quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Diário de Bordo (parte 3)

Começo pedindo perdão pela demora. Muita coisa precisava ser adiantada antes que acumulasse e me deixasse doida.
Hoje tenho considerável tempo e continuarei com o diário de bordo.



Enfim, chegando de volta ao hotel, cochilei consideravelmente bem na cama do hotel com um traviseiro MARA. Confesso que estava cansada, mas não aparentava.

Dormi, acordei como se tivesse dado uma renovada do pique.
Levantei e então eu minha irmã e meu amigo decidimos que devíamos sair para procurar algum lugar para almoçar.
Antes de sair olhei para o espelho. Na hora pensei: "Não entendo porque ainda não consigo ficar empolgada"... E até agora eu não entendo. Algo me travava e o show parecia uma coisa que eu fazia todo dia, ou seja: algo sem importância.
Arrumeio o cabelo, peguei a bolsa e rumamos à caça de comida.


Optamos por almoçar num lugar que mair parecia uma lanchonete grande. Na rua detrás do Via Funchal, quase seguindo reto. Não guardei o nome do lugar nem realmente prestei atenção nisso. Deixei a máquina fotográfica no hotel e quando pedi minha comida, lembrei que poderia tirar foto daquele sanduíche natural.
Tudo no cardápio vinha em graaaaaaande quantidade. Eu estava convicta que deveria comer algo que sustentasse, mas que não corresse o risco de passar mal.
Minha irmã e eu pedimos um sanduíche natural com pão integral, alface, queijo minas (em São Paulo mineiro come queijo siiiiiiiiiiiiiiiiiim!^^), peito de peru e fatias de tomate.
Meu amigo foi de salada (que tinha muita coisa) afinal ele é vegetariano.
Rachamos de rir quando recebemos nossos pratos: O sanduíche era enorme, mal cabia na boca. A salada do #$%&*@ dava para umas 3 pessoas. Comíamos e ríamos porque literalmente iriamos voltar para o hotel rolando de tão cheios.
Aí que está: em São Paulo come-se muito ou come-se bem?

Durante o almoço falamos sobre tudo. A lançonete estava lotada de homens tomando chops. Eu e minha irmã éramos as únicas mulheres num raio de 50 metros. A tv passava Globo Esporte.
Ao lado de nós apareceu o casal "ruivo viking". Eram dois adolescentes, creio que mais novos que eu talvez, ambos tinham o cabelo compridos e vermelhos, e trancinhas laterais à estilo viking. O garoto encontrou-nos entre o Via Funchal e esse restaurante e nos comprimentou com um aceno. Fãs de Nightwish se reconhecem de longe, pensei.


Voltamos cheios e estufaaaaaaados para o hotel.
Eu e #$%&*@ conversamos todo o tempo até hora de nos arrumarmos. Vimos tv, rimos de muita coisa e enfim a até as 16:00hs tudo foi bem legal.


Meu ingresso era de camarote, de minha irmã também. De meu amigo era pista.
Não era para esnobar, mas eu num show e com ingresso de pista era fato para assinar atestado de óbito. Tenho 1,50m e peso menos do que deveria. Não sou esquelética, mas magra. (Se alguém quiser doar gordurinhas extras estou aceitando, porque engordar está difícil!)


Criaturas insanas pulando, dançando, batendo cabelo e cantando era sinônimo de acidente. Optei por camarote. Boa visão e ninguém me pisaria. Quase fali pelo preço dele, maaas... o.O
Meu amigo, mais alto que eu e sendo homem poderia ir de pista. Por ele, nos arrumamos mais cedo para irmos para fila, mesmo que o hotel fosse à 5 minutos do local a pé. Poderíamos ficar lá conversando e assim ele pegaria um lugar legal...

Arrumei as coisas, e comecei o ritual feminino: tomar banho, arrumar a roupa, vestir, arrumar cabelo e maquiagem. Comecei as 15:15 horas e eram 15:50 estava pronta.


Tirei foto na sacada do hotel. Priorizando apenas minha roupa, pode ser? XD

Saimos pouco mais de 16 horas do hotel. A fila já estava grandinha. Sentamos num degrauzinho e mandamos ver na conversa.
Aconteceu de tudo nesse período. Quase dei um murro nos vendedores de camiseta, adesivos, bebidas, e afins... Toda hora era "vai uma camiseta aí?" e "não, obrigada..."
Capa de chuva?? Eu olhava o céu e tinha nuvens e tal mas se eu comprasse aposto que não choveria. E não choveu.
Ofereceram um arquinho com chifrinhos que brilham para por na cabeça. Rolei de rir do #$%&*@: "Oô moça, isso não é micareta não, qualé!"


O ponto alto da fila foi as duas fotos que ele tirou de mim, que não postarei aqui. Eu com uma garrafa de água vazia e coloquei na orelha e falei "Alô mãe?!" E ele bateu a foto... Infeliz! "Calma, Manu, estou testando meu celular!!!" Daí lá se foi e ele bateu outra. Saí olhando de lado como se diz: "Pára com isso aí pô!". Então era hora de bater foto do trecho da fila:


Depois de sofrermos com cinzas de cigarro do tio que estava do nosso lado, fumava mais que tudo e toda a cinza vinha na gente, rimos de um tiozinho que vendia camisetas, ficar olhando e fazendo comentários de algumas moças que passaram de saias curtíssimas pela rua do outro lado.

Figuraças dos mais diferentes tipos que chegavam à fila ou andavam pra lá e pra cá. Dois caras, um muito simpático, pedia dinheiro para seu amigo que nem abriu a boca e apenas mostrou uma tatuagem no tornozelo que era a capa do Century Child, quinto álbum da banda (turnê do show é do sétimo disco). Não demos nada a ele, embora o amigo fosse muito simpático, o que precisava do dindin mesmo, parecia que nem queria a grana e deixamos passar. Pouco passou e uma moça andava um por um na fila com outro cara, estava pedindo também grana para o ingresso. Ela cantava qualquer música que a pessoa escolhesse, se ela agradasse, você entregava qualquer quantia à ela. Ela chegou até nós, muito simpática, e meu amigo pediu "Dark Chest of Wonders" uma das músicas do Nightwish. Ela contou legal um trecho e nós 3 devemos ter contribuído com R$5,00 ao todo pelo ingresso dela, se é que ela conseguiu. Não a vi depois. Espero que tenha conseguido sim. Enfim era hora de ficar em pé, muita gente andou e não havia lugar para sentar mais a frente. Pouco mais de 18:00hs e o Via Funchal abriria as 20horas...

Durante a estada em pé, vi um dos caras que arruma algo referente ao som do Nightwish. Vi ele no último dvd lançado pela banda e quando ele passou com outro cara que não reparei, demorei um tanto de tempo para lembrar. Depois já era!Já tinha passado!... Ok... não me importei...

Passou um clone do Marco (baixista) também. O cara tinha o cabelo parecido, a mesma barba e usou trajes idênticos. Só não tinha altura de Tio Marco (E provavelmente nem a voz!).

Meu amigo começou lá pelas tantas a contar coisas, depois de ficarmos 15 minutos em pé parados e andávamos dois passos e ficávamos mais 15 parados (e assim foi). O assunto mais louco foi a experiência dele com pombos e suas artes. Foi hilário. Minha irmã ria tanto e ficava tão vermelha (como é de praxe) que achei que ela ia desmoronar. Calor e a gente ria muuuuuito. O tiozinho do cigarro estava a olharnos o tempo todo, até ele num momento prestou anteção nos fatos dos pombos. Depois se não bastasse a história dos pombos meu amigo começou a fazer uma brincadeira muita estranha com um dos dedos da mão, claro, que não dá para explicar em palavras. XD Lembrei quase todo o tempo do cofrinho do moço que traumatizou ele e fui ameaçada se voltasse a falar do assunto. Foi mais uma vez uma loucura.

A hora estava chegando e o povo andava um pouquinho. Alguns cantavam na porta do hotel que a banda estava hospedada. Outros passavam com cartaz escrito "play The Escapist" (toque The Escapist - uma música bonus do novo álbum, muito boa). Um cara passou por mim dizendo "eu sei que isso é feio mas..." e atrás de um matinho perto do hotel se aliviou. "Ok. Fique a vontade!"


Era pouco mais de 19:40 que a fila começou a andar um pouco mais rápido.

Entreguei o ingresso do meu amigo para ele. Os seguranças dividiram as filas entre fila de mulher e de homem. Aquela era a hora. E só naquela hora comecei a ficar empolgada. Passei pelo primeiro segurança: "suba a rampa à direita", andei calmamente. Meninas a minha volta davam gritinhos de excitação, os meninos passavam meio que correndo. Cheguei ao meio da rampa e mais um segurança pediu "siga em frente para vistoria". Cheguei na vistoria, minha irmã estava de bolsa ficou com uma fiscal, eu com outra. Ela mal passou a mão na minha cintura e pediu para eu pegar documentos e entregar ao moço que estava na entrada, junto com o ingresso. Lógico: eu com cara de 12 anos teria que apresentar documentos já que a censura era de 16 anos. Olhei para minha irmã, ela já tinha sido liberada depois da vistoria da bolsa. Entreguei meu ingresso e meu documento. O segurança enooooorme colocou a mão no meu ombro e disse: "suba as escadas e lá, outro assistente indicará o camarote para você: bom show!" Agradeci. Eu e minha irmã subimos as escadas e o povo corria enlouquecido em volta. Não chegava a ser tumulto, mas havia uma atmosfera de excitação em volta.

Chegamos no palco. Ele estava montado para a banda de abertura. Libra - uma banda do Rio de Janeiro - apresentaria às 20 horas. Antes disso, fomos até uma porta que havia outro segurança, olhou nossos ingressos e disse: "vocês podem subir, lá é o camarote. Uma moça indicará seus lugares. Vocês podem ficar aqui até o início do show e depois subir, se quizerem, apenas não perca esse ingresso antes de entrar." Agradecemos e ele indicou banheiros e afins.

Esperamos meu amigo ainda na pista. Ele apareceu, eu fui no banheiro enquanto ele tirou foto de costar para o palco. Voltei e tiramos fotos juntos...

Deixamos ele lá. Desejei bom show e subimos as escadas.

Realmente uma moça nos levou ao nossos lugares. Fiquei bem próxima ao telão direito. O palco era um tanto longe, mas dava para ver quem era quem daquela distância. O telão ajudaria de toda forma a ver detalhes.

Eu fiquei um tempo calada. Minha irmã testava a máquina fotográfica no escuro. Falava comigo, ela estava empolgada mesmo não sendo fã. Estava quieta pois enquanto o show não acabasse não estaria em paz. Era uma excitação que senti pela última vez na estréia do filme "O Senhor do Anéis e o Retorno do Rei", da qual sou grande fã. A expectativa me deixa com cara de tensa, esperando que nada dê errado. Antes teríamos que ver a banda de abertura. E eu me sentia leve, porém com os olhos em movimentos rápidos registrando cada segundo, desde a hora que sentei na cadeira.

Minha irmã e eu pedimos Ruffles e uma coca-cola (só para mim pois ela não toma refrigerante). Entendi porque camarote é para poucos. Gastamos R$12 reais em um saquinho de batata pequeno e uma coca lata?... Meu Deus!! o.O

Eram 20 horas em ponto quando Libra entrou no palco... Ali eram os minutos de contagem até ás 22 horas - hora do show do Nightwish...

*...continua parte 4 "o show"...*

18 comentários:

Análise F1 disse...

Agora você matou o MC! rsrs. Se ele já quase enfartava com o pé agora com o corpo inteiro na foto você provavelmente irá matá-lo (já que acredito que ele possui uns 65 anos ou mais,rsrs) Brincadeira viu MC!

Bom sobre a viajem que legal, saudades do meu tempo de viajem com amigos, vida de solteiro. Avida de casado também é muito boa e agradável, mas a gente lembra sempre com carinho da vida "passada".rsrs.

Eu também tirei férias depois de 4 anos sem uma. Claro fazia viagens mas sempre 2 ou 3 dias e depois voltava pra casa e deixava a família sozinha. Agora é féria mesmo e nao 1 semana. 1 mês inteiro, (vai passar tao rápido...)

Beijos pra você!

manu disse...

Oi Análise!
Hahahahaha...será q mato MC?Sei não... acho q não!XD

Foi uma viagem divertida, mesmo!Por muito tempo esqueci de muita coisa q precisava ser esquecida e isso me fez muito bem. Estive com 2 pessoas agradáveis tbm. Meu amigo e minha irmã divertiram tanto q fiquei ainda mais feliz.

Vida de solteiro era legal então?Acho q para a maioria, né?hahaha...Enfim vejo q fase de casado tbm é boa. Bom assim!Excelente na verdade!^^

Finalmente umas férias decentes hein? Aproveite muito e descanse pq sempre passa rápido mesmo.Uma pena, férias deviam ser mais prolongadas!

Obrigadão pelo comentário!
Abração!^^

Anônimo disse...

BLÁ BLÁ BLÁ !

Patrícia disse...

Acho que a Manu já infartou o MC, tudo que ele conseguiu escrever foi "bla".rsrs

Será que ficou seqüelado? (quer dizer mais que já era.rsrs)

Manu estava escondendo o jogo, mostrando só o pé e agora exibe todo seu corpão. Esquece esta história de engordar menina, tem gente que paga caro para eliminar as gordurinhas e dariam tudo para ter um corpo como o seu!

Beijos!

manu disse...

Hehehe...É: "blá blá blá" não foi um bom comentário. Suponho q MC ficou com preguiça de ler tudo e daí achou q foi blá blá blá mesmo hahahaha.

Pois bem Patrícia, gordurinhas alguminhas não fariam tanto mal. Porém uma hora elas chegam... A idade chegando... XD

Abraços p/ vc!=**

Anônimo disse...

BLÁ BLÁ BLÁ !

Fernando Kesnault disse...

Manu, Manu, até parece que as "gordurinhas" estão a chegar em voce pela foto....gata, estás de parabéns pelo desenrolar de sua história nestes 3 capítulos. Daqui há 20 anos se lembrarás deste episódio com saudades... um grande abraço prá minha quase-conterrânea.

Anônimo disse...

FEFE KQUÉ ? BLÁ BLÁ BLÁ......

manu disse...

Fernando!Obrigada!
*Somos mesmo quase conterrâneos!^^
Abração!

Fernando Kesnault disse...

Manu, tu está muita gata na foto da sacada, ah....se eu fosse muito loco iria aí em Araguari, ahahah.
Um abraço prá ti garota.

manu disse...

Uai... vc nem viu o rosto!!!XD
Fernando...sem análises precipitadas ok? Vai por mim hehehe!

Abraço!

Cristiano Matheus disse...

Olá Manu...

Tamanho não é documento, e o que importa são os valores das pessoas!!!

Oh...

Você tem Orkut!?

Até mais...

Cristiano Matheus disse...

Olá Manu...

Sou do tipo Leal!!! O que você me pedir, farei dentro do possível e esta condição é muito simples para mim.

Me manda por e-mail

cricando@hotmail.com

ou se preferir

cricando@uol.com.br

Até mais...

Anônimo disse...

BLÁ BLÁ BLÁ....Abandonou o Popolog, Cricri ? Vou pegar ele prá mim. Manu, o Wanderson Marçal quer ir ao show da Madona com voce ! Dá um pulo no Wlog. Ele está dodói......

Camilla disse...

Oi Manu!

Desculpa pelo sumiço, andava em turbulências de fim de ano.

Nossa!
Vejo que as coisas aqui estão muito boas hein! Nightwish!

História pra contar pros filhos, netos e bisnetos.

Apareça também!
Bjos

Análise F1 disse...

Feliz Natal e Boas Festas!!!

Patrícia disse...

Feliz Natal Manu!

manu disse...

Brigadão gente! p/ vcs tbm!