sexta-feira, 29 de julho de 2016

Versões Boas, ruins ou melhores? "Rolling in the Deep"

Essa postagem em que eu apresento músicas já conhecidas e as versões que foram feitas por outros músicos tende a ser cruel. Até agora (e vocês podem conferir na aba Especial 1: Versões/Covers) trouxe muita música que já era boa em sua forma original, mas nem sempre contou com versões que fizessem jus à elas.  
Posso parecer repetitiva, mas existem músicas que não se deve mexer. Simplesmente são excelentes como são, com os interpretes originais. A maioria das boas músicas que a gente tem por aí foi absolutamente detonada na série Glee. Todas as vezes que ouvi alguma coisa daquele seriado, tive muita relutância em aceitar. Tanto que nunca fiz postagem com alguma versão que surgiu de lá.
Evito também mostrar versões de algo bom transformado em pop desagradável - embora eu comecei do jeito inverso com essas postagens - do pop desagradável a versão adequada - quando apresentei duas versões de duas músicas da Britney Spears e foi um arraso positivo: uma porcaria pop interpretada por uma moça com a voz de pata com cólicas podia ser bom material nas mãos certas. 
Mas fiz postagens em que nos bons momentos, as músicas originais e as versões se equipararam. Mas hoje eu certamente ainda farei uma postagem em que as versões superaram as versão original que apesar de ser boa, pode ser melhor.

"Rolling in the Deep" é uma música da cantora Adele, para quem não sabe. Se perguntarem à 10 pessoas aleatórias que ouvem música sempre, independente do estilo favorito, eu arrisco dizer que 9 gostam de Adele e a única que restou dirá que não tem nada contra. Foi um "booom" alguns anos atrás quando ela lançou o álbum dessa música. Pouca gente a conhecia. De repente ela era um ícone da música. E eu confesso que só a conheci dado o sucesso. Não tenho suas músicas no meu playlist, se querem saber, mas não é porque detesto. 
Muita gente passou a ouvir as suas músicas repetidas vezes e em muitos lugares a gente acabava escutando "Rolling in the Deep" tocando. A repetição fez com que se tornasse uma dessas músicas que você fica cantarolando o dia inteiro. Estava em toda parte: Adele aqui, acolá. Lojas de departamento, academias... Fazia tempo que eu não ficava sabendo de uma música que não fosse dessas que a gente fala "que horror!" quando ouve, fazendo tanto sucesso. 
Nos show de tv de calouros, o pessoal soltou os "bichos" cantando o novo hit - muitos, deveriam ter ficado só esguelhando a letra no chuveiro, incomodando apenas o vizinho de corredor e os membros da casa. 
Mas não vou ser boazinha; verdade seja dita: hits repetitivos enchem o saco. E "Rolling in the Deep" encheu. Tanto que até bandinha de rock pop começou a copiar, como verão nas versões abaixo.
Fãs novos e de longa data de Adele que me perdoem. Mas não vou dizer que Adele fez uma música tão perfeita que é dessas que nem precisa de versões. Nem vou "favoritar" versões meia boca ou praticamente idênticas à orginal. Duas em específico, que encontrei e ouvi, são infinitamente melhores que a original.
Mas é a minha opinião. E é claro que vocês podem tanto discordar, como concordar.

Primeiro, a versão original, seguida das versões numeradas:

Original: "Rolling in the deep"
Intérprete: Adele
Composição: Adele e Paul Epworth
Álbum: 21
Lançamento: 29 de novembro de 2010
Estilo: Soul e Blues


Versão 1: OneRepublic

Sem álbum.
Estilo: Pop Rock



Versão 2: Panic! at the Disco

Sem álbum
Estilo: Indie Pop


Versão 3: Nicole Scherzinger

Sem álbum
Estilo: R&B



Até agora, fraquinhos, certo? Inclusive a ex Hamilton acima. Vamos ver se melhora?


Versão 4: Aretha Franklin

Álbum: Aretha sings the great diva songs
Estilo: Soul


Melhorou demais!!! Aretha Franklin é boa pedida.

Mas reservei as minhas melhores para agora em diante. Vocais masculinos. E dos bons.

Versão 5: Linkin Park

Sem álbum
Estilo: Rock alternativo, new metal (a música em si saiu quase acústica)



Evoluímos!!! Mudamos o estilo, o timbre vocal e resultado: Cherster mandou bem no cover.

Mas até agora podemos ver que, entre um pouco mais de peso nas guitarras ou uma voz diferente, quase todos não mudaram em nada da música, não colocaram seu jeito de cantar as frases, seu próprio toque ou ritmo. Afora Aretha e o Chester acima, a maioria copiou bem a risca inclusive os gritos da dona Adele.
Tentativa bem sucedida de imprimir identidade no interpretar a música, só na minha versão favorita:

Versão 6: Poets of the Fall
Sem álbum
Estilo: Rock alternativo e acústico



Marko Saaresto! Que voz! Que pessoa! Divino!
"Rolling in the Deep" passou a ter outra "cara" para mim, com o Poets of the Fall. #TotalmenteExcelente

Caminho livre para vocês:  escolham a preferida. Ou uma, ou a original, ou todas ou nenhuma. (Tá valendo!)

Retorno na segunda com o comentário do GP da Alemanha.
Abraços afáveis, até lá e excelente fim de semana!

quarta-feira, 27 de julho de 2016

GP da Hungria em fotos

Começou assim. 
Teria sido bem menos chato se tivesse continuado


***


Muitas mãozinhas para Seb
É como o Baby da Família Dinossauro e a geladeira:
(Clique aqui.)


***

Corre gente, vocês estão meio atrasados...


***

Se o ursinho tivesse dormindo, estaria de fato do jeito certo


***

Hahahaha... Execelente!
Se eu votaria? Não sei... 
Existem 2 ou 3 pessoas para quem eu votaria pela boa mania de falar as verdades.
Kimi é uma destas, isso é verdade.


***

Pô Massa, está tão sumido que nem consigo pegar no teu pé, rapaz!
Tá enchendo o saco só falar mal do Hamilton.


***

Picolezão para o presida


***

Desenhos infantis são os melhores.
Ah se fosse assim, meu amiguinho(a)... Ah ...


***

Uns detestam o Vettel e outros dão risada pq Kimi em papel de segundão.
E os dois? 
Estão se lixando


***

Se refrescando né, Alonso?
Ah Alonso competitivo... bons tempos. 


***

De um lado um papo escandinavo. 
Do outro, o alemão puxa assunto com os latinos


***

Aparece mais neste pódio, Ric. A gente aprecia.


***

Bonito dona Mercedes. Excluindo da foto o terceiro lugar.
Super descente!!!


Falando em decência, o Hamilton sacou as armas do dedo social para o Gutierrez na corrida.
Até o ponto que a gente acha graça é quando os envolvidos são bons pilotos com bons carros. Depois disso a gente acaba tomando partido para uma das partes.
Numa dessas corridas aí o Ricciardo sacou o dedinho para o Kimi num treino de sexta. 
Christian Horner até defendeu o piloto e eu até brinquei com a situação.
Kimi de certo não deu a mínima. Fez certo.
Mas Gutierrez soltou a real no Twitter.
Salientou inclusive algo que a gente, quando brinca dizendo que é só um dedo e tal, nos esquecemos:


Isso é pura verdade, Guti. A gente brinca, mas se esquece que tudo bem que a zoeira nunca acaba, mas tá errado isso aí.
Meu amigo sobrancelhudo se saiu bem, apontando a falta de direito na atitude do Hamilton. Pisou na cabeça do Guti só porque ele é piloto de equipe pequena e sequer tem 20 pontos nos anos de F1. 
Eu provavelmente revidaria, o que não seria sábio nem respeitoso.


***

Ó o garoto carne de pescoço aí!!!
Mas ó, nem foi ele o piloto da corrida. Porquê será?


***

Cara animada (não é pra menos) de Rosberg...
...Discursinho bobinho do Hamilton...
...E...
E... 
Sentou num prego, Ric??


***

Vai fazendo "dab", vai...


Só um recado:


Remember Rememer the 50º Super Bowl


Abraços mega afáveis!

segunda-feira, 25 de julho de 2016

GP da Hungria: papinha de bebê

Dada as circunstâncias estive fora toda a semana. Cheguei de viagem apenas no sábado à noite.
Foi muita, mas muita falta de sensibilidade da Globo em repetir o José Roberto. Mais ainda para mim, que tinha dormido as 22:30  por cansaço e relutado levantar da cama às 8 da manhã.
Se não fosse a bexiga apitando socorro, teria ficado mais uma meia horinha. Talvez até perdido a largada - que convenhamos, apesar de limpa e boa, ressaltou o que não devia: nova vitória boba de Hamilton.

Houve polêmica do rádio "coaching" com o Button, umas três punições, para ele, Kvyat e Gutierrez que eu me lembre e... enfim. A parada do "manda quem pode, obedece quem tem juízo" não se aplica mais à F1. Eles aprontam umas punições aqui e ali que em grande escala, nenhuma tem grande serventia. As que de fato por hora, podem ter, passam despercebidas. Mas pelo que observei ontem só um valia de tomar punição; e esse era exatamente aquele que não leva isso na conta. Hamilton teve "coaching" sim, muito mais claro que o do Button... E a ação dos comissários?



Hamilton, que passou Rosberg na largada, depois do estresse da classificação não teve tantos problemas assim. O estressadinho apela, mas quando está por cima da carne seca, faz até dancinhas ao sair do carro.
Rosberg perdeu o fio da meada. Já podem conferir no meu post sobre o GP da Inglaterra: Hamilton o passaria no campeonato e tudo ficaria morno, para passar a ser uma papinha de criança azedinha. Só que depois de 2015, creio que essa papinha vai vir seguido daquele vômito do neném misturado sem querer. Resumo: daqui adiante as corridas além de serem chatas passam a ser também meio nojentas.
Isso porque agora, não haverá o mínimo de esforço da competição entre Rosberg e Hamilton. Sequer existirá alguma ideia dessa na prática, mas podem ter certeza que vão se ater à ela pelo menos na teoria, só para enganar bobos.

É desagradável ver que a Red Bull pode - mas nem tanto - desobstruir caminho e tentar mais vitórias de Verstappen ou Ricciardo. Infelizmente, ontem foi quase isso, se o carro de ambos não perdessem algumas possibilidades. Ricciardo não contava com a boa largada de recuperação - pelo menos do segundo lugar - de Rosberg. Ficou só com o terceiro, o que foi uma das boas coisas da corrida, e a única do pódio. E Verstappen trabalhou bem, mas teve que gastar bastante braço com Kimi, logo em seu encalço nas voltas finais. E o menino levou a melhor. Kimi só passou quando foi dada a bandeirada. No meio das investidas, quase perdeu toda a asa dianteira e reclamou no rádio que o Garotinho fechava muito a pista. Para uns, Kimi sambou na pista. Para outros, Verstappen é gênio. 
É vida que segue. Quero muito que Verstappen mantenha a boa forma porque quando a magia some as críticas são cruéis. Sabemos perfeitamente o quanto choveu comentários maldosos de ambos os lados no Twitter e Facebook. Defensores de um e outro. Eu só fico satisfeita por ter "acordado" para ver Kimi combativo. Já dá para sentir satisfação só com isso, afinal #PobreSeContentaComPouco

Kimi e Vettel estiveram com complicações. O primeiro largou muito atrás, o segundo, parece que regride a olhos vistos. O que acontece com a dona Ferrari a gente bem sabe. Tem horas que parecem time de fundão, mas tem horas que os seus pilotos são mesmo o diferencial - mas dado algumas circunstâncias, não são suficientes.
Kimi se recuperou bem na corrida, mas atracou tanto atrás de Verstappen que serviu só para agradar quem assistia com olhinhos quase miúdos de sono, uma corrida enfadonha.
Meu coração fica bem pequeno ao perceber que Vettel não tem a mínima possibilidade de competir pelo penta. Muito menos, atrapalhar o tetra do Hamilton. Tetra inevitável, mas se é para usar e abusar dos prefixos -in- aqui vai mais um: inexpressivo (para não dizer outros como irrelevante, inapropriado, incompetente, injusto, desagradável e o recente inventado "desumilde"...)

Uma leve procissão e Hungria acabou com aquele tom morno, beirando a chatice completa, pior que churrasco com carne de soja. 
Anotem aí: a papinha está azedada, agora só vem aquela pequena golfada de leitinho fermentado no prato. Esse momento do inoportuno "refluxo" a gente confere na Alemanha, semana que vem. Depois o prato da papinha fica até agosto na pia, azedando ainda mais. 

Abraços afáveis!

terça-feira, 12 de julho de 2016

GP da Inglaterra em Fotos e Fatos

Seb pedindo uma mãozinha para se levantar...
#QuemNunca?


***

Take 1:
"Kimi Raikkonen renovou contrato com a Ferrari para ser 'segundão' do Vettel"


***

"Fazendo selfie aqui, sussa com o meu companheiro"


***
"Olha a selfie com os doidão que não são mais da Euro!"


***

Agora é hora de usar óculos bifocal? 


***
Take 2: "Olha, o Jason Button!"

É JENSON!!!! JEN-SON!
Faz séculos que o cara corre na F1 e até hoje nem o Galvão *Gagá* Bueno nem o José *Bocó* Roberto sabem falar o nome do cara.


Falando em bobagens do José Roberto, lá vamos nós:


Acompanhem comigo:
Essas duas aparecem na tela.
No box da Red Bull.
A da esqueda é Geri Halliwell, 
ex-Spice Girl (que voltaram a ativa), cantora, casada com Christian Horner, chefe da equipe RED BULL.
A da direita é Emma Bunton, cantora, ex-Spice Girl, amiga de Geri. 

A besta do José Roberto vai e fala "que ela é parente do Jason Button".

Jason?
Bunton = Button?

Família?
O piloto é da McLaren e as mulheres estão na Red Bull, homem!!!


Claro que ele não é obrigado a saber que raios são as cantoras do grupo Spice Girls. 
Mas bastava falar menos e prestar mais a atenção que ele tinha duas opções nobres nesse momento em que elas apareceram: ficar calado ou ver que era Red Bull e não McLaren e que "Bunton" se escreve diferente de "Button".

Súplica à Globo: por favor, em dia de corrida, fiquem no silêncio, mas não coloquem ele de novo não!
A próxima corrida com esse cara vai ser tipo isso:


***

Seb: "-Se eu fizer uma corrida melhor que a última..."
Kimi: "- Huehuehuehue..."

O pior que se alguém inventar de perguntar como o Seb está, ele vai responder desse modo:


***

Gut todo se querendo com o Kimi. 
Que afabilidade, hein?


***

Take 3: "Kimi não mereceu estender o contrato, ele só está na frente do alemão porque ele abandonou mais corridas..."


Os abandonos e problemas no carro não são culpa do Vettel, assim como os abandonos e problemas que Kimi teve ano passado não eram culpa dele. 


***

Take 4: 
"Jaime! Vou fazer xixi rapidinho!" - Becker, Mariana


***

Kimi contando a piada "Quantos anões são necessários para trocar uma lâmpada?"


***

Merchan para o GP inglês: Rosberg. Iphone. Heineken. Lauda. Salsichas.
Inglês??
Inglês????


***

Rosberg brindando Verstappen.
E o Hamilton fingindo amistosidade. 
Ele não percebeu que antes do pódio ambos ignoravam ele? 
Por que estava querendo chegar essa garrafa para o brinde?


Achei que ele não precisava de amigos, coleguinhas... 
... Que era auto-suficiente...



E as vaias para o Rosberg em vingança das Áustria, que Hamilton, dissimuladamente disse que "não ouviu nada"?

Sei...

*** 

Take 5: Rosberg foi punido em 10 segundos por receber ajuda via rádio


Hamilton suplica ajuda. 
Eles dizem "não" e reclamam que a nova regra é estúpida.
Rosberg pede ajuda. Eles instruem tranquilamente, porque sabem que quem vai se ferrar é ele.

Parabéns aos envolvidos.


***

Por fim, para a maioria dos fãs do automobilismo, a reação foi de glória ao ver essa imagem:


Para mim a reação é essa:


Abraços afáveis!