas existir( porra, se eu parar de respirar, morro ! aí que nao vou existir mesmo !). Quem não quer algo que não pode ter(ou ser...gornalducho...Kassabundo..Eu, hein, tow fora ! Nem quero ser o marido argentino da Martaxa ! )não tem sonhos( ou é zóio grande nas coisas dos outros. Pode virar um invejoso). E quem não tem sonhos não tem vida...( Claro tá no cemitério ! Para onde todos nós caminhamos a cada dia, nao é, Redaçao ? ). Manu, nao ri, nao. To de picuinha com ele. HA !

Manu disse...

MC vc é uma figura! XD

Valeu Análise! As coisas são assim mesmo. Acho q talvez o querer nem pode ser o poder. Se houver destino, não basta apenas querer. ^^
Abração e obrigadão!