sábado, 27 de fevereiro de 2010

Momento email...

Minha tia é uma figura daquelas bem engraçadas. Ontem ela apareceu aqui em casa e já me deixou de prévio aviso: "Lotei sua caixa de emails, hahahahahaha..." Depois foi contar algum que ela tinha passado mal de rir para minha mãe (irmã dela).
Eu gosto dos emails dela mesmo que sejam repetidos, com aquelas piadas mais velhas que tudo, aqueles powerpoints com lição de moral que todos já viram várias vezes (ou não). Gosto por 2 motivos: os emails engraçados eu já imagino ela passando mal de rir e chamando filho e marido para compartilhar o momento. Por isso não dispenso uma boa piada que recebo e logo encaminho para ela.
O segundo motivo fica a cargo dos emails mais sérios. Alguns emails desses quando abro já vem carregado com a frase "nossa, eu chorei tanto!"...
Como disse, minha tia é uma figura. A terceira de 3 irmãs, como eu sou. Talvez aí venha a ligação...

De qualquer forma, ontem depois que fiz tudo que precisava, fui ver os tais emails e um em específico já percebi porque de seu momento de risadas com minha mãe na cozinha enquanto conversavam. Era o email dos Hortifruti:
(cliquem para ampliar)









Isso é para desejar que tenham um fim de semana afável e com boas risadas... ^^

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

3 ótimas músicas que são boas de tocar...

Esses dias tenho empenhado nas aulas de guitarra. Infelizmente eu sou nível médio para ruim e acho que permanecerei nesse patamar por alguns bons anos.
Definitivamente aprender um novo instrumento depois dos 20 anos é o mesmo que querer aprender andar de bicicleta aos 80. E para uma garota que curte ouvir algum heavy metal, onde os seres das guitarras metálicas não são nem um pingo lentos, me faz uma falta danada aqueles exercícios de coordenação motora... ¬¬'
Enfim 2 coisas que só os homens fazem e por eles tiro o chapéu: dirigir e tocar algum instrumento de forma agressiva e/ou razoavelmente bem, pelo menos.

Mas como escolhi fazer dessas aulas uma sessão de terapia, acredito que essas 3 músicas sejam as únicas que até o presente momento sei completas (fora os solos das duas primeiras que sei de cor, mas não executo. Essas mesmas me custaram semanas de estudo...) e ainda são boas, muito boas de tocar, a ponto de rancar algumas pelinhas dos dedos, mas nada do que o tempo seco e quente não piore mais. Terapia é música e vice-versa!^^




Abraços afáveis!

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Entrevista I Love It Loud: Silvio - "Latueiro"

Olá pessoas queridas!
Venho com uma entrevista de uma amigo conhecido por alguns blogs aí como "Latueiro".
Imagino que esse será a nossa última entrevista (pelo menos essa foi a última feita e que está dentro do meu programa). De qualquer forma, segue o momento participação aberto a quem estiver interessado durante toda a temporada de 2010.
A entrevista com Latueiro foi feita antes de algumas devidas situações serem "resolvidas" na F-1, portanto algumas coisas podem soar estranhas, mas suas respostas foram baseadas no momento muita coisa foi decidida depois.
Latueiro mostrou-me uma ótima entrevista, bem diferente da que estamos acostumados aqui. Era bem isso que eu queria, muitas opiniões e amplos gostos e preferências.
Chega de papo e vamos à entrevista:


1 - Fale-nos um pouco sobre você.



Bom ... Falar de mim, não há muito o que falar. Mas posso lhes garantir quê? O "Latueiro” é na vida real [e não virtual] "tranquilo e de bem com a vida e com Deus no coração". "Adoro minha esposa e minha filha". Não tenho riquezas materiais! Mas espiritualmente muito rico. Adoro o meu trabalho, e amigos.



Não sou de ficar mexendo no futuro não! E nem ficar remoendo o passado ... "Vivo o presente"! Hoje aos 45 anos ... posso dizer que vivi um pouco de tudo. "Da tristeza a alegria, do choro ao sorriso, das derrotas que vitórias. Por isso, hoje me considero" tranqüilo e de bem com a vida e com Deus no coração!



2 - Quando e porque a F-1 passou a ser "rotina" na sua vida?



"Desde quando Emersson Fittipaldi, competia com os carros no grid"! Apesar de ainda jovem ... E não dar muita importância a categoria e Wilson Fittipaldi ... lutavam para colocar ao menos um ... essa luta dos Fittipaldis e a morte de José Carlos Pace ... me despertaram a curiosidade e comecei a acompanhar um corridas. E isso me despertou o interesse em saber mais, sobre as equipes e pilotos.



3 - Qual o seu maior "ídolo" de todos os tempos em que acompanha o esporte?



"Isso não é, e nunca vai ser segredo para ninguém!" ... Na F1 é Nelson Piquet. (E no futebol ... Um certo ponta esquerda do São Paulo FC, que não jogava nada [risos] Na verdade ele não se transformou o terror dos zagueiros e laterais adversários, apenas chamado por Zé Sérgio!)



4 - Qual piloto e / ou equipe que você torce (ou tem preferência), hoje?



Sempre fui um fanzaço da Equipe WILLAMS da F1. Desde que Brasil, logo depois ficou sem o Piquet e Senna. Pilotos “três” seriam apenas os que me chamam a atenção e claro uma simpatia e minha torcida. Juan Pablo Montoya, Kimi Räikkönen ... e claro Nelson Angelo Piquet. "Que tenho certeza ... é quem vai dar alegrias aos brasileiros que gostam de automobilismo, assim como eu"!



5 - Além do citado piloto,  qual sua visão como respeitos dos pilotos atuais? E algum destes tem ou teve chances de ser o seu "segundo" ou "terceiro" como preferido?



Quem acompanha F1 realmente gosta, e entende um pouco do que é realmente uma categoria do automobilismo mundial ... Que F1 é um. Jamais pode "menosprezar ou não admirar um Michael Shumacher". Os números mentem, não... estão ai! E podem aumentar mais ainda. Gosto também dos estilo de pilotagem de F. Alonso e de L. Hamilton ...



6 - Quais a (s) qualidade (s) e defeito (s) de automobilismo de seu ídolo faz? (Pode citar também para seu segundo favorito)



Se o N. Piquet ... Tivesse sido "puxa saco" de donos de equipes e principalmente da imprensa brasileira e mundial .... Talvez tivesse vencido e conquistado um pouco mais na categoria...!!! N. A. Piquet ...? Foi um vencedor nas categorias de acesso a um F1. Entrou na principal categoria na hora certa ... na equipe certa e o com companheiro certo ..... Mas o dirigente errado!



7 - O que está achando dos caminhos que estão tomando, como decisões para a temporada de 2010?



"Por enquanto uma verdadeira incógnita"



8 - Qual a melhor e a pior coisa da temporada de 2009?



A PIOR COISA DE 2009 ....? O povo brasileiro [principalmente a mídia] querer f**** Nelsinho Piquet ou proteger F. Alonso. MELHOR COISA DE 2009? Banimento de F. Briatore e P. Simonds. IRESTRITO APOIO A "N. PIQUET um seu Filho, N. Angelo Piquet".



9 -  Uma pergunta menos específica: Qual a sua opinião sobre o trio da Globo, Galvão Bueno, Reginaldo Leme e Luciano Burti?



"GALVÃO BUENO?, um fraco". R. LEME ??... um PAU MANDADO "." L. BURTI? Dispensa COMENTÁRIOS "



10 - O que espera da temporada de 2010?



"Que Nelsinho Piquet, ainda consiga uma vaga para o grid de 2010. E MOSTRE PARA OS CRÍTICOS DE PLANTÃO ... O QUANTO ELE FOI prejudicado SACANEADO E DENTRO DA EQUIPE DIRIGIDA POR F. Briatore.

Bom, gente essa foi a entrevista do Latueiro cheia de personalidade hehehehe!
Latueiro, obrigada por ter aceitado fazer a entrevista, obrigada mesmo!
E à todos que se por ventura quizerem participar já sabem. Mandem um email para mim. Qualquer participação é bem vinda, seja algum texto, uma crítica, um ponto de vista. Espaço aberto sempre!
Aos participantes até aqui um muito obrigada e conto com vcs nessa temporada dando seus palpites aqui. ^^
Quem quizer conferir as outras entrevistas, basta clicar aqui, ou no link da foto acima (Blog I Love It Loud e vc na F-1) à direita aqui do blog.

Abraços bem afáveis!^^

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Idéia para quem não tem nada pra fazer...

Recebi ontem esse email e ele salvou meu feriado.
Não que o "carnaval" estivesse ruim.
Não fui ao clube como sempre vou esse ano. Por forças maiores fiquei em casa e não me arrependi porque ouvir axé em alto e bom som com um número extra de senhoras de grandes quadris com biquinis micro fazendo movimentos que mais parecem espasmos, realmente não é um bom programa.
Não fui a sorveteria matar minha vontade de um sorvete de limão que só tem lá (pelo menos do jeito que eu gosto) porque faz 3 dias que minha garganta teima em ficar estranha tendendo a dar uma infecção mais grave e acho que um sorvete só pioraria a situação.
Fiquei boa parte vendo Olimpíadas de Jogos de Inverno. O tempo todo me martirizando: eu queria uma neve daquela naquele instante por que o calor aqui estava beeeem verão... Se não era verão, abriram a porta do inferno e deixaram-na aberta... ¬¬'
Minha tia voltou a ter internet em casa depois de quase um mês. Leio power points e assito à vídeos durante toda a tarde e todos vindo dela. É 20 à 30 emails por dia. E eu vejo todos os emails imaginando suas risadas.
Eis que ela me enviou esse e eu simplesmente me acabei de rir ontem.
Vejam:

O que fazer com um “Mosca Morta”....
1º) Mate umas moscas, mas com cuidado.
2º) Deixe ao sol por 1 hora até secar.
3º) Recolha as moscas, pegue lápis e papel...e...deixe a imaginação fluir.
Segue alguns exemplos:







Essa é a melhor... olhem os detalhes! A mosquinha macho da esquerda vomitando e duas "madames" conversando à direita! xD

kkkkkkkkkkkk...


Magnífico! xD

Eu acho que esse trabalho foi feito por algum funcionário público hahahahahaha...
Seja o que for, rir não faz mal à ninguém... Ainda bem! ^^

Abraços afáveis!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Texto: Sobre Tempo e as Jabuticabas

Recebi tal texto por email intitulado "Sobre Tempo eas Jabuticabas" de Rubem Alves.
Sou suspeita para com os texto de Rubem. Talvez um dos mais simples escritores e mais sábios do Brasil.


SOBRE TEMPO E JABUTICABAS (Rubem Alves)


“Contei meus anos e descobri que, com absoluta certeza, terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte. Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas que, apesar da idade cronológica, são imaturas. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral ou semelhante bobagem, seja ela qual for.

Lembrei-me agora de Mário de Andrade, que afirmou: ‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.’ Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja tão somente andar ao lado de Deus.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, desfrutar desse amor absolutamente sem fraudes, nunca será perda de tempo. O essencial faz a vida valer a pena. Basta o essencial!”

Abraços afáveis!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Uma foto apenas...

Eu ainda não tenho certeza se poderei voltar à tarde por aqui. Hoje tenho algumas coisas a tarde para fazer e fora de casa. Talvez não dê tempo de muita coisa. Mas amanhã posso retomar minhas atividades sim.
Por hoje queria deixar uma coisinha singela! xD
Passei no blog Octeto Racing Team ontem e a Ludy postou a seguinte foto:

Realmente, um texto pode se resumir em uma imagem...

Tenham uma ótima sexta-feira!
Abraços afáveis!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Casal de 'Senhor dos Anéis' é o mais rentável de Hollywood

Essa notícia vem do site da revista Veja.


Fazendo a minha rotineira procura de notícias que sejam ao menos relevantes para mim de serem lidas, encontrei essa agora a pouco:

Os espectadores adoram romance – os estúdios também. É por isso que uma boa história de amor gera milhões em bilheterias. De olho nos casais, a revista americana Forbes divulgou na quarta-feira a lista dos pares românticos mais rentáveis do cinema. Liv Tyler e Viggo Mortensen, de Senhor do Anéis estão no topo do ranking e provaram ser uma verdadeira mina de ouro.
De acordo com a Forbes, Tyler e Mortensen renderam 2,9 bilhões de dólares em bilheterias mundo afora nos três filmes da série baseada nos livros de JK Tolkein. A história gira em torno do impasse de Frodo diante de um poderoso e perigoso anel, mas é o romance de Arwen e Aragon que se tornou o coração do enredo, arrastando milhares de mulheres aos cinemas. "O casal Viggo Mortensen e Liv Tyler convenceu muitas namoradas a aguentarem mais de nove horas entre orcs, magos e hobbits", afirmou a Forbes em sua lista.
Atrás da dupla de Senhor dos Anéis está o casal de outra trilogia: Kirsten Dunst e Tobey Maguire, de Homem-Aranha. A luta do super-herói de Peter Park para conquistar o coração de Mary Jane arrecadou um total de 2,5 bilhões de dólares. O sucesso, porém, não foi suficiente para mantê-los na série. Em janeiro, a Sony anunciou que o próximo filme de Homem-Aranha contará com um novo diretor e novas estrelas.
Em terceiro lugar na lista, estão os inesquecíveis Kate Winslet e Leonardo Di Caprio que protagonizaram uma das produções de maior sucesso dos últimos tempos, Titanic. Mas a química entre Rose e Jack não se repetiu no recente longa Apenas um Sonho. O drama ambientado na década de 1950 parece não ter convencido o público. Juntas, as duas produções com Winslet e Di Caprio, somaram 1,9 bilhão de dólares, o suficiente para garantir apenas a terceira posição.
Já o quarto lugar é ocupado pela bela Megan Fox e Shia LaBeouf, de Transformers. A química entre o casal tirou o fôlego de muita gente, rendendo 1,5 bilhão de dólares em bilheterias. Encerrando o Top 5 aparece o romance do momento, protagonizado por Kristen Stewart e Robert Pattinson. Com apenas dois dos quatro filmes esperados da saga Crepúsculo, os dois arrecadaram 1,1 bilhão nos cinemas de todo o mundo.
A lista da Forbes consderou apenas os pares românticos que apareceram juntos em pelo menos dois filmes nos últimos 20 anos. Confira a lista completa:

1. Liv Tyler e Viggo Mortensen - 2,9 bilhões de dólares
2. Kirsten Dunst e Tobey Maguire - 2,5 bilhões de dólares
3. Kate Winslet e Leonardo Di Caprio - 1,9 bilhão de dólares
4. Megan Fox e Shia La Beouf - 1,5 bilhão de dólares
5. Kristen Stewart e Robert Pattinson - 1,1 bilhão de dólares
6. Julia Roberts e George Clooney - 847 milhões de dólares
7. Julie Roberts e Richard Gere - 770 milhões de dólares
8. Liv Tyler e Ben Affleck - 590 milhões de dólares
9. Renee Zellweger e Colin Firth - 545 milhões de dólares
10. Meg Ryan e Tom Hanks - 519 milhões de dólares

É um casal belo. Arwen e Aragorn fazem parte da minha idéia fantasiosa de relacionamento e estaria mentindo que acho que Viggo e Liv formaram um belo casal a esse ponto.
Até não ligaria se devido a moda do momento o casal que ganhasse fosse Kristen Stewart e Robert Pattinson. Por mais que muitos digam isso ou aquilo da saga Crepúsculo é de qualquer forma para mim, um belo casal também.
O meu medo quando percebi essa notícia era que eles colocassem em evidência pela centésima vez o casal azulzinho de Avatar. O filme teve algo de bom. A estréia do 3D em filme que não desenho. E as cores do maldito filme, me fizerem ter uma dor entre os olhos que tornava insuportável sequer olhar certas cenas. No fim, descendo as escadas da sala do cinema eu tive um enjôo jamais sentido. Eu pensei que estava passando dessa para melhor. Fiquei pensando até que eu pudesse ter a tal "foto sensibilidade". Não sei, não entendo. Só sei que nunca sofri tanto num filme assim. Mas de qualquer forma, não achei nada de tanto cabuloso no filme de James Cameron. Nada mesmo.
E se os casalsinho azul fosse o mais rentável... Eu diria em boas e todas letras que essa história de "Avatar" encheu, não?

Abraços afáveis!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Só posso pressupor uma coisa...

Sábado passado, a cantora Beyoncé se apresentou em São Paulo. Isso não é novidade para ninguém, claro.
Eu queria muito ser uma criaturinha dessas bem desbocadas para falar toda e qualquer porcaria a respeito disso e principalmente do fato de darem tanta ênfase à cantora na mídia brasuca, em que o Metallica, que ano que vem faz 30 anos de carreira, não obteve nem um terço da atenção que a mesma.
Mas não vou fazer isso.
Primeiro, porque de nada adiantaria meu momento revolta. Só ia aparecer mais cabelos brancos na minha cabeça e de quebra eu ia ofender algum fã fervoroso da nova Diva...  Segundo, por que não muda minha vida se Beyoncé, Lady Gaga ou qualquer dessas está aqui ou não. Na verdade até gosto que falem mais delas do que das minhas bandas porque realmente algumas não foram feitas para serem parte da massificação. Terceiro porque gosto é algo que, graças a Deus, cada um tem o seu, igual a... Bom... Deixa pra lá!


Minha irmã disse ontem, na hora do almoço, que choveu em SP no dia do show da senhora da foto aí acima.
Estou em momento "arrumação" geral e vou ser sincera que minhas prioridades não são sentar o bumbum na cadeira de frente o pc para saber se isso de fato ocorreu. Parece que a "diva" (ao meus sais!) do axé Ivete Sangalo se estabacou no chão devido uma chuva, água no palco, sei lá. Ivetão caindo ou não caindo, não muda minha rotina. 
Estou cá mais para dizer a todos que semana passada, como alguns sabem estive em Sampa e fui para ver Metallica ao vivo e foi simplesmente divino (repetirei isso mil vezes se for preciso).
Choveu sexta quase o dia todo. Fui no Mercado Municipal num táxi em meio a chuva.
Saí de lá, chovendo.
Fui para Estação da Luz e Museu da Língua Portuguesa e adivinha?
Chovendo! Chovia fraco, sim mas chovia...
E sábado? Amanheceu como no Hotel The Hill?
Chovendo... o.O
Eu e minhas irmãs caminhamos até o shopping Jardim Sul, alí perto, adivinha como?
Com guarda-chuvas! *.*
Voltamos depois do almoço e chuviscava. Ou como dizem lá... Garoava...
Quando saímos para a fila do show por volta das 16 horas o tempo estava bem firme.
Lá dentro do Estádio Morumbi, eu aguardando a hora do show do Sepultura e consequentemente do Metallica, tinha a companhia de baita sol na minha cara!
Deu um calorzinho bom mesmo.
Não caiu uma gota do céu desde então. Fui embora por volta da 00:00 hs sequinha para o hotel.

Disso, só posso pressupor uma coisinha:
São Pedro é metaaaaaaleirooooooooooo! \m/

kkkk...

Abraços muito afáveis mesmo, meu povo! \m/

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Entrevista I Love It Loud: Ludmila Coimbra

Queridos!
Estou em dias um pouco corridos, mas não esqueci de nossa seção entrevistas com fãs de automobilismo não. Hoje venho com uma ótima entrevista de uma conhecida de alguns (ou de muitos) de vcs.
É a Ludy do blog Octeto Racing Team e Na Trilha do Rally! ^^
Ludy, obrigada mais uma vez por ter me concedido a entrevista. Muito, muito, muito, muito obrigada! ^^


1- Quem é Ludmila? Fale um pouco sobre você.

Sou uma eterna apaixonada pela minha família, meus amigos, por música, cinema, seriados, automobilismo, pela minha profissão (jornalista), meus blogs. Sou daquele tipo vivo tudo intensamente!

2- Quando a F-1 passou a ser “rotina” na sua vida?

A primeira vez que pisei em um autódromo foi em 1989, em um treino livre para o GP do Brasil, no circuito de Jacarepaguá. Vi Senna pilotar ao vivo. Foi amor à primeira vista! Uma influência paterna. Quando Senna morreu, parei de ver corridas por dois anos, voltei em 96 por causa de Jacques Villeneuve, e estou aqui até hoje.

3- Qual o maior ídolo de todos os tempos na F-1?

Na minha opinião, Ayrton Senna. Eu pude vê-lo correr e tenho tremenda admiração pelo piloto que foi, pela época que enfrentou, sempre com grandes adversários. Ele era incrível. Mas também admiro demais Gilles Villeneuve. Este não pude ver pilotar ao vivo, era novinha, mas eu adoro ver seus vídeos e ficar cada vez mais perplexa com o talento deste canadense.

4- Para quem e/ou para qual equipe torce atualmente?

Torcer mesmo, nenhum. Simpatizo muito com Vettel e Alonso, mas com a saída de Kimi Räikkönen, assistir à F1 este ano será apenas uma diversão. Sem estresse.

5- Existe algum outro piloto que tem espaço como “segundo” favorito para você?

Kimi e Jacques - os dois recentes favoritos


Não. Os pilotos para os quais eu sempre torci nestes meus quase 21 anos de F1 foram Ayrton Senna, Jacques Villeneuve e Kimi Räikkönen. Não tenho outros preferidos. Como disse na resposta anterior, gosto de Sebastian Vettel e de Fernando Alonso, mas não são minhas segundas opções, é apenas uma admiração, não sou torcedora fervorosa de mais ninguém.

6- O que foi melhor e pior na temporada de 2009?

O melhor foi o GP da Bélgica, por motivos óbvios, a vitória de Kimi em um lugar tão maravilhoso como Spa. O pior definitivamente a forma como a Ferrari dispensou o finlandês. Não foi correto. Mas enfim, assim é a F1.

7- O que está achando dos caminhos tomados, as decisões a respeito e para a temporada de 2010 na F-1?

Olha, para ser sincera Manu, com a saída de Kimi da categoria eu fiquei muito desanimada. Na verdade já estava, e isto foi o auge. Automaticamente as notícias envolvendo a categoria foram deixando de ser importantes para mim, tenho lido muito pouco mesmo. Mas tenho algumas opiniões, acho que o novo sistema de pontuação não será bom. Não gostei. Ok, temos que valorizar o vencedor, mas acho que uma diferença de cinco pontos seria suficiente. Se uma das equipes disparar na frente como aconteceu em 2009, o campeonato vai acabar antes da metade do ano. Outra questão para 2010 é a ausência do reabastecimento. Acho que será bom, as equipes deverão ser precisas nas contas a partir de agora, mas acho que com três ou quatro corridas todos já estarão acostumados com este novo sistema.

8- Se você tivesse o poder de escolha, qual(s) seria(m) a(s) mudança(s) que faria para melhorar a F-1 (se caso ache que necessite)?

Eu ia começar tirando todos estes autódromos chatos que Bernie Ecclestone e sua ganância pelo dinheiro nos enfiou garganta abaixo. Traria de volta Hockhenheim, Montreal, Indianápolis. Também acho que pilotos que fizessem a volta mais rápida da prova, a pole position e hat trick (conquistar pole, volta mais rápida e vitória) deveriam ganhar pontos por isto. É muito injusto o cara se dedicar a ser melhor do que os outros e isto não ser nem levado em consideração.

9- O que vai ser da temporada de 2010, sem Kimi Räikkönen? Aproveite e fale um pouco da idéia no finlandês competindo nos rallies.

Kimi Raikkonen - Arctic Lapland Rally - janeiro de 2010


Será uma pena Kimi não estar neste campeonato. Na verdade, é um pecado que um talento como o dele tenha sido deixado de lado por duas grandes equipes como Ferrari e McLaren. No final, ele viu que não valeria a pena ficar em um lugar onde não o queriam e vendo que outra porta se abria para ele se divertir e realizar um sonho antigo, o rali, ele decidiu partir. E nesta categoria acho que ele pode até surpreender em seu primeiro ano. Não digo com vitórias, mas acredito em pódio, acredito mesmo, até Mikko Hirvonen falou que de repente isto é possível. Todos estarão de olhos bem atentos ao que ele vai fazer no WRC e acho que sinceramente, ele fará bonito. Tommi Mäkkinen, tetracampeão do mundial de rali e dono da equipe pela qual Kimi disputou seus quatro rallies em 2009 leva fé no Iceman. Então quem sou eu para não esperar coisas boas não é mesmo!? hahaha

10- Uma pergunta menos específica: qual a sua opinião sobre o trio da Globo: Galvão Bueno, Reginaldo Leme e Luciano Burti?

Galvão dispensa comentários. Ele está ali apenas para jogar o povo que só vê corridas aos domingos (não acompanha a rotina da categoria, nem lê outras fontes, nem pesquisa sobre o assunto) contra os pilotos estrangeiros. Não é brasileiro, não presta, este é o seu lema, e é assim que a massa vê. Reginaldo tem muito conhecimento, é um jornalista informado, mas ao lado de Galvão, cai na mesma ladainha de crucificar aqueles que em especial, disputam com os pilotos nacionais. Quando Galvão não narra as corridas, Reginaldo é outro comentarista, reparem. E Luciano Burti eu acho que foi uma boa ideia. É ex-piloto, pode exemplificar as coisas com experiência, e algumas vezes percebo que ele se irrita com Galvão...é muito engraçado! Hahahaha... Mas como os outros dois, também não esconde suas preferências.

11- Extra: sei que você acompanhou algumas corridas em Interlagos, tirou foto com Jacques, foi na coletiva de Kimi no último ano na Ferrari... Enfim, se puder, faça um resumo de como foram as experiências, as coberturas que fez para o seu blog, as boas sensações, etc. para nós?

Nossa!!! Não tenho do que reclamar! Pude conhecer pessoalmente Jacques Villeneuve em 2009, quando fui acompanhar a Fórmula Truck com a Top Race, e depois de 13 anos pude tirar minha foto e falar com ele. Participei da coletiva de imprensa dele e reencontrei amigos. Algo realmente inesquecível. Com Kimi, desde 2006 vi todas as duas corridas no Brasil, e é claro que a mais emocionante foi em 2007, quando ele se tornou campeão do mundo. Foi algo que nunca esquecerei. No ano passado eu fui à coletiva de imprensa da Shell, pude estar ali, vivenciando sua última vez de Ferrari em terras brasileiras. Foi muito especial.

Quanto à cobertura, não fazemos o normal, mesmo porque os veículos de comunicação especializados estão aí para isto. Nossa cobertura é mais uma forma de mostrar o que estamos vendo e vivendo lá, nossos sentimentos, a diversão. A gente se diverte e quer que todos se divirtam também, mesmo não estando lá.

Enfim, o blog do Octeto só me proporcionou conhecer pessoas maravilhosas e é um prazer poder compartilhar com todo mundo estas conquistas pessoais que temos.

Ludy! Adorei sua entrevista e por ter aceitado participar.
Já dividimos alguns momentos em msn e emails que só Deus sabe! xD "Time to be free now!" ^^
Obrigada mais uma vez!

E ao pessoal o esquema é o de sempre: Querem participar também, mandem emails com o título "Manu, quero participar da entrevista", que logo entramos no devido contato.
As outras entrevistas se encontram nesses links:

Até a próxima e abraços afáveis!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Metal e velocidade!

Com certeza James Hetfield (vocalista do Metallica) concordaria que o título desse post combina e muito.
Nesse último domingo, dia 31 de janeiro, James esteve no autódromo de Interlagos, para dar um passeiozinho básico, com um Porsche 911 GT3 Cup. 
O cantor foi orientado por Max Wilson, piloto da Stock Car e consultor da Porsche GT3 Cup.
Esta não é a primeira vez que alguém assim guia um Porsche no circuito paulista. Em 2009, os músicos do Iron Maiden também sentiram a pilotagem de um 911 GT3 Cup Porsche em Interlagos além de kart (como podem ver nesse link, onde Bruce Dickinson conta a experiência), por ocasião também de seus shows em São Paulo.
Bruce também já correu de kart com Kimi Räikkönen na Finlândia em 2006 quando Iron passou pelo país fazendo shows. Olhem a foto que coisa meiga!


Algumas fotos de James em Interlagos podem ser conferidas logo abaixo:










Alguns vídeos:





Ao que tudo indica a Rede Globo estava lá e fez uma reportagem, mas ainda não tenho nenhuma notícia de qual programa e quando irá ao ar. (Se é que vai. ¬¬')
Mas de qualquer forma, James que tem amor por carros e motos. Max Wilson, que o acompanhou, ensinou a manobra “punta-tacco” (acelerar com o calcanhar e ao mesmo tempo frear com a ponta do pé) para o vocalista James Hetfield. “Muito bom! Agora eu sei o segredo!”, disse o cantor.
Eita James! ^^

Crédito das fotos e vídeos: link.

Abraços afáveis!

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Metallica: Just Fucking Beautiful!

Pessoas queridas! Estou de volta! ^^
Ontem estive online por alguns minutos, mas confesso que ainda um pouco cansada não pude fazer muita coisa durante o dia e o tempo se foi.
Eu preciso contar as novidades de meus 2 dias em São Paulo. Mas por hoje vou tentar escrever o texto sobre o show, sobre minhas emoções e sensações sem muitos detalhes amplos (ainda preparo alguns vídeos que gravei da máquina e até então, assistí-los tem me deixado arrepiada).

O show teve abertura do Sepultura, e foi uma boa e divertida experiência vê-los ao vivo. Cantei e vibrei principalmente nas músicas "Territory", "Roots Bloody Roots", "Refuse/Resist" e "Inner Self". Foi ótimo, e um excelente aquecimento. Andreas em algum momento com a camiseta do São Paulo Futebol Clube foi ótimo, apesar das vaias de alguns contra são-paulinos. Acontece...
Eu nem tinha idéia clara do que estava por vir em termos de emoções. Explico. Em 2008, como já comentei, estive num dos shows do Nightwish feitos pelo Brasil. Eu tenho pleno carinho e absoluta admiração pela banda finlandesa desde meados de 2000. Sei muita coisa sobre a banda, posso me considerar uma grande fã. Mas se não fosse por Iron Maiden e Metallica, provavelmente eu não seria o que sou hoje. Faz pelo menos 12 anos que ouvi Iron para apreciar e contando que ninguém em casa curtia a banda, por isso considero isso um grande feito. Metallica era por vezes acompanhado por uma de minhas irmãs, mas não afinco. Foi com Iron e Metallica que com 10 anos eu sabia que metal era coisa séria.
Daí com 13, 14 anos eu descobri Nightwish e com 16 me tornei fã deles. Fui no primeiro show com 21 anos. Quase 2 horas de show e me lembro de bons detalhes. Cantei todas as músicas, sentada no camarote e de frente para um enorme telão. Eu não podia me divertir e me movimentar tanto quanto o pessoal da pista. Se eu ficasse de pé, atrapalharia os demais do camarote. Não pisquei e não perdi um segundo. Saí do show absolutamente feliz e satisfeita. Pensando principalmente que não reclamaria se aquelas horas durassem a eternidade. Eu tinha uma plena sensação boa, confortável. E sentia que tudo estava tão bom como andar nas nuvens.

Logo que terminou o show do Sepultura eu poderia dizer que estava feliz e também confirmaria que após o Metallica estaria nas nuvens como estive do Nightwish. Mas fui surpreendida.
Quando as luzes se apagaram e gritos dos fãs começaram na multidão, o que primeiro tomou nas caixas de som do Morumbi foi a canção instrumental "The Ecstasy of Gold", parte da tradicional trilha do faroeste "The Good, the Bad and the Ugly", composta pelo romano Ennio Morricone. A música abre o álbum "S&M", que a banda gravou com o auxílio da orquestra sinfônica de São Francisco.
Os pelinhos do meu braço estavam todos arrepiados. O Morumbi todo acompanhava a música e logo pisavam nos palcos James Hetfield, Lars Ulrich, Kirk Hammet e Rob Trujillo iniciando com "Creeping Death". (Algumas das fotos que tirei, abaixo.)


Logo veio "For Whom The Bell Tolls" e eu achei sinceramente que no calor que estava naquela área das cadeiras azuis não tinha a mínima condição de sentir arrepios tão seguidos, mas era tudo muito bonito até aquela hora e estávamos apenas na segunda música (sendo que a previsão eram de 18, ao todo).
Seguiu-se para "The Four Horsemen" e "Harvester of Sorrow". Mantive-me em detalhes com tudo no palco através de um binóculo. O Morumbi tremia, lotado com o pessoal na pista enloquecendo e a turma das cadeiras e arquibancadas ajudando no coro.
Chegando "Fade to Black" eu pendurei o binóculo e instintivamente me coloquei a cantar, gritar e acompanhar os movimentos junto com todos. Veio as músicas do novo álbum (Death Magnetic) como "That Was Just Your Life" e "The End of the Line". Especificamente em "The Day That Never Comes" eu cantei com lágrimas nos olhos. A surpresa de tudo era que estava acontecendo um momento único para mim. Eu me senti no meu momento e decidi que faria tudo que pudesse até o fim para curtir ao máximo. Meus pés já doíam um pouco, mas a única coisa que eu pensava era "descanço quando acabar".
E estava a caminho uma das minhas favoritas. James citou Sepultura e nos ofereceu algo mais heavy. Era mesmo o que eu espera: "Sad But True". Nem precisava dizer que nesse momento eu já estava em pleno êxtase.
"Broken, Beat and Scarred" veio logo na sequência. A música, também do novo álbum, colou bem com Sad But True e obviamente deixou o povo mais animado ainda. E os 4 caras sairam do palco para uma sessão de fogos simplesmente esplêndida.





Era a vez de "One" e não existe nada na vida que seja interessante que se compare à "One" do Metallica ao vivo.
"Master of Puppets" foi cantada com empolgação por todo mundo alí presente. Logo, veio também "Blackened". E "Nothing Else Matters" poderia ser algo de acalmar ânimos, mas nem por isso alguém deixou de cantar em alto e bom som.
"Enter Sandman" veio para fazer o povo pular e gritar ainda mais, inclusive eu (que já tinha certeza que minhas pernas acompanhando a bateria desde "Sad But True" estaria um trapo do dia seguinte).

A saída dos caras do palco marcava que estávamos perto do fim. Eles voltaram fazendo um cover da maravilhosa "Stone Cold Crazy" do Queen, seguida de "Motorbreath".
Faltava uma. Eu já estava agoniada com o coração mais que apertado. "Passou tudo tão depressa!" E o Morumbi em peso pedia: "Seek & Destroy" e assim James brincou com a "Família Metallica" e era hora de ouvir todos gritando "Searching, seek and destroy". Foi absolutamente tudo!


No fim, James pegou a nossa bandeira que foi jogada no palco. Em certa parte do show James perguntou ao público: "Do you feel what I feel?" ("Vcs sentem o que eu sinto?") e era fácil entender o que ele queria dizer com isso. Muitos dos momentos do show ele batia a mão no peito. O que se via era muita paixão, de verdade. Aquela turma do dia 30 está absolutamente de parabéns. Tudo o que fizeram contribuiu para que tornasse o show de todos os presentes algo inesquecível, e com certeza James, Kirk, Lars e Rob não esquecerão.


Era uma energia tão intensa que eles não puderam ficar frios diante dela. Se James disse que esperava dos shows no  Brasil muita paixão (ver nesse link ), ele teve a paixão da forma mais bela e sincera que todos puderam demonstrar. E era visível que ele ficou agradecido por isso. E me apaixonei por essa atitude de James. Alguns fãs dizem que Kirk se emocionou ao fim do show também e não duvido que isso possa ter acontecido de fato. Ele filmou a platéia com seu próprio celular. Lars chegou a citar que demoram 11 anos para retornar ao Brasil. De qualquer forma, valeu muitíssimo a pena. O baixista Robert com toda certeza estava dividindo o grande momento com os demais. Era fácil de sentir isso.
Só naquele sábado pude entender o que uma banda faz quando se torna grande como Metallica é hoje. Maduros, perfeitos e profissionais. E não só isso, mas simplesmente encaram o trabalho que fazem com grande energia que era, nesses 29 anos de carreira, algo que poderia ser deixado de lado, devido o tempo. São de uma banda em que se divertem, dão tudo de si, e não simplesmente fazem o trabalho e pronto. Eles contam, nós como presentes de seus shows, como parte do conteúdo para que torne tudo completo.
A minha sensação no fim daquele show foi surpreendente pois hoje, terça-feira, quase 3 dias depois daquele show eu sofro ainda do mal "depressão pós-Metallica". É piegas, mas eu admito que me emociono todas as vezes que vejo algum vídeo, seja meu ou de qualquer outra pessoa (que pude conferir) que estava no show também. No domingo eu senti uma dor razoável nas pernas e algum cansaço. Precisava voltar para casa à tarde. Mas eu ficaria mais naquele domingo e naquela cidade se fosse para ir no show do dia 31 novamente, com pernas doendo ou não, e agitaria do mesmo jeito, da mesma forma, como se fosse a primeira vez, sem pestanejar.

Eu realmente queria dividir um belo texto sobre o show com vcs, mas não me sinto capaz em descrever tudo de forma justa com o que se passou naquelas 2 horas. Talvez me falte talento (o que acho bem provável). Talvez me falte forças. Ou me falte palavras que o cansaço não me permita encontrar.
Talvez me falte alma...
E a minha alma esteve com eles, e se brincar partiu com eles, naquele dia 30 de janeiro de 2010...

Abraços afáveis!

PS: Agradeço os desejos de "bom show" de Ron Groo, Nelson, Ludy, Mariana, Samita, Adriana, Isabella, Adão e tantos outros. Se for pela torcida de vcs que tudo correu bem e nem choveu, vcs são verdadeiros anjos da guarda! ^^
*Logo (ao longo das semanas) coloco algum vídeo desse meu fim de semana em Sampa.