segunda-feira, 8 de outubro de 2018

GP do Japão: O que dizer?

Eu peço que vocês recordem o que escrevi no post anterior, sobre o GP da Rússia.
Se lá eu disse que a pista era ruim, mas que denotava uma única perspectiva a partir do resultado ridículo: esperar para ver quem vai ser o segundo, de forma sádica, só porque gostamos de assistir corrida desde que nos entendemos por gente... Bem, eu fui mais eficiente que muito jornalista pimpão de F1 com nome em caixa alta nos portais especializados.
(Já agradeço antes de ler os comentários, rsrsrsrsrs...)

Lá, também eu disse - e vocês podem conferir, no segundo parágrafo abaixo do meme "Ma che cazzo?" (aqui) - que havia quem discursasse que Hamilton seria campeão no México. Eu "adiantei" dizendo que no Japão ele já saia com a mão na taça para vencer nos EUA. 
De novo, tô melhor que um cara aí com meu sobrenome, mas graças aos deuses, não tenho parentesco.

Não preciso - olha que delícia! - estar nos cercadinhos do paddock a saber umas coisas. Muito menos, dar notícias triviais do tipo "fulano disse isso" para constatar certas ideias. 
Basta grudar meus olhinhos na tv, quando necessário e puxar na memória - já fraca - coisas semelhantes e compará-las, sem anacronismo. Explico: eu nunca vi o Verstappen atacando ou forçando ao erro, um carro prateado. Minto. Eu nunca vi o Verstappen fechando a curva de forma arrojada em cima do Hamilton. Mas já perdi as contas, especialmente em fim de campeonato, quantas vezes ele perseguiu as Ferraris. Deve ter sido umas 3 ou 4.

Com razão, vejam bem: o cara não tem nada a perder e quer vencer. Assim como Vettel quis. Mas errou. "Ele tem errado demais. Não merece ser campeão assim." É aquele lance: se tenta ultrapassar, é burro, se não, é inapto. Dos dois jeitos, ele estaria jogando o campeonato no lixo. 
Na boa? Que campeonato? Essa porcaria, já acabou lá em Monza... E nesse caso a gente pode ficar "full pistola" com o Verstappen: custa arrebentar o campeonato do que tem o melhor carro? Carambolas, a coisa já tá chata, o cara vai e detona quem já está detonado? 

Já fiz - de novo - as minhas exposições sobre Vettel. Vou convencer? Não. Não convenço nem um petista a entender que eles  não são arautos da alteridade e expõe o ódio tanto quanto o Imbecil, que dirá convencer que as pessoas estão sumariamente entrando no jogo da F1/mídia: já arrumaram um  sei lá, um antagonista, um derrotado para ser pisado. Eis o Vettel. Toda vez isso. Um santo e um demônio. 

As prévias se confirmam: Hamilton "genial" vencendo e desta vez não fugiu das entrevistas. Legal, que nobre! 
O pessoal da Mercedes sorria de orelha à orelha. Vettel derrotado, falando algumas coisas que no fim, são mais pontos para moldar as chacotas. Daqui a pouco, a Ferrari inicia aquele papo de "vamos focar no ano que vem", o famoso jogando a toalha...
A Ferrari toca a mesma ladainha, é só esperar. Mas a F1 também, desde que o cofre continue cheio e lucrando. Inclusive, nenhum grandes nomes cogitam mudanças cabais, como pontuação, padronização de motores, teto orçamentário... Porque será?

Então o que dizer? "Ai, Japão é legal"... Mas olha aí como foi?! Umas ultrapassagens aqui, uns eventos que geraram safety car acolá. Saldo final: mais de 60% da corrida em si foi monótona como se fosse uma pista ruim, que ninguém sente falta caso falem que vai sair do calendário.
Nem as boas salvam? Pois é, nem as boas salvam. 
A categoria já está praticamente morta, mas na vista de muitos, ainda passa bem. 

Abraços afáveis! 

2 comentários:

André Gustavo disse...

Manu, e o desempate do faixa a faixa? quando vai rolar ?

Abraços

Manu disse...

André, possivelmente na primeira semana de Novembro, sem falta. Estou com muito para estudar até dia 01, mas já está rascunhado o Faixa a Faixa com dois discos para serem comentados.
Pode marcar aí! Dia 5!

Abraços e obrigadão!